História Thunder - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Girls' Generation
Personagens Hyoyeon, Jessica, Seohyun, Sooyoung, Sunny, Taeyeon, Tiffany, Yoona, Yuri
Tags Taeny
Visualizações 59
Palavras 3.090
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: FemmeSlash, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Yuri (Lésbica)
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey, como estão?
Não tenho muito o que falar aqui além de boa leitura!

Capítulo 12 - Changes


Thunder: Changes

 

- Taeyeon -

 

Sai da sala da senhora Kim sentindo meus ombros pesando e minha cabeça latejando.

Eu já nem me impressionava mais, minha avó raramente me chamava em sua sala, mas quando chamava eu já podia me preparar para me sentir mal. A reclamação da vez foi pelo fato de eu ter saído da empresa e "abandonado" meu trabalho sem mais nem menos, mesmo que eu já tivesse feito boa parte até então.

Mas, como estamos falando da senhora Kim, ela precisava começar com o discurso sobre o quanto ela lutou para levantar àquela empresa, sobre a incompetência do meu pai, e que eu, como herdeira, deveria dedicar minha vida à empresa.

Ela não perguntou o motivo da minha saída, isso não importava, ela apenas me recebeu e deu seu discurso para logo depois fazer pouco caso do meu trabalho e me mandar sair.

Segue normal.

Fui até minha sala e peguei algumas coisas antes de seguir direto para o meu carro, não aguentaria passar nem mais um minuto naquele lugar e eu precisava dar descanso para à minha cabeça. Avisei Namjoon que iria para casa e liberei que ele fosse para a dele também, o dia havia sido cheio e estressante para nós dois.

Só me deixei suspirar quando já estava dentro do meu carro. A voz de minha avó ainda estava rondando minha mente e me tirando a pouca paciência que eu ainda tinha naquele momento, me deixando ainda mais cansada.

O caminho até à minha casa não foi demorado, por sorte, o trânsito não estava ruim e não levou muito tempo para que eu pudesse comemorar internamente por estar no conforto da minha casa. Tirei meu casaco e joguei no braço do sofá para logo depois me jogar no mesmo.

Eu estava cansada, exausta para ser mais específica. Ultimamente as personalidades vêm aparecendo com mais frequência que o normal e isso era exaustivo, pois eu precisava processar muitas informações ao mesmo tempo e ainda conciliar minha vida com toda essa situação.

E ainda tinha Taehyun, que não precisava acordar realmente para poder me irritar ou me dar nos nervos. Ela sempre encontrava um jeito, ou por sonho ou por alucinações ela viria me atormentar em algum momento e nem sempre eu estava preparada para lidar com ela.

E, junto a tudo isso, ainda tinha a minha preocupação com Jessica e Tiffany. Eu não queria ter saído sem falar com elas e ter certeza que elas estavam bem, mesmo depois que tudo aconteceu. E minha cabeça doía só de imaginar que algo ruim poderia ter acontecido nesse meio tempo em que estive fora e um medo terrível me invadia toda vez que eu imaginava as coisas que poderiam ter acontecido caso nem Taehyun, nem Yejun aparecessem.

Falando nele, eu ainda não conseguia entender o que tinha acontecido ou como tinha acontecido, eu precisaria que Haneul me explicasse isso de alguma forma, pois só ela poderia ter uma explicação coerente.

Algo me dizia que ela estava me escondendo algo, e de propósito.

Eu só espero que ela apareça antes de Soojung perder a paciência e vir atrás de mim com a intenção de arrancar minha cabeça, ela até gostava de mim mas isso não seria o suficiente para evitar minha possível morte caso ela ficasse com raiva.

Massageei minhas têmporas sentindo o cansaço tomando meu corpo quando ouvi meu celular vibrar. Com muito custo fui procurar o aparelho nos bolsos do meu casaco e assim que acendi à tela, vi que era Wendy e me sentei.

"Tiffany está bem, ela já foi liberada e já está em casa, não se preocupe. Descanse também, imagino que esteja precisando disso tanto quanto elas"

Suspirei em alívio com a mensagem da mais nova e sorri com sua preocupação. Wendy provavelmente estava se coçando de curiosidade e preocupação com o que aconteceu, mas ainda sim, ela mostrava seu cuidado comigo.

Até pensei em ligar para Tiffany, porém achei melhor não, ela deveria querer ficar apenas com a irmã no momento e eu não gostaria de invadir seu espaço. Já Jessica eu sabia que já devia estar em seu décimo sono e caso eu à acordasse, com toda certeza ela viria até minha casa apenas para me estapear.

Coloquei o celular ao meu lado no sofá e encarei o teto. Decidi tomar um banho e logo depois ir comer, eu teria um pouco de trabalho para fazer em casa, mas eu conseguiria fazê-lo rapidamente. 

Assim que tudo estava organizado, meu trabalho feito, e eu estava alimentada, fui correndo em direção à minha cama para entrar no mundo dos sonhos e ter meu merecido descanso e paz.

 

XXXXXXXXXX

 

- Tiffany -

 

Deixei à escola para trás e fui em direção ao meu carro.

Uma semana havia se passado desde que eu e Jessica tínhamos sido sequestradas, e aos poucos as coisas estavam voltando à normalidade. 

Jacob e seus capangas foram presos, segundo o que Jessica me contou, o mesmo já estava sendo procurado e no dia do sequestro alguém fez uma ligação anônima informando o local em que ele estava. Agora que Jacob está preso, minha amiga poderia respirar aliviada e viver sem o constante medo de esbarrar com esse cara por aí.

Minhas aulas foram transferidas para à manhã, a professora que dava aulas de manhã precisou se afastar por alguns dias, e até sua volta eu darei aulas em seu lugar. Por conta do sequestro, a diretora me afastou de algumas aulas também, e, até eu voltar, eu só terei aulas pelo período da manhã e as do período da noite seram aplicadas por Yoona em meu lugar. 

O caminho até minha casa foi um pouco demorado, acabei por pegar um pouco de congestionamento no meio do caminho, mas nada muito sério. Assim que cheguei em casa eu fui direto para o meu quarto guardar minhas coisas e trocar de roupa. Minha intenção era passar o resto do dia no sofá assistindo algum filme até que eu tivesse coragem para analisar alguns trabalhos que eu tinha trazido da escola.

Essa era minha ideia, até o momento em que me sentei em meu sofá e, quase como se fosse combinado, minha campainha tocou. Estranhei receber uma visita agora, mas fui em direção à porta para abri-la.

Fiquei confusa quando abri à porta pois quem estava do lado de fora era Taeyeon. Quer dizer, eu achava que era Taeyeon até que ela se virou em minha direção e os olhos vermelhos entraram em contato com os meus.

Ela me encarava séria, seu olhar me analisava dos pés à cabeça com as mãos dentro dos bolsos do casaco e o cabelo um pouco bagunçado, coisa não usual da verdadeira Taeyeon.

— Olá, Tiffany. — Pela voz, eu pude ter certeza que ali era Taehyun mas, por algum motivo, ela estava morena. — Posso entrar? — Ela perguntou me olhando nos olhos novamente e eu acenei vagarosamente com à cabeça ainda confusa.

Liberei o espaço para que ela entrasse e fechei à porta atrás de mim. Taehyun ficou me esperando de pé ao lado do sofá, sem tirar seus olhos de mim nem um segundo e eu podia notar certa agitação nela. Ela não parava de movimentar os dedos da mão e isso era sinal de que ela estava contendo alguma coisa dentro de si.

Fui até ela ainda confusa, tentando entender o que tinha acontecido mas ela parecia não se importar com isso. Parei em sua frente e ela colocou suas mãos nos meus ombros. Devido à nossa proximidade, pude perceber algo nos olhos de Taehyun, mesmo estando séria seus olhos estavam mais claros e eles começaram a passear por todo o meu rosto, como se procurassem por algo.

— Você está bem? Você se machucou muito? Aquele desgraçado fez alguma coisa com você? — Taehyun disparou perguntas em minha direção sem nem esperar eu responder. Sua voz deu uma leve vacilada no começo, que eu só notei por estar próxima dela.

— Ei, ei vamos com calma nas perguntas. — Taehyun se calou e continuou me olhando. — Eu estou bem, não, não me machuquei muito e ele não fez nada comigo. — Ela suspirou pesadamente.

— Eu não deveria ter deixado ele escapar. — Ela sussurrou e eu senti o ódio em suas palavras, coisa que me assustou.

— Não precisa se preocupar mais, já passou e nem foi tudo isso. — Falei tentando dissipar a áurea densa que estava nos rodeando mas tenho à leve impressão que não deu muito certo. Taehyun tirou suas mãos de meus ombros rapidamente e seus olhos escurecem de maneira tão drástica, que eu me afastei instintivamente com medo de seus próximos atos.

— Nem foi tudo isso?! — Ela se afastou de mim e passou à mão pelos fios bagunçados. — Você poderia ter morrido, Tiffany! Você e Jessica poderiam nem estar mais aqui! — Taehyun parecia transtornada, tanto que ela começou a andar de um lado para o outro.

Ela começou a resmungar alguma coisa enquanto andava em círculos pela minha sala e eu resolvi me sentar no sofá ao meu lado. 

— Taehyun, vamos conversar. — Tentei pela primeira vez, mas foi em vão.

— Eu deveria ter matado o Jacob quando tive à chance... — Ela murmurou com raiva e eu arregalei os olhos sem acreditar no que estava ouvindo. — Eu não acredito que ele teve mesmo coragem de fazer isso...

— Taehyun... — Mais uma tentativa falha de tentar chamar à atenção da morena.

— Eu não poderia ter deixado ele escapar tão facilmente... — Ela estava cada vez com mais raiva. 

— Taehyun! — Falei mais alto dessa vez, mas nada parecia tirar a mulher daquele estado.

Ela continuou andando de um lado para o outro, murmurando coisas e ameaças, mechendo no cabelo de tempos em tempos e ignorando todas as minha tentativas de lhe chamar à atenção. Nem gritar com ela funcionou. Quando me cansei de gritar e pedir para que ela parasse, eu resolvi ir em sua direção e mesmo assim ela não parou um segundo se quer, e eu já estava ficando tonta com as voltas que ela dava.

Àquela situação já estava me deixando irritada e sem pensar muito no que estava fazendo, eu fui em sua direção e peguei em seu ombro com força à virando pra mim e a puxando pela gola do casaco para perto. Minha intenção era apenas ficar mais próxima dela para que ela saísse daquele estado e se acalmasse, mas não foi bem isso que aconteceu.

Não consegui medir a força com que puxei o corpo de Taehyun, e por isso, seu rosto ficou extremamente próximo ao meu, assim como seu corpo, tanto que eu conseguia sentir sua respiração pesada próxima ao meu rosto. Arregalei meus olhos quando me dei conta do que tinha feito e Taehyun me encarava da mesma forma. Seus olhos caíram dos meus olhos em direção aos meus lábios e eu precisei de um autocontrole terrível para não fazer o mesmo.

Senti um arrepio cortar meu corpo quando ela encarou meus lábios por alguns segundos antes de dirigir seus olhos para os meus novamente, eu pude até mesmo notar suas pupilas dilatarem. De repente, um clima diferente começou a nos rodiar e eu comecei a sentir certo pânico por não querer e não conseguir me afastar de Taehyun. Mas foi quando eu senti a mão dela ir para minha cintura e dar um leve aperto ali nos fazendo ficar ainda mais próximas, deixando clara sua intenção para mim, que um estalo soou em minha cabeça como um aviso, e com isso, eu forcei meu corpo a se afastar do dela.

Quando seu corpo se afastou completamente do meu eu senti como se pudesse respirar novamente depois de muito tempo. Taehyun ainda estava parada no mesmo lugar e encarando o nada enquanto piscava rapidamente. Ela balançou a cabeça levemente, encarou o chão, à parede, as próprias mãos até seus olhos caírem em mim e a intensidade deles me deixou nervosa.

— M-mais calma? — Perguntei gaguejando vergonhosamente. — Entendo que você fique preocupada mas já passou, eu estou bem e é isso que importa, não é? — Taehyun concordou lentamente com a cabeça, acho que ela também ficou afetada com o que aconteceu à alguns minutos atrás.

— Sim, você está certa... Eu acho que... Hum... — Ela se movimentou devagar e franziu o cenho ainda murmurando. — Certo, você está certa. Mas agora vá se arrumar. — A voz dela voltou a ser firme e ela se sentou no sofá, agora já em seu estado normal.

— Me arrumar pra quê? 

— Vamos dar uma volta, não estou com vontade de ficar em casa. — Taehyun respondeu simples, tirando seu casaco e levantando um pouco as mangas da camisa.

— E você perguntou se eu quero sair de casa? — Parei em frente à ela com os braços cruzados.

A mulher sorriu de lado e se encostou no sofá. — Não, mas você não dispensaria minha ilustre companhia em uma caminhada, dispensaria? — Seu tom era provocativo e me fez bufar, coisa que causou uma risada da parte da morena.

— A questão não é dispensar, Taehyun, a questão é que eu prefiro ficar em casa. — Fiquei esperando que ela mudasse de ideia, mas isso não aconteceu.

— Por favor, Fany. — Ela pediu baixinho na intenção de me desarmar e eu bufei novamente me sentindo derrotada.

— Tá, tá eu vou. — Falei irritada enquanto ia em direção ao meu quarto, não queria ver o sorriso vitorioso no rosto de Taehyun.

 

----------------

 

Nós começamos a caminhar pelos arredores sem um destino certo. De fato eu preferia ficar em casa, no meu sofá, mas não é como se nossa caminhada estivesse sendo ruim.

Encarei Taehyun ao meu lado e me deixei prestar atenção em seus detalhes, ela usava seu óculos escuro, a camisa com as mangas um pouco dobradas, a expressão séria e os cabelos escuros agora mais arrumados. Ao olhar para seu cabelo uma dúvida me atingiu.

— Eu sei que sou linda, não precisa me encarar desse jeito. — Falou convencida, sem desviar seu olhar da rua.

— Taehyun, por que você não está loira? — Taehyun parou no meio do caminho e dirigiu seu olhar para mim. Ela suspirou pesadamente antes de voltar a andar ao meu lado.

— Dividir o mesmo corpo com outra pessoa tem seus efeitos. — Ela começou, com desgosto na voz. — Às vezes quando eu acordo eu estou morena ao invés de loira. Antes eu odiava quando isso acontecia, mas agora eu já estou acostumada. — Continuou, dando de ombros no fim de sua fala.

Então isso não era algo raro de acontecer?

— Seus olhos podem mudar de cor também? — Recebi um aceno positivo da morena.

— É mais difícil de acontecer, mas quando acontece... — Seu tom de voz abaixou lentamente e ela negou com a cabeça. — Tiffany, você gosta de mim? 

Me assustei com a brusca mudança de assunto, e principalmente com a pergunta que me foi feita.

— Como assim, Taehyun? Por que mudou de assunto? 

— Me responda. — Ela ignorou minha pergunta e eu fiquei ainda mais confusa.

— Eu... Gosto de você, mas o que isso tem a ver? — Me perguntei em que sentido ela entendeu minha resposta, mas nem tive tempo de perguntar algo para ela.

Taehyun pegou minha mão subtamente quando fomos atravessar à rua. Já do outro lado ela não soltou minha mão, até mesmo deu um aperto.

— Ótimo, então isso significa que você vai me escolher. — Taehyun começou a caminhar e me puxar junto.

Espera, escolher ela?

— Do que você está falando, Taehyun?

— Você precisa me escolher, e eu espero que você faça isso mesmo. — Fui ignorada novamente.

— Taehyun! — Parei nossa caminhada. Eu estava indignada com minhas perguntas sendo constantemente ignoradas por ela. — Será que tem como você parar de me confundir e responder minha pergunta?

— Só tenha em mente que você só pode ter uma de nós duas, e a decisão está em suas mãos. — Ela não esperou eu me recuperar após sua fala e foi logo me puxando para caminhar novamente.

Fiquei perturbada com o que Taehyun me disse, não consegui conter a pontinha de medo em meu coração com suas afirmações soltas e a falta de respostas para as minhas perguntas. E pelo visto, ela não estava disposta a responder nenhuma das minhas perguntas, então eu teria que lidar com isso sozinha, pelo menos por agora. Depois de vários minutos caminhando em silêncio nós começamos a andar de volta para minha casa.

— Deixei meu casaco no seu sofá, pode trazê-lo pra mim? — Taehyun me perguntou quando chegamos em frente à minha casa.

— Claro. — Vi ela tirando o celular do bolso da calça e começar a digitar freneticamente quando me afastei.

Peguei o casaco da morena assim que cheguei em minha sala e voltei para à frente de minha casa para entregá-lo. Vi ela ainda mexendo no celular concentrada, tanto que ela nem percebeu minha aproximação.

— Aqui está. — Estendi o casaco para Taehyun e ela guardou o celular antes de olhar pra mim.

— Obrigado. — Nos encaramos por alguns segundos em um silêncio confortável. — Gostei de ter caminhado com você, espero que tenha gostado também.

— Gostei sim. — Respondi e voltamos a ficar em silêncio.

Taehyun se aproximou lentamente e me impressionou quando enlaçou seus braços em minha cintura me puxando para um abraço. Suspirei confortável naquele aperto.

— Até outro dia. — A morena falou assim que se afastou de mim. 

— Até outro dia. — Respondi e vi ela se afastar.

Fui em direção à porta da minha casa e assim que coloquei minha mão na maçaneta, fui parada por uma mão em meu ombro. Me virei e encontrei Taehyun.

— Desculpe-me por isso. — Não entendi o pedido de desculpas e quando ia me pronunciar, fui interrompida.

Taehyun me puxou pela cintura e conectou sua boca com a minha, me deixando paralisada. Me assustei em um primeiro momento mas cedi tão rápido ao contato que fiquei surpresa comigo mesma. Seus lábios fizeram uma leve pressão sobre os meus e eu tive o prazer de sentir a maciez dos lábios da mais baixa e sua mão em minha bochecha.

Para a minha frustração, Taehyun não prolongou o contato o suficiente para aprofundarmos o beijo e após um selinho em meu lábios ela se afastou e mordeu o lábio inferior levemente, antes de dar um beijo e minha bochecha e sair sem falar nada. 

Fiquei parada observando seu corpo se afastando, ainda tentando processar o que tinha acontecido. A sensação dos lábios de Taehyun ainda se fazia presente em minha boca me deixando atordoada, principalmente pelo desejo que cresceu dentro de mim após tal ato da morena.

Entrei com dificuldades em minha casa, sem conseguir pensar com clareza e me joguei em meu sofá de qualquer jeito.

Ela ainda vai me deixar louca. 

 

 


Notas Finais


E que comecem os jogos!
Até a próxima att, bye bye


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...