1. Spirit Fanfics >
  2. This is love >
  3. Capítulo 05

História This is love - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


@Team_Repata paz e amor por favor.
Aproveitem.
E não me arrasem.

Capítulo 5 - Capítulo 05


Reade estavam mexendo na bateria, E Tasha estava no banco do motorista tentando fazer o carro funcionar.

- Vira a chave quando eu disser. – Avisou Reade. – Vira.

O carro apenas fez barulho, e nada.

- Não está funcionando. – Ela gritou de dentro do carro.

- Nem tinha percebido. – Ele disse ironicamente, enquanto fechava o capô do carro. Depois de ficar mais de vinte minutos tentando resolver o problema, ele desistiu e encostou no capô limpando as mãos em um pano qualquer que achou jogado no carro.

- Consegui! - Disse Tasha descendo do carro, com o celular erguido. - Finalmente consegui um sinal.

- Ótimo. - Respondeu Reade, um pouco mais esperançoso. - Aproveita e já liga para o seguro. - Ela apenas acenou com a cabeça, já discando o número. Depois de dez minutos explicando o ocorrido e informando a localização deles, Tasha finalizou a ligação.

- O guincho vai chegar em quarenta minutos. - Anunciou, encostando no carro ao lado de Reade.

- Bom, agora é só esperar.

- Estou com fome. - Ela disse em um tom entristecido.

- Você está sempre com fome.

- Isso não é verdade. - Ela retrucou dando um leve tapa no braço dele, enquanto sorria de leve. Até mesmo a risada leve dela o alegrava. Após esperarem não tão pacientemente avistaram um caminhão guincho se aproximar.

O veículo parou na frente do carro, um homem alto e com uma cara fechada saiu de dentro, apenas cumprimentando os com um aceno. Deu uma olhada superficialmente no carro e concluiu – Bom, me parece a bateria, mas não sou mecânico, não posso dizer com certeza.

- Quanto tempo você acha que vai demorar para arrumar? - Questionou Tasha. - Queremos voltar para cidade ainda hoje.

- Vocês terão que esperar até amanhã cedo. O mecânico mais próximo daqui não abre dia de quinta-feira. - Ele disse calmamente enquanto preparava o carro para o reboque.

- Que tipo de mecânico não trabalha em um quinta-feira? - Tasha perguntou indignada.

- O mecânico mais próximo daqui. - O homem respondeu de forma ríspida.

- Mas tem um hotel a uns vinte minutos daqui e ele está sempre vazio, por conta das histórias estranhas.

- Eu acho que não temos muitas opções. - Declarou Reade, aceitando a proposta de ir para um hotel.

- Histórias estranhas? - Questionou Tasha.

- Você sabe, as almas das pessoas que cometeram suicídio ainda estão presas lá. - Ele disse enquanto entrava no veículo. Reade apenas revisou os olhos após ouvir a declaração absurda do motorista, mas mudou sua expressão quando viu a cara de Tasha .

- Você está com medo? - Ele perguntou enquanto segurava o riso.

- Não estou com medo. - Reade apenas acenou com a cabeça, e abriu a porta do veículo para que ela entrasse.

- Realmente vamos fazer isso? - Ela perguntou em um tom baixo para que só Reade pudesse ouvi-la.

- Você tem uma ideia melhor?

- Não. Vamos acabar logo com isso. - Ela disse sentando se no banco do passageiro.

Após deixarem o carro na garagem do hotel, os dois foram para recepção fazer um check-in.

- Precisamos de dois quartos, por favor. - Tasha pediu gentilmente assim que se aproximaram do balcão.

- Desculpe me, mas só temos um quarto disponível. - A recepcionista respondeu sem dar muita atenção a eles.

- Como assim só tem um quarto disponível? - Tasha agora já estava com a voz mais alterada, estava exausta, e só queria que aquele dia acabasse logo.

- Bom, temos três quartos ocupados e dois indisponíveis no momento. - A garota respondeu em um tom de deboche.

- É só por uma noite. - Disse Reade se aproximando de Tasha, falando quase que em um sussurro.

- Tudo bem. - Ela disse, pegando de forma brusca as chaves da mão da recepcionista.

Era um hotel beira de estrada, bem três estrelas, ou até mesmo menos. Mas nenhum dos dois reparou muito nisso, afinal, eles estavam cansados demais para ficar reclamando.

- Eu vou tomar um banho. - Tasha declarou assim que passaram pela porta. O quarto era bem simples, tinha uma cama de casal, uma mesinha com uma cadeira solitária e um banheiro.

Reade terminou de colocar as malas no canto do cômodo e sentou se na cadeira. Lutou para não se jogar naquela cama tão convidativa, mas suas roupas estavam sujas de graxa, aproveitou o tempo em que Tasha estava no banho para mandar uma mensagem para os amigos, explicando os acontecidos.

Tasha saiu do banheiro com os cabelos ainda úmidos, mas sua feição mudara completamente. Seu olhar estava mais calmo, levava um sorriso doce e leve e apesar de ter um cansaço aparente.

Reade a admirava em silêncio, não podia negar que tudo que ele queria naquele momento, era um tempo a sós com ela, mas não sob essas circunstâncias. Sentiu seu coração falhar por momento quando o olhar de Tasha parou no dele. Sua respiração já descompassada apenas o lembrava como estava cansado. Tinha sido o um dia muito longo. E eles teriam outra oportunidade de conversar, assim esperava ele.

Tasha estava sentada na cama, verificando seu celular. Reade se aproximou dela, e se debruçou do seu lado, ela podia ouvir os batimentos desregulados dele, o que fez com que o seu coração também perdesse o ritmo. Ele lentamente deslizou a mão pela cama até alcançar sua toalha, e se afastou ainda com o olhar fixo no de Tasha.

Depois que ouviu a porta do banheiro se fechar, ela se deitou olhando fixamente para o teto, tentando raciocinar a loucura que tinha sido aquele dia. Acabou por pegando no sono, quando Reade saiu do banho Tasha já estava em um sono profundo. Ele apenas a assistiu dormi por curto período de tempo, e logo depois dormiu ao lado dela.

- O que foi isso? – Tasha acorda assustada após ouvir um barulho.

- Reade, acorda. Eu ouvi alguma coisa lá fora. – Ela fala ainda tremendo.

- O que ? – Reade pergunta ainda sonolento. – O que houve Tasha?

- Eu ouvi um barulho lá fora.

Reade se levanta e vai até a janela para conferir se acontecia algo de anormal do lado de fora.

- São apenas alguns adolescentes fazendo bagunça. – Ele tenta tranquiliza-la, o que parece não fazer muito efeito.

- Tasha, você ainda está pensando naquela história idiota que aquele cara contou? – Ele pergunta, se referindo a história que o motorista do guincho havia contado.

- Não é isso. Apenas, me assustei com o barulho. – Ela responde de uma forma seca.

- Tá tudo bem... – Ele disse se sentando na cama. – Eu estou aqui...

- Eu sei... – Ela falou em um tom tão baixo, que se ele não estivesse a centímetros de distância de seu rosto, não teria a ouvido.

- Tash... – Ela não esperou que ele completasse a frase, em um movimento rápido e sútil. Selou os lábios dele com o seu. Reade envolveu Tasha em seus abraços, como se pudesse perdê-la a qualquer minuto, se entregou aquele beijo como se fosse a última coisa que faria na terra, como se fosse a calmaria no meio da tormenta.

Tasha se afastou por um momento, para olhar em seus olhos, só para ser interrompida pela tocar do celular.

- Por que o seu celular está tocando as três da manhã? – Perruntou Reade.

- Eu sou uma a gente da CIA Reade, meu celular está sempre tocando as três da manhã.

- Você está trabalhando na CIA? Engraçado, você nunca mencionou. – Retrucou ele de forma irônica em um tom brincalhão.

- É o Keaton... – Ela diz após verificar o identificador. – Vou atender lá fora.

- Cuidado com os fantasmas. – Brincou ele enquanto ela sai pela porta.

Já do lado de fora, Tasha atende o telefone intrigada, afinal, Keaton quase nunca ligava de madrugada.

- Keaton, algum problema?

- Depende, onde você está? – Ele questionou do outro lado da linha, parecia nervoso e preocupado ao mesmo tempo.

- Meu carro quebrou quando eu estava voltando, tive que ficar em um hotel.

- Seria bom um aviso da próxima vez... – Ele respondeu de forma ríspida. – Ouvi que sua missão foi quase um sucesso...

- Achei que o combinado era não falar sobre isso por celular. – Tasha retrucou com tom de deboche.

- E não vamos... Mas não se esqueça que a missão ainda não acabou!

- Eu estou bem ciente disso Keaton.

- Sem distrações Tash. – Aconselhou agora com uma voz mais amigável. – Não se apegue ao que você não pode ter. – Tasha não respondeu a declaração de Keaton apenas esperou que ele concluísse.

- Quero você na cidade até amanhã de tarde.

- Boa noite Jake. – Ela falou sarcasticamente antes de desligar a ligação, sem mesmo esperar a resposta dele.

Voltou para o quarto com a feição diferente, estava séria, talvez até um pouco preocupada, mas não como se ela fosse admitir isso.

- Tá tudo bem? – Reade perguntou assim que viu Tasha cruzando a porta.

- Está sim, só preciso descansar. – Ela respondeu rispidamente, e apenas se deitou. Reade ficou sem entender, já estava ficando cansado de receber sinais confusos dela. Mas até ele sabia que pedir para Tasha ser clara em relação ao seus sentimentos era demais.

Decidiu então não confrontala, não agora de qualquer forma. Ficou martelando a ideia por alguns minutos, mas logo se rendeu ao sono. O dia seguinte seria longo e tão cansativo como esse. Eles precisavam de todo descanso que pudesse conseguir.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...