1. Spirit Fanfics >
  2. Thunder's Daughter - Filha do Trovão >
  3. Capítulo 27: Poder de fogo

História Thunder's Daughter - Filha do Trovão - Capítulo 27


Escrita por:


Capítulo 27 - Capítulo 27: Poder de fogo


Anny Narrando:

As férias finalmente haviam chegado, estava em casa como todas férias, apenas lendo um ótimo livro. Também estava de férias da livraria, pois a senhora Johnson foi conhecer seu netinho que nasceu em Atlanta, quase todo dia falava dele e mostrava-me fotos. Ele é muito fofinho.

Estava super ansiosa para ir ao nosso passeio para a Universal, mas seria apenas no final das férias, então iria demorar muito. Evitei ao máximo falar com o Peter ou olhar para ele após aquele selinho que sem querer rolou entre nós.

Eu, Mj, Peter e Ned tínhamos conseguido passar nas matérias sem nenhuma dificuldade, não ficamos de recuperação. Eu já estava vendo algumas coisas sobre Oxford, se eu ficaria no alojamento ou não. Eu precisava manter as minhas notas azuis como estão, aí sim eu teria uma grande chance de conseguir uma bolsa.

Ainda não sei o que fazer, química? Gosto, mas não é muito o meu forte. Física? De jeito nenhum, não sou muito fã, mas dou-me bem, isso é mais para o Peter. Preciso achar algo que eu goste, tenho apenas um semestre para achar o meu curso ideal.

O tédio sempre reinava nas minhas férias, mas esse ano minha avó tinha uma surpresa que ela estava conseguindo guardar muito bem, ela é ótima nisso e eu tinha ódio por isso, nunca conseguia descobrir as surpresas dela.

Estava lendo Assassinato no beco de Agatha Christie, amo as suas obras. Quando ouço o meu celular notificar que uma mensagem chegou, torço mentalmente que não seja do Peter.

Quando desbloqueio o meu celular, fico aliviada ao ver que era da MJ.

Sem coração:Hey

Me:O que foi?

Sem coração:Vem me encontrar naquela cafeteria que fica em frente a livraria.

Me:Vai pagar o meu lanche?

Sem coração:Deixa de ser interesseira.

Me:Se for assim, eu não vou. Sem grana, baby.

Bloqueio a tela do celular e volto a ler, sabia que ela não iria pagar o lanche para mim, às vezes ela é muito mão de vaca. Se ela fosse pagar era porque sentia minha falta ou queria contar-me algo.

Sem coração:Está bem, só vou pagar porque estou com saudades de você.

Eu:Eu sei que você me ama, já já vou para aí.

Ela apenas visualiza, levanto-me e fecho o livro, tomo um banho rápido e corro para o meu quarto, visto o estilo de roupa de sempre, aviso para minha avó que iria para a cafeteria.

Saio de casa e vou caminhando, quando estava aproximando-me, recebo uma mensagem da Mj novamente.

Sem coração:Vem logo, acho que a vadia da Watson tá aqui e colocou algo na minha bebida.

Sinto um mal pressentimento e corro em direção a cafeteria.

Mj Narrando:

Como estava morrendo de tédio em casa, decidi chamar a Anny para tomarmos algum capuccino na cafeteria que fica em frente a livraria que ela trabalha, o de lá é muito bom e sempre compro.

Estava querendo colocar os papos em dia, ela é uma ótima amiga e amo a nossa amizade que construimos.

Já havia feito o pedido, só faltava a Martini chegar, por incrível que pareça estava com saudades dela e dos meninos mas depois marco algo com eles.

Não sei por que mas quando olhei para a garçonete que me atendeu, achei ela bastante semelhante com a Valentina Watson, sim aquela que brigou com a Anny mas talvez seja algo da minha cabeça. O rosto era igualzinho mas o cabelo era castanho escuro.

Depois de ter bebido a metade da minha bebida, comecei a me sentir um pouco tonta, deixei o dinheiro na mesa e fui em direção ao banheiro. Peguei o meu celular e mandei uma mensagem para Anny com bastante dificuldade:

Me:Vem logo, acho que a vadia da Watson tá aqui e colocou algo na minha bebida.

Me seguro na pia com força e vejo uma pessoa entrar, era a tal garçonete mas dessa vez sem a peruca, forço a minha vista e vejo que era a Valentina, antes que eu fale algo tudo fica escuro e perco os sentidos.

Anny narrando:

Chego na cafeteria um pouco ofegante, entro e olho para as mesas mas nada de MJ, decido ir ao banheiro mas não a vejo apenas o seu celular no chão, pego ele e em seguida saio, passo pela cozinha e ouço algumas pessoas resmugarem mas logo chego na saída, era um beco sem muito movimento.

Olho para um lado e vejo nada, quando olho para o outro vejo Mj sendo arrastada por uma pessoa de cabelo ruivo, já até sabia quem era. Só podia ser a Valentina.

Caminho em direção a ela e grito:

- EI, PARA ONDE VOCÊ PENSA QUE VAI LEVAR A MINHA AMIGA? - Ela para e se vira lentamente.

- Anny, acho melhor você ir embora antes que as coisas fiquem feias pro seu lado.

- O que você vai fazer comigo? Puxar o meu cabelo? Eu não sou mega hair, só você que usa mesmo. - Falo em tom de sarcasmo.

Ela larga Mj no chão ainda desacordada, caminha em minha direção com bastante raiva, dava para ver em seu olhar mas seus olhos não estavam castanhos e sim vermelhos como se fossem fogo, olho para suas mãos e vejo que estavam com fogo, dou alguns passos para trás.

- Está com medo Anny? - O tom da sua voz foi bem sombrio, ela lança uma bola de fogo ao meu lado. - Você vai me pagar bem caro.

Na hora que ela ia me atingir com o fogo, consigo voar na hora mas com bastante dificuldade, não estava sabendo muito bem lidar com os meus poderes, vejo ela revirar os olhos, em seguida novamente lança o seu poder mas desvio.

Mas fico de boca aberta ao ver que ela também voa mas decido ficar no chão mesmo.

- Por que você não me deixa em paz? Por que tem tanta raiva de mim? - Disparo as perguntas nervosa. Eu não consigo entender, por que tanto ódio.

- Um dia você irá descobrir. - Ela se aproxima de mim com o seu poder de fogo, faço o mesmo com o meu, que acaba se chocando com o dela, batem de frente.

Tentava ao máximo colocar mais do meu poder mas eu não conseguia, o dela era mais forte que o meu mas eu não poderia me entregar tão fácil assim.

Estava aos poucos me sentindo fraca, o meu poder parecia que estava evaporando do meu corpo, até que o meu poder acaba, sou arremessada contra uma parede, ela se aproxima de mim em passos lentos.

Minha visão estava turva, sinto ela agarra o meu pescoço com bastante força, estava começando a ficar com falta de ar. Minha cabeça doía bastante.

- Você vai me pagar por tudo o que fez.

Vejo um vulto vermelho surgir do nada.

- Ei, solte ela. - Ouço uma voz que parecia ser a dele, do Peter.

Sinto o meu pescoço ser solto, consigo respirar com bastante dificuldade, antes do Peter se aproximar, acabo desmaiando.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...