1. Spirit Fanfics >
  2. This Is Secret - Winx >
  3. Consequências

História This Is Secret - Winx - Capítulo 31


Escrita por:


Notas do Autor


Diaspro e Mitzi conversam. Krystal mostra uma gravação para Roxy.

Boa leitura ✨

Capítulo 31 - Consequências


Fanfic / Fanfiction This Is Secret - Winx - Capítulo 31 - Consequências

Universidade Federal de Gardênia - Sala

Bloom estava segurando a nuca de Valtor enquanto o mesmo mantinha sua mão na cintura da ruiva. A expressão da garota era de nojo, diferente do professor que sorria. Entretanto, o barulho da porta sendo aberta fez ambos se separarem rapidamente.

— Eu esqueci o meu teste. — Diaspro disse olhando surpresa para os dois e foi até a mesa que antes estava sentada.

— Eu tenho que ir. — a ruiva disse indo até porta.

— Bloom, espera! — a loira disse correndo atrás da garota.

Corredor

— Ei, o que foi aquilo? Você está tendo um caso com o Valtor? — Diaspro perguntou tentando acompanhar os passos rápidos de Bloom.

— Não, definitivamente não.

— Então por que ia beijar ele? — perguntou e a ruiva parou de andar para olhá-la.

— Eu não ia fazer isso.

— Acha que eu sou burra?

— Eu zerei o teste, tá?

— O quê? Como assim?

— Ele me mostrou o gabarito.

— Ia transar com o professor para conseguir nota?

— Eu não posso reprovar.

— Me dê seu teste. — pediu e a ruiva lhe entregou a folha que foi analisada pela loira por alguns minutos. — Bloom, tem coisa certa aqui.

— O quê?

— Tem certeza que ele mostrou o gabarito certo? Você leu as perguntas?

— Do gabarito? — perguntou e Diaspro assentiu. — Não, só as respostas.

— Então, ele deve ter dado o errado. Eu não gosto desse homem.

— Acha que foi de propósito?

— Amiga, seu teste tem coisa certa, o gabarito mostrado foi errado e ele ainda te propôs sexo em troca de te dar nota. Está tudo errado!

— Mas não tem o que fazer. Ele é o coordenador dessa matéria.

— Então alguém vai ser promovido em breve porque esse filho da puta precisa ser denunciado na direção.

— Não! Acha que vai acontecer o que lá? Não tenho provas e eu ia transar com ele, tudo ia ficar ainda mais complicado.

— Então podemos pedir encarecidamente ao menos o gabarito de novo para ele corrigir seu teste novamente. Eu vou contigo.

— Diaspro, isso não vai adiantar nada.

— Só vamos saber se tentar. E se ele tentar tocar em você sem autorização, pelo amor, me conta ou vá direto na direção.

— Você está me assustando assim.

— Você não pode ser ingênua com esse cara. Ai que ódio! — exclamou antes de puxar a ruiva para sair dali.

Universidade Federal de Gardênia

— Talarica, você me denunciou! — a voz de Roy gritando se fez presente pelo local atraindo olhares.

Stormy, que estava passando por ali quando a voz do loiro soou, se virou para olhá-lo.

— Sim, algum problema? Eu disse que não ficaria quieta. — disse e Roy foi para cima da cacheada ameaçando a agredir, porém Hélia se intrometeu no meio segurando o loiro enquanto Stormy tinha uma expressão de surpresa.

— Ei! Ficou maluco? — o asiático disse.

— Qualquer dia desses você ou a sua mãe vai me pagar por isso. — o loiro disse olhando com ódio para a cacheada.

— Ela não tem nada a ver com isso!

— Jura? Não fez nenhuma depoimento? — perguntou com ironia.

— Não, só eu que te denunciei e mostrei a gravação de você assumindo que assediou ela quando estávamos jogando ontem.

— Sua… — tentou a agredir novamente, sendo impedido de novo por Hélia.

— Ei! Chega! 

— Me larga, viadinho. — o empurrou.

— Ei, calma! — Brandon disse se aproximando e Roy foi para cima de Stormy, porém o moreno o segurou antes. — Chega, ouviu? Chega! — gritou no ouvido do loiro.

Biblioteca

— Amiga de biologia da Icy, posso falar com você? — Darcy perguntou ao se aproximar da latina que lia um livro sentada no sofá.

— Sim, algum problema? — perguntou confusa.

— Não, só queria agradecer por ter feito a Icy se descobrir.

— Estranho, mas OK. Não tem de quê.

— Só espero que não tenhamos problemas por isso.

— Por causa do passado? — Flora perguntou e Darcy assentiu. — Por mim não vamos ter.

Corredor

— Você não achou nada sobre o perfil anônimo que expôs a Diaspro? — Stella perguntou a Tecna enquanto a acompanhava.

— Infelizmente nada.

— Nadica de nada? — Musa perguntou.

— Absolutamente nada. A conta é extremamente segura para hackear.

— E se você hackear a rede social toda? Não consegue achar essa conta fazendo isso?

— Stella, isso daria um trabalhão e qualquer erro poderia virar um caso de polícia. Já é errado hackear, mas tem coisas que são bem mais sérias.

— Tira o endereço do IP, não tem algo assim? — Aisha perguntou.

— É mais complexo que isso. Não dá mesmo para hackear aquela conta.

Universidade Federal de Gardênia

Sentados em um banco, estava Sky, Riven, Brandon, Nabu e Roy. O último citado estava tentando se acalmar.

— Você tem que parar de arranjar problemas. — Brandon disse.

— Eu? Ela que me denunciou! Se não quisesse ser descoberta que fizesse isso anonimamente.

— E se você não quisesse ser denunciado, que não tivesse assediado a mãe dela. — Sky disse.

— Qual é a tua, hem? Por sinal, vocês dois estão bem grudadinhos hoje, chegaram juntos e tudo… — começou se referindo ao loiro e ao de cabelo roxo que estavam a sua frente, mas foi interrompido.

— Estamos juntos, tem algum problema? — Sky perguntou seriamente surpreendendo os garotos, incluindo Riven.

— Juntos? Espera também são boiolas?

— No mais do LGBT   existe a pansexualidade. — o loiro disse.

— E não é boiola, se diz gay. — Riven disse.

— Vão querer dar uma aula sobre o vale para mim?

— Bem que você está precisando. — Sky disse.

— Vou sair daqui antes que me contamine com um de vocês. — Roy disse se levantando.

— Que filho da puta! — Brandon exclamou.

— Vocês estão juntos mesmo? — Nabu perguntou.

— Sim.

— Uau!

— Olha, eu esperava de tudo, menos esse casal. Shippei! — Brandon sorriu.

//

Nex estava fumando num canto isolado enquanto mexia no celular quando Roxy se aproximou.

— Viu a briga que ia ter? — o garoto perguntou.

— Não, que briga?

— Parece que Stormy denunciou o Roy e ele tentou a agredí-la por isso.

— Credo! Que garoto sem noção. Você fez algo para impedir isso?

— Eu não estava lá, vi agora no grupo da turma. Estão falando sobre isso. — mostrou a tela do celular e depois guardou o aparelho em seu bolso.

— Entendi.

— Desembucha o que você quer falar. 

— O quê?

— Tem algo a me dizer, te conheço.

— Estou ficando com a Krystal. — disse após respirar fundo.

— Estão juntas? — Nex perguntou surpreso.

— Hurum.

— Casal bomba relógio. — riu.

— Ei! — deu um empurrão no garoto.

— Ué, mas eu menti? Vocês duas parecem que vão explodir a qualquer momento uma com a outra. Aliás, não acha meio arriscado de mais? Tipo, ela gostava da Diaspro até sábado.

— Eu sei, fico meio confusa as vezes por isso, mas quero mesmo assim me arriscar. Não é como se desse errado, fosse a primeira vez que eu me ferrasse no amor.

— Ai, que papo triste, sóbria!

— São os fatos. — deu os ombros.

Banheiro

Diaspro entrou no local e foi até o espelho para ajeitar sua maquiagem, porém parou ao ouvir um choro e abriu a única cabine que estava fechada. 

— Mitzi, você está bem? — perguntou preocupada ao ver a morena sentada no chão.

— Não, definitivamente não.

— O que aconteceu? — perguntou e a amiga virou para o vaso sanitário vomitando no mesmo. — Ainda com o problema na digestão?

— Não é digestão. Eu estou com medo, Diaspro. Eu sinto enjôos, dor no peito, tontura…

— Você está grávida? — a interrompeu.

— Eu não sei e estou com medo de descobri.

— É do Nex?

— Só pode ser dele, não lembro se usamos camisinha na última festa que ele deu. Eu estava bêbada e ele idem, porém também estava chapado.

— Mitzi, você precisa fazer o teste e contar para ele.

— Eu comprei o teste de gravidez, mas não tenho coragem de usar. — mostrou o objeto após tirá-lo de sua bolsa.

Beco

— UFDG, Universidade Federal de Gardênia. — uma garota de cabelo verde disse para o loiro enquanto mexia no celular.

— Ótimo, vou atrás dela. — Gantlos disse começando a andar.

— O que vai fazer com a garota?

— Só vou ver se ela mentiu ou não para mim. Não se preocupe, Selina.

Universidade Federal de Gardênia

— Te achei! — Krystal disse se aproximando de Roxy e Nex. — Acho que fiz algo bom pela primeira vez. 

— Parou de se intrometer na vida alheia?

— Gravei a quase briga, isso contribui para mais alguma denúncia do Roy? — perguntou surpreendendo Roxy.

— Contribui. — Nex respondeu.

— Fez algo útil pela primeira vez! 

— Vai se ferrar! — Krystal exclamou. — Mas, realmente, pessoas como ele deveriam ser presas e nunca mais sair de lá. Vou fazer uma denúncia anônima.

Banheiro

Diaspro estava apoiada no mármore da pia quando Mitzi saiu de uma das cabines.

— E então? — a loira perguntou apreensiva e a morena a abraçou chorando. 

— Estou grávida. 

— Você precisa falar com ele.

— Ele não quer ter filhos agora, ele disse no jogo. — cessou o abraço.

— Não estava nos planos dele, mas também não estava nos seus. Tu não transou sozinha, não fez esse filho sozinha, você tem que falar com ele!

— E se ele me deixar? Você sabe como é o abandono paternal.

— Eu acho difícil ele fazer uma merda dessas porque ele te ama muito, Mitzi. Provavelmente vocês só vão conversar e decidir o que farão, mas se por acaso ele fazer alguma merda, eu faço questão de matá-lo mesmo se eu for presa. — disse fazendo a amiga soltar uma pequena risada nasal.

Sala

— Voltou sem a sua amiga? — Valtor perguntou quando a ruiva entrou no local. — Você já conseguiu a nota que queria, foi um engano, parabéns!

— Você é podre, mentiu para mim, corrigiu o teste todo errado para me obrigar a fazer sexo contigo. Você é nojento!

— Nunca te obriguei a nada, você ia fazer porque queria.

— Se não fosse a Diaspro, eu nunca perceberia que o teste estava certo. Você é um ser totalmente desprezível.

— Nunca ofenda uma autoridade. — gritou a segurando com força. A ruiva se assustou deixando seu celular cair no chão mostrando a tela com o gravador de voz aberto. — Estava gravando? Você está gravando? — gritou ainda mais e empurrou Bloom contra a parede.

— Para, por favor. — pediu nervosa quando sentiu a mãos do mais velho agarrar a sua coxa.

— Não.

— Valtor… — Nereus disse entrando na sala fazendo o professor se assustar e se afastar rapidamente de Bloom. O diretor olhou num misto de surpresa e incredulidade para o homem enquanto a ruiva se mantinha encostada na parede com sua expressão nervosa.

Universidade Federal de Gardênia

Aisha estava conversando com suas amigas e alguns dos jogadores quando viu Gantlos se aproximar da entrada da universidade.

A mesma o olhou confusa. O loiro não entrou no local, mas se manteve na rua encostado numa árvore olhando para a UFDG.

Nex parou de andar até a saída da universidade quando um garoto o abordou e o mesmo vendeu uma droga disfarçadamente para ele.

Aisha observava a cena e olhou para Gantlos logo depois vendo-o pegar uma arma.

— Não. — disse se afastando dos seus amigos.

— Aisha, aonde você vai? — Nabu perguntou. 

— Nex! — a negra gritou chamando a atenção do garoto. — Sai daí! — continuou alterando seu olhar entre ele e Gantlos. 

— Quê? — perguntou confuso e Aisha tampou seus ouvidos ao ouvir o disparo de tiro que assustou os universitários.

— Puta merda! — Diaspro disse paralisada quando saiu de um prédio com Mitzi.


Notas Finais


Mitzi grávida chocando ninguém, mas duvido que vocês pensaram numa tragédia dessas jabsjsb.

Beijos e até a próxima!! ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...