História Threesome - Capítulo 1


Escrita por:

Visualizações 418
Palavras 1.877
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Fluffy, Lemon, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Tenho muito ciúmes de Stony mas deixei o Bucky brincar um pouquinho com eles. Espero que gostem! 🖤

Capítulo 1 - Capítulo Único


— Vocês têm certeza de que querem isso? — Perguntei sério, enquanto sentia que meu coração batia cada vez mais rápido em meu peito.

— Sim, Capitão. — Tony respondeu, dando seu melhor sorriso de canto. 

— Nós queremos tudo o que você quiser. — Disse Bucky, complementando a resposta do engenheiro. 

Ambos estavam parados a minha frente, sorrindo de forma provocativa e convidativa. Eu havia acabado de sair do banho, meu corpo ainda estava úmido e eu trajava apenas uma toalha branca ao redor da cintura quando me deparei com eles adentrando meu quarto e trancando a porta atrás deles em seguida. 

De forma muito breve e direta os dois disseram que queriam fazer um… menage. E cá estamos. Eu nervoso e desajeitado, enquanto eles me devoravam com os olhos. 

Soltei um suspiro e acenei positivamente com a cabeça. Em questão de segundos, senti as mãos fortes deles em meu corpo, mal tendo tempo para corresponder aos toques dos mesmos. A barba de Tony roçava em meu pescoço, enquanto seus lábios beijavam a pele daquele local, ao mesmo tempo que suas mãos passeavam pelo meu peitoral. Bucky estava um pouco mais ao meu lado, aproveitando para se aproximar de minha orelha e morder meu lóbulo. Instintivamente meus olhos se fecharam e um suspiro tornou a deixar meus lábios. 

Senti meu corpo inteiro se arrepiar com os toques gélidos dos dedos de metal de Barnes sob a minha pele desprotegida. Era algo diferente, mas não posso mentir dizendo que nunca havia fantasiado com esta situação antes. 

Meu companheiro de longa data é uma das pessoas que mais me faz feliz, me faz lembrar de épocas que eu nunca queria ter deixado para trás. Ele era forte, ágil e tinha uma beleza que misturava mistério e mágoas. Seus braços envolviam a minha cintura com firmeza, e seus lábios traçavam um caminho de beijos até minha boca. Sem mais delongas, eu me virei para frente dele e começamos a nos beijar. Nossas línguas se encontravam e só me deixavam mais ansioso e instigado para o que estava por vir. 

Enquanto Bucky e eu nos beijávamos de forma ávida e explícita, Stark se encaixou perfeitamente atrás de mim, deixando seu tórax colado nas minhas costas, enquanto suas mãos passeavam livremente pelas minhas laterais. 

Tony Stark era a minha perdição e eu não tinha dúvidas disso. Ele era mandão, orgulhoso, sarcástico… sem contar: cheiroso, sempre perfeitamente arrumado (mesmo quando estava desarrumado), inteligente, e assim como Bucky, ele era forte. Ele mordiscava meu pescoço e descia suas mãos, me arranhando de leve. Estas pararam na barra da toalha que me cobria, e sem qualquer aviso prévio, Tony segurou a base de meu pênis já desperto com firmeza. Ofeguei contra os lábios de Bucky e pude sentí-lo sorrir em meio ao nosso beijo. 

— Mal posso esperar para tê-lo dentro de mim, Cap. — Ouvi o engenheiro sussurar ao pé do meu ouvindo, me deixando completamente arrepiado. 

Numa resposta automática, meu membro bombeava contra a mão dele, ficando cada vez mais duro. 

Minhas mãos puxaram a regata que o soldado a minha frente usava de forma urgente. Com agilidade, ele retirou a mesma, a jogando num canto qualquer do quarto. 

Abri meus olhos para admirar os músculos do meu amigo. Essa visão já seria o suficiente para me deixar completamente excitado, não tenho dúvidas disso. Deixei a ponta de meus dedos deslizarem pelos músculos do abdomen do menor, mas logo agarrei seus ombros, o empurrando sem força para baixo. 

Prontamente, Bucky entendeu o que eu queria dizer e se ajoelhou a minha frente. Suas mãos puxaram minha toalha com rapidez, deixando meu membro ereto exposto. 

Enquanto Stark segurava meu pau com firmeza, Barnes deslizou sua língua por toda a extensão do mesmo, e sem delongas, o envolveu com seus lábios e começou a me chupar. Um grunhido de prazer saiu pela minha garganta automaticamente e minhas mãos agarraram os cabelos longos dele. Aquela visão estava acabando comigo por completo: a cabeça de Bucky ia e vinha sobre meu pênis, enquanto a mão de Tony me masturbava. Nem um super soldado aguenta tudo isso de uma vez só, eu juro. 

— Tony. Na minha frente. Agora. — Eu disse firme e ele obedeceu. Soltou sua mão de mim e caminhou, ficando à minha frente. — Você está com roupas demais. Tire-as. 

Sem reclamar, o engenheiro retirou lentamente a camiseta e a jogou no chão, deixando a luz azul em seu peito a mostra. Cada pedaço daquele homem era maravilhoso demais, ele fica bem melhor sem a armadura de ferro. E eu pareço um idiota apaixonado, obvio. 

As mãos de Tony foram até sua calça, a desabotoou, desceu o zipper e a abaixou. Logo ele estava trajando apenas uma boxer preta que marcava seu membro desperto. 

Ao mesmo tempo que eu me perdia olhando para o Homem de Ferro, Bucky engolia meu pau sem o menor pudor. Ficava até difícil manter os olhos abertos e me concentrar em outra coisa, mas, estamos falando de Tony Fucking Stark. 

Meu ultimo pingo de sanidade desapareceu quando o mais novo retirou a cueca, a jogou no chão e levou a mão ao próprio membro, acariciando-o enquanto me olhava com desejo. Minha respiração falhou, me fazendo arfar. 

— Agora é a sua vez, Bucky. — Ditei olhando para baixo, encontrando seus olhos. 

Puxei os cabelos do soldado com cuidado, trazendo-o para perto de mim, beijei seus lábios novamente e me afastei um pouco. O ajudei a se livrar da calça e da cueca em seguida, ficando assim completamente nu. E delicioso. 

Tony se aproximou de nós dois e eu segurei seu queixo com uma de minhas mãos, enquanto a outra foi até o rosto de Barnes. Eu os olhei nos olhos, e vi minha perdição perfeita naquelas orbes. 

Eu trouxe os dois para perto de mim e iniciei um beijo a três. Minha língua roçava nas línguas deles, assim como os dois se tocavam entre si. Essa sem dúvidas foi uma das coisas mais prazerosas que eu já fiz na vida. 

Aquele beijo só me deixava mais instigado para tocar e tê-los só pra mim. E eu simplesmente não aguentava mais esperar. Quebrei o beijo, ofegante e os empurrei para a minha cama. 

— Fica de quatro pra mim, Stark. 

E lá foi ele: se ajoelhou de costas pra mim sobre a cama, se apoiou sobre as mãos e se curvou, empinando sua bunda redondinha e maravilhosa só pra mim. Molhei meu dedo polegar com minha própria saliva e o levei até a entrada apertada do mais novo, brincando com o meu dedo no ponto sensível do mesmo. 

Sem precisar de um pedido, Bucky se abaixou novamente e abocanhou meu pênis. Ele engolia o máximo que podia, me deixando o mais babado que conseguia. Em seguida, empurrei meu dedo contra a entrada de Stark, lhe fazendo gemer baixinho. O provoquei um pouco enquanto saía de dentro da boca do soldado e me encaixei para penetrar Tony. Minha glande adentrava aquele corpo que eu tanto desejava, e ele gemia em resposta pra mim. 

Sentia meu membro ser apertado pelas paredes do interior de Tony, o que me deixava ainda mais excitado. Como se fosse possível. 

Comecei a me movimentar lentamente dentro do engenheiro, enquanto isso, Barnes beijava meu corpo, se levantando até chegar aos meus lábios. Nos beijamos de forma breve novamente e eu segurei seu falo duro com firmeza, o masturbando enquanto estocava Stark. 

Tony gemia num tom grave e alto, Bucky suspirava e gemia meu nome baixinho, e eu grunhia, perdido no mar de prazer que dominava meu corpo. Comer Tony Stark era muito melhor do que eu já havia imaginado (muitas vezes) na minha cabeça. Sua bunda batia contra as minhas coxas, fazendo ruídos pornográficos, e eu podia ver seu rosto: tinha os lábios entreabertos, e a feição que transbordava prazer. 

Minha mão masturbava Bucky com agilidade, e eu podia ver que ele se deliciava com esse ato. Aproximei meu rosto do dele e mordi seu lábio inferior com cuidado, e o beijei mais uma vez. 

Estava na hora de me divertir com o meu soldado. 

Com muito sofrimento eu saí de dentro de Stark, acariciei sua bunda e disse: 

— Eu já vou voltar a te agradar. 

Tony se sentou na cama e sorriu pra mim. Deitei Barnes ao seu lado e me posicionei entre suas pernas. Cuspi em minha mão, umideci meu pau com a saliva e comecei a penetra-lo com cuidado. 

Bucky é um super soldado e assim como eu, ele não sentia dor como as pessoas normais, logo eu não precisava ser tão cuidadoso. E sinceramente? Isso é ótimo. 

Assim que meu membro estava todo dentro do meu amigo, comecei a fazer os movimentos de vai-e-vem, nos fazendo gemer em sincronia. 

Puxei Stark com uma mão, trazendo-o para perto e o beijando em seguida. Era a primeira vez que nós nos beijávamos, só nós dois, e eu pudia sentir a conexão que tínhamos. Acho que qualquer um que prestasse atenção em como nós dois agíamos perante o outro, perceberia essa tal conexão. Podia sentir a barba perfeitamente aparada roçar meu rosto, a língua quente que se encaixava perfeitamente na minha e a sua mão que segurava a minha nuca. 

Minha mão segurou o pênis de Tony e eu conseguia senti-lo pulsando de prazer. Bucky começou a rebolar contra mim e eu soltei um gemido rouco. Aproveitando que o soldado estava fazendo os movimentos, com a minha mão livre, tomei seu pau, também lhe masturbando. 

E lá estávamos nós, gemendo, suando, imersos no maior prazer que existia. 

Tony me abraçou pelo pescoço e gemeu alto contra a minha orelha, me deixando arrepiado. Eu sabia que ele estava chegando ao seu ápice, então lhe dei um pouco mais de atenção. Minha mão descia e subia o mais rápido que conseguia, e em pouco tempo, senti seu corpo se convulsionar e com um gemido final, ele se desfez na minha mão. Depositei um beijo carinhoso em seus lábios e nós sorrimos um para o outro. Ele se ajeitou, sentado do meu lado, e me assistia enquanto eu voltava a penetrar Bucky com força e agilidade. 

Eu segurei a cintura do soldado e ele envolveu suas mãos em meu pescoço. Bucky se remexia contra mim e eu o estocava com certa brutalidade. 

Entre as estocadas, acabei por atingir sua próstata algumas vezes, o fazendo atingir o orgasmo e se derramar sobre a própria barriga definida. 

Bucky se contraía todo em volta do meu membro, fazendo com que eu também sentisse o orgasmo chegar. Meu corpo inteiro se arrepiou, e com uma estocada final, gozei no interior do moreno abaixo de mim. Ofeguei e fechei os olhos por alguns segundos, antes que saísse por completo de dentro dele. 

Deitei ao lado de Bucky e Tony se deitou ao meu lado. Nossos peitos subiam e desciam descompassados, nossas mãos se entrelaçaram, eu sorri cansado e fechei meus olhos. 

 

 

 

 

 

 

Ouvi um ruído chato e abri meus olhos. Desliguei o despertador ao meu lado e me espreguicei. 

Senti algo molhado em meu baixo ventre e levei minha mão até lá.

— Ah não, de novo não! — Resmunguei irritado quando percebi que havia gozado em minha cueca enquanto dormia. Foi aí que o sonho da noite anterior me atingiu e eu suspirei. — Esses dois ainda vão me enlouquecer.

 


Notas Finais


Se vocês gostaram, deixem um comentário (por mais simples que seja) só pra fortalecer a amizade, pf.
Me desculpem por possíveis erros de escrita.
Até a próxima~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...