1. Spirit Fanfics >
  2. This is not about us >
  3. Sete

História This is not about us - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


quem é vivo sempre aparece, não?

boa leitura a todes e nos vemos nas notas finais~

Capítulo 7 - Sete



        Ok. Talvez o nosso plano de levar Kwan para sua festa surpresa de dez anos tenha sido completamente arruinado, mas não cem porcento. Só adiamos a festa para, ao invés de quatro horas da tarde, às seis da noite. Duas horas a mais não mata ninguém, né?

Eu e Jungkook resolvemos, por mensagem, levar o pequenino – e talvez não tão pequenino assim – Jeon para um fliperama perto do centro da cidade. Sempre o levávamos lá quando era menor. Lembro-me que nem alcançava corretamente o balcão de alguns jogos. Ah que saudade.

Parece que não foi só eu que sentiu nostalgia ao adentrar o fliperama reformado, mas ainda com o mesmo ar de quatro anos atrás. Jeon me olhou e suspirou junto a mim. Peguei na mão de Kwan e fui em alguns jogos para ver qual ele iria escolher enquanto Jeon comprava um total de fichas, que deixaria Kwan entretido até um certo horário. Acabamos por mais rir do que escolher algo, literalmente.

Ao pegar as fichas, Kwan saiu correndo pelo local sem saber ao certo o que escolher. Uma hora ele queria ir ao jogo de lutas comigo. Outra hora queria ir no de dança com Jungkook. Outra hora queria apenas tirar fotos – às vezes sozinho, às vezes conosco.

Confesso que na hora de tirar fotos eu não sabia ao certo o que fazer. Kwan queria tirar a tal selfje, então teria de ficar na ponta deixando o meio e o lado para eu e Jeon nos arrumarmos. Eu sei, é algo bobo a se narrar, mas eu ainda me sinto nervoso em relação a Jungkook. Grr, você tem trinta e cinco anos Park Jimin e não quatorze!

Acabou que a posição da foto ficou: Kwan na ponta, eu no meio e Jungkook atrás de mim e nós dois um pouco abaixados por Kwan ser pequeno – mas confesso que quase do meu tamanho. O " problema " todo era que Jeon estava com as mãos nas minhas costas e fazendo um carinho ali! A merda de um carinho!

Eu ODEIO ser carne fraca, pois após esse carinho eu fiquei meio avoado e até Kwan percebeu isso, se duvidar. Eu estava jogando com ele, mas não estava bem ali, entende? Parece que tudo o que passamos estava ali, diante dos meus olhos. Parece que os motivos do divórcio desapareceram por um instante...

– Appa... - Kwan me chamou e eu logo me liguei de volta ao mundo. – Eu... posso ir brincar com eles? - apontou para um grupo de dois meninos e duas meninas que estavam nos olhando. – Eles me chamaram e como é o meu aniversário... eu pensei em ir lá um pouco... - o olhei pensativo vendo até onde a desculpa dele de sair de perto de nós ia dar. – Posso? - me olhou pidão. Não é como se eu fosse negar, óbvio, mas resolvi estender um pouco.

– Hm... Não sei. - pus o dedo embaixo do queixo, fingindo estar pensativo. – Quem são os pais deles?

– Ah... appa... Eu não sei! - percebendo que eu estava o enrolando, nós começamos a rir.

– Aigoo... Eu estou só brincando, amor. - ri mais um pouco. – Vai lá, vai. - e assim ele foi com sorriso no rosto, assim como as crianças.

– Ué... Cadê ele? - Jeon apareceu de repente atrás de mim, me assustando.

– Ah sim... - me virei para ele. – Umas crianças o chamaram para jogar com ele e eu deixei.

– Hm... - ele tirou duas fichas do bolso. – Ainda tenho essas comigo, quer jogar?

– Ya, Jungkook! Eu não tenho mais doze anos, nem sei mais jogar nisso. - sorri envergonhado.

– É claro que sabe! Eu te ensino, vem!

Daquele momento em diante foi como um filme de comédia romântica. Nem parecia que nós tínhamos nos separado, nem um pouco.

Ao acabar as fichas, nós fomos a uma pequena e única loja que tinha ali dentro para comprar um algodão doce – que era tão caro que nunca mais eu como um! Fiquei traumatizado com o preço. Percebemos que já estava ficando no horário que havíamos adiado a festa, então logo chamamos Kwan, que ficou um pouco triste, e fomos para o carro.

O clima dentro do carro de Jeon estava leve como nos velhos tempos. Também tenho muitas saudades desse clima entre nós três:

Filho... - Jeon o chamou quando estávamos na rua da casa de festa.

– Hm...? - respondeu olhando para janela. Ele ainda estava chateado que fomos embora, segundo ele " Nunca mais eu vou ver eles na minha vida inteira! "

– Nadinha vai tirar um sorrisão daqueles seu? - Jeon perguntou, e eu apertei os olhos de vergonha pela forma que ele falou. Jungkook é bem tio às vezes.

– Não, appa, nadinha. - tudo bem, será uma missão difícil, mas eu vou tentar. Quer dizer, vamos.

Ao que Jungkook estacionou o carro em frente a casa de festa, eu desci primeiro com uma venda na mão. Abri a parte onde Kwan estava sentado e:

– Então nós vamos ter que fazer pelo lado mais difícil não é? - o olhei e tapei toda sua visão com a venda. Talvez, mas só talvez mesmo, Kwan fique traumatizado com essa cena, pois começou a gritar no meio da rua enquanto eu o segurava pelos pulsos. A gente poderia muito ter pensado numa forma melhor, mas ok.

Fomos levando Kwan, forçadamente, até a entrada do salão de festas e ao que abriram as portas eu desamarrei a venda e todos gritaram:

SURPRESA!

Ele não entendeu de imediato, mas logo seus olhinhos foram se arregalando e sua boca abriu um sorriso enorme. Há, conseguimos um sorriso, não? Isso que importa!

Kwan olhou para nós dois – eu e Jeon – e nos abraçou com seus bracinhos pequenos. Dessa vez eu tomei a iniciativa de passar meu braço ao redor de Jungkook e, assim, completando um abraço em " família ". E é lógico que o fotógrafo contratado fez questão de tirar uma belíssima foto nossa.

Ao nos separarmos do abraço para que Kwan fosse falar com seus amigos e colegas de classe, Jungkook olhou para mim com um sorriso e bom... Eu não pude deixar de retribuir, formando dois riscos em meus olhos que eu quase não enxergava nada.

É, essa noite será bem longa pelo visto. 


Notas Finais


AAAAAAAA eu nem acredito que eu tô aqui de volta.

vim nessa crise enorme/pandemia quase que propositalmente. já falei na KoreaBus e venho aqui novamente: NÃO SAIAM DE CASA POR FAVOR. se não for de extrema importância e puder adiar, não saiam de casa!

bebam água, lavem as mãos a cada uma hora – se puder e se não puder, passa o álcool em gel que é sucesso. vamos pensar não só em nós, mas no próximo por favor.

deixando a tristeza de lado, o que vocês estão achando da nova aproximação dos jikook? como eu disse, a fanfic nao tera mais que 12 capítulos, então estou tentando adiantar algumas partes, o que acharam?

amo vocês e se cuidem, sempre 😎👉☀️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...