1. Spirit Fanfics >
  2. This is real >
  3. Capítulo 21

História This is real - Capítulo 22


Escrita por: _COff3

Notas do Autor


Oioi!
Como estão?
A música do cap é "Pupila"

Capítulo 22 - Capítulo 21


[...]

POV'S SHOUTO

Desgraçado.

Vou usar essa adjetivo para Katsuki Bakugou. Esse idiota mal chegou e já foi conquistando meu esverdeado. Quem ele pensa que é? Me poupe! Eu vi primeiro!

Bem, e desisti primeiro também.

Quando eu bati em Hitoshi me senti vitorioso, Izuku me via como seu herói e eu amava essa atenção toda. Tentei diversas vezes chegar nele e até tentava beija-lo descaradamente mas, ou ele não entendia ou se fazia de burro. Desisti nesse ano quando me aproximei mais de Yamomo - um apelido que a dei - e começou a ser recíproco. Estávamos maravilhosamente bem até esse maldito loiro chegar. Izuku contou que se conheciam sim e faz bastante tempo que não se viam, que ele o tratou friamente e depois pediu desculpas. Eu vi que eles estavam mais próximos no período das provas. Eu odiei ver o Izuku o abraçando sempre, conversando com ele toda hora, ver ele saindo do quarto dele toda vez, e visse versa.

Eu estava conseguindo esquece-lo mas de repente esse sentimento de ciúme doentio veio e me consumiu por completo. Pedi um tempo a Yamomo, falei que estava com problemas na família e estava tentando ter um tempo para mim pra organizar tudo. Ela acreditou e aqui estou eu, vendo essa cena ridícula deles dois quase se beijando, algo que eu não consegui fazer.

Izuku havia se levantando no meio da noite e quando eu ia me levantar vi Bakugou indo primeiro e me retrai no saco de dormir novamente. Eles estavam demorando muito então resolvi arriscar e ir atrás deles. Quando achei eles estavam abraçados, não consegui ouvir nada pela distância mas eu senti eles em uma intimidade que me dava certo nojo (por parte de Bakugou, obviamente). Eles estavam tão perto um do outro, que raiva.

Não notei quando soquei a árvore tão forte fazendo eles olharem para a árvore que eu tava escondido. Com a escuridão daquele lugar eles não me viram correndo de volta para o quarto e não notaram que eu estava acordado quando chegaram.

Tenho que acabar com essa proximidade deles e pegar Izuku de volta para mim.

Ele é meu por direito. Katsuki vai se arrepender de ter feito ele chorar assim que chegou. Vai se arrepender de estar fazendo ele tão bem. Eu sou o único que vai tê-lo.

Maldito.

POV'S SHOUTO OFF

E assim Todoroki fez.

Faltando 3semanas para acabar as férias, o bicolor iria fazer Katsuki ser expulso.

Custe o que custar.

[Segunda-feira]

Estava quente, e Kaminari queria um banho bem gelado. Chamou Sero, Kirishima e Bakugou para uma trilha até o rio e ficaram fora durante o dia inteiro.

Jirou e Izuku estavam ensaiando uma música que a morena compôs e que ficava linda na voz de Izuku e ao som do violão que a mesma trouxe.

Todoroki observava de longe o esverdeado cantando e queria que ele cantasse para si. Momo e Iida o acompanhavam e falavam de coisas esportes e algumas idéias para o fim de semana.

O resto dos garotos foram atrás de madeira para uma fogueira que fariam hoje a noite, e as meninas foram procurar doces e besteiras pra se empanturrar a noite.

Aliás, Todoroki já havia colocado seu plano em prática.

Quando todos estavam distraídos, o bicolor entrou na área onde todos dormem e resolveu trocar tudo de lugar, exceto as coisas de Bakugou.

Quando todos chegaram e foram pras suas bolsas para tomar seus banhos e se trocarem...

—EI! ONDE ESTÃO MINHAS ROUPAS??? -gritou Uraraka mexendo em sua mochila. —Espera, essa calça não é sua Denki?!

—Essa blusa não é da Hagakure? -pergunta Sero levantando o tecido branco com estampa de um bolinho.

—VOCÊ PEGOU MEU SHORT?! SEU TARADO! -gritou Ashido avançando em cima de Mezo que segurava o short da garota.

—ONDE TÁ MEU VESTIDO?? -Asui dessa vez também se pronuncia.

Todos gritavam escandalosamente, até Izuku, alguém pegou sua cueca do All Might.

—Tokayami, acho que isso é seu. -Shouto estendeu a camisa preta para o mais baixo.

—É sim, obrigada. Não tem nada seu aqui eu acho.

—POR QUE O KATSUKI NÃO TÁ BERRANDO TAMBÉM??? -de repente, um silêncio se fez presente depois da observação de Ojiro. Todos encaravam o loiro com olhares estranhos.

—Ué. Eu também quero saber? Essa brincadeira foi feita por alguém que me ama demais, ou me odeia demais.

—MENTIROSO! FOI VOCÊ COM CERTEZA! -aponta Momo para o loiro e de repente todos vão pra cima do mesmo.

—QUE?! IMPOSSÍVEL! EU CHEGUEI A POUCO COM O PIKACHU E OS DOIS IMBECIS ALI! -apontou para Denki; Kirishima e Sero.

—Isso não quer dizer que você não tenha feito isso antes de sair, ninguém ficou aqui dentro hoje e você foi o último a sair. -o bicolor jogou na roda e todos começaram a concordar.

—O QUE? SEU TRAKINAS MEIO A MEIO DESGRAÇADO- EU VOU TE DESCER O KACETE! -o loiro tentou avançar em Todoroki mas todos pararam quando Izuku se pôs em meio aquilo.

—Gente, CALMA! -o esverdeado conseguiu a atenção que queria. —Como ele poderia ter feito isso em tão pouco tempo? Aliás, eu tenho certeza que o Kacchan não ousaria fazer uma coisa dessas! -Izuku tentava acalmar toda aquela multidão raivosa.

—Izuku, não é hora de proteger seu namoradinho! As coisas dele são as únicas no lugar, isso está claro que foi ele! -Uraraka exclamou deixando Izuku de boca aberta por estar contra si.

—Ele tá achando é engraçado já que ele é o único "em ordem". -Toru falou cruzando os braços com uma expressão raivosa.

—QUE MERDA-

—Que gritaria é essa?! -Aizawa chegou tirando a atenção de todos para ele.

—Bakugou trocou todas nossas roupas de lugar! -Toru diz enquanto o mais velho chega perto da multidão que estava em cima de Katsuki

—EU NÃO FIZ NADA!

—ENTÃO EXPLICA POR QUE VOCÊ É O ÚNICO QUE TÁ COM TUDO EM ORDEM! -Shouto gritou e todos concordaram gritando e pedindo explicações.

—EU SEI LÁ! CARALHO!

—Olha o linguajar, Bakugou. -Aizawa afastava os demais e ficou em frenteao loiro que se segurava pra não matar alguém ali.

—Eu não fiz nada, Professor! Eu nem se quer tava aqui!

—Não tenho provas que você é inocente e nem culpado, por hora vou deixar pra lá, essa bricadeira foi sem graça e infantil demais. Arrumem tudo e se organizem, vou acender a fogueira. -Aizawa estava sem paciência para lidar com aquilo agora, deixaria pra conversar com Bakugou amanhã e com os outros também.

—Mas, professor.... -Todoroki tentou argumentar e foi rapidamente cortado.

"Mas" nada, ninguém tem como comprovar nada. Agora andem logo.

—Sim senhor. -todos acentiram e Aizawa saiu.

—Vamos arrumar essa bagunça logo, quem for terminando pode ir indo tomar banho e ir ajudar o Professor lá fora. -Iida ditou e todos concordaram com fala do representante.

—Bakugou, por precaução, fique apenas com seus pertences em mãos, não precisa ajudar em nada aqui. Já que foi você que bagunçou tudo. -Iida falou mais baixo a última frase mas foi alto suficiente para o de olhos carmesins ouvir.

—Fala mais alto quarto olhos! Diz na MINHA CARA SEU MERDA! -Katsuki se aproximava do moreno com os punhos cerrados pronto para quebrar a cara do mesmo.

—Kacchan, por favor. -Midoriya segurou o ombro do loiro que parou assim que ouvirá a voz dele.

Tsc. -Bakugou se virou e saiu do local indo para onde estava Aizawa.

Todos arrumaram suas bolsas de novo e foram se arrumando aos poucos, alguns ajudavam os outros e quando acabavam iam saindo para onde uma bela fogueira estava acesa.

Um certo bicolor estava com raiva e ao mesmo tempo feliz, todos estão desconfiando de Bakugou e agora não estão com o pé atrás com ele, só precisa fazer mais uma coisa.

[...]

Já na fogueira, parece que todos haviam esquecido oque ocorreu a pouco, Kirishima contava a história da queda de Denki no meio da trilha e todos riam da cara do loiro que estava envergonhado.

—Jirou, você estava ensaiando uma música hoje não era? Toca pra gente ouvir! -Fumigake exclamou e todos começaram a olhar para a morena.

—A música não tá pronta ainda e o Izu não quer cantar, né Izu? -Jirou falava cutucando o esverdeado de leve que concordava com pressa.

—Cantem! Cantem! Cantem! -todos pediam ansiosos e se calaram enquanto a mais baixa cochichava com Izuku.

—... Tá bom, só uma vez. -o esverdeado concordou e todos se animaram.

—Eu vou pegar o violão! -Kyouka se levantou e correu para dentro da cabana no qual voltou com seu belo violão lilás.

—Ura, você pode ajudar? Você sabe a letra... -a morena falou baixo para a amiga que concordou.

—A-acho que não q-quero cantar mais n-não. -Midoriya escondia o rosto nas mãos e os amigos suspiravam em tristeza.

—Vai Zuzu, só essa vez... -Jirou falava passando a mão nas costas do amigo. -Por favor.

—Que droga, não resisto com você pedindo assim. -Deku suspirou em derrota.

—ISSO! Vamo lá.

Jirou começou a dedilhar o violão e contava baixinho até três (3).

(FAZ DE CONTA AE)

"Como é que eu vou dizer pra ela

Que eu gosto do seu cheiro

Da cor do que cabelo

que ela faz minha pupila dilatar."

O esverdeado cantou ainda meio envergonhado, sua voz ainda não queria sair mas aos poucos ele estava deixando o corpo mais relaxado e Jirou logo o acompanha.

"Eu quero dizer pra ele

Que a rima fez efeito

E agora penso o dia inteiro

Só ele faz minha pupila...

Di la tar..."


"Ta-ta-ta ta-ta-ra-ta-ra

Ta-ta-ta ta-ta-ra-ta-ra

Ta-ta-ta ta-ta-ra-ta-ra-ta"


Os dois cantavam em sintonia e Izuku ja parecia bem mais solto, cantava com leveza e sua voz deixavam todos maravilhados, até o loiro que já ouvirá outras vezes o seu esverdeado cantando, tinha os olhos brilhando e um sorriso era visto de uma orelha a outra. O loiro sempre se encantava com a voz de Deku, o mesmo já cantou diversas vezes com ele ou para ele, era uma troca que faziam. Bakugou tocava seu baixo para o esverdeado e o esverdeado cantava. Era algo que Katsuki, definitivamente adorava.


"Sabe, depois que eu te conheci

Ficou difícil de viver

Eu fico aqui imaginando coisas com você

Viu, o nosso som é parecido

Será que isso é obra do destino?

Pensando bem, contigo até combino"


A voz de Izuku era com certeza como um canto de sereia. Todos ficavam maravilhados com o canto do mesmo, Jirou também não vacilava em seu violão, tocando com os olhos fechados ouvindo a voz de seu amigo e dedilhando como se fosse a coisa mais fácil do mundo.


O cheiro de Marshmallow sendo esquentado no fogo por palitos dava um ar mais gostoso...


"Como que eu vou dizer pra ela?

Que eu gosto do seu cheiro

Da cor do seu cabelo

Que ela faz minha pupila dilatar"


Sem notar, Midoriya olhava Katsuki fixamente dando a perceber que a música era para ele.


"Eu quero dizer pra ele

Que a rima fez efeito

E agora penso o dia inteiro

Só ele faz minha pupila

di la tar"


"Ta-ta-ta ta-ta-ra-ta-ra

Ta-ta-ta ta-ta-ra-ta-ra

Ta-ta-ta ta-ta-ra-ta-ra-ta"


Jirou, acompanhada da voz de Uraraka que dava mais efeito a música, cantava de olhos fechados e sorria com o bater de palmas dos colegas na hora do refrão.


"Faz de conta que eu te conheço bem

Quero algum atalho pra te convencer

Que a gente se combina, só você não vê

Mas eu vejo, eu vejo, aí"


"Ensaio no espelho pra tentar ligar

Invento mil acasos pra te esbarrar por aí

Não sei o que que eu faço, eu quero mais

Eu quero mais de ti"


Todos agora já sabendo o refrão, cantavam todos juntos.


"Como que eu vou dizer pra ela?

Que eu gosto do seu cheiro

Da cor do seu cabelo

Que ela faz minha pupila dilatar"


"Eu quero dizer pra ele

Que a rima fez efeito

E agora penso o dia inteiro

Só ele faz minha pupila dilatar"


A cantoria animada dos três tirou o resto da tensão que ainda existia por ali, Aizawa chegou junto a Momo que carregavam uma bandeja cheia de chocolate quente e mais um saco de Marshmallows e pacotes de biscoito doce.


"Como que eu vou dizer pra ela?

Que eu gosto do seu cheiro

Da cor do seu cabelo

Que ela faz minha pupila dilatar"


"Eu quero dizer pra ele

Que a rima fez efeito

E agora penso o dia inteiro

Só ele faz minha pupila dilatar"


Os três agora cantavam juntos e os outros acompanhavam nas palmas ou levantavam suas canecas em animação

"É bom demais querer alguém

Eu quero você (Eu quero você)

Eu quero você


Ah ah ah ah ah

É bom demais querer alguém

E é você que eu quero

E é você, oh"


Kyouka estava tão feliz em ver que sua música deixou todos tão animados e encantados. Seu lado artista gritava loucamente, puxou de seu pai.

"Como que eu vou dizer pra ele?

Que eu quero aquele beijo

Que eu sei guardar segredo

Ninguém precisa nem desconfiar"


Os jovens ali estavam sentindo a música, com toda expressividade que Jirou sentiu quando a escreveu. Aizawa ouvia a música atencioso, como se fosse um jurado. A outra cuidadora não estava lá então apenas Aizawa curtia a calmaria de tudo.

"Eu quero dizer pra ela

Que eu amo o seu jeito

Que o seu óculos é maneiro

Que ela faz minha pupila dilatar

Que ela faz minha pupila dilatar


Ta-ta-ta ta-ta-ra-ta-ra

Ta-ta-ta ta-ta-ra-ta-ra

Ta-ta-ta ta-ta-ra-ta-ra-ta"


Os três amigos terminaram de cantar e a melodia se encerrou com um dedilhar leve nas cordas.

Todos aplaudiram a performance e elogiavam o trio. Midoriya ainda estava envergonhado, acaba de cantar pros seus amigos e nem estava tão afinado pelo nervosismo. "Deus, eles devem ter odiado", o esverdeado falava pra si mesmo escondendo o rosto nas mãos se encolhendo um pouco.

—MID, VOCÊ DEVIA CANTAR MAIS PRA GENTE! -Mina gritou empolgada indo em direção a Midoriya dando um abraço no mesmo.

—Eu tava d-desafina-nado...

—Tava nada! Tava lindo meu amor. -Jirou disse puxando a mão de Izuku do rosto lhe dando uma caneca quente.  —Toma um chocolatinho pra você relaxar.

—Obrigado. -agradeceu envergonhado

Bakugou conversava com Mezo e Tokoyami em um canto bebericando o líquido quente de suas canecas, Bakugou tentava explicar o que tinha acontecido e Tokoyami concordou, acreditava no amigo, Mezo também apoiava o loiro, não tinha nada contra e não seria agora que teria, mal conhecia ele.

Todoroki conversava alegre com Izuku e com a roda que com ele estava, o bicolor se deu conta que esqueceram rápido o que o "Bakugou fez" e viu que teria que fazer algo extremo, uma briga talvez? Não. Algo que todos acham inadmissível desde a saída de Mineta.

Roubo.

Podia ser o que fosse, mais roubo, era uma traição para todos ali, todos sabiam seus segredos mais ínfimos, sabiam de seus namoros antigos, sabiam de onde viam, de definitivamente tudo um dos outros, ali era mais que uma sala de aula, eram uma Família, roubar algo era como uma facada, não se rouba a família. Não eram uma família de ladrões então não tinham necessidade disso. Todoroki sabia que se quisesse ferir Bakugou, teria que pegar no ponto fraco da sala.

—Vou ao banheiro. -Shouto falou se levantando e indo para o local dos banheiros, desviando dos próprios.

Indo pelo caminho estava tentando ver o que "Bakugou roubaria", tinha que ser algo que tinha certo valor, e de alguém escandaloso o suficiente para fazer um barraco. Talvez de Mina? Não, ela não tem nada de valor consigo, Uraraka? Obviamente não. Momo? Não, ela iria apenas avisar e compraria a mesma coisa novamente. Izuku? Iriam achar loucura, Bakugou não roubaria o melhor amigo...

Toru Hagakure, escandaloda e só vê justiça quando o outro é prejudicado. Vai ser ela mesmo.

E isso fez, teria que ser rápido, se demorasse muito iriam procura-lo. Adentrou a cabana e foi a procura do canto onde a garota dormia. Olhando de longe avistou uma peça brilhante e viu o belo anel de ouro que tinha uma pequena amestista, os detalhes do anel dava um ar mais chique; Se lembrou rapidamente do que Toru havia falado do anel, "É uma jóia de família, minha bisavó ganhou da mãe dela e deu a minha avó, que logo deu para minha mãe e nos meus 15 anos eu o herdei, é sinal de "boa vida", terei de dar a minha filha ou a minha neta em seus aniversários de 15 anos e assim por diante, é muito importante para mim tê-la comigo".

Talvez a garota deve ter tirado para ir tomar banho e esqueceu de colocá-lo.

Perfeito.

O de olhos bicolores pegou a jóia e se aproximou das coisas de Bakugou enfiando o anel em um bolso de bermuda qualquer que estava lá.

—Que porra você tá fazendo meio a meio de merda?!

Todoroki tremeu ao ouvir a voz estridente e irritadiça de Katsuki.

[...]

POV'S KATSUKI

—É um saco ver as pessoas no qual eu tava me dando bem me encarando torto, vocês viram o Iida? Caralho, eu tava começando a sentir empatia por ele mais agora, eu quero que ele vá a merda! -bufei irritado quando Tokoyemo e Mezo concordaram.


Sim, chamo o Fumigake de Tokoyemo, apelido maravilhoso.


—Não importa agora, eu estou do seu lado, somos amigos. -Mezo falou e estendeu o braço com o punho fechado e trocamos um soco com a mão.

—Exatamente, somos amigos do rock ainda por cima, nossa conexão é única, Katsuki. -o moreno falou e me deu uma leve batida nas costas.

Durante o tempo que conversávamos, vi o merda do Todoroki saindo e desviando caminho dos banheiros. Ele demorava demais pra um cara que só queria mijar no matinho então resolvi ver se o encontrava.

—Vou ver se acho um casaco mais quente e volto já. -declarei me levantando colocando minha caneca no lugar onde me sentava.

—Beleza. -meus companheiros assentiram e eu segui caminho. 

Estava tudo escuro na cabana onde dormimos mas preferi verificar mesmo assim.

Chegando lá eu vi uma cabeleira de duas cores e abri a porta devagar me deparando com Todoroki mexendo na MINHA MOCHILA?

—Que porra você tá fazendo meio a meio de merda?! -falei baixo, mas meu tom de raiva ainda era notável.

—Bakugou! -ele sussurrou em medo.  —Nada! Eu tava procurando a bolsa do Midoriya, ele me pediu um casaco e não acertei a bolsa dele, nesse escuro ainda mais sabe como é haha.... -ele vacilou a mão de minhas coisas e vi algo caindo da mão dele, parece um anel?..

Espera...

Entendi tudo...

—Seu desgraçado! Foi você! Eu vou te matar!

Sem pensar duas vezes avancei nele, o puxei pela gola do suéter que o mesmo vestia e quando meu braço ia chegando perto de seu rosto alguém puxou meu braço.

—O que está havendo? -Kirishima segurava meu braço e vi uma cabeleira conhecida puxando o duas cores de mim.

—Shouto tudo bem? -Deku perguntou passando a mão no amassado que eu fiz no suéter do idiota lá.

—Não tá nada bem! Bakugou estava roubando!

—O QUE? -Deku, Kirishima e eu gritamos igual em surpresa. EU?

—EU? A VAI SE FODER! EU VI VOCÊ MEXENDO NA MINHA BOLSA COLOCANDO UM ANEL LÁ! SEU DESGRAÇADO DO CARALHO!

—Eu tava tirando! Mentiroso! Ladrão sem vergonha! -Todoroki avançava com o dedo apontado pra mim.

—Calem A BOCA! -Midoriya gritou e ficamos em silêncio.

Kirishima respirou fundo e me soltou.

—Midoriya, acredite em mim! Eu vi ele pegando mais cedo e tava tirando para devolver a Toru.

—Você disse que ia ao banheiro, mentiroso. Como vou saber se não esta mentindo nessa situação? Não esperava isso de você, Shouto. -o tom do esverdeado soou com desprezo, deixando um Todoroki chocado por ouvir seu nome e não um "Todo".

—Deku, foi ele que bagunçou as coisas! Você sabe que eu não tinha motivos pra fazer aquilo! -falei meio desesperado, ele tem que acreditar em mim...

—Kiri, pode chamar Aizawa pra mim por favor? Em silêncio ok?

—Ok. -o ruivo saiu deixando apenas nos três lá.

—Você realmente acredita nesse delinquente?

—O único delinquente aqui é VOCÊ SEU BASTARDO!

—Kacchan, por favor. Vocês dois esperem lá fora, vou falar com Aizawa. -eu iria retrucar mas Deku falou em tom sério, me lembra até meu velho me dando bronca.

É assustador.

(N/A: Deku mom ativado)

O meio a meio saiu primeiro e eu fui atrás em uma distância de quase 5metros. Se eu ficar mais perto dele não vou me segurar.

—Você não deveria estar aqui. -ele falou alto o suficiente para eu ouvir.

—Do que você tá falando merdinha duas caras?

—Eu tenho nojo de gente que nem você. Você tá brincando com o coração do Izuku, você o fez chorar no primeiro dia que pisou na escola e agora ele até defende você ao invés do melhor amigo que o conhece muito melhor qur você. -ele apressou o passo indo pro lado oposto da fogueira.

Acho que alguém quer puxar briga hm?

—Não fale como se o conhecesse des de sempre, você não passa de um substituto, serviu apenas pra me substituir na vida dele.

—Você é péssimo para o Izuku!

—Sou melhor que você! Esta com ciúme?! É isso? Só por que eu tenho mais atenção dele do que você? Me poupe duas caras. -falei rindo parando logo quando ele se vira e para também.

—Você não merece ele! Nem como amigo você presta!

—Isso é sério? Falou o cara que estava roubando e colocando a culpa em mim, você não passa de um trapaceiro sem noção! Riquinho de merda! Mesquinho!

—O Midoriya merece alguém melhor!

—Esse alguém por acaso é você? O que Momo diz sobre isso?

—Prefiro qualquer desgraçado que não se chame Katsuki Bakugou.

Estavamos longe do local do acampamento, perto da floresta um pouco, ele continua longe de mim e eu só quero quebrar a cara dele nesse minuto. Quem ele acha que é pra decidir quem é bom pro Deku?

—Que pena Todoroki, será eu que terei Izuku perto de mim, dessa vez vai ser pra sempre. Já perdi tempo demais falando com um inútil que nem você.

—Eu não vou deixar que fique mais próximo do Izuku, ele não ama você e nunca amaria, você é bruto e um completo sem noção, tenho certeza que se Shinsou voltasse ele iria correndo para beija-lo, já que ele realmente se amavam, Izuku já fodeu com muitos caras mas não vê a hora de sentar no pau do Shin nova-

Antes que ele terminasse a frase eu o acertei com um soco.

Ele não vai jogar essa de Shinsou agora não né? E ainda desrespeitando meu Deku? NEM AQUI E NEM NO INFERNO!

—SEU DUAS CARAS DE MERDA! QUEM VOCÊ ACHA QUE É PRA FALAR ASSIM DELE? CITANDO ESSAS COISAS COMO SE ELE FOSSE UMA PUTA! -o empurrei direto para o chão, acertando outro murro nele.  —ISSO É PORQUE ELE NÃO SENTOU EM VOCÊ? SEU FILHO DA PUTA! -como é gostoso ouvir meu murro na cara desse meio a meio de merda.

Todoroki tentava me empurrar e ele conseguiu me jogar pro chão ficando por cima de mim logo acertando um soco em minha costela me fazendo perder as forças, logo em seguida ele me deu um murro direto no rosto me fazendo virar a cabeça. Não demorou muito pro meu ódio me consumir por completo e eu tirei força das profundezas do inferno pra poder jogar ele longe com minhas pernas. Avancei nele e antes dele se defender acertei meu punho em cheio no nariz dele fazendo escorrer sangue.

—NUNCA MAIS OUSE FALAR O NOME DAQUELE NOJENTO NA MESMA FRASE COM O DO DEKU! -o segurei pela gola prestes a dar mais um murro nele-

—PARE JÁ COM ISSO BAKUGOU! -a voz de Aizawa surgiu e logo uma puxada forte para trás com Mezo e Kirishima me segurando pelos dois braços.

—ME SOLTEM! EU AINDA NÃO ACABEI COM A RAÇA DELE! -tentava me soltar mas a dor na minha costela surgiu fazendo doer só de respirar.

Merda.

[...]

Depois de toda aquela briga e gritos e acusações, em uma conversa com o Professor Aizawa ele, decidiu que por eu "atacar Todoroki", vou ter voltar para escola e concluir minhas 2semanas de férias lá. Uma espécie de castigo que teve aprovação do Diretor, Todoroki como foi a vítima vai ficar aqui curtindo boa vida. Amanhã de manhã eu estarei de saída.

Deku falava com o metade-metade que tinha um algodão no nariz evitando que continuasse sangrando do outro lado do quarto e eu com um saco de gelo na costela.

—Você vai ficar bem Baku, liga pra gente ou manda mensagem. -Mina estava colocando um curativo na minha bochecha direita que estava inchada.

—A gente vai se ver logo logo Bakubrô! -Eijirou falou animado e Denki junto a Sero concordaram com um sorriso.

—Mina, você me empresta aquele seu delineador de ponta fina? O meu acabou e acho que eu não vou poder sair de lá pra comprar, eu te dou um novo assim que der. -pedi baixo para a de cabelos rosas que responde animada.

—Eu não trouxe ele, você pode pegar no meu quarto na maleta de maquiagem que fica na mesa do meu espelho.

—Obrigado. -falei baixo agradecendo tanto por ela estar cuidando de mim quando ao meu pedido.

—Ah! E por favor em Kazinho, não mate o Izuku. -Denki falou e eu gruni com o apelido tosco.

Pera ai, como assim "Não mate o Izuku"????

—Calma, Deku vai voltar também? -perguntei confuso e os três se olharam. Que porra eu perdi quando descia o kacete no garoto ali?

—Bem, foi ele que fez a bagunça de ontem, ele confessou.. -o ruivo falou baixo e todos acentiram com a cabeça.

—Ele se sentiu mal por ter te deixado a má vista, "era só uma brincadeira, não sabia que seria tão ruim assim, me desculpem". Aizawa insistiu em deixar ele apenas confessar mas Izu disse que se sentiria ruim se não fosse castigado, então o Professor vai manda-lo para a escola concluir as férias lá, igual a você. -Sero me explicou e eu fiquei boquiaberto, ele tá protegendo o duas caras?

Sério mesmo?

—Todos, já pra cama, está no horário. -Aizawa ditou e todos foram para seus sacos.

Professor disse que as 8hrs era pra eu estar pronto e lá fora junto as minhas coisas.

Deku não veio falar comigo desde que briguei com o outro lá, ficou na cola dele até agora e nem olhou pra mim direito, será que ele esta com raiva de mim? Provavelmente. Ainda não entendi o porquê dele levar a culpa, porém, melhor ele do que o real culpado. Se fosse ele lá comigo eu iria ser expulso antes de todo mundo voltar.

Suspirei cansado e gemi um pouco de dor pelo machucado na minha costela, ainda tá roxo, maldito seja Todoroki por existir.

Como se não bastasse, o cara que eu gosto não olha pra mim, nem se quer perguntou como eu estava. Ao invés disso ficou com o desgraçado lá....

Que inferno. 


Notas Finais


Espero que estejam gostando ^^
Até a prox!
Bebam água e se cuidem♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...