História Tightrope - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias X-Men
Personagens Erik Lehnsherr (Magneto), Professor Charles Xavier
Tags Cherik, Colegial, Universo Alternativo, X-men
Visualizações 71
Palavras 1.784
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá, pessoinhas! ❤️ Após meu sumiço cá estou eu com mais um surto de inspiração!

Fanfic dedicada à minha maninha de todas as horas e parceira de drama, Ari, a qual sempre me acompanha nas ideias loucas de rp e que, além disso, me ajudou muito com a inspiração para essa fic!! ❤️

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction Tightrope - Capítulo 1 - Capítulo Único

"Some people long for a life that is simple and planned

Tied with a ribbon"

Charles caminhava pelos corredores vazios da escola se perguntando por quanto tempo ainda ficaria naquela vida monótona e triste. Os alunos perdidos pelos corredores, falando uns dos outros e o pior de tudo: julgando uns aos outros. “Somente os mais privilegiados podem estudar aqui.” - podia ouvir a voz do seu pai ecoar pelos corredores. Privilegiados? A única coisa que via ali era uma infinita guerra de egos e conversas banais de “casar-se com pessoas de alto nível” e “criar alianças entre algumas empresas através de namoros e amizades”.

Mas ele não queria isso. Talvez fosse este o motivo por se sentir tão sozinho. Ele não tinha com quem compartilhar suas ideias malucas sobre ser escritor ou sobre abandonar a empresa do pai para ser feliz em um lugar mais simples e mais tranquilo.

"Some people won't sail the sea 'cause they're safer on land

To follow what's written"

“Você não pode fugir do que é seu destino” - era o que Raven, uma das colegas de sala sempre dizia. Para ela não valia o risco abandonar o dinheiro e o status por aquilo que realmente a fazia ser feliz. Como resultado, ela se casaria com Azazel, um rapaz que sequer amava ou estimava, apenas pelo fato dele possuir tantas terras em seu nome, quando na verdade, ela seria mais feliz com Hank, o “bolsista” de quem ela realmente gostava.

Charles não entendia isso. Não conseguia compreender o que havia de errado com aquelas pessoas que temiam arriscar e abrir seus olhos para as coisas que realmente importavam. 

"But I follow you to the great unknown

Off to a world we call our own"

Foi quando, por um acaso do destino o conheceu. Erik Lehnsher, filho do concorrente de seu pai. De início, imaginou que ele o iria maltratar, dada aquela face severa, no entanto, aos poucos foi percebendo que, assim como a si mesmo, ele também estava cansado de toda aquela rotina doentia.

Tinham gostos parecidos, e sentiam que queriam a mesma coisa. A sintonia entre os dois era algo que Charles não sabia descrever sequer em seus livros. Era algo extremamente mágico e enebriante. Meses depois, e sob uma das árvores mais escondidas da escola, um beijo ali foi trocado e promessas começaram a surgir.

"Hand in my hand

And we promised to never let go

We're walking the tightrope"

Eles sabiam o quão aquele amor e aqueles planos eram arriscados, mas prometeram um ao outro que, por mais que fosse às escondidas, jamais quebrariam aquele laço que os unia. O plano de fugir juntos começou a borbulhar em suas mentes, e logo a maioridade nunca havia sido tão estimada.

Planos iniciados: logo as mesadas começaram a ser bem guardadas para a liberdade. Era só uma questão de tempo até que fossem livres das amarras e repreensões daquela sociedade maldita. 

Por mais árduo que aquele caminho estivesse se tornando, ambos não perdiam as esperanças, pois tinham um ao outro. Às escondidas, por mais que os choros surgissem, e as dores de uma vida falsa os machucasse, sabiam que tinham de manter o disfarce para não gerar desconfianças.

"High in the sky

We can see the whole world down below

We're walking the tightrope"

Naquela noite, observavam da sacada a explosão de fogos de artifício de Ano Novo. Era o primeiro que conseguiam passar juntos num pequeno quarto de hotel alugado. Com muito custo, enganaram os pais e estavam ali agora. Em pouco tempo, definitivamente mudariam para longe de tudo e todos. Era tudo uma questão de tempo. Apenas mais alguns meses.

"Never sure, never know how far we could fall

But it's all an adventure

That comes with a breathtaking view"

Erik não tinha aparecido durante o dia todo. Eles tinham combinado se encontrar e Charles temia que algo de muito ruim tivesse acontecido. Ou teria ele somente esquecido? Ligou várias vezes e mandou mensagens, mas pelo visto ele sequer atendia ou as respondia. Seu coração estava ficando apertado.

"Walking the tightrope"

Cansado de esperar, Charles foi para casa, ainda intrigado com o sumiço repentino. Estava quase tudo pronto. Eram mais alguns detalhes e logo estariam correndo em direção aos seus sonhos. Não. Ele não desapareceria e o deixaria sozinho. Erik não era assim.

Talvez fosse melhor tentar encontrá-lo na escola.

"With you, ooh, ooh, ooh, ooh

With you, ooh, ooh, ooh, ooh

With you"

Erik estava na escola, aparentando um tanto perturbado. Ele o evitara o tempo todo e parecia incomodado com algo. Será que havia feito algo errado? Talvez dito alguma coisa que não devia?

Charles não sabia a resposta. Na verdade, estava com muito medo de descobri-la.

"Mountains and valleys, and all that will come in between

Desert and ocean"

Erik estava com muito medo. O pai havia descoberto por fontes desconhecidas sobre seu caso às escondidas. Ameaças fortes pesaram no ar, como uma noite tempestuosa.

Teria de se afastar de Charles, pelo bem dele.

Pelo bem dos dois.

"You pulled me in and together we're lost in a dream

Always in motion"

Os dias se passaram e Charles sentia a cada momento uma tensão maior entre os dois. Podia ver a agonia no olhar de Erik, e aquilo o preocupava. 

Queria conversar com ele, mas Erik sequer mostrava interesse em explicar o que estava acontecendo. Aquela dúvida e distância o machucavam de uma forma que não conseguia medir. Foi então que decidiu tomar uma atitude extremamente arriscada.

"So I risk it all just to be with you

And I risk it all for this life we choose"

Saiu pela porta dos fundos da mansão, carregando somente o necessário na mochila. Já tinha o suficiente em dinheiro e tinha conseguido com Hank uma proposta de trabalho na lanchonete dos pais dele. 

Buscaria Erik aquela noite e fugiriam juntos.

Pelo caminho, formulou e reformulou o que falaria para ele. Enfrentaria a família dele, se fosse necessário. Erik não era assim. Ele era carinhoso e sempre atencioso. Não era normal ele ter mudado daquele jeito. Algo estava acontecendo.

"Hand in my hand

And you promised to never let go

We're walking the tightrope"

Erik olhou as ligações no celular, aflito. Não podia falar com Charles. Não quando sabia que ele não entenderia que a vida dele estava em jogo. O pai deixou bem claro que faria mal a ele se os visse juntos. Além disso, conhecia Charles muito bem para saber que ele era cabeça-dura e tentaria insistir naquela loucura.

Foi quando viu uma mensagem surgir na tela de seu celular “Estou aqui, Erik. Vamos embora deste lugar de uma vez por todas.".

Não. Tinha de fazer alguma coisa antes que algo de muito ruim acontecesse.

"High in the sky

We can see the whole world down below"

Charles sentia o coração bater forte, na esperança de que Erik o encontrasse. Estava escondido, e um tanto preocupado imaginando o que seria de si se fosse pego naquele lugar. Por um momento, fechou os olhos, lembrando-se de todos os planos que criaram juntos, e como logo tudo aquilo estaria concretizado em poucos minutos.

Erik estava indo até onde estava. No entanto, em vez de um sorriso no rosto, ele parecia zangado. Charles sentiu um frio enorme em sua espinha. Se não fosse a fina chuva que estava começando, podia jurar que via lágrimas finas no rosto do amante.

“Vá embora! Suma da minha frente agora, Charles! Você não entendeu que eu não tenho mais nada com você?"

"We're walking the tightrope"

As palavras duras foram pior que se Erik tivesse socado sua face. Charles sentiu os olhos nublarem, e uma sensação de insegurança e angústia invadiram seu peito. 

Talvez Erik não fosse realmente quem imaginou. Afastou-se, começando a correr para bem longe daquele lugar.

Tinha aberto mão de tudo o que sua vida significava para poder segui-lo naquele sonho louco, para, no fim, sequer ter certeza se Erik estava disposto a fazer o mesmo.

"Never sure, will you catch me if I should fall?"

Alguns anos se passaram, e Charles ainda se perguntava se realmente tinha sido tão tolo em acreditar naquelas malditas promessas, e por ter se entregado por inteiro àquele sonho sem futuro, quando sequer sabia se Erik o seguraria se um dia viesse a cair. Com o tempo, aquela tristeza e amargura descontadas nas páginas de um livro de sua autoria foram se tornando raiva. Raiva por ter sido enganado e raiva por nunca mais sequer ter tido notícias daquele infeliz.

"Well, it's all an adventure

That comes with a breathtaking view"

Naquela noite, após inúmeros autógrafos dados no novo livro lançado, Charles foi observar a sacada do centro de eventos com tristeza. Há muito tempo não tinha mais o mesmo gosto de adolescente em observar todas as luzes da cidade e planejar novos sonhos. Sonhos que não aconteceriam nunca.

Sua visão embaçou por um momento, fazendo com que rezasse para que ninguém o encontrasse daquele jeito. No entanto, um toque suave sobre seu braço e um pedido baixo de desculpas o fez se sobressaltar.

Erik estava ali, e, apesar da vontade de acertar um soco naquele maldito, sentiu a raiva começar a sumir conforme as palavras fluíam pelos lábios do homem ao seu lado.

Aqueles sentimentos, todos os planos e todas aqueles sonhos construídos às escondidas eram puramente genuínos. Erik apenas o tinha protegido. Sabia que ele não podia fazer nada contra as ameaças do pai na época, mas agora as amarras e correntes haviam se desfeito no tempo, e agora era um homem livre para fazer o que quisesse.

“Ainda não é tarde demais para comprarmos aquele apartamento próximo ao parque.”

"Walking the tightrope"

Uma mão foi estendida para Charles, um toque quente e leve, que o remetia àquele lugar onde tudo começou. Mais uma vez estariam juntos para caminhar na corda bamba, mas desta vez Charles tinha certeza que Erik o seguraria se caísse.

Um roçar leve de lábios logo se tornou um beijo mais sedento de saudades. Não importava se alguém os visse ali, afinal desta vez as amarras sociais não os enforcariam mais. Eram homens livres agora. Livres para viver um amor outrora proibido.

"With you, ooh, ooh, ooh, ooh

With you, ooh, ooh, ooh, ooh"

“Me prometa, Erik, que dessa vez, irá me deixar a parte de tudo. Foi o que sempre combinamos não foi?”

O pequeno sermão surgiu carregado de sentimentos espelhados nos olhos azuis de Charles. Aquilo era um sinal de que tudo ficaria bem a partir de agora. A partir de agora, aquela promessa seria como um hino naqueles corações. Um hino que jamais seria apagado. 

Um sorriso brotou nos lábios de Erik.

"With you"

“É uma promessa, Charles.”


Notas Finais


Espero de coração que gostem da leitura, assim como eu amei escrever essa oneshot! ❤️

Inspirada na música Tightrope do musical The Greatest Showman!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...