1. Spirit Fanfics >
  2. This is love >
  3. Capítulo 15

História This is love - Capítulo 16


Escrita por:


Capítulo 16 - Capítulo 15


Mesmo semanas após o encontro que Oliver teve com seu irmão, as palavras de Brian ainda ecoavam em sua cabeça. Sabia do que seu irmão era capaz e não queria pagar para ver o estrago que poderia acontecer, caso ele não tomasse uma providência. Ainda se culpava por ter aceitado esse trabalho, se culpava também por ter se aproximado demais de Tasha. Mas nada daquilo importava mais, qualquer que fosse sua decisão, Oliver sabia que Tasha sairia machucada. Ensaiou quase todos os dias o que falaria para ela, mas não achou o momento certo ou melhor, não teve coragem de contar a ela.

Como explicaria que ele, a pessoa que ela tanto confiou, fazia parte de toda essa confusão, que seu irmão que havia atirado nela, que ele havia mandado Megan para um lugar mais seguro, fora do país, e deixou que todos acreditassem que ela estava morta. Que tudo isso fazia parte de um plano de um grupo de ativistas da Turquia. Quando Tasha entrou de licença maternidade foi um alivio para Oliver, decidiu que só contaria quando fosse a visitar depois que tivesse o bebê.

A equipe tinha sido avisada que Brian Ahmad possivelmente teria passado por uma cidade em um bairro mais afastado em Nova Jersey. Oliver e Reade estavam se preparando para sair quando Tasha apareceu no Sioc com a feição séria e acompanhada de um dos seguranças.

- Amor? Está tudo bem? - Reade questionou com cuidado pois sabia exatamente do que se tratava. Tasha levantou a mão em sinal de que não ouviria as palavras doce dele.

- Por que meu crachá está desabilitado? - Ela questionou, sem nem mesmo cumprimentar ele ou Oliver.

- Porque eu mandei desabilitar. - Ele respondeu com a voz firme, mas logo desmanchou a cara séria.

- Eu posso saber o porquê?

- Tash, você vai ter bebê a qualquer momento agora.... - Reade iniciou sua explicação, mas foi logo interrompido por Tasha.

- Faltam duas semanas e meia Reade, corta essa! - Ela disse estressada. - Eu posso muito bem trabalhar aqui no escritório.

- Tasha você está licença maternidade, acho que você não entendeu o conceito disso. – Reade tentou fazer com Tasha disease sentindo de suas condições atuais, mas ela parecia não prestar atenção em uma só palavra que saia da boca de Reade.

- Para onde vocês estão indo? - Tasha perguntou se virando para Oliver, que recebeu um sinal de Reade para que não falasse.

- Nova Jersey, mas não é nada demais... - Oliver respondeu fazendo Reade revirar os olhos.

- Eu vou! - Ela declarou com firmeza.

- Não vai, não. - Reade rebateu com a voz séria.

- Eu não estou pedindo sua permissão! - Ela retrucou com a voz elevada, empinado o nariz.

- Não é nada demais chefe, voltaremos antes do anoitecer... - Oliver interviu, realmente eles só iriam pegar um depoimento e voltar.

- Ok, mas se acontecer qualquer coisa, será sua responsabilidade. - Reade declarou direcionando sua fala a Oliver.

- Eu iria de qualquer jeito. - Tasha falou enquanto seguia para o elevador.

-As mais bonitas, são as piores.... - O segurança falou para Reade enquanto via Tasha e Oliver se afastarem.

- Você está falando da minha esposa! - Ele falou se virando para encarar o homem.

- Sim!

Reade apena ignorou o comentário e seguiu de volta a seus afazeres. Ele não estava feliz em saber que Tasha iria a campo tão perto da chegada do bebê, mas sabia que nada que ele dissesse a faria mudar de ideia, era pessoa mais teimosa que conhecia.

O caminho até Nova Jersey foi em geral tranquilo, Oliver se manteve calado quase o caminho inteiro, estava com a consciência tão pesada, que se abrisse a boca para falar qualquer coisa acabaria confessando tudo. Tasha por outro lado, não parou de falar.

- Ainda não acredito que vocês escolheram não saber o sexo do bebê. - Ele disse fixando os olhos na estrada.

- Foi ideia do Reade, mas confesso que assim é mais instigante. - Tasha respondeu pegando o último biscoito.

- Bom, espero que seja uma menina... – Tasha o encarou com o olhar curioso. – A equipe fez uma aposta, se for menina eu e Patterson ganharemos.

A declaração de Oliver fez Tasha revirar os olhos e rir logo em seguida.

Não demorou muito para que chegassem na casa de Marjory Russo. A casa ficava em um bairro bem afastado do centro da cidade, e com pouquíssimas casas vizinhas. Tasha sentiu uma dor leve em suas costas, mas imaginou que a viagem tivesse causado.

Assim que chegaram a mulher simpática os convidou para entrar. Marjory declarou que vira Brian Ahmad em uma estação de ônibus que ia rumo a Manhattan. Oliver desviou sua atenção das duas mulheres que agora conversavam sobre bebê ou algo do tipo. Ele voltou sua atenção ao celular, ligaria para Reade e avisaria que já estariam de volta a cidade.

- Droga. Meu celular está sem sinal. – Ele declarou se direcionados a Tasha.

- Pode usar o meu... – Tasha o entregou o celular, mas não conseguiu terminar sua frase, a dor que sentira mais cedo estava mais forte.

- Eu tenho uma notícia não muito boa. – Tasha disse, direcionando seu olhar a suas pernas que estavam encharcadas.

- Ótimo! – Oliver disse ironicamente, ainda olhando para o celular em busca do sinal. – Mais uma.

- Oh Deus! – Marjory exclamou ao perceber que a bolsa de Tasha havia estourado.

- O que? – Oliver perguntou voltando para as duas mulheres.

- Minha bolsa estourou. – Ela falou tentando controlar sua voz desesperada.

- Mas você não trouxe nenhuma bolsa. – Ele contestou genuinamente, mas logo em seguida entendeu o que estava acontecendo. – O bebê está vindo...

Tasha se apoiou no encosto da poltrona, respirando entre as contratações e os surtos.

- Ok, ok. Respire. – Oliver repetiu umas cinco vezes, como se tivesse tentando acalmar a si mesmo. – Qual é o hospital mais próximo?

- O hospital mais próximo fica a quase duas horas daqui? – Marjory disse com o olhar quase tão desesperado quanto o de Oliver.

- Duas horas? – Tasha gritou não só por conta da declaração da mulher, mas por conta da dor que sentia.

- Calma, respira. – Oliver falou tentando tranquiliza-la.

- Eu estou respirando! - Ela gritou de volta, fazendo ele se afastar um pouco.

- Que tipo de cidade é essa que não Tam um hospital próximo? – Ele contestou desesperado. – E agora?

- Eu não vou aguentar o caminho até o hospital... – Tasha declarou ainda tentando controlar sua respiração.

- O que vamos fazer agora? – Marjory questionou enquanto se aproximava cuidadosamente de Tasha.

- Oliver... Você disse que cresceu em uma fazenda... – Ela falou pausadamente, ele apenas assentiu e esperou que ela concluísse. – Você disse que fez o parto de vários bezerros.

- Você realmente está se comparando a um a vaca? – Oliver protestou com a voz elevada. – Isso é totalmente diferente.

- Oliver, olha nos meus olhos. – Tasha falou se aproximando dele e o puxando pela camisa. – Não temos outra escolha! O bebê não vai esperar até chegarmos no hospital.

- Tash...

- Oliver, eu confio em você. Nós vamos conseguir fazer isso. – As palavras de Tasha o acertaram como nunca, Oliver estava tão cheio de culpa que não conseguia pensar em mais nada a não ser que estava mentindo para uma das amigas mais importantes.

- Tudo bem! Nós vamos fazer isso! – Ele declarou com confiança. – Marjory, eu preciso que prestes atenção no que eu vou fizer. – Oliver descreveu tudo o que ele precisaria, pediu que Marjory disponibilizasse um quarto e que continuasse tentando entrar em contato com Reade, ou qualquer um da equipe.

Tasha estava a alguns minutos de dar a luz quando Marjory entrou no quarto afobada, dizendo que Reade já estava a caminho. Tasha se tranquilizou quando ouviu aquelas palavras. Passaram se quase uma hora, entre empurrar e respirar, já podia ouvir o choro do bebê ecoando pela casa inteira. Oliver enrolou o bebê cuidadosamente, tentando conter todas as emoções.

- Eu ganhei a aposta... – Ele disse com a voz embargada enquanto entregava a bebê para Tasha.

- Então é uma menina? – Ela perguntou animada com lágrimas em seus olhos, Oliver assentiu, e ficou admirando aquele lindo mini ser humano que gritava tão alto quanto podia. Só voltou a si quando viu Reade entrando afobado no quarto, e Marjory o seguindo.

- Tash... – Ele disse se aproximando, mas o faltou voz para que continuasse sua frase.

- Temos uma bebêzinha... – Tasha declarou enquanto Reade se aproximava da cama.

- É a bebê mais linda que eu já vi na minha vida inteira. – Ele declarou sentando se na cama e tomando a bebê nós braços.

Oliver admirou a cena por um curto período e decidiu que devia deixá-los a só um pouco. Assim que deu os passos em direção a sala avistou Marjory recostada a poltrona.

- Seu irmão mandou lembranças. – Ela declarou assim que o viu se aproximando.

- Do que você está falando?

- Brian mandou te dizer que, como você não resolveu o problema Zapata, ele resolverá. – Marjory disse com arrogância e sem o olhar nos olhos. – É uma pena que ela vá deixar uma bebê para trás. Mas é a vida...

- Você deve estar maluca de me dizer isso... – Ele falou a agarrando pelo braço enquanto ela tentava se afastar.

- O que você vai fazer? Contar pra eles que ela só está em perigo por sua culpa. – A frase de Majory o deixou sem retórica. – Faça um favor para nós dois, volte quando tiver coragem de enfrentar seu irmão e a si mesmo. – Ela concluiu se desvencilhando das mãos de Oliver.

Reade e Tasha estavam admirando a linda e perfeita obra de arte que haviam feito.

- Ela é perfeita. – Ele disse sem desgrudar os olhos da bebê.

- É perfeita, e precisa de um nome. - Tasha disse com um sorriso doce. – Eu gosto de Alice...

- Alice é perfeito! – Reade declarou voltando seu olhar seu olhar apaixonado a Tasha. – Você realmente teve um parto rústico, contemporâneo.... – Ele brincou.

- Isso é verdade, mas podemos ir para casa agora? – Ela pediu com uma voz manhosa.

- Com certeza meu amor!

Oliver os levou até o hospital para garantir que estava tudo certo tanto com a bebê quanto com Tasha. Ambas forma liberadas depis de vinte e quanto horas.

Oliver esperou duas semanas para falar com Keaton sobre a ameaça direta de Brian, inventou uma desculpa do porque não ter vindo antes a ele. Oliver sabia muito bem qual seria a providencia que Keaton tomaria, e queria dar o máximo de tempo a Tasha com a bebê.

Dentre essas duas semanas Tasha recebeu todos da equipe, que foram visitar Alice, Oliver particularmente estava lá quase todos os dias. Ele passava horas conversando com a bebê ou só encarando a em silêncio. Por esse motivo, não tinha sido surpresa nenhuma para Reade e Tasha, Oliver aparecer em sua casa oito horas da noite.

- Olha só quem veio visitar você pela quinta vez só hoje. - Tasha disse direcionando sua fala a bebê que estava em seus braços, mas logo fez sua feição séria ao ver que Oliver não trazia um sorriso como das outras vezes.

- Não sabia que viria também. - Reade contestou curioso enquanto Keaton entrava na sala.

- Não é uma visita amigável Tash... - Keaton falou se aproximando dela, e pegando gentilmente a mão de Alice. - Brian Ahmad está na cidade, ele está vindo atrás de você.

- O que? Por que? - Ela contestou, Reade estava recolhendo os bichos de pelúcia, e agora prestava total atenção ao tema da conversa.

- Não sei exatamente. Talvez te culpe por algo, ele falou pra você se afastar e você não se afastou. - Ele respondeu soltando a mão da bebê, Oliver que estava em silêncio desde que chegara, apenas desviou seu olhar para o chão.

- Mas isso foi meses atrás! Eu não trabalho nesse caso desde então. - Tasha protestou, tentando fazer sentindo das declarações de Keaton, que apenas ergueu as mãos indicando que não tinha respostas para tantas perguntas.

- O que vamos fazer agora? - Reade perguntou diretamente a Oliver, que apenas desviou o olhar a Keaton.

- Temos que coloca-la em proteção a testemunha... É por isso que estamos aqui. - Oliver disse com a voz mais calma e doce possível.

- Tudo bem, mas precisamos de umas duas horas, até guardar as coisas da Ali... - Reade iniciou, mas foi logo interrompido por Keaton.

- Vocês não precisam de duas horas.

- Você tem noção de quantas coisa essa bebê tem?

- Não, e não importa. - Ele respondeu de forma ríspida. - Não precisa fazer a mala da Ali, porque ela não vai. - A declaração de Keaton fez o sangue de Tasha ferver, só de imaginar que teria que ficar longe da sua bebê a deixava desesperada.

- Como assim ela não vai? Não podemos apenas a deixar para trás! - A voz Reade já estava alterada enquanto falava diretamente a Keaton, Tasha olhava para Alice sem ouvir uma palavra da discussão, a declaração anterior fora ensurdecedora o suficiente.

- Vocês não vão deixar Alice para trás... – Ele retrucou. – Ela vai, apenas Tasha ira conosco, você e Ali ficaram.

- Eu não vou sem a minha filha! – A voz de Tasha saiu tão dura e decida como ela pretendia.

- Sente-se, será uma longa conversa. – Keaton declarou direcionando suas ordens a Oliver.


Notas Finais


PRÓXIMO CAP É DE TOMBO, JÁ VOU LOGO AVISANDO.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...