História Through The Lines - Capítulo 88


Escrita por: ~

Visualizações 356
Palavras 2.347
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi babes, eu falei que eu ia voltar e aqui estou eu.
Bom eu amei os últimos comentários eu não consegui responder ainda só que vi muitas de vocês já chorarem então espero que vocês se preparem para esse.. Tem muitas surpresas e muitas explicações.
Boa leitura nos vemos nas notas finais <3

Capítulo 88 - Thinking of you


Justin POV

  Eu nunca imaginei que a mulher que eu pensava que um dia já me amou pode fazer isso comigo, eu vivi um inferno de vida e imaginar que talvez essa criança pudesse ter sido minha luz no fim do túnel e tiraram isso de mim. 

 Agora eu tinha mais que certeza que a Hope nunca me amou de verdade tudo que um dia ela apontou em mim talvez ela fosse o dobro e no meio de tudo isso eu só consigo sentir raiva.

   Como sempre havia me levado do céu ao inferno em questão de minutos, pouco tempo que depois que nos encontramos novamente eu descobri que eu era pai, da minha ex-namorada. Por mais que Louise não estivesse entre a gente eu sentia sim que eu era um pai, que teve sua filha arrancada, e que talvez pudesse ter sido tudo diferente inclusive a Louise junto comigo. A Hope sempre teve mania de me crucificar como adolescente inconsequente, mas depois de tantos anos todos os defeitos que ela apontava em mim ela simplesmente não enxergava nela, eu nunca teria coragem de fazer isso com ela, nunca.

Assim que cheguei na cafeteria as pessoas me olhavam como se eu fosse a última pessoa do mundo sentada ali, confesso que mesmo depois de tanto tempo aquilo me incomodava demais, mas eu tinha que fingir que não estava ligando, eu estava com a cabeça em outro lugar então aquilo realmente não me incomodava, quando eu sai do transi encontrei com Hope sentada na minha frente.

- O que você esta fazendo aqui? – Perguntei seco e baixo, mas que certeza que ela ia conseguir ouvir muito bem.

- Nós precisamos conversar! – Ela disse decidida.

- Não, nós não temos mais nada para conversar, cadê a Hope conservadora que tem medo de ser vista com o Justin Bieber famoso? Você sabe que daqui dois minutos vai sair em todas as redes sociais que você esta aqui comigo. – Eu fiz um jogo com ela e Hope engoliu seco, eu sabia que ela odiava tudo isso.

- Que seja, nós precisamos conversar. – Eu me levantei da mesa. – Justin!

- Por favor, me deixe, não estrague mais nada. – Sai andando em direção a saída que já acumulava alguns paparazzis sedentos.

{...}

- É sério que você estava de novo com ela Justin? Você acha que eu esqueci que ela é sua ex namorada motivo da bagunça na sua vida no passado? Não deixe ela bagunçar tudo de novo, não deixe ela acabar com tudo.

Barbara brigava comigo e ela parecia estar realmente furiosa, como eu havia dito circularam fotos nossas hoje de tarde e ela me ligou em chamas já que ela estava fazendo um editorial em Paris.

- Eu não vou a deixar estragar tudo, eu já dei um ponto final nisso tudo.

- Eu quero muito acreditar em você. – Ela disse cansada, e logo desligamos a ligação.

 

6 dias

Já havia almoçado com a Jazzy, estava em casa pensando em milhares de coisas por mais que eu estivesse de folga, minha cabeça não parava se quer um minuto, tantas coisas aconteceram durante esse pouco tempo que eu estava um tanto quanto perdido, eu só queria esquecer um pouco as coisas, talvez viajar, ir para o Canadá seria uma boa, meu pai adoraria a visita.

- Bieber... – Hugo me tirou de meus pensamentos. – Me desculpe atrapalhar, mas por incrível que seja estranho, a Hope está na portaria e pediu para entrar, eu posso? – Eu só assenti e respirei fundo e o Hugo deixou a área.

Eu respirei fundo porque eu sabia que ela não iria desistir enquanto ela não contasse a real, o que realmente aconteceu, o motivo dela ter feito isso comigo, eu não estava mais com raiva dela, seria justo eu escuta-la, mas eu não me conformava com o fato dela ter tirado meu direito sobre aquela criança.

 

Hope POV

Quando eu cheguei no condomínio algumas coisas haviam mudado, fazia tanto tempo que eu não entrava ali, mas pelo fato de eu ter entrado com a Jazzy tempos atrás o porteiro acabou liberando, mas quando cheguei na porta do Justin fui barrada. Droga eu esqueci que ele tinha seguranças pra uma vida inteira.

- Boa tarde, eu, por favor, eu preciso falar com o Justin. – O segurança me olhou de cima a baixo e soltou uma risadinha.

- Me desculpe, mas o senhor Bieber agora namora. – Eu o encarei indignada ele estava achando que eu era uma prostituda?

- Eu só preciso conversar com ele, eu sou professora da escola da Jazmyn.

- Você tá mais pra uma Belieber encubada. – Revirei os olhos.

- Eu não sou uma Belieber.

- Mas mesmo assim eu não posso abrir pra você, mas se você quiser eu posso te passar o meu telefone. – Eu me irritei e explodi com aquele idiota.

- Qual é a porra do seu problema? Eu não sou qualquer vadia que vinha na casa do Justin. – Virei para pensar no que eu poderia fazer e eu liguei para o Justin, mas só chamava.

- Infelizmente eu vou pedir para a senhorita se retirar, ou eu mesmo vou fazer isso. – Aquele segurança que eu nem me preocupei em perguntar.

- Faça o que quiser, eu quero entrar.

Ele fechou a janela da guarita e depois de uns minutos Hugo apareceu na minha frente e eu suspirei aliviada e quando ele me viu se surpreendeu.

- Hugo! Graças a Deus, será que eu posso entrar agora? – Ele ainda me olhou pra saber se era eu mesma.

- Eu irei o comunicar e logo você pode entrar só aguarde um momento. – Assenti e logo os portões daquela mansão foram abertas.

Minha vontade era de voltar lá e descer a mão na cara daquele segurança ridículo achando que eu fosse algum tipo de Belieber ou vadia, eu não tinha cara de nenhuma das duas. Quando entrei na casa do  Justin estava tudo em silêncio eu sabia que ele já me esperava, mas sai em busca dele pela casa e vi ele vindo na minha direção sem camiseta com suas tatuagens amostra, que tinha triplicado da época que a gente namorava, ele também estava mais malhado, ele não era magrelo como antes, ele estava usando uma bermuda azul e usava um par de óculos, e eu só percebi que eu estava olhando pra ele igual idiota quando ele pigarreou.

- O que você está fazendo aqui? - Ele soltou ácido, eu nunca tinha visto o Justin assim, não em relação a mim.

- Não é obvio? Nós precisamos conversar Justin. – Disse mais natural possível, mas ele notou o meu nervoso.

- Tudo bem estou aqui pode falar.

Ele deu de ombros e me deu as costas, que estavam mais largas e com tatuagens também, e nossa tive que conter para não morder os lábios, Oh céus... Concentra Hope, concentra! Nós seguimos para sala e nós fomos até a sala e ele sentou esperando que eu fizesse o mesmo, mas eu não iria conseguir tem um diálogo com ele naquele estado.

- Você poderia, por favor, colocar sua camiseta? – Ele me olhou sem entender. – Você não está na praia.

- Eu estou na minha casa. – Revirei os olhos. – Você ainda tem esse costume de virar os olhos Hope, isso é muito feio. – Dei de ombros.

- Eu vim aqui porque eu acho que nosso assunto não acabou eu vim te pedir desculpas por tudo que eu fiz não foi diretamente, mas foi indiretamente em questão a nossa filha, Justin eu juro que tudo que eu fiz foi realmente pensando em você, pensando em como sua vida iria ficar mais confusa, como que você teria que encarar tudo, criar novas responsabilidades, você não estava com cabeça pra isso.

- Você já pensou que talvez isso fosse me mudar? Talvez essa fosse minha forma de dar a volta por cima e não passar por tudo que eu passei, ir ao buraco mais fundo. Você poderia ter evitado isso.

- Para de me culpar pelo seu erro Justin, talvez eu tivesse te contado tudo se não tivesse dado errado, você estar daquele jeito aquela época a única pessoa que tem culpa é você, se você não tivesse talvez estivéssemos juntos e nada disso teria acontecido. Mesmo eu sabendo que nós não fomos feitos para ficarmos juntos. – Ele engoliu seco.

- Não existe isso, não coloca culpa no destino, você fez a sua escolha.

- Nós não estamos aqui pra falar do nosso relacionamento antigo Justin.

- Tudo bem, então vai em frente. – Ele cruzou os braços esperando que eu continuasse.

- Nathan no meu sexto mês de gestação me convenceu a te contar a verdade, nós já estávamos casados, mas ele nunca concordou com o fato de eu te esconder, quando eu resolvi que eu iria atrás de você aconteceu o acidente que ela não resistiu, resolvi que eu não deveria te preocupar afinal não tinha mais o que fazer, e depois daquele dia eu começou o maior inferno da minha vida.

 

                                                                                Flashback ON

  Eu não me reconhecia mais eu me olhava no espelho era como se eu não fosse à mesma pessoa, estava cheias de orelhas, meu cabelo estava todo descuidado, e minha aparência estava à pior, só que por dentro eu estava pior é como se eu fosse obrigada a viver um dia de cada vez só que eu não tinha mais motivação, eu não tinha mais forças.

  Depois que eu perdi ela eu acabei perdendo uma parte do meu coração.

  Eu me perguntava todo dia se isso foi um tipo de castigo, por que isso tinha que ter acontecido justo comigo, eu chegava acreditar que Deus não gostava de mim, ele me trouxe alegria e depois me tirou a coisa mais preciosa da minha vida, eu não tive oportunidade de nem segurar ela.

 Engoli  vários remédios de uma vez e entrei na banheira que estava cheia de água, encostei minha cabeça e fechei sentindo a água bater na minha pele eu estava tão magra a muito tempo eu não me alimentava muito bem eu já até tentei passar com psicólogo, só que eu não precisava disso eu só precisava da minha filha de volta.

  Já sentia minha cabeça doer por conta dos remédios que eram fortes e como bebi diversos estava causando era isso que eu queria, olha que ponto eu cheguei.

  Fui deslizando pela banheira e afundei minha cabeça na água e fechei meus olhos e diversas coisas se passaram pela minha cabeça quando eu fiquei sabendo que estava grávida, eu contando para meus pais, e quando eu recebi a notícia que tinha perdido a minha filha e o último deles foi com ele, como eu fui capaz de largar a pessoa que eu amava de mentir sobre um filho? Eu me sinto uma egoísta o pior ser humano, mas as pessoas não entendiam o que eu fiz isso só que o amava e não podia jogar esse problema para ele, era isso que acontecia  quando você amava alguém você fazia sacrifícios por aquela pessoa.

 Só que tudo seria mais fácil ao lado dele, tudo seria completamente diferente só que já está feito. 

  Já sentia a minha respiração ficar falha, eu precisava disso eu queria morrer, eu não aguentava mais esse dor que aumentava a cada dia mais.

 Quando estava ficando tudo escuro senti alguém me puxar e fui abrindo meus olhos devagar e tossindo um pouco da Água e eu comecei a chorar.

- Hope o que você estava fazendo? - O Nathan começou a me chacoalhar e colocar seu ouvido no meu peito.

- Nate, por favor, me deixa terminar o que eu estava fazendo - Falei já sentindo o nó na minha garganta ele tentou me levantar, mas só acabei caindo.

- Hope você é louca? Você é doida? - Ele fala desesperado colocando meu rosto entre suas mãos - Hope você queria se matar?

- Nate, por favor, eu não consigo viver mais em um mundo sem a Louise - Eu não controlava mais minhas lágrimas, o Nate me puxou para ele e eu deitei minha cabeça no seu peito e molhei toda sua camisa, ficamos um bom tempo assim eu chorando e ele apenas me fazendo um carinho.

- Hope olha para mim - Ele pediu e eu neguei - Amor, por favor, olha pra mim - acabei cedendo e desviando meu olhar pra ele, ele limpou minhas lágrimas e me olhou com olhar de piedade.

- Não quero imaginar o que seria de mim você é a pessoa mais forte que eu conheço, às vezes é complicado segurar a barra eu sinto tanta falta dela como você, só que precisamos seguir em frente, mostre pra ela que nada foi em vão deixando sua vida passar assim. Porra Hope eu fiquei desesperado quando te vi assim, eu não quero viver o mundo sem você. Vamos nos ajudar tudo bem? Vamos passar por essa juntos ok?         

    Eu assenti e o abracei novamente tentando encontrar refúgio ali.

Justin POV

Depois de ouvir tudo isso eu até me senti um pouco egoísta em querer ter raiva de Hope, afinal mesmo ela tendo feito isso por opção, ela encarou tudo isso sozinha, ela talvez se não fosse aquele idiota, e sua família hoje talvez estivesse morta? Sim ela estaria morta, assim que saí do transe eu a vi chorando involuntariamente na minha frente e não tive outra reação a não ser abraça-la, tudo que ela precisava naquela época e eu não estava lá.

- Me desculpe, por não estar lá com você. – Eu sussurrei. – Eu sinto muito Hope.

-  Justin me perdoa? Eu me arrependo todos os dias.

- Shh...- A interrompi a aperto mais em mim..

 Nosso corpo entrou em choque e a  Hope segurou meus bíceps e pousou suas mãos em meu rosto e me encarou por um momento, os olhos dela estavam brilhando por conta das lágrimas seus olhos estavam tão verde quanto e seus lábios vermelhos e nem mesmo se ela tivesse passado batom talvez ficaria daquele jeito, nós ficamos nos encarando até que ela cortou o silêncio...


Notas Finais


A Hope tentou se matar sim me matou escrever isso!!! Bom agora vocês podem ver um pouco mais sobre os motivos dela e o quanto ela sofreu talvez agora as coisas vão melhorar, não sei se vocês perceberam mais ela está ficando melhor depois que se livrou do embuste.
O Justin ''perdoou'' não vai ser tão fácil mas ele vai começar entender ela melhor.
E o que vocês acham o que ela falou para ele nesse final rsrsrs
Até logo. Beijinhos S.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...