História Thundercats 2011 Segunda Temporada. - Capítulo 28


Escrita por: e Aila010

Postado
Categorias ThunderCats
Tags Lion O, Segunda Temporada, Thundercats, Tygra
Visualizações 11
Palavras 5.215
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shounen, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oieeeee :3

Eu sinto muito, mas provavelmente vocês vão me odiar depois desse capítulo, pois tem tudo o que um fã de Thundercats não gosta. So sorry okay? Espero realmente que gostem.

Capítulo 28 - A Joia do Mundo. - Parte lll: Eu Te Amo.


O que antes era uma cidade magica e lendária agora não passava de um  campo de guerra mortal, onde os Thundercats e os Lunatacks enfrentavam-se em um confronto surreal. Obviamente, o general Panthro enfrentava Amok, trocando poderosos socos contra o demônio troglodita. Aquela besta era simplesmente muito poderosa, com um concentrado golpe o mandou voando por vários metros, afastando-o da confusão. Ao se levantar, ele viu Pumyra andando em sua direção.

- Aaauch... aquele cara parece ficar mais forte a cada golpe que dou.. E você garota, tá legal?

- Panthro, nós vamos perder...

- Perder? Do que está falando? Mexe esse traseiro e me ajude a pegar aquele desgraçado.

- Eles são deuses, são mais poderosos que nós e estão em maior número. Precisamos de ajuda...  só há uma forma de nos salvar agora...

 Subitamente, a puma saca sua faca para afrontar Panthro, tentando atacá-lo vezes seguidas, deixando-o perplexo.

- O que você está fazendo?! Perdeu a cabeça, mulher!

- É a unica forma, sinto muito!

- Sua traidora! Foi um erro não termos levado você para a Dimensão Penal— ARGH!

Com sucesso, ela consegue enfiar sua navalha no ombro do general. Su corpo ficava gradativamente mais lento e dormente, sua visão estava mais embaçada e suas pálpebras, pesadas. Ao cair no chão, ele parecia ver coisas surreais. Já não estava mais na câmara da Pedra da Alma, mas em baixo da água, debatendo-se para não se afogar, cercado por Spideras, morcegos gigantes e fantasmas, todas as coisas das quais tinha medo. Mas nada se comparava ao terror de ver a Morte Branca, andando para longe, com Garou a seguindo sem remorso.

- G-Gaarou! M-Me ajude!

- Vamos, meu filho, temos muito trabalho para fazer. Primeiro os Thundercats, depois... a Terceira Terra.

- Sim, mãe... HEH.

- GAAAROOOU!!!

Evidentemente, nada daquilo era realidade. Panthro estava deitado no chão, desmaiado, falando inconscientemente enquanto Pumyra o arrastava.

Lion-O, Lorde dos Thundercats, e Tygra, príncipe da realeza, irmãos, lutavam lado a lado contra Mumm-Ra, o Ser de Vida Eterna. Agora, com os novos poderes de Tygra, os Thundercats estavam mais poderosos do que nunca, e aquela poderia ser a chance de acabar com a guerra de uma vez por todas. No meio do campo de batalha, Cheetara observa seu amado construindo formas de aura mágica sombria com seus poderes, e não sabia o que pensar, estava assombrada com tanta magia negra fluindo de uma só vez. Logo ela acorda para a realidade e se dirige a seus companheiros para ajudá-los.

- Vamos acabar com isso de uma vez, Mumm-Ra! Você vai pagar pela morte de Claudus!

- Hahah ficou corajoso porque conseguiu algumas habilidades novas? Isso não é nada comparado ao que posso fazer, tigre!

O príncipe começa a se concentrar, e usa sua aura para formar inúmeras flechas voadoras, que acertam Mumm-Ra por vários ângulos enquanto  este tenta fugir, voando pelos céus. Todavia, ele não contava que uma dessas flechas era uma miragem, que se revelou ser Lion-O, acertando-o com um golpe de sua espada que o manda para o chão. Mal pôde levantar-se, teve seus braços agarrados por mãos gigantes criadas pelo tigre. Quando separados, podiam ser facilmente derrotados, mas como uma dupla eram imparáveis. Com seu alvo na mira, o rei corre em sua direção para finalizar o lorde das trevas com sua lâmina reluzente. Antes que consumasse o ato, seu imigo tinha uma carta na manga e simplesmente desaparece, e em seu lugar aparece Tygra, que conseguiu desviar a tempo para não ser perfurado pelo golpe de seu próprio irmão.

- Wow! Cuidado aí, Lion-O.

- E-Ele sumiu?! Como?!

- Acho que ele pode se teletransportar. Cadê ele?

- BEM AQUI! 

Vindo de cima, Mumm-Ra realiza um ataque surpresa, emanando raios sombrios que acertam Lion-O e Tygra, conseguindo derrubá-los . O golpe foi tão poderoso que apagou o jovem leão, deixando-lhe ferimentos severos. O outro em vão tenta ficar em pé, impotente, enquanto observava o sacerdote em sua frente.

- Tenho que admitir, estou impressionado Tygra. De alguma forma, os Antigos Espíritos do Mal lhe presentearam com poderes inimagináveis. Isso me leva a crer... que talvez não sejamos tão diferentes assim.

- Calado! Eu jamais serei como você, e vou usar este poder para vingar a morte de meus pais, tanto Claudus quanto Javan!

- Por que acha que eu busco o poder das pedras, para me divertir? Cada uma delas é um arquétipo físico da realidade em si para intervir no Cosmo quando necessário. Ainda hoje, apenas uma minúscula fração do poder destas pedras foi explorado. Quando eu aprender a usar todo o seu poder de forma plena, poderei reconstruir o Universo minha imagem!

- E por que eu deixaria isso acontecer?

- Você quer um mundo onde aqueles que você amam estarão a salvo? Eu posso fazer isso! Um mundo sem guerras, sem caos, onde as regras devem ser respeitadas... um mundo perfeito!? Para fazer isso, é preciso que o antigo caia. Junte-se a mim, Tygra! E  mostrar-lhe-ei o que posso fazer a você e a Terceira Terra.

- E o que pretende? Me matar com suas histórias?!

- Matar não... mas posso trazer de volta à vida. Diga-me... quem são as pessoas das quais você sente falta?

- Do que está falando?

- Com as quatro Pedras do Poder e a força dos Antigos Espíritos, eu serei Todo Poderoso! Eu trouxe Pumyra de volta, posso trazer, talvez... seu pai? Ou.. sua MÃE? Melhor ainda, os dois! 

- V-Você... está mentindo! Não vou cair nessa babozeira.

- De maneira nenhuma! Você viu do que sou capaz...

- Mumm-Ra!

Ao olharem para o alto viram Pumyra, de pé bravamente sobre um monte de escombros destruídos.

- Pumyra... tenho assuntos a tratar com você, traidora...

- Eu nunca fui sua serva! Minha lealdade pertence a meu rei e somente ele!

- E o que pensa que vai fazer? atirar um desses seus gravetos em mim?

- Gravetos? Não... mas eu tenho AMIGOS!

Para a surpresa de Mumm-Ra, uma forte explosão ocorreu na entrada do local, espantando a todos. Para a sorte dos Thundercats, quem avistaram atravessando a entrada era Mandora, e ela não estava sozinha. Ao seu lado estavam o deus da guerra Hachiman, acompanhado de uma misteriosa mulher humana cercada por homens que empunhavam katanas e trajavam armaduras azuladas com detalhes negros, além de Leah, Bengali e sua filha Khaila, liderando um esquadrão de tigres brancos junto a Yeti e seus fiéis companheiros Snowmeow e Snowroar. Para finalizar, do grande buraco feito por Mumm-Ra em sua chegada, surgiram homens descendo em cordas, perigosos bucaneiros sob o comando do terrível Capitão Cracker e Pahria, sua quartel mestre.

- Saudações, cabelo de labareda! - saúda Cracker, pegando Lion-O pelo braço e o levantando.

- C-Cracker... o que você...

- Achou que ia se livrar de mim tão fácil, Heh? Marujos... CORTEM A GARGANTA DESSAS ABERRAÇÕES!

- Mumm-Ra, eu sou Mandora, a caçadora do Mal! Você está preso por terrorismo, genocídio, incitação ao ódio e conquista!

- Mas o quê? O que está acontecendo?! Quem são esses Mumm-Ra?! - pergunta Luna, preocupada.

- Vocês brincam de ser deuses, mas são apenas demônios malignos e traiçoeiros. Eu sou a Imperatriz Himiko, autoridade máxima do Império de Nihon. Meus queridos guerreiros tiveram suas vidas tomadas de forma desumana e impropria... e eu lhes trarei justiça DIVINA! - afirma a mulher humana de longos cabelos negros e amarrados, que trajava um longo e esbelto manto branco com desenhos de flores vermelhas.

- Hahaha acha que é uma deusa, bonitinha?! Sinta a verdadeira punição divina! 

Luna voa a toda velocidade para cima da dama com suas mãos flamejantes e intenções assassinas, mas ela não contava que humana começasse a voar magicamente, elevando-se para o alto e elevando suas mãos ao céu. Num instante, um poderoso relâmpago atinge a deusa, que cai atordoada.

- Guarda do Trovão, juntos... pela HONRA!

- SHAAAAAAAAAA!!!!

- Tigres Brancos, HOOOOOO!!! - exclama Bengali, avançando com seu imponente martelo cromado.

Enquanto estavam todos ocupados com a batalha, Pandora corre em direção a Panthro e lhe aplica uma injeção com um antídoto. Ele rapidamente acorda desesperado e berrando, abandonando seu um terrível pesadelo.

- AAAAAAAHHH FILHO!!!

- Acalme-se homem! Está tudo bem!

- M-M-Mandora?! Temos que avisar Lion-O, a Pumyra...

- A Pumyra me enviou aqui para aplicar isto. - responde, mostrando-lhe a seringa usada. - Ela usou o veneno de Safari Joe para “matar” você. Eu recebi o alerta de seus sinais vitais e trouxe o antídoto que foi usado em Willykat. Venha, vamos mostrar a eles o que acontece quando quebram as leis!

No meio do embate, Pumyra percorre toda a confusão, driblando todos em seu caminho até chegar a um lugar mais afastado, onde estava Lion-O, se recuperando, encostado numa pedra. Ela vai a seu encontro para socorrê-lo.

- Lion-O, você está bem?!

- P-Pumyra... estou melhor, agora que você está aqui. Aquele golpe... me acertou em cheio. Meu corpo todo dói.

- Não se preocupe, a ajuda chegou. - afirma, apontando para o campo de batalha.

Ao olhar para a direção indicada, o Lorde dos Thundercats fica emocionado com o que contemplava. Quase todos os aliados que fizeram desde que pisaram os pés no Continente Norte, unidos, lutando por um bem maior, pelo FUTURO da Terceira Terra.

- Acha que pode continuar?

- Sim, só me dê um segundo,

- Às suas ordens, meu rei.

- Heh, com formalidades numa hora dessas... você não existe, sabia? Vamos, temos que salvar nosso mundo!

- Lion-O, espera... - lea o pega pelo pulso, impedindo-o por um instante. - se alguma coisa acontecer agora.. e-eu quero que saiba que eu... eu amo.....

Por um segundo, por um único segundo, Pumyra hesitou em suas palavras ao perceber que por trás  seu rei, havia o golpe que destruiria tudo pelo qual lutaram até ali. A Morte Branca, com um sorriso tenebroso e aqueles malditos olhos amarelos, consumaria o seu desejo de vingança ao clã dos leões, eliminando um de seu último membro e extinguindo a realeza. Ao captar aquilo, seu corpo reagiu por conta própria, jogando Lion-O para o lado. Quando este olha para sua amada, seus olhos se arregalam com tal cena: o corpo de Pumyra sendo perfurado, nem mesmo por uma arma, mas por mãos nuas e frias, as mãos da Morte. Antes que ela pudesse cair, Lion-O se levantou e arrojou para pegá-la docilmente.

- Tsc! Maldição! Mulher tola! 

- P-Pumyra? PUMYRA! N-Não... isso não pode estar acontecendo... i-isso não...

- L-Lion...

- Pumyra, aguenta firme! E-Eu posso te salvar! Eu posso, eu só preciso usar a Pedra do Espírito! Vamos, funciona! Funciona! ME AJUDA! - grita, falando com o artefato para que pudesse fazer algo, sem êxito.

- M-Meu peito... tá... doendo.

- Pumyra! fica acordada, a ajuda vai chegar! Alguém está vindo, eu...

- Meu rei, eu queria te dizer antes... eu... eu TE AMO. 

- Eu te amo! Eu também te amo... 

Seus olhos estavam abertos, mas ele sentiu a vida abandonado a carne, e seus olhos lacrimejavam em abundância, ainda mais ao ver um sorriso em seu belo rosto, o sorriso que sempre admirava quando ela lhe via e o confortava nas situações mais calamitosas para reerguê-lo, e que agora jamais veria novamente. Todos os bons momentos que tiveram juntos, todas as conversas que tiveram, os olhares que trocaram, os momentos que compartilharam e a paz que alcançaram juntos passaram pela sua mente por um breve momento. Agora, a única coisa na qual pensava era em VINGANÇA.

- S-SEU MONSTRO!!! 

Num ataque de raiva, Lion-O puxa a Espada Justiceira para si e liberta toda sua fúria, focando-a em um único alvo. Não importa o quanto tentasse, todos os seus ataques cortantes não chegavam a tocá-la uma vez sequer. Usando a pedra espiritual, ele levita várias pedras ao sei redor, as usa para cercar a razão de seu ódio a esmagá-la como um inseto, por todos os ângulos, mas ela desvia com incríveis acrobacias até se aproximar o suficiente para dominá-lo em curta distância, desarmando-o da Espada Justiceira.

- Você deveria estar satisfeito por ela ter uma morte honrada, muito diferente da última... quando VOCÊ a deixou para morrer.

- Por quê? Por que está fazendo do isso?!

- Você acha que está do lado certo? Que tudo é preto no branco?! Se existe alguém que vai tornar este mundo um lugar melhor, não será você.

- Será, mas não sozinho!

Cheetara surge correndo em sua direção e pulando em cima dela, rolando com ela pelo chão e em seguida usando este impulso para jogá-la para longe e afastá-la. 

- Hahah você acha pode se opor a mim? Eu poderia derrotar TRINTA clérigos como você sem me preocupar!

- Mas você não pode derrotar TODOS NÓS.

Ali mesmo, cercando o monarca caído, todos os Thundercats apareceram para responder ao seu chamado. Cheetara, Tygra, Panthro, Garou, Bengali e Khaila.

- Vamos bater em retirada! - grita Mumm-Ra convocando seus aliados e decolando para os céus rapidamente.

- Vamos recuar? Somos Lunatacks, não fugimos de uma luta! 

- Isto não é fugir, Luna, é evitar riscos desnecessários. Já temos o que viemos buscar, e será questão de tempo até que toda a Terceira Terra esteja sob nosso controle!

Todos tentaram impedi-los de escaparem, mas foram totalmente em vão, conseguiram fugir pelo grande buraco do teto que haviam feito. Ao olharem, para a Morte Branca, a qual encurralaram, ela já não estava mais lá, como se tivesse desaparecido sem deixar rastros, como o vento que apaga as pegadas. Aquela havia sido a luta mais intensa que os Thundercats já tiveram, houveram dezenas de baixas. Ao jovem Lion-O não restava mais nada fazer, se não chorar pela mulher que mais amou em sua vida, agora morta mais uma vez por sua culpa. 

Depois de dias de viajem, todos foram para aldeia das Donzelas Guerreiras, que receberam a todos com impressionante zelo, sentidas pela perda de uma guerreira valiosa, cujo plano foi essencial para a derrota de Safari Joe. Willa fizera questão de enterrá-la próxima à Árvore da Vida, e Cheetara conhecia o lugar perfeito para tal, exatamente no lugar onde teve sua vida salva pelo seu general, de podia contemplar toda a riqueza e diversidade  do Reino da Grande Mãe. Como tradição das Donzelas Guerreiras, era normal que seu corpo não fosse coberto apenas de Terra, como também de flores e folhas de diversas espécies de fauna diferentes, colocadas ali por cada um que expressara gratidão e despedida. O último de todos a homenageá-la foi o seu amante, que não sabia como fazer aquilo diante de todos. Naquele momento, Garou o abordara.

- Lion-O... o que vai colocar no túmulo dela?

- Eu não sei... não faço ideia. Não tenho uma boa experiência com isso...

- Pois bem, se quiser, ponha esta. - o filho de Panthro o mostra uma flor branca, levemente rosada, de formato similar a labaredas de fogo. - esta é uma Flor de Lótus. É uma flor aquática cuja semente germina de baixo da lama, e sua flor cresce subindo até a superfície de um lago todos os dias. Em muitas culturas antigas, está flor representa a superação, amor, compaixão e a elevação da mente, corpo e espírito. Espero você goste, pois ela é... sabe... branca.

- Não... é perfeita. Obrigado, amigo.

- Cidadãos de toda a Terceira Terra, estamos aqui todos reunidos para lamentar a perda de uma grande mulher, que completou a sua jornada pelo ciclo da vida. Que seu corpo se torne uno com a Terceira Terra, e que sua alma repouse em paz.

Lion-O gentilmente coloca a flor ao lado de todas as outras, ajoelha-se e pede aos deuses que cuidassem se sua amada, onde quer que estivesse, ato esse também repetido por seu irmão, que o abraça para consolá-lo, compartilhando de sua dor, mostrando-lhe tamanho carinho como nunca havia antes. Reunidos no centro do acampamento, em plena madrugada, o grupo conta em detalhes o que havia acontecido para os demais, ainda não cientes de todos os acontecimentos, rodeando uma grande fogueira.

-... e logo depois, vocês chegaram para nos salvar. - conclui Tygra.

- Aquele filho duma...

- Capitão Cracker, a boca... 

- Eeehhh... aquele salafrário!

- Eu sinto muito pela perda desta gata. Que os deuses acolham sua alma. - comenta a rainha de Nihon, lastimada.

- Eu mesmo tive minhas dúvidas... mas ela era uma grande felina. Foi uma honra lutar ao lado dela. - acrescenta Panthro, redimido pelo seu julgamento precipitado e brindando em seu nome com todos que com ele bebiam.

- Onde está o nosso rei? Não o vi na fogueira conosco. - observa Leah, não o vendo em lugar algum.

- Tygra foi procurá-lo. Nessas horas, Lion-O precisa dele mais do que nunca.

- Como a Morte Branca ela fez aquilo? Sumiu na nossa frente sem que notássemos! - exclama Bengali, inconformado.

- Ela é uma mestra da evasão, pode se mover de forma rápida e silenciosa. Uma técnica milenar usada por antigos mercenários de Nihon conhecidos como “shinobi”. - explica Garou, que conhecia os métodos sujos de sua mãe.

- Odeio esta raça de cretinos sem honra... - diz Hachiman, enojado de ter de recordar aqueles indivíduos.

- Você e sua mãe me dão medo, se me permite dizer.

- Tygra, querido... não é a hora...

-  Mas é verdade que ele poderia tê-la impedido!

- Tygra...

- Ei! Quem você pensa que é pra falar assim dele? - Pahria se exalta, levantando bruscamente.

- Ele está certo Pahria. Eu devia ter procurado minha mãe assim que a confusão começou. Eu tenho culpa no cartório...

- Não importa de quem é a culpa agora. Mumm-Ra tem duas Pedras do Poder e o maior exército da Terceira Terra. Apenas nosso rei pode usar as pedras para equilibrar o jogo. - pondera o general caolho.

- Você pode dizer isso, Senhor Panthro, mas Lion-O não sabe como usar o poder dessas pedras. Já Mumm-Ra segue vivo por milênios,  ele certamente está fora de alcance no momento. - replica Khaila, preocupada com a situação atual.

- Não subestimem aquele leão. Ele foi capaz de se adaptar ao meu estilo de luta em questão de segundos, e isso deveria ser impossível para alguém normal. Ele tem um talento notável.  - evidencia Hachiman.

- Espero que esteja certo, meu Samurai. Amanhã voltaremos para Nihon para fortificar nossas defesas. Você deverá ficar com eles e ajudá-los. Agora, o Lorde dos Thundercats é o seu Senhor.

- Hai, Heika!

- Nós estamos perdendo esta guerra. Mais da metade do território do Continente Sul foi dominado, além de todo o Continente Leste. Mumm-Ra já possui meio planeta ao seus pés. Vou reunir todas as minhas Valquírias para enfrentar esta ameaça. Se me derem licença... e digam para o rei que eu sempre estarei lá para apoiar os Thundercats - declara Mandora, se retirando-se através de um de seus portais.

- Nós também vamos participar! - grita Mako, líder dos tubarões tigre, e seus compatriotas logo atrás. - somos uma raça guerreira que domina com maestria a arte do combate. Mumm-Ra e a mulher branca pagarão por terem nos levado El-Dara! Agora, porém, não sabemos para onde ir, vivemos por séculos dentro daquela dimensão, e agora não temos mais um lar... somos milhares de famílias desabrigadas.

- Vocês são um povo nobre. Eu abrirei as portas de Nihon para todos aqueles que necessitarem de um lar.

- E nós Tigres Brancos podemos pegar todas as famílias de Thunderianos que viviam em El-Dara. Eles se sentirão mais confortáveis próximos de rostos familiares. - decreta Khaila, como uma aptidão notável.

Depois daquela pequena reunião, todos se retiraram e se entocaram em seus devidos cômodos. Nunca o acampamento das Donzelas Guerreiras estava tão lotado como naquela noite.

Todos já deveriam estar dormindo depois de um dia tão traumatizante, mas os pequenos WillyKit e WillyKat estavam tão acesos como a luz do Sol. Eles estavam na beira de uma lagoa, repleta de vaga-lumes, atirando pedrinhas assim como na noite em que derrotaram Safari Joe. Eles também estavam abalados, pois o seu grande sonho, que era encontrar El-Dara, havia sido realizado, só não contavam com o fato de que a cidade desapareceria horas depois.

- Depois de tanto tempo tentando encontrar El-Dara, ela foi destruída... Isso não é justo! - berra Kat, absolutamente inconformado.

- Eu sei, mas nós conseguimos nossa família de volta,  não é?

- Sim, mas... e se Mumm-Ra atacar de novo? O que vamos fazer?!

- Bem... Lion-O e os outros vão nos ajudar. Agora que temos ainda mais aliados, sei que vamos conseguir virar o jogo.

- Mas Mumm-Ra está muito mais forte e também possui um exército só dele! Além disso, Cheetara e Tygra vão ter um filhote, Pumyra está morta e Lion-O passou por tanta coisa que... não sei se ele pode aguentar... os Thundercats podem acabar...

- Ei, ainda temos o Garou. Sempre podemos contar com ele. Ele é nosso melhor amigo... depois do Snarf.

- O que tem eu?

- KYAAAAAAA!!! - Ambos se assustam tanto que se arrepiaram por inteiro e  Kit escorregou e bateu a cabeça no chão.

- Aiaiaiii... Ei! Não pode sair por aí assustando os outros!

- O que vocês fazem aqui? Sua mãe está preocupada com vocês.

- É que... nós nos acostumamos a ficar sozinhos quando estamos tristes.

- Eu entendo. Vocês estão bem, ou querem que eu os deixe?

- Não, a gente... gosta da sua companhia. 

- Bem, obrigado Kit.

- Garou... O Lion-O vai ficar bem?! O que nós... vamos fazer agora?

- E-Eu não sei, Kit. Pelo que vocês me contaram, ele sofreu muito desde que Thundera caiu. Mas eu também sei que ele tem uma vontade indomável e já superou a própria morte, eu acredito que ele vai se reerguer em questão de tempo... Tygra e Bengali disseram que devemos nos reagrupar em Avista por hora. É lá onde está toda a força de resistência contra Mumm-Ra.

- Garou... eu quero te pedir um favor. - diz Kat, se levantando e o encarando com peito estufado. - você pode me treinar? Eu quero ficar mais forte!

- O quê? Já discutimos isso, Kat, não vou deixar você correr riscos desnecessários.

- Mas eu sou um Thumdercat também! Sempre que aparece alguém poderoso, temos que fugir e nos esconder, eu tô cansado disso! Quero ajudar o Lion-O, quero ajudar a resistência e proteger minha família! 

- Hmm... b-bem... vocês dois estão crescendo rápido, e a Terceira Terra está muito perigosa agora. Nessas condições... talvez seja a hora...

- E-Então... vamos começar nosso treinamento mesmo?!

- APENAS para que vocês se defendam e protejam a si mesmos e sua família.

- Legal!

- Quanto a você, Kit, precisa começar a ter controle sobre seus novos poderes. Graças a ele,  pudemos viver mais um dia. Essa força requer muita responsabilidade.

- Acha que posso dominar isso?! 

- Claro, tenha foco no que você deseja, e  assim conseguirá.  Se vocês aprenderem a ficar unidos, poderão sobreviver a qualquer coisa, e isso é prioridade, pois vocês são o futuro da Terceira Terra.

Após aquilo, a Senhora Willy finalmente os acha e se aproxima, estava procurando seus filhotes desesperadamente, o que era notável apenas pela sua respiração. Sem demora, elas se ajoelha e os abraça, os espremendo como purê.

- Crianças! Onde estavam?! Eu os procurei por toda a parte! 

- M-Mãe, estamos bem! Só não conseguíamos dormir. - responde Kat, tentando se libertar sem sucesso.

- Desculpem, é que eu... simplesmente não podia imaginar vocês longe de mim novamente.

- Isso não é necessário. Seus filhos são muito fortes e até já salvaram minha vida.

- Vocês não fizeram alguma maluquice, não é? Não estão pensando em fugir de novo?!

- Não mamãe!

- Hehe, eu sei, só estava brincando. Agora deveriam dormir, já está muito tarde para dois gatinhos ficarem fora da cama.

- Tá, estamos indo... espera! Valeu, Garou. - diz Kat, dando meia volta e abraçando seu amigo branco junto de sua irmã, em seguida indo embora para perto de seus irmãos, para que pudessem finalmente descansar depois daquele longo dia.

- Ufa! Não é fácil ser mãe.

- Imagino como é. Boa sorte com esses aí, vai precisar.

- Parece que você e eles são bem amigos.

- Bem. Eu sou o mais novo do grupo, mas percebi que eles não recebiam a devida atenção, os outros não tem paciência para cuidar de crianças. Eu sei como é... ter uma infância difícil. Eu apenas os trato da maneira como eu gostaria de ter sido criado.

- Imagino, não sei como uma mãe pode ser capaz de atacar seu próprio filho. Aquela mulher é louca, sinto muito por isso. De toda a forma, muito obrigada por olhar meus bebês... Garou, não é? - responde, dando-lhe um beijo na bochecha e seguindo seus filhotes*

Enquanto isso, Tygra e Cheetara estavam em sua cabana, onde foram alocados por Nayda, deitados lado a lado em um colchão feito com palha e tecidos. Ele estava acordado, olhando para o teto, pensativo em todas as coisas que Mumm-Ra havia lhe dito, palavras que apenas ele escutara, palavras que poderiam ser traiçoeiras, mas que poderiam também ser verdade. 

- Por que não está dormindo? - pergunta Cheetara, que o via desperto.

- Só estou pensando no que aconteceu hoje. Nós perdemos...

- Eu sei. Eu estou muito preocupada com o futuro do nosso filhote.

- Agora, nossa única opção é ganhar, Cheetara, custe o que custar.

- Você não me parece muito abalado...

- Mesmo com Mumm-Ra ganhando sobre nós, ainda temos uma chance de concertar tudo. Eu sei que temos. É um salto de fé, mas é melhor do que nada.

- E o que seria?

- Apenas uma ideia, por enquanto. Mas se for necessário, pode ser nossa única saída. 

- Hmmm... eu também estou preocupada com você, Tygra.

- Comigo? Por quê?!

- Seus poderes... 

- Não vai escutar aquela sua sócia fajuta, vai? Qual é, eu não vou virar uma múmia e me prender em uma pirâmide.

- Hahah não seja bobo. Mas existe alguma relação entre seus... poderes... e a magia negra, e precisamos ficar atentos. 

- Não se preocupe, está tudo sob controle, ainda mais agora que posso proteger nosso filhote. Apenas durma e descanse, você deve repousar direito.

Naquela noite, sozinho, Lion-O apreciava a luz das luas do alto de um grande galho da Árvore da Vida, de onde tinha visão de todo o Reino da Grande Mãe, incluindo o acampamento onde estavam, apenas com a companhia do leal Snarf. Mais uma vez, sua derrota perante Mumm-Ra foi evidente, ele não sabia o que fazer.  Infeliz não possuía apenas duas Pedras do Poder, como também uma ordem de mercenários de elite e um exército quase infindável de lagartos, além de um continente inteiro em sua posse, e claro, também não esqueceu-se de Lynx-O, que ainda estava preso. Obviamente, não foi uma derrota plena, pois agora eles haviam conseguido mais aliados na luta contra Mumm-Ra, porém nada daquilo importava agora, tudo o que preenchia seu coração era o ódio, a solidão e a culpa. Ele não queria admitir, mas seu irmão estava certo o tempo todo. Se eles não tivessem corrido atrás das pedras, elas nunca teriam sido achadas, e muito menos estariam nas mãos do inimigo, não teriam corrido tantos riscos e passado por tanto sofrimento, Pumyra talvez ainda estivesse viva. Depois de tanto esforço e dedicação, tanto suor e sangue derramados, aquilo tudo aparentava ter sido em vão, sem significado. Poderia ocorrer de a Espada Justiceira o ter escolhido erroneamente?

 Quando fechou seus tudo o que queria era apagar e nunca mais acordar, não teria de arcar com tantos dilemas e frustrações. Todavia, quando os abriu ,ele já não estava mais na Árvore da Vida. Tudo ao seu redor era sombrio, escuro, como uma caverna sem luz e sem fim, com exceção do céu, que parecia aberto e possuía incontáveis brilhos similares a estrelas. Como havia chegado ali? Checando o seus arredores, não encontrava nada, uma saída sequer, mas surpreendeu-se ao encontrar o rosto de um velho amigo: Jaga.

- Saudações, meu rei.

- J-Jaga?! C-Como... onde estamos?!

- Estamos no Plano Astral, Lion-O. Sua alma foi trazida pela Pedra do Espírito.

- Tsc! Essa porcaria nunca funciona direito.

- Não diga isso, esta pedra é uma relíquia sagrada de um mundo distante que já auxiliou inúmeras pessoas.

- É, e muitos derramaram sangue por ela também. Seria melhor se essas coisas não existissem.

- Eu entendo que se sinta assim agora, Lion-O... mas ainda não é o fim. Ainda há uma chance de salvar a Terceira Terra.

- Como?! Aquele maldito tem poder quase ilimitado, além de deuses ao seu dispor! A medida que ficamos mais fracos, eles ficam mais fortes!

- Aquelas criaturas provém das luas que orbitam nosso mundo, que há muito tempo eram um lugar repleto de vida. Como sua gravidade é maior, eles evoluíram e adquiriram proezas e habilidades como nenhum ser vivo, mas é errôneo chamá-los de deuses.

- Não importa o que são, não conseguimos derrotá-los! E eu pensava que os generais de Mumm-Ra eram perigosos, os Lunatacks são implacáveis! Se eu fosse mais forte... se eu fosse um rei de verdade, nada disso teria acontecido...

- Então por que não vira um rei de verdade?

- Do que está falando?

- Você possui poder, Lion-O, tem a Espada Justiceira, a Pedra do Espírito, o Livro dos Presságios e um exército... Além disso, você adquiriu experiência em sua jornada...  Da última vez que vi você, era apenas um garoto, e hoje tornou-se um homem. Agora... está na hora de virar um verdadeiro rei.

- Como se fosse fácil, ainda mais na situação em que estamos! Eu deveria abdicar do trono, provavelmente Tygra seria um líder melhor do que eu...

- Então por que não entrega a Espada e a coroa? Nada o impede, correto?

- B-Bem, eu... e-eu...

- Você não vai largá-los, porque no fundo sabe que é um líder capaz, mais do que Tygra ou qualquer outro.

- E como eu me tornaria um rei de verdade? Eu já não tenho experiência suficiente?

- Você não escutou nada do que eu disse?  O que lhe falta para ser um rei? Você tem o coração e a determinação de um... mas lhe falta algo crucial agora. 

- E o que seria?!

- Veja a Morte Branca, ela é capaz de liderar um exército das sombras e espalhar o caos pela Terceira Terra sem o uso de armas, poder, magia... tudo o que precisa é de sua mente. Não se lembra quando derrotou Hachiman? Sua espada era superior, mas você avançou sem técnica e precisão, e ele poderia tê-lo matado. E Safari Joe conseguiu capturar todos os seus amigos através da estratégia e do estudo sozinho.

- Então eu preciso... ficar mais forte? Isso não é... óbvio?

- Você precisa compensar a força com precisão, a pressa com a paciência. Você deve aprender a perdoar a si mesmo e buscar o refinamento físico, mental e espiritual. Pegue o Livro dos Presságios. É lá onde seu treinamento começará... e só o tempo dirá quando você estará pronto.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 


Notas Finais


* Quem ai for pervertido não vai achando gracinha não!

O próximo capitulo será: O Nascimento do Rei.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...