1. Spirit Fanfics >
  2. This Love Will Continue >
  3. O amor está nos detalhes

História This Love Will Continue - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Olá, sejam bem vindos a mais um capítulo! Nos vemos nas notas finais, boa leitura xuxus!

Capítulo 2 - O amor está nos detalhes


Era incrível o quanto ambos gostavam da presença um do outro, se aguentavam e mereciam. As vezes Lion se perguntava se Miles havia enfeitiçado o mesmo, pois o tanto que se encaixavam era anormal.

Caminhavam para a casa de Lion ainda de mãos dadas com suas novas alianças, Miles ainda com um sorriso pequeno no rosto.

— Você realmente é muito fofo. - Disse o maior, soltando suas mãos e colocando a sua abraçada na cintura do outro.

— Não sou. - Seu sorriso aumenta mais, corando levemente, sendo observado por Lion. — Cale a boca! - Diz rindo.

— Tenho muita sorte mesmo. - O menor corava a cada palavra proferida pelo humano.

— Para de falar essas coisas, fico envergonhado. - Falou enterrando sua cabeça no peito do outro delicadamente, colocando seu braço por trás do mesmo para andarem "abraçados".

— Mas é a verdade, eu preciso falar. Miles eu te amo.

O menor sorri muito, cora mais e aperta o outro contra si. Já dava para ver o portão da casa de Lion e faltavam poucos passos para chegarem até ele.

Ao entrarem na casa, percebem que está tudo escuro, ou seja, Aiden havia saído. O sorriso de Miles se estendeu, fazendo Lion rir.

— Você não cansa mesmo, né? - Diz segurando o outro pela cintura, o colocando de frente a si.

— Na verdade estou meio cansado agora, acho que vou tomar um banho. - O menor se vira e vai em direção ao banheiro, parando ao lado da porta e olhando para Lion. — Você vem?

Lion sorri repleto de malícia, também pensando no quanto seu namorado era safado e extremamente excitante.

Quando o maior entra no banheiro, já encontra Miles sem camisa e tirando as calças, logo ligando o chuveiro.

                                        ∅ ⋆。 .° ◌ • .●

*POV LION*

O quanto Miles havia mudado era impressionante. Seu sarcasmo não mudou, mas em compensação sua safadeza havia atingido um nível que eu tenho dificuldade em lidar as vezes. Ver o garoto desse jeito, sem roupa, com vontade de fazer sexo, sendo difícil e ao mesmo tempo me provocando, era algo que estava me enlouquecendo.

Ele entrou no box, me chamando para fazer o mesmo e eu sem hesitar entrei junto a Miles. As gotas de água desciam pela pele branca e levemente rosada em certos lugares de um jeito totalmente excitante, dando mais ênfase às curvas e detalhes do corpo do menor. Eu quase estava o atacando, quando vi ele se apoiar nas paredes.

— Ei, Miles? Qual o problema? - Perguntei preocupado.

— Minhas pernas, não as sinto. - Falou ele, logo se apoiando em mim e me olhando assustado.

Quando menos espero, no lugar de suas pernas havia sua... Calda? Não faz sentido.

Desliguei o chuveiro e peguei o garoto em meus braços. O levei até a cama, e nos olhamos assustados.

— O que isso significa? - Pergunta o rosado. Imediatamente olhei para seu colar.

— Mas não faz sentido, você está usando o colar.

Miles do nada fica completamente vermelho e solta leves risadinhas, desviando o olhar.

— Já sei o que está acontecendo. - O olho como quem precisa de uma luz, e ele continua — Acontece que... O objeto de maior valor para mim mudou a umas horas atrás.

Abre-se em meu rosto um sorriso grande, logo pegando na mão do garoto, a que está com o anel, e beijando-a onde o objeto se encontra. Rapidamente, suas pernas ficam formadas novamente e seu sorriso se estica.

— Que susto, pensei que não iríamos mais conseguir transar. - Fala naturalmente, me deixando completamente envergonhado e rindo muito.

— Pensei que estava cansado para isso.

— Meu plano de sedução estava indo como o planejado, até que uma calda apareceu do nada, okay? Acha que eu não vi o seu olhar de quem- Interrompi o garoto.

— Vamos voltar ao banho? Sim? - Miles ri e vai na frente.

Ao entrarmos novamente de baixo do chuveiro, decido passar o sabonete no corpo do menor, conseguindo sentir ainda mais essas curvas que me enlouqueciam. Ao passar a espuma para sua barriga, Miles dá leves risadinhas, pois o mesmo tem cócegas. Passo por toda sua cintura até chegar em suas nádegas. Ao tocá-las, aperto delicadamente uma enquanto com a outra mão, passo o dedo levemente por onde está a entrada de Miles, vendo o mesmo se apoiar a parede que está em sua frente e rebolar minimamente ao meu toque.

Aperto ainda mais sua nádega, colocando meu pênis já ereto em sua entrada, sem o penetrar.

— Vai ter que pedir. - Sussurro em seu ouvido, vendo Miles se contrair e me olhar convidativo por cima do ombro — Quer saber, que se foda o pedido. - Enfio todo meu pênis na entrada do menor, vendo ele gritar pelo desconforto.

Esperei um tempo para ele se acostumar, mesmo querendo começar meus movimentos. Miles levemente começa a rebolar, mostrando que já havia se acostumado com a invasão. Finalmente, dou início ao movimento, primeiro devagar, tirando quase tudo e enfiando novamente até o fim, vendo o garoto empinar mais suas nádegas rosadas.

De tanto nadar, o menor possuia pernas e nádegas extremamente gostosas, macias e carnudas. Miles gemia timidamente, e não era esse meu objetivo hoje. Quero dar o máximo de prazer a ele, depois de tanto me pedir por isso.

Tirei meu pênis de dentro do garoto e o virei de frente a mim, pegando em suas pernas e o colocando no meu colo. Encaixei sua entrada com meu pênis, e sem delicadeza alguma, o enterrei em Miles, deixando suas costas encostadas na parede. O barulho explícito que estávamos fazendo era estupidamente alto, porém não me importava com isso, eu queria sentir tudo, até a última gota de prazer, e sabia que Miles pensava do mesmo jeito.

Apertava com força suas coxas, vendo o menor se segurar em meus ombros, os apertando também. Estava com os olhos fechados e a boca levemente aberta, de onde saia gemidos nada tímidos agora. Colocava muita força nas metidas, quando finalmente atingi seu ponto mágico, vendo Miles quase se desfazer em meu colo.

— L-Lion... Aah... De novo, aí...

As investidas estavam acertando apenas seu ponto com força, fazendo o menor berrar de prazer. Eu também já não estava conseguindo segurar meus gemidos vendo o garoto naquele estado.

— Eu vou... Ah, Lion... Aaaah...

O líquido de Miles foi solto, logo fazendo eu me desfazer também dentro dele ao contrair o espaço lá em baixo.

Soltei ele aos poucos e me apoiei na parede que estava em suas costas, de frente a Miles.

O garoto respirava pesadamente e me observava, ainda com as mãos em meus ombros. O menor me puxa para um beijo caloroso, em que as línguas dançavam com puro prazer e malícia, encaixando perfeitamente uma na outra. Desço minhas mãos para sua cintura, o puxando mais para perto, fazendo nossos membros se encostarem causando um leve choque entre ambos os corpos, um arrepio percorre. Finalizo o beijo pela falta de ar e desço para seu pescoço, mordendo-o delicadamente, logo chupando o mesmo lugar, provavelmente isso deixará uma marca roxa mais tarde. Ouço os pequenos gemidos de Miles que fazem minha ereção subir novamente, vendo que a dele já estava semi dura também. Chego a seus mamilos e começo a brincar com eles entre a língua, dando leves mordidinhas e puxando, fazendo o menor gemer mais alto.

Como é possível isso? Em poucos minutos meu membro já está totalmente duro novamente, apenas mordendo partes do corpo de Miles e ouvindo seus gemidos. É impressionante o quanto esse garoto tem poder sobre meu corpo, de apenas ao olhá-lo nú é como se uma chama acendesse dentro de mim.

Com uma mão, aperto o outro mamilo dele, vendo que ainda mais se contrai aos meus toques, e com a outra que estava na cintura, desço para sua nádega a apertando firme.

Desço os beijos pelo abdômen de Miles, ao mesmo tempo deixando minhas mãos em sua cintura, logo me deparando a sua ereção em frente. Seguro-a com uma mão, e lambo do começo até a cabeça do pênis, sentindo o menor apoiar uma de suas mãos em meu cabelo. Olho rapidamente para cima e me deparo com uma das melhores visões que já tive. Miles estava com os olhos semi abertos, observando meus movimentos, seu peito subia e descia com a respiração ofegante, seu rosto estava completamente corado o que combinava perfeitamente com seus cabelos. Passei mais tempo do que pensei admirando sua beleza, até receber um gemido de insatisfação, dando leves risadas e voltando ao que estava prestes a fazer.

Primeiro circulei com a lingua a cabeça de seu pênis, logo o enfiando em minha boca quase que por completo. Miles havia crescido levemente, e seu pênis também não estava mais tão pequeno, porém ainda não se compara ao meu, que também havia crescido mais.

Comecei os movimentos de vai e vem bem devagar, chupando com força algumas vezes, vendo Miles arquear as costas e agarrar meus cabelos entre os dedos. Eu o observava enquanto chupava com força, olhava para suas expressões e sentia a pulsação do membro em minha boca. Certas vezes colocava pressão com a língua em cima, para que o garoto não se desfizesse ainda, vendo ele quase ir a loucura.

Meu pênis já estava doendo de tanta excitação, eu sabia que não iria tardar a gozar novamente, tanto eu quanto Miles. Uma última vez que chupei, foi de uma vez só, despejando seu líquido em minha boca. Após engolir tudo, limpei ainda o que ficou em seu pênis, vendo as pernas do garoto já bambas.

Levanto e seguro pela cintura para que não caia.

— Quer continuar? - Olho para ele fixamente, vendo que já estava bastante acabado. Por mim é lógico que eu iria foder ele mais uma vez, mas não vou fazer nada que meu Miles não aguente, tudo nas ordens dele.

O garoto me encara de volta e coloca seus braços entrelaçados ao meu pescoço, me dando um selinho rápido.

— É lógico que quero, mas em outro lugar, pode ser? Não consigo ficar em pé. - Dizia rindo levemente, ainda corado. Sorrio de volta e o pego no colo, desligando tudo e saindo do chuveiro.

O deito na cama e fico por cima, faço um leve carinho em seu rosto, analisando se Miles estava bem mesmo para mais uma rodada.

— Tem certeza que quer, meu amor? - Miles parece se recuperar aos poucos, e apoia-se nos cotovelos me olhando com malícia.

— Acaba comigo, meu amor.

Sorrio com malícia, logo iniciando um beijo calmo entre nós. Precisávamos retomar sua ereção, para que seja cem por cento agradável a Miles.

Enquanto o beijava, descia minha mão até seu membro, o acariciando por completo, logo partindo para suas bolas. Ao contrário do que deveria ser, eram totalmente rosadas e realmente dava vontade de morde-las, porém seria inimaginável a dor que o outro sentiria.

Volto minha mão para seu membro e finalizo o beijo, indo para sua orelha e lambendo o local, fazendo Miles se contrair levemente abaixo de mim e soltar gemidos abafados. O garoto é muito sensível a toques, por isso sei que um simples ato como esse o desestabiliza, causando arrepios pelo corpo do peixinho.

— Você é uma delícia. - Sussurro em seu ouvido, logo olhando para seus olhos, vendo os mesmos fecharem fortemente ao sentir o arrepio invadindo seu corpo novamente, pois passei a apertar um de seus mamilos.

Assistir a isso era imensamente satisfatório, e saber que a causa de suas reações são meus toques, aquece meu coração de um forma incrível. Não era apenas sexo, estávamos fazendo amor.

Começo a descer os beijos, indo ao encontro de seus mamilos novamente. Os mesmos já se encontravam endurecidos e não hesitei em chupa-los com gosto, ouvindo mais gemidos de Miles.

A cada som que saia de sua boca, meu pênis pulsava loucamente para adentra-lo, como se necessitasse desse contato brusco. Depois de um tempo, paro de chupar os botões rosados e olho para o membro do garoto, vendo que o mesmo já estava rígido. Involuntariamente um sorriso escapou de meu rosto.

Abri as pernas de Miles me posicionando entre elas. Penso em prepara-lo, porém já o adentrei mais cedo sem nenhuma preparação, depois iria me desculpar por isso.

Olho para seu rosto e como se pedisse permissão, Miles acenou convidando, e assim não me conti mais.

Invadi aquele buraco de músculos com força, ouvindo um grito molhado de Miles, me fazendo olhar para o garoto rapidamente.

— Está tudo bem? - Acaricio seu rosto sem mover meu traseiro, na esperança de que se estiver doendo, não piore.

— Faz... Isso de novo... - Disse, logo me encarando com os olhos brilhantes.

Fiz o que foi pedido, tirando basicamente todo meu membro de dentro e o enfiando com força novamente na entrada rosada. O garoto arqueou as costas e segurou em meu braço que estava ao lado de sua cabeça, o apertando.

Minha outra mão deixei em sua cintura e continuei os movimentos fortes. Enquanto puxava Miles pela cintura, o mesmo rebolava descaradamente me levando a loucura.

Retirei meu membro e virei o garoto de costas, vendo o mesmo prontamente ficar de quatro, deixando tudo nitidamente a mostra para mim, e não existe visão mais prazerosa.

Me coloco de joelhos e faço o garoto empinar ainda mais para mim, segurando uma de suas nádegas com uma mão e com a outra, segurando fortemente cintura do rosado. Adentrei com força o buraco, percebendo que o mesmo ainda escorria leves gotas da vez anterior, o que deixava tudo ainda mais molhado e chocante, aumentando o impacto e, inevitavelmente, a excitação.

Aos poucos fui aumentando a força e a velocidade, vendo o garoto afundar-se cada vez mais para sentir o máximo desse choque. A cada investida era um gemido, tanto meu quanto dele.

Estava segurando sua nádega e a apertei fortemente, logo depositando um belo tapa no local, deixando vermelho e vendo Miles dar um gemido arrastado. Faço de tudo para que ele não se machuque, analiso a força e o lugar, sei exatamente quando um gemido é de dor e quando é de prazer, me deixando, se possível, ainda mais duro. Chegava a doer e tenho certeza que Miles consegue sentir a pulsação emitida pelo meu membro.

Todo o ambiente estava contaminado de indecência, o cheiro, os barulhos, os lençóis, toalhas, e eu adoro saber disso, desses detalhes.

As investidas estavam em nível absurdo, Miles ainda assim conseguia rebolar, me deixando completamente desregulado. Coloco a mão que estava segurando sua nádega em seu membro, o masturbando de acordo com as investidas, fazendo o pequeno gemer descontroladamente, ainda mais que estava acertando sempre sua próstata.

— L-Lion... Eu... Aah... M-mais forte... - Eu vendo essa pessoinha começando a falar coisas sem nexo algum, só fazia com que eu acelerasse tanto na força quanto na masturbação.

Miles chega à seu ápice, fazendo o líquido escorrer fortemente pelo seu abdômen e minha mão, automaticamente se contraindo com um gemido demorado. Toda essa explosão de tensão fez com que eu me desfizesse em seu interior novamente, mas como ainda tinha resíduos da vez anterior, chegou a escorrer para fora também.

Me retirei de dentro dele com cuidado, vendo o mesmo praticamente cair na cama, totalmente cansado. Realmente, para ele havia sido mais difícil, já que o mesmo chegou ao orgasmo três vezes.

Me deitei ao seu lado, logo vendo o garoto, com dificuldade, se virar para mim. Ele me olha e sorri, logo fechando os olhos.

— Eu te amo... - Saiu de sua boca, fazendo meu coração acelerar. Não adianta, sempre que ele falava essas coisas, causava uma reação em mim.

— Eu também te amo. - Puxei ele para mim, colocando uma mão em suas costas, logo vendo o garoto se ajeitar e adormecer entre meus braços.

Céus, como uma coisa dessas é possível? Deveria ser um pecado poder ter essa sorte de ter um Miles em minha vida, é uma alma extremamente pura e radiante, que aos poucos, cada vez mais, fazia com que eu me apaixonasse perdidamente por ele.

Logo adormeço junto ao tritão, totalmente cansado e nem ligando para o resto, que no caso seria os dois dormindo pelados, com os lençóis sujos e as portas abertas.

                                                   ∅ ⋆。 .° ◌ • .●

*POV AUTORA*

O dia floresce levemente nublado, com o vento batendo nas janelas de forma relaxante, fazendo os garotos persistirem na cama por um longo tempo.

Porém, tiveram que acordar ao ouvir Aiden na porta.

— Fala sério, tipo eu sei que vocês são doidos e desnaturados, mas isso já é demais! - Lion acorda aos poucos se acostumando com a claridade, rapidamente percebendo do que Aiden estava falando, ficando completamente vermelho e cobrindo Miles com uma coberta próxima — Deviam fechar a porta, sorte que nossa mãe não chegou ainda daquela viagem que está fazendo. E se ela tivesse voltado hoje? Vocês tem sorte de ser eu que vi essa cena. Até eu tenho sorte, na verdade... - Aiden se estica um pouco mais para ver o corpo de Miles, fazendo como sempre Lion ficar irritado.

— Tsc, sai logo! - O irmão mais velho riu calmamente e logo saiu da porta, a fechando.

Lion não conseguia acreditar que fizeram essa burrada. Eles sempre esqueciam a porta, mas é aquele ditado, só quando você se ferra, consegue aprender. O garoto então, decide acordar o mais novo.

— Ei, Miles? - Lion acaricia o braço do outro — Acorda.

— Sinceramente, você acha que eu não ouvi o que aconteceu? Eu fingi que estava dormindo pra não desmaiar de vez. - Miles vira para Lion, olhando o maior com enorme interesse. — Você fica tão bonito quando acorda, já te disse isso?

O elogio deixou o rosto de Lion levemente rubro, abrindo um sorriso no mesmo. Ele se inclina para beijar a testa de Miles, logo sendo puxado para beijar seus lábios.

Deram um selinho demorado e prazeroso, e quando cessou, os dois pensaram na oportunidade de fazer sexo novamente. Porém o menor sacudiu a cabeça negativamente ao pensar direito, pois já estava dolorido do dia anterior.

— O que vamos fazer hoje? - Pergunta o de cabelos rosados, tentando sentar na cama fazendo uma pequena cara de dor, que foi percebida por Lion.

— Está tudo bem?

— Sim, não se preocupe. - Falou sorrindo, logo continuando — Você só me quebrou ontem, mas está tudo bem.

— Oh céus, me desculpe! - Disse o maior acariciando os cabelos do outro — É que é extremamente difícil me controlar quando você fica pedindo, e pedindo, e pedindo... - Recebeu um tapa leve no braço, vindo de um Miles coradíssimo, fazendo os dois rirem com a situação — Todo vermelhinho, quem vê pensa que é fofo mesmo, mas é a pessoa mais pervertida que eu conheço. - Recebeu outro tapinha, logo empurrando o mesmo, fazendo Miles ficar por cima de Lion, mas não totalmente, apenas deitado com a cabeça em seu peitoral e o restante do corpo ao lado.

— Então... Poderíamos sair hoje. Pra eu mostrar ao mundo minha aliança. - Disse o menor por cima, vendo sua mão com o anel que estava no peitoral de Lion também.

— O que ainda não fizemos? Oh! Não fomos em um cinema ainda, né?

— Acho que não, nem sei o que é isso.

— É onde os filmes estreiam. Vou te levar para ver como é!

— Também nunca fizemos nenhuma comida juntos, nenhum doce. Gosto tanto de doce, como aquele algodão lá.

— Verdade, vou marcar na listinha para fazermos também. Mas não esse algodão.

— Ah, por que? - Miles olha para Lion com brilho nos olhos.

— Precisa da máquina para fazer, e não temos isso. Mas existe muitos doces maravilhosos que você ainda não provou. - O menor concorda com a cabeça, deitando a mesma no peitoral de Lion novamente.

— Vamos sair para comprar as coisas então? - Miles levanta animado, saindo da cama. Porém, suas pernas estavam levemente bambas ainda, fazendo o mesmo cair de joelhos.

— Ei, vai com calma! - Diz Lion preocupado, indo até o outro.

— Eu disse que você me quebrou! - Falou meio espantado o menor, tentando se levantar apoiado em Lion.

— Você que pediu isso! Não venha colocar a culpa em mim não. - Disse entre risadas, levando Miles ao banheiro. — Precisamos tomar banho antes, pois meio que esquecemos disso ontem antes e depois do... Acontecimento. - Essa palavra fez o menor dar risada, logo entrando no box.

Lion deixou Miles no box e observou o mesmo se apoiando nas paredes, rapidamente olhando para ele, sem entender.

— Qual o problema? - Pergunta ao maior, que estava lhe olhando se forma extremamente pervertida.

— É melhor você tomar o banho sozinho dessa vez.

Miles desceu o olhar para seu membro, vendo que mesmo já dava sinais de ereção novamente.

— Não é possível, e eu que sou o pervertido? - Voltou o olhar ao rosto de Lion, vendo que o mesmo estava vermelho como um tomate.

— Só toma banho logo, saco! - Miles fecha a porta do box rindo muito.

O humano vai até sua cama e deita na mesma. Pensava no quanto aquele garoto conseguia mexer com seus pensamentos e controlar seu corpo, era inacreditável.

Quando já estavam prontos, arrumaram o quarto e foram em direção à garagem, pois agora Lion conseguiria dirigir, uma vez que o mesmo já possuia 18 anos e uma carteira de motorista nas mãos. Ele tinha feito no fim do ano, fazendo a família ficar muito orgulhosa por ter passado de primeira na prova.

Lion estava dirigindo em direção ao mercado e Miles ao seu lado, no banco do passageiro, vendo a vista.

— Nossa, que lugar bonito! O que é? - Miles estava apontando para nada mais, nada menos, que um motel, fazendo Lion rir levemente.

— Isso é um motel, Miles. Sabe para que serve? - O não-humano acena negativamente — É onde as pessoas pagam para transar em conforto.

O rosto de Miles ficou rubro e seus olhos brilharam.

— Vamos lá um dia? - Lion quase bateu o carro com a pergunta.

— J-jura? - Pergunta incrédulo. Não era possível que esse garoto chegou nesse nível.

— Estou falando sério, vamos?

— Vamos, lógico. - Miles riu um pouco com a reação de Lion, logo encerrando o assunto.

O caminho até o mercado em si não foi silencioso, hora ou outra conversavam sobre alguma coisa aleatória, muitas vezes algo que Miles via pelas ruas e ficava curioso.

Ao chegarem no mercado, Lion estacionou o carro e os dois entraram no lugar. Miles já havia ido fazer compras com o outro, mas sempre tinha algo de novo que o menor não conhecia e ficava tirando suas dúvidas ao maior.

— Be... Terraba? O que é? - Pergunta segurando uma delas em sua mão.

— É um legume, se souber prepará-lo fica muito bom, mas tem pessoas que realmente não gostam.

— Você acha que eu iria gostar?

— Não faço ideia. Vamos descobrir. - Lion pega uma sacolinha e coloca dentro duas beterrabas, logo levando-as para pesar e adicionar o preço.

Os dois andam pelos corredores procurando algum ingrediente que sirva para fazer doce. Miles não conhecia praticamente nenhum, e isso era uma vantagem.

— Já sei! Vamos fazer brigadeiro, o que acha? Isso e... Aquele doce chamado sensação, e beijinho! - Disse animado Lion, vendo o menor olhá-lo confuso.

— Quer que eu te beije agora?

— Ai Miles. Você não conhece nada. - O garoto da um pequeno empurrão no maior, emburrado.

— Desculpe, desculpe! Me ensina então, por favor!

— Vou te ensinar tudo o que quiser aprender, meu amor. - Diz Lion o puxando para um selinho rápido, vendo o menor se derreter com o ato. — Você é muito fofo. - Miles sorri.

— V-vamos continuar com as compras. - Diz mudando de assunto, entrando em um corredor.

Terminaram de pegar os ingredientes para fazer todos os doces que Lion planejava e foram direto para o carro, guardando tudo nele.

Quando saíram do mercado, Miles estava super feliz. O garoto adorava sair com seu namorado, quanto mais tempo passasse junto à ele, mais se sentia melhor.

— Vamos dar uma passada em outro lugar antes de ir pra casa, okay? - Fala o mais velho, vendo pelo canto dos olhos o outro concordar.

— Onde vamos?

— Vai ver quando chegar lá. - Lion cora ao pensar no lugar, logo dando leves risadas.

Essa viagem sim foi quieta, pois Miles não parava de pensar onde estavam indo, e Lion pensava com que cara entraria no local.

Ao chegarem, a primeira coisa que intrigou o menor foram as fortes luzes led, rapidamente lendo o nome do local, ficando completamente vermelho.

— L-lion? Uma loja de sexo? As pessoas compram sexo? Por que você quer comprar sexo?... Eu não sou mais suficiente, é isso? - Começava a ficar emburrado e cada vez mais vermelho, ainda mais quando Lion ria como nunca ao ouvir o menor falando essas coisas absurdas.

— Eles não vendem sexo. Vem, vou te mostrar como funciona. Você vai gostar mais tarde. - Disse logo saindo do carro, fazendo o outro ir logo atrás dele.

Entraram na loja e de cara já tinha um recipiente cheio de camisinha, mais para frente havia acessórios e coisas em que Miles não sabia e nem queria saber para que usavam.

Lion pegou um vibrador em cápsulas introdutórias (no ânus) de uma estante, vendo o menor olhá-lo interrogativo.

— Vai descobrir mais tarde para que serve. - Miles balançou a cabeça negativamente, com certo receio — Calma, esse você vai gostar, não tem o porquê ficar com medo.

O não-humano vira a cabeça tentando parar de pensar sobre esses acessórios estranhos, logo vendo umas fantasias.

— Lion... Eu quero uma! - Disse apontando para as roupas.

— Vamos lá ver.

Se aproximaram das fantasias e Lion pôde perceber que eram bem eróticas, porém Miles não viu essa parte, logo pegando uma e dizendo que queria.

A fantasia escolhida pelo garoto era de coelho, tinha até o rabinho e as orelhas. Lion nem perdeu tempo tentando explicar o quão erótica era essa fantasia, logo comprando-a junto ao vibrador.

A mulher que tomava conta do caixa, olhou para o casal e sorriu ao ver as alianças.

— Essa fantasia tem como brinde esse acessório. - Diz simpática a moça, pegando um chicote de couro do balcão. Miles olha estreito para o objeto, não entendendo como poderia usá-lo.

— Eu acho que não vamos precisar disso. - Disse o mais velho.

— Ei, vem como brinde! Vamos levar sim, moça. - Falou o menor, fazendo Lion olhá-lo imediatamente. Depois com certeza iria explicar para quê aquilo serve.

Quando saíram da loja e entraram no carro, o humano apenas encarou Miles.

— Você sabe qual o uso daquilo que pegou como brinde? - Perguntou meio sério.

— Não, você disse que ia me ensinar as coisas.

— Não esse tipo de coisa, Céus! Miles, aquilo serve para eu bater em você, é um chicote. E além de tudo, é feito de couro, que dói mais que alguns outros. - Miles olhou para o outro assustado, levando suas mãos até a boca.

— Que horror! Tem pessoa que gosta desse tipo de agressão?

— Tem pessoa que gosta de cada coisa nesse mundo. - Lion sorri amenizando a situação — Não vou usar aquilo em você, mas foi bom você pegar, assim pelo menos aprendeu o que significa um chicote sexual.

Os dois dão risada. Logo, Lion liga o carro e vão para casa, finalmente.

Abrem o portão, estacionam o carro e quando vão tirar as compras escutam Aiden falando alguma coisa dentro da casa. Os dois ignoram e retiram as compras. Os ingredientes deixaram na cozinha, já as outras coisas Lion tratou de esconder em seu quarto.

Após os garotos guardarem os ingredientes na geladeira e nos armários, vão para onde Aiden está, na tentativa de escutar o que o mesmo estava falando.

— O que foi? - Pergunta Lion chegando no quarto do irmão, se lembrando rapidamente do ocorrido de mais cedo.

— Tomem cuidado ao ficar andando por aí, falaram que virá uma tempestade daquelas em alguns dias. Não sei bem em que região, mas é por aqui perto.

— Vamos tomar cuidado, obrigado Aiden. - Diz simpático, Miles. Fazendo Lion revirar levemente os olhos.

— Vamos, vamos. - O humano diz, logo se abaixando e segurando as pernas do outro, o carregando pelo ombro.

— E-ei, Lion! - Dizia entre risadas — Me solta, vai!

Ao chegarem na cozinha, Lion solta Miles delicadamente, vendo o quanto o rosto do menor estava vermelho de tanto rir e de ficar com a cabeça para baixo.

— Ta parecendo uma pimentinha. - Diz acariciando o rosto do outro.

— Não me enche! - Fala se afastando, dando leves risadas — Posso ligar a televisora?

— Televisão. - Diz rindo um pouco.

— É, isso.

— Lógico.

Miles vai em direção ao controle, logo apertando o botão que liga a tv, deixando passar algumas notícias.

— Fazemos o doce daqui a pouco, okay? Vamos descansar um pouquinho. - Falou Lion, sentando ao lado do menor no sofá.

É mostrado na tv a notícia em que Aiden havia comentado, o que o mesmo deixou de mencionar é que onde a tempestade mais seria forte era no mar, e para a desgraça de Miles, seria em um lugar específico.

— Essa não, Lion... A tempestade será onde os Koues estão. - O maior olha preocupado para o outro.

— Isso não é nada bom.


Notas Finais


Hey, olha você aqui de novo!
Como está seu dia? Espero que maravilhosamente bem!! Tome cuidado com esse Coronavírus, bele?
Esse capítulo estava programado para ser postado exatamente dia 28, dando assim um mês exato desde seu capítulo anterior, mas pense comigo: estou aqui, sem nada para fazer, o capítulo está pronto (acabei de terminar), o que custa dar uma revisada nos erros ortográficos e postar para apreciarem antes essa belezura? Kskekaksk
Espero que tenham gostado do lemon e estejam apreciando o rumo da história! Vejo você, querido(a) leitor(a), nos comentários(que aliás eu adoro ler e responder) ou no próximo capítulo, até outra hora e beijos de álcool gel (KSKSKSKKS). 💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...