1. Spirit Fanfics >
  2. Thulight - Um Amor Jamais Esquecido - Parte I >
  3. Reconciliação

História Thulight - Um Amor Jamais Esquecido - Parte I - Capítulo 37


Escrita por:


Notas do Autor


☾☀♡

Capítulo 37 - Reconciliação


Fanfic / Fanfiction Thulight - Um Amor Jamais Esquecido - Parte I - Capítulo 37 - Reconciliação

Gastón apareceu nos olhando e chamando Matteo.

- Pode ir, vou ficar bem. - sorri fraco. 

- Já volto - assenti e ele depositou um beijo em minha testa e foi.

Eu apertei minhas pernas contra meu tronco, apoiando meu queixo nos joelhos enquanto fitava os dois conversando. Apenas queria que tudo voltasse ao normal.

Quase anoitecendo e estávamos na casa de Matteo, fiz coxinha com Ambar já que a mesma estava com vontade e enquanto isso Matteo, Gastón e Simón estavam na sala conversando.

- Pode me dizer o que está acontecendo? – ela parou o que estava fazendo apoiando o cotovelo na bancada enquanto me fitava confusa. – Sou eu sua prima, você sabe que pode contar tudo.

- Nada, só estou superando ausência das pessoas – dei de ombro.

- Eu sei do lance todo da Yam, mas ela mesmo não tem noção das próprias atitudes, então vamos dar um tempo pra ela – ela respirou fundo e a fitei irritada.

- Tá bom Ambar, quer saber... - elevei a voz - se ela quiser ficar desse jeito o problema agora é dela, eu cansei disso já, de ir atrás, de ajudar e depois a merda da culpa vir pra cima de mim, não vou pedir pra ninguém mais ficar na minha vida, quer ir então some - eu bufei, desviando o olhar para me concentrar em minhas próprias palavras, que insistiam em sair em gaguejos fracos.

- Então é isso? Minha amizade pouco importa pra você? - era a voz da Yam.

- Ah pronto, agora vai vir com essa conversa? - perguntei me aproximando dela irritada e Ambar me interrompeu.

- Gente, sem brigas, somos agora adultas e devemos ter uma conversa séria, chega dessas briguinhas, Yam a Luna não tem culpa do Ramiro sentir algo por ela e Luna não quero que desista das pessoas que ama, estão entendidas? - ela disse e apenas assentimos em silêncio.

- O que veio fazer aqui? - perguntei olhando Yam e ela me olhou triste.

- Eu vim pedir desculpas e... 

- Está tudo bem, eu só estou cansada  de brigar e quero paz - fiz sinal de paz e ela riu - vem - a puxei para um abraço apertado. - bom, temos que encontrar o pessoal - falei e ela assentiu.

Passamos o resto da noite curtindo a presença um do outro e estava tudo mutio bom, até demais.

- Podem me passar um copo? - Yam dizia quebrando o silêncio enquanto fitava a tela da TV.

De repente todas as luzes se apagaram, o estranho era que não estava chovendo, trovejando nem nada.

- Eu poderia, caso enxergasse algo - Ambar disse com uma coxinha na boca, me fazendo rir.

- Tudo bem, vou pegar algumas velas - Matteo se levantou e com a ajuda da lanterna do celular ele foi em busca de velas.

Todos ficaram em silêncio, me agarrei na Ambar que me abraçou nervosa.

- Aqui estão medrosos - ele colocou três velas na mesinha.

Todos ficaram em volta da mesa, Simón estava sorrindo de forma bizarra com uma tentativa inútil de aquilo parecer assustador. 

- Tem alguém aí? - Simón questionou em bom som, aquilo foi suficiente para todos gargalharmos.

- Vocês vão morrer. - uma voz profunda setenciou vindo do lado de fora.

Então a campainha tocou, eu conseguia ver o choque no rosto de cada um e todos olhavam para a mesma direção, a porta. 

- Ninguém vai atender? - Yam disse e o silêncio continuou.

Matteo bufou e enfim foi em direção da porta, a abrindo.

Para surpresa dele e de todos eram seus pais.

- Surpresa - a mãe dele disse rindo, o que acabou me fazendo rir junto.

- O que fazem aqui? - ele questionou confuso.

- Visitar nosso filho? - ela disse como se fosse óbvio, ela sorriu e nos avistou - Vejo que o Matt fez bastante amigos, fico feliz por isso, Boa noite crianças - ela disse gentilmente e Matteo revirou os olhos. 

- Boa noite senhora - dissemos em uníssono e olhamos um para o outro rindo.

- Olá Luna- ela disse enquanto me fitava, me deixando totalmente nervosa, Ambar resmungava algo e me reprimi para não rir.

- Olá senhora - disse sem graça.

- Me contem, como foram as coisas? - o pai dele deu o ar da graça.

- Então, é uma história longa... - Simón disse um pouco triste.

- E bem confusa, do tipo muito - Ambar continuou.

- O que aconteceu? - a mãe do Matt questionou me fitando desconfiada.

- Eu não fiz nada - quis deixar claro. 

- Calma, bom... Matteo e Luna podem contar para vocês, já está ficando tarde e não queremos arranjar motivos para brigas desnecessárias com nossos pais - Simón finalmente disse enquanto me fitava - Boa noite pra quem fica.

Todos foram se despedindo, restando apenas eu, Matteo e seus pais na sua casa, meu coração iria sair pela boca a qualquer momento.

Contamos tudo, fizemos um resumo de toda a história e eles ficaram chocados com os acontecidos.

- Que garota doente, pelo menos estão seguros agora - ela disse aliviada.

- Pelo menos é o que parece - sorri, me sentia mais confortável com eles.

- Bom, vamos animar essas carinhas, nós temos uma novidade para vocês - a "sogra" disse com um sorriso enorme no rosto.

- Seu amigo deveria estar aqui, acabei esquecendo de avisar ele antes dele ir embora - o pai de Matteo respirou fundo - como eu sei que você ama música - Matt assentiu e eu sorri - por alguma coincidência, encontrei um amigo meu de infância, ele mora a uma quadra da escola de vocês e tem um filho da idade de vocês que toca bateria, ou seja, pelo que entendi é o que estão precisando não é mesmo? - Matteo arregalou os olhos e assenti por ele - Eu vou falar com ele de novo, marcamos de nos encontrarmos amanhã a tarde e quero que venha comigo, já que esse é o seu maior sonho eu vou apoia-lo de todas as maneiras possíveis. Quero que seja feliz e se essa banda te fizer feliz, eu vou apoiar e vou ajudar no que eu conseguir, pode ter certeza que terá o meu apoio - ele sorriu e os dois se abraçaram. 

- Não sei como agradecer - Matt disse com lágrimas nos olhos.

Momento comovente para uma sensível como eu que chora por tudo. 

- Você é o nosso orgulho meu amor, sabemos que é responsável o suficiente para saber cuidar de si, sei que somos ausentes, mas faremos o possível para te apoiar na sua felicidade e dar a atenção que merece e você Luna - ela me fitou, gelei - obrigada por cuidar do nosso Matt, antes de você aparecer ele só tinha Gastón e olhe lá, agora vejo nossa casa cheia de amigos, ele sorrindo, feliz e amando de verdade pela primeira vez, amando você. 

- Isso foi realmente inesperado - sorri, totalmente sem graça - Vocês podem ter a certeza que eu cuidarei dele sempre, como o senhor mesmo disse - olhei para o pai dele - não chegamos até aqui atoa, passamos por poucas e boas e agora estamos firmes e fortes, quero ter vocês para o resto da vida, se assim Deus quiser - os três me abraçaram.


Notas Finais


☾☀♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...