História Till death do Us part - Yoonkook - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, Suga
Tags Bts, Drama, Jungkook, Lemon, Psicopata, Yaoi, Yoongi, Yoonkook
Visualizações 79
Palavras 2.269
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Lemon, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Demorou mas o capítulo chegou, hmm.
Espero que gostem, eu tentei fazer algo diferente que você não vai ler em qualquer fanfic, hihi.
Relevem meus erros e boa leitura! :3

Capítulo 18 - The request.


[...]

 Eu havia saído e pedi para que Yoongi ficasse em casa desta vez, eu achei estranho pois de imediato ele concordou. Isso está um pouco suspeito, mas enfim... Eu apenas espero que minha surpresa de certo, é algo importante. 

 Eu demorei muito para preparar tudo, eu não sou bom em ser romântico. Eu realmente espero que ele goste, pois para uma pessoa como eu, é meio complicado ser romântico e tudo mais. E sim! Eu irei fazer oque você provavelmente está pensando, eu irei pedir Yoongi em namoro, okay! Talvez não seja a coisa mais perfeita do mundo, ou... normal.

  Eu estou nervoso, é a primeira vez que irei pedir alguém em namoro, ainda mais deste forma. Com rosas vermelhas, um dia romântico, com tudo que temos direito e... eu não sei mais, mas espero que der certo se não eu provavelmente me matarei depois.


       Estou dramatizando mesmo! 

  Mas tudo tem que ser perfeito, eu não tive a ajuda de ninguém, eu apenas decidi que iria fazer algo assim. Nem vi algo na internet, não falei com ninguém, eu apenas disse para que Taehyung  e Hoseok fossem para a casa de algum deles, pois eu queria ficar a sós com Yoongi. Logicamente eles maliciaram, eu nem pensei em nada mais dezoito para hoje. Eu apenas quero que seja especial, para mim e para ele. Afinal, Yoongi no meio dessa semana largou o emprego apenas para poder cuidar particularmente de mim, eu insisti para que ele não fizesse isto, mas ele não me escutou! Pelo menos ele está fazendo dos meus dias os melhores, mesmo me fazendo tomar os anti-depressivos e tudo mais... ele é meu anti-depressivo, mas ele não me escuta e acha melhor eu tomar os remédios.

 Yoongi é o tipo de cara perfeito, é oque te faz ter um amor a primeira vista... É quem transforma sua vida pra melhor, vira ela do avesso e te faz enxergar oque a vida te da de melhor, e no meu caso a vida me trouxe ele, o amor da minha vida, mais conhecido como "Min Yoongi o médico de loucos".

      Eu fui precipitando muitas vezes e mesmo assim ele me perdoou, eu me sinto muito agradecido por isso, ele está me mudando. Eu ainda não acredito que eu só fui na clínica dele para que eu pudesse arruinar sua vida, quando me lembro disso eu me sinto um tremendo lixo... As vezes eu queria voltar no tempo para tentar mudar está história, mas penso que se isso acontecesse eu não teria Yoongi em minhas mãos agora, como meu futuro namorado.

  Eu estou me sentindo inseguro! Se uma pessoa como eu, que digamos que te "sequestrou" e deixou preso dentro minha própria casa, te manteve como um animal de estimação, que pensava em arruinar sua vida! Você por acaso aceitaria o meu pedido de namoro? 


[...]

Prestes a chegar em casa eu estou, já estava um pouco tarde, bom não muito são exatamente 23:28. A casa está uma completa escuridão na minha visão de fora, as luzes de todos os cômodos da frente estavam apagados, talvez Yoongi já tenha ido dormir.


  Aish... terei que deixar o pedido para amanhã. 

 Logo adentrei na casa, traquei a porta com todo cuidado para não fazer barulho e acordar o meu nenêzi. Com passos calmos e lentos, deixo umas sacolas que contiam algumas coisas não muito importantes dentro, o principal foi deixado dentro do carro para que amanhã eu organize tudo já que meu benzinho estava supostamente dormindo.

Comecei a andar pelo corredor, a porta do quarto principal se encontrava entre-aberta, uma luz muito fraca escapava pela brecha da porta entregando que alguém estava acordado ou dormido com aquela luz acesa.  


        Talvez ele tenha cansado de me esperar e acabou por dormi...

       Me aproximei do da porta, empurrando-a devagar, assim me deparando com a cena mais maravilhosa do mundo! Min Yoongi de baby boy, deitado de bruços na cama, me olhando e me chamando com seu dedo indicador.

    Ele usava uma sainha num tom de azul bebê, uma meia branca passando um pouco do joelho por ele ser pequeno, uma sinta liga segurando a meia. Usava também um rabinho preso na roupa, julgo ser de raposa, um amo raposas, meu Deus! Usava uma blusa mais puxada pro branco, com algumas coisas escritas que não identifiquei oque era. Em sua cabeça havia orelhinhas, acho que seria uma tiara ou um presilha presa em seus fios negros.

        Não perdi tempo em me aproximar do garoto deitado sobre a cama, não deixei de perceber que ele levou sua mão até sua sainha que já era um pouco curta, e a levou um pouco para cima quando passava a mão por sua própria bunda a deixando exposta. Aquilo estava fazendo meu amiguinho acordar, se é que me entende. 

       Sim com apenas isso Yoongi estava conseguindo me excitar, faz tempo que eu não transo com ninguém apenas por esperar o momento dele. 

    — Daddy, venha brincar comigo. - Ele dizia com uma voz manhosa, agora engatinhando sobre a cama, fazendo um bico se formar em seus lábios.

      Um sorriso malicioso se formou em meus lábios, oque me fez agora ficar bem próximo do garoto. Desferiu um selar um selar em seus lábios avermelhados, que entregavam que o menino teria passado um gloss sabor morango. O garoto passando uma mão por meu rosto fazendo o selar se transformar em um beijo necessitado, fiz o menor se deitar na cama sem parar o beijo, assim me fazendo ficar por cima do mesmo.

     Levando uma de minhas mãos até sua coxa exposta, aperto-a com uma força moderada, mas que poderia causar uma marca por conta de sua pele ser muito branca. Escutei o garoto arfar entre o beijo, oque me fez parar, terminando o beijo que mal havia começado com uma leve mordida em seus lábios, puxando-os devagar, sem desviar meu olhar que fitava seus olhos castanhos.

      Após aquele ato terminar, desço meu rosto até  o pescoço branquinho do menino, assim, começando a desferir selares pelo local, logo começado a deixar marcas que seguiam uma trilha de seu pescoço até barra de sua blusa clara. Com as mãos que se entravam em seu quadril, começo a levantar sua camisa, dando leves apertos em sua cintura que já estava exposta ao meu ver.

Começo a roçar meu quadril no do menino, as vezes simulando estocadas que assim faziam o pequeno liberar breves gemidos, fazendo escapar sorrisos maliciosos de meu lábios. O menor que tinha agora seu rosto próximo ao meu ouvido, prendeu seus dentinhos no módulo de minha orelha sem muita força, dando um leve mordida. 

Tiro a camisa do menino, então começando a espalhar selares e marcas por seu abdômen pouco definido. Ele inverte as posições, assim, ficando sentando sobre meu colo, logo começando a dar leves reboladas sobre meu membro, eu podia sentir sua ereção se chocar contra a minha, me fazendo gemer mais do que gemia no momento. Minhas mãos foram espontaneamente levadas até o quadril alheio, assim fazendo o menino rebolar com mais intensidade. 

O garoto não tardou em abrir o botão de minha calça, logo abrindo também o zíper. O fogo do mesmo no momento era grande, ele parecia necessitado deste ato. Logo podia sentir sua mão pequena e quente tocar o tecido fino de minha box branca, que no momento se encontrava meio transparente por conta do pré-gozo já ter sido liberado, assim molhando o tecido. Sinto a mão alheia tocar meu membro coberto, assim fazendo movimentos repetitivos de sobe e desce, ambos lentos, parecia que seu propósito ali era me torturar.

As mordidas em meu lábio inferior já se tornaram frequentes, sangue e peles já arrancados pelo impacto que meus dentes causavam em meu lábio. Percebi o menino tirar minha calça, o ajudei com seu ato, assim a  calça foi atirada em algum lugar do quarto iluminado por uma luz fraca. Logo o menino abaixou o cos de minha box, expondo a glande de meu pênis, sua mão estava sobre o mesmo, acho que ele poderia senti-lo pulsar contra sua mão. Tudo que eu queria agora era penetra-lo com força.

Sua língua umida tocou a glande, ela fazia movimentos gostosos circulando o mesmo, oque me fazia não conseguir conter os gemidos. Minha box foi tirada de meu corpo, também sendo atirada em algum lugar. Agora meu membro estava totalmente exposto, oque dava a visão privilegiada de gostosura em sua frente.

 Não sou convencido, sou realista.

Ele não mediu esforços para logo abocanha-lo, sua boca pequena e quentinha estava tomando meu membro, enquanto ele começava movimentos lentos de sobe e desce, ele também começa a masturbar a parte de meu que não cabia em sua boca. Os movimentos começaram a ficar mais intenso e rápidos, meus gemidos já não eram mais controlados. Levo uma me minhas mãos até os fios alheios, assim segurando nos mesmo, com a outra mão apoiada sobre a cama, estoco sua a boca alheio, oque fez o menino engasgar, ambos não nos importamos. Ditavas os movimentos que o menor deveria fazer, ele apenas me obedecia por ser inexperiente.

 Mesmo assim esse não deixou de ser o melhor boquete.

Eu estava sedento ao mais velho, eu desejava estar dentro dele, o estocando com força, fazendo pedir por mais. Não demorou muito para que aquela boquinha me fizesse chegar a um orgasmo, em um jato na boca do mesmo, meu líquido é liberado. Enquanto ofegava, observava também o menino engolir todo meu esperma, assim passando sua língua por seu lábio superior.  

Ele se deitou na cama abrindo sua pernas, assim deixando exposto sua calcinha rosa de tecido fino, que entregava que seu pau estava duro. Ele me olhava mordendo o lábio inferior enquanto massageava seu membro coberto lentamente, parecia que me chamava, que queria me sentir.

— Daddy, me ajude! Eu preciso dos seus toques, eu preciso te sentir. - Disse o garoto num tão manhoso, quase choramingando.

Não tardei em ir até o menino, passava minhas mãos suas coxas e as apertava com certa força, oque poderia causar marcas. Mas o mesmo já estava a abaixar sua calcinha, ficando apenas com sua saia, deixou suas partes baixas completamente a vista, ele estava apressado.

— Por favor, daddy. Ande logo com isso, eu não sei se irei aguentar. - Agora o mesmo choramingava, dramatizando a situação, não me empedi de rir baixo.

Como o mesmo estava apressado, apenas abrir uma gaveta que havia perto da cama, pegando um vidro de lubrificante. Coloquei um pouco em meu membro e o massageei para espalhar o líquido pastoso, também passando um pouco na entrada exposta do menor, oque fez o menino corar. 

Sem demandas puxei o mesmo um pouco mais para frente e apoiei suas pernas sobre meus ombros, posicionei meu membro em sua entrada e o olhei como se perguntasse se ele tinha certeza, ele apenas assentiu, então forcei meu membro na entrada do mesmo, assim o membro escorreu rapidamente para dentro do menino, oque fez o mesmo gemer, porém de dor. Seus olhos se encontravam fechados com força e seus dedos presos ao lençol branco da cama de casal. 

Não queria fazer ele sentir mais dor agora (talvez mais tarde.), então fiquei parado dentro dele até que se acostumasse, massageava seu membro para distraí-lo da dor. O mesmo rebolou devagar contra meu membro um tempo depois, insinuando que já havia acostumado. Não iria ser violento agora, então apenas comecei a movimenta meu quadril devagar contra sua entrada, oque fazia o mesmo gemer baixo de dor e prazer.

Não estou triste, mas devo admitir que de vez em quando sinto preguiça de existir. Deve ser aquela fase que você começa a se perguntar, e cada pergunta gera uma nova dúvida, a única certeza que eu tenho no momento, é o meu cansaço.

Com uma estocada leve inico movimentos mais rápidos e poucos violentos, suas mãos cada vez mais apertavam o lençol, seus gemidos que já estavam ficando altos ecoavam pelo quarto completamente fechado.

Retiro suas pernas de cima de meu ombro, abrindo as pernas do mesmo, deixando mais ampla a visão que eu tinha.

Me curso sobre o mesmo, sem parar meus movimentos, estavam agora deixando leves selares pelas mamilos do menino, suas mãos foram levadas até minhas costas, assim suas pequenas unhas foram cravadas em minha pele, me causando arranhões. Oque fez um pouco de sangue sair daquela região, para me vingar de sua travessura, volto a minha postura de antes, começando a dar estocadas fortes no garoto que agora gemia alto.

Meus movimentos e estocadas cada vez ficavam mais fortes, as vezes eu manerava para que não causasse muita dor no corpo alheio. No meio deste ato, me passa uma coisa em mente, a minha surpresa! Eu queria fazer algo diferente, então por que não, né? Com uma estocada forte me pronunciei.

— Baby, eu estou a um tempo para te pedir isso, então... Você aceita namorar comigo?

Sua expressão era de espanto, estava desacreditado deste pedido bem ao meio de sua primeira vez. Porém sem demoras o mesmo responde em meio aos gemidos.

— S-sim, eu a-aceito namorar com v-você. - o mesmo disse coravando violentamente em seguida, por vergonha de não conseguir dizer direito por conta dos gemidos que eu não tinha pena de causar enquanto o mesmo dizia. Com um sorriso vitorioso em meu rosto, selei nossos lábios em um beijo calmo, que não demorou a ser correspondido.

Após tudo isso, continuávamos a nossa transa, que tinha sido a melhor de nossas vidas! Não demoramos para que gozassemos juntos, nossos corpos foram modelados pelo esperma de Yoongi. Me retirei de dentro do mesmo e me deitou ao seu lado, passei meu braço por cima de si, assim dormimos abraçadinhos.












Continua...


Notas Finais


Espero que tenham gostado deste capítulo grande e cheio de safadeza, eu estou realmente com vergonha deste capítulo! Se ficou ruim me perdoe, mas eu dei meu melhor, eu não sou muito boa escrevendo esse tipo de coisa. É isto!

A eu fiz um Twitter, se vocês quiserem me seguir e tal... lá eu posso informar melhor vocês sobre a fanfic e podemos conversar melhor por lá também, porque convenhamos, conversa pelo spirit é uma merda. :')

https://twitter.com/Psyluci_?s=09

Até o próximo capítulos que eu não sei quando sai, mas vou tentar começar a escrever hoje. Aksk beijos, hmm. ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...