1. Spirit Fanfics >
  2. Thulight - Um Amor Jamais Esquecido - Parte I >
  3. Tudo de novo...

História Thulight - Um Amor Jamais Esquecido - Parte I - Capítulo 38


Escrita por:


Notas do Autor


Booooa leitura xuxus ☾☀♡

Capítulo 38 - Tudo de novo...


Tinha dormido na casa do Matteo, vivíamos tipo casados, era estranho, mas eu acabei me acostumando, minha mãe já nem ligava mais. 

Já é o dia seguinte e hoje teríamos aulas apenas no período da tarde por conta de que a Diretora tinha alguns problemas pessoais para resolver agora na parte da manhã, então teria um tempo a mais para dormir. Por um azar da vida e por incrível que pareça Matteo levantou muito cedo e já veio me acordando todo animado.

- Qual é o seu problema? - perguntei com raiva - viu que horas são ainda Matteo? Sai daqui - disse e ataquei meu travesseiro nele.

- Não tem essa não, vamos, levante e vamos aproveitar o dia - ele disse abrindo a cortina e aquele sol bem na minha cara.

- Matteo Balsano, você poderia fazer o favor de fechar essa janela e ir dormir porque olha a hora ainda e as aulas são só a tarde - disse estressada e ele riu.

- Eu sei e não porque a gente vai na praia e pode se levantar e se arrumar ai, vamos dona Luna - ele disse tirando a coberta de cima de mim.

- Fazer o que essa hora lá? E ainda hoje que tenho um tempo livre para sonhar mais, vai sozinho se quiser porque eu não quero ir e me deixa dormir, por favor - fiz cara triste.

- Tá bom Luninha, sacanagem fazer essa cara - ele disse e eu ri - então, pode voltar a dormir, daqui a pouco eu volto - ele me deu um beijo na testa e saiu e eu voltei a dormir.

Acordei com os latidos da Zoe e nada do Matteo, olhei meu celular e ainda eram 10h30, o jeito era ficar acordada mesmo. Me levantei e fui do jeito que estava mesmo ver o que a Zoe estava aprontando. Estranhei que a casa estava totalmente silenciosa e vazia, dei a ração dela e fui no banheiro tentar melhorar essa minha cara de zumbi. Passou uma hora e nada de ninguém aparecer, me arrumei e fiquei sentada esperando uma alma me explicar o que estava acontecendo.

Enquanto eu brincava distraidamente com a Zoe ouvi um barulho na porta e ela já ficou em alerta, saiu correndo e era Matteo com os seus pais rindo.

- O que aconteceu gente? Vocês sumiram - disse de braços cruzados encarando Matteo.

- Eu te chamei para ir junto com a gente, mas você escolheu ficar sonhando- ele deu de ombro e riu - mas trouxemos sorvete de morango pra você - me entregou uma sacola pequena que estava segurando.

- Obrigada - sorri e os pais dele colocaram mais algumas sacolas em cima da bancada. 

- Bom, vou pra casa já filho, tenho que tomar um banho, não aguento esse calor não gente - a mãe dele reclamou e nos entreolhamos rindo. 

- E eu tenho que dormir, já que agora eu posso - o pai dele disse e os dois se despediram e foram embora.

- Sorte a deles - reclamei e Matteo ainda permanecia com o sorriso no rosto, desconfiei. - O que foi que está sorrindo até para as paredes hoje? - me sentei dando um lugar para ele se sentar do meu lado.

- Hoje conheci o Nathan, aquele que o meu pai falou, ele é gente boa e levei Gastón junto para conhecer também, conversamos bastante e acho que finalmente alguma coisa está indo no caminho certo dessa vez - ele suspirou aliviado.

- Música é tudo pra você né? - indaguei e o vi concordar sorrindo.

- Você é, meus pais, minha irmã, a banda, vocês são tudo, é quem me fazem ser quem eu sou - ele disse e eu sorri, mas ao tempo estava confusa. - o que foi?

- Você assim - eu ri - é tão estranho, de verdade - respirei fundo - mas eu sempre soube que ai dentro tinha esse Matteo que só quem te conhecia de verdade sabia que tinha - disse e ele sorriu.

- Você me faz querer ser alguém melhor, de verdade Luna - ele me abraçou forte.

~...~

 - Quem é ele? - Perguntei fazendo careta.

- Nathan - Gastón disse - Nathan Sparks.

- Ah o garoto que o pai do Matt disse? - me virei de frente pra ele e o vi concordar. 

- Ele mesmo, sabe aqui lembrando... Estávamos conversando ontem e chegamos a uma conclusão de que poderíamos colocar uma garota como vocalista da banda, e bom... - ele me olhou sorrindo.

- Não mesmo - ri sem graça - não canto tão bem assim para entrar na banda de vocês, aliás, tem a Jim lembra? Eu ouvi ela cantando e manda super bem - disse e ele sorriu.

- Eu sei disso, eu também já a ouvi, mas... você é bem mais apegada com a gente e também eu já ouvi você cantando com a Ambar na casa de vocês e sei que foi por brincadeira, mas não seja tão modesta, você canta bem sim e aposto que ele iria adorar a ideia.

- Vou pensar, pode ser? - disse e ele assentiu.

Era terça de tarde, desde ontem a noite Gastón tem sido um pouco estranho, quieto demais, o que deixou todos nós preocupados, passamos por tantas coisas que qualquer sinal de algum de nós agindo de maneira diferente já é motivo para se preocupar, mas Matteo conversou com ele hoje cedo e tudo está bem. 

- Está tudo bem, babe? - Matteo se aproximou me abraçando por trás, enquanto eu fitava as nossas fotos na porta do meu armário. - Onde conseguiu essa foto? - ele apontou para uma dele encostado na árvore, sorrindo enquanto conversava com Gastón.

- Bom, digamos que sim - respirei fundo. - É raro ver você com seu sorriso sincero e aproveitei a situação, não poderia perder esse momento, queria deixar registrado - sorri e ele me deu um empurrão. - Ei - dei um tapa no ombro dele que franziu o cenho.

- Se quiser uma foto minha sorrindo é só pedir, com você é fácil de me ver assim - olhei desconfiada, já que ele raramente (mesmo) era assim e ele deu de ombro e se aproximou me dando um selinho. 

Combinamos de depois das aulas ir para o Jam&Roller porque os meninos queriam se apresentar e assim fizemos. 

Chegamos lá e fomos procurar uma mesa, Ambar foi direto pedir coxinha, Matteo e Gastón estavam com o tal do Nathan escolhendo a música e Yam estava do meu lado sentado olhando pro além. 

- Está tudo bem meu bem? - sai dos meus pensamentos para olhar Yam que parecia triste.

- Queria que o Ramiro estivesse com a gente, ele faz falta Luninha- ela disse chateada e a abracei de lado.

- E quem disse que não estou? - uma voz conhecida falou atrás de nós dois.

Nos viramos e para nossa total surpresa era ele. 

- Já pode sair tranquilo com a gente? - perguntei enquanto fazia gestos para ele sentar no meio de nós duas.

- Agora sim, vão ter que me aturar novamente, estava sentindo falta do nosso grupo - ele nos abraçou e rimos.

- A carência está grande também - disse e ele me olhou chateado.

- É assim que recebe seu amigo cujo estava um longo tempo sem sair com vocês? - ele cruzou os braços e me olhou bravo, ou fingiu muito mal.

- Oh meu bem, claro que não - disse rindo e o abracei, ele sorriu.

Os meninos se aproximaram e todos fizemos um montinho no Ramiro. 

- Eu amo vocês - ele disse chorando.

- Amamos você - dissemos juntos e ele sorriu.

Era disso que eu precisava, era dessa paz, dessa calma que era ter eles comigo. 

Os meninos subiram no palco e algumas meninas já foram pra cima, Ambar me olhou rindo pela cara séria que estava fazendo, confesso que eu não sei se suportaria tudo isso, elas em cima dele, mas se esse é o sonho do Matt vou ter que me controlar. 

Falando em Matteo, ele arregalou os olhos em direção ao fundo do Jam&Roller, olhei para trás e seu pai estava ali com o suposto pai do Nathan. O vi relaxar os ombros e cada um foi para o seu lugar, ele murmurou algo no ouvido do Gastón e ele assentiu, ficando de frente para a platéia e arrumando o microfone.  De repente o Matteo se aproximou do microfone.

- Então, essa música vai ser dedicada a minha Luna, espero que você goste - ele disse me olhando, a luz focou em mim e fiquei paralisada, não conseguia acreditar que isso estava realmente acontecendo.

- Tá - Simón se virou pra mim e fiquei sem entender - O que diabos você fez com o Matteo? Esse é um clone dele que é romântico, dedica música na frente de todo mundo, qual poção deu pra ele? Quero usar também - Simón dizia tentando entender e bati nele.

- É o amor - Ambar disse sorridente e nós rimos.

- O amor deixa a gente meio idiota - Ramiro fez cara de nojo e realmente não pudi deixar de concordar.

- Vocês podem fazer silêncio que eu quero apreciar esse momento maravilhoso da minha vida? - disse e os três fizeram cara de ofendido.

- Tá bom namorada babona, aproveita seu cantor - ele disse rindo.

3.2.1... Começou a tocar uma música que ele estava tocando esses dias, só conhecia o refrão dela, ele me fitava sorrindo e ao mesmo tempo olhava seu pai que o observava, olhei para trás eles pareciam realmente interessados na banda dos meninos.

" Sua imagem veio para mim

Com sua magia, seu perfume e sua cor

A chave de seu sorriso e uma música

Aprendemos a língua do amor...

Sempre um sonho irá para você

Crescendo juntos aprendemos a viver

Você sempre será de mim

Tempo que aconteceu e nós levamos..."

Ele cantava e algumas pessoas dançavam juntas e nós estávamos sentados conversando, aliás, eles porque eu fitava Matteo enquanto ele arrasava como sempre. O observar assim e dizer que finalmente ele era meu e que tudo estava caminhando tão bem parecia surreal, mas eu ainda mantinha meus pés no chão, não queria voar muito alto para a queda não ser tão forte, sei que a qualquer momento tudo pode voltar a desmoronar, Ambar sempre diz que eu preciso ser otimista, mas com tudo que aconteceu ser realista era minha única opção, agora a minha única preocupação era aproveitar enquanto isso não acontece. 

Ele me chamou e fui até o palco ao seu lado e ele me deu um microfone para cantar com ele.

"Na primavera você acorda a flor

Como melodias que preenchem com valor

Você mora em mim

Eu estou em você

Como essa chuva que molha o coração

Como um poema que nunca foi escrito

Você mora em mim

E eu estou em você..."

Terminamos a música e nos abraçamos, ele me deu um beijo e todos aplaudiram e então ele sussurrou um "eu te amo" no meu ouvido. Eles cantaram mais algumas músicas e depois que terminaram se aproximaram um trio de meninas que já estavam os secando desde o momento em que eles subiram lá, Ambar já tinha notado também, nos entreolhamos e assentimos nos aproximando deles.

- Vocês foram maravilhosos como sempre - disse sorrindo e Matteo me abraçou por trás. 

- Gostou da música? - ele sussurrou no meu ouvido.

- Adorei, muito linda - me virei pra ele que me deu um beijo na testa.

- Que bonitinhos - Yam fez um coração com Simón e nós rimos.

- Só vocês mesmo - tentei ficar séria, mas não consegui resistir e ri junto deles.

- Matteo? - uma mulher que aparentava uns trinta anos o chamou..

- Sim? Eu conheço a senhora? - ele me soltou e se virou de frente pra ela.

- Ainda não, sou a diretora da Universidade De Las Artes da Itália, conheço o senhor Balsano e ele me falou muito bem de você, quis pessoalmente ver sua apresentação - ela disse e arregalamos os olhos - que foi maravilhosa por sinal - ela sorriu - temos uma vaga aberta na Universidade e gostaria de saber se está interessado? Um talento como você não podemos perder - ela disse e ele assentiu ainda assustado com tudo isso.

- Eu agradeço pela oportunidade, mas ir embora agora daqui não é minha opção - ele me olhou sorrindo - tenho planos e família aqui, não posso a abandonar - ele me abraçou de lado e a diretora assentiu.

De repente senti o meu celular vibrar e nele estava uma mensagem de uma pessoa que não conhecia e então recebo uma ligação de um número desconhecido.

" - Alô? - disse me afastando para conseguir escutar melhor.

- Olá Luninha, sentiu saudades? - era uma voz conhecida.

- Quem está falando? - perguntei sem entender.

- Olha pra frente - ela disse e quando olhei estava Candelaria na minha frente, senti minhas pernas tremerem só de lembrar o que ela fez da última vez, como ela conseguiu fugir da prisão? -  Gostou da surpresa? - ela deu risada.


Notas Finais


☾☀♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...