1. Spirit Fanfics >
  2. Time - Harry Potter >
  3. Capitulo Dois

História Time - Harry Potter - Capítulo 4


Escrita por: Piikenaanonima

Capítulo 4 - Capitulo Dois


𝒟ℯ𝓊 ℳℯ𝓇𝒹𝒶


Dentro daquela sala parecia haver diversas coisas interessantes, mais interessantes do que a discussão que estava acontecendo entre Hadriel, Lucas e Diana. Polaris não fez a mínima questão debater com os amigos sobre quem e quem não estava certo, ambos os lados estavam errados, assim ela pensava. Seu maior interesse foi em se aventurar no meio daquele monte de poeira e aranhas, mechia nas gavetas dos armários procurando alguma coisa que lhe intrertesse talvez ficaria ali naquela sala durante o restante do dia então não se preocupava em perder um pouco do tempo malinando nas coisas.


- Você tá parecendo uma criança querendo aprontar algo. A loira tomou um susto ao escutar a voz de Lucas atrás dela.


- Puta merda!


- Achei ela.


O restante do grupo apareceu em seu campo de visão juntamente com uma garota que ela não havia notado, sua sobrancelha direita ergueu e sua face se tornou confusa ao olhar para a jovem que estava olhando com curiosadade para todos. Ao notar que Polaris olhava desconfiada demais para ela se atreveu a se apresentar.


- Sou Iki Hiyori Miyazaki, intercambista de Mahoutokoro.


Ela baixou seu tronco em um tipo de reverência, se não tivesse pesquisado sobre os japoneses estaria se perguntando quê que ela estava fazendo do mesmo jeito que Hadriel estava se perguntando.


- O que você estava fazendo aqui? Perguntou Maya.


- Procurando algo de interessante, aqui tem diversos armários talvez tenha algo de interessante em algum deles.


- Você não vai incentivar a gente a começar a limpar isso tudo? Diana perguntou surpresa. Normalmente Polaris gostava de fazer as coisas certas de maneira rápida, nunca deixando nada para depois e agora naquele momento ver que ela não estava fazendo questão em começar a fazer uma limpeza, que é seu castigo, era algo surpreendente.


- Não tenho costume de fazer a faxina em casa na verdade quem faz são os elfos doméstico, nunca fiz uma única faxina. Respondeu Polaris voltando a abrir as gavetas dos armários.


- Eu pensava que a escravidão dos elfos havia terminado faz anos. Comentou Lucas olhando para as paredes tentando desvendar algum tipo de " porta secreta ". Polaris sorriu apoiando sua mão em sua cintura.


- Eu sou da família Black, acha mesmo que isso ia terminar pra minha família? Perguntou esperando que algum deles respondesse mas todos ficaram calados fazendo assim ela continuar. - Não é mais do mesmo jeito que tratavam os elfos antigamente... pelo que a Thomas disse não é mais da mesma forma.


- E você acredita nele? Hadriel perguntou se juntando à ela procurando algo de interessante.


- Dentre todos da minha família, ele é quem mais confio.


(...)


Os amigos se mantiveram ocupados procurando alguma coisas dentro daquela sala. Acharam diversas coisas nos armários, mostravam uns para os outros mechiam neles e depois jogavam ao chão quando perdia a graça, a intercambista logo começou a se enturmar no meio deles, faziam questão de não a deixar de lado sempre puxando assunto com ela e a puxando para fazer alguma brincadeira.


- Olha só o que eu achei!


Maya apareceu por entre algumas cadeiras empilhadas em um canto, seu cabelo estava cheio de teia de aranha por estar emaranhada debaixo das cadeiras quando Diana viu como estava seu cabelo quase teve um treco e começou a tirar toda a teia de aranha do cabelo dela.


- O que é isso? Perguntou Polaris se juntando ao grupo formando uma roda.


- Parece um relógio. Respondeu Maya limpando a poeira do relógio.


- Ele presta? Perguntou Hiyori.


- Esse relógio parece com aqueles bem antigos que nossos antepassados usavam. Hadriel se aproximou pegando o relógio da mão de Maya o observando melhor para ver se pegava. - Acho que deve tá quebrado, os ponteiros nem giram.


- Então joga ele na pilha das tralhas que achamos. Lucas olhou para o relógio por cima do ombro de Hadriel. - Bate nele pra ver se pega.


Hadriel obedeceu a sugestão de Lucas batendo ele na sua mão para ver se pegava mas a única coisa que fazia era sair mais um pouco de poeira.


- É, não presta. Lucas deu de ombros se afastando de Hadriel.


Começaram a se afastar quando perceberam que não iria prestar de jeito nenhum, Hadriel mecheu nele por mais alguns segundos pra ver se o relógio dava algum sinal de vida mas nada adiantou então ele o jogou no chão com desmasiada força fazendo um alto barulho.


- Quebra!


Hiyori foi a primeira a aparecer.


- É teu pra você tá quebrando.


- Eu só joguei ele, não precisava fazer esse barulho todo.


O restante apareceu novamente olhando em confusão para Hadriel e Hiyori seus rostos ficaram mais confusos ao sentir um vento forte e frio passar por eles. Os ponteiros do relógio que estava no chão começaram a se movimentar numa velocidade extraordinária e por um momento eles pensaram que ele poderia quebrar se aumentasse mais ainda a velocidade. A sala começou a mudar e os móveis que lá estava começava aos poucos se mover rapidamente e pessoas desconhecidas entrava e saía da sala. Eles se aproximaram mais uns dos outros alguns segurando a mão de outros.


- O que está acontecendo? Polaris gritou no meio daquele nevoeiro de passagens de pessoas, os móveis sendo tirados por pessoas desconhecidas.


- Faz isso parar! Lucas gritou para Hadriel.


Parecia que quanto mais voltas os ponteiros do relógio dava mais coisas estranhas apareciam e sumiam num piscar de olhos. Hadriel e Lucas começaram a dar pisadas no relógio que não parava, as pisadas fortes dos dois não surtiam efeito, foi quando Diana apareceu no meio deles e espetou uma presilha grande e pontuda no relógio fazendo então ele parar e assim todo o cenário parar também, os setes caíram ao chão ao sentirem uma onda de magia forte passarem por eles.
Lucas se sentou no chão olhando para o relógio que estava com a presilha de Diana bem no meio dele, o loiro olhou ao redor notando que todos os móveis que estavam naquela sala já não estavam mais... a sala estava completamente vazia.


- Gente...


- A minha cabeça tá doendo... Resmungou Hiyori.


- Tava viajando sem beber uma... Hadriel se levantou tonto.


- Pessoal...


- A gente nem fumou, imagine se tivéssemos... Diana se levantava com ajuda de Polaris.


- Galera! Todo mundo olhou para Lucas. - Aonde estão as coisas?


Todo mundo parou para olhar ao redor notando que não tinha mais nenhum móvel na sala, tudo havia sumido e só restava apenas uma sala escura e vazia.


- Se o Sr. Strange entrar e ver que a gente deu fim em tudo nós vamos ser expulsos. Murmurou Hiyori nervosa.


- Não vamos ser expulsos é só dizer a verdade a ele. Polaris tentou amenizar a situação.


- Até parece que ele vai acreditar na gente. Resmungou Hadriel.


- Claro que vai acreditar, ele pegou nossas varinhas não tinha como a gente fazer feitiços para tudo aquilo desaparecer. Ele vai ter que acreditar de uma forma ou de outra. Ela foi firme no que estava dizendo fazendo assim eles se calarem.


Os setes se mantiveram em silêncio absorvendo aquilo tudo que aconteceu naquele momento e ainda não estavam acreditando. Hadriel bufou.


- E agora a gente vai ficar aqui sem...


- Quem está ai?


Alguém havia falado do lado de fora deixando os setes paralisados sem saber o que fazer.


- Se tiver alguém ai é melhor dizer agora.


- O quê a gente faz? Maya se virou para eles buscando alguma sugestão.


- Se esconde! Sugeriu Hiyori.


- Não tem lugar para se esconder. Respondeu Hadriel.


- Diz que não tem ninguém. Sugeriu novamente Hiyori.


- Você é broca ou o quê? Diana perguntou irritada.


- Eu tô nervosa...


- O quê está acontecendo aqui, Hagrid?


Uma voz feminina soou do outro lado da porta.


- Eu ouvi a voz de alguém aqui dentro, Professora Minerva.


- Pelo amor de Merlin, Hagrid. Estamos de férias não tem como haver mais pessoas dentro deste castelo.


- Eu juro que ouvi.


Um silêncio se fez e então a maçaneta da porta de abriu num rompente fazendo as meninas gritarem e os dois meninos ficarem na frente delas, um homem gigante apareceu no campo de visão dos setes e uma senhora logo atrás dele com uma varinha na mão.


- O que está acontecendo aqui e quem são vocês?


- Eu disse pra fingirmos desmaio. Hiyori susurrou mas em seguida recebeu uma cotovelada de Maya.


- Quem são vocês e o que estão fazendo aqui?


A senhora novamente fez a pergunta fazendo os setes se entreolharem se perguntando se devia responder ou não.


- A gente que devia perguntar; quem são vocês?


- A Sra. McGonagall perguntou primeiro. O homem gigante falou de forma séria.


- E eu perguntei por segundo. Hadriel retrucou.


- Eu não tenho a mínima paciência com crianças que se comportam desta maneira, diz logo menino.


Novamente o silêncio reinou e ninguém parecia se atrever a responder a bruxa à frente deles mas por um momento de bravura e puro nervosismo Maya decidiu falar por todos ali.


- Eu sou Maya Kalissa Bridgerton. Esses são meus amigos; Hadriel Oceané Delacour, Lucas Storm, Diana Alianovna Petrovsk, Iki Hiyori Miyazaki e Edith Polaris Black.


Ela apontava para cada um enguanto falava seus nomes.


- Necessitava de falar o nome completo Maya! Repreendeu Hadriel recebendo em troca uma cotovelada.


- Uma Black? Por quê uma Black está aqui? Eu nunca havia visto você... na verdade nenhum de vocês. Venham comigo e nem tente fazer alguma gracinha.


Seu jeito sério e mandão que impunha principalmente respeito fez todos ali ficarem calados e a seguir sem sequer desviar do caminho e mesmo que desviassem não teria como pois o homem gigante estava bem atrás deles. Ali parecia Hogwarts, era idêntica a Hogwarts mas não parecia a Hogwarts que eles conheciam, alguma coisa estava diferente, tinha algo diferente naquela Hogwarts. Além de eles terem diversas perguntas de onde estavam o vice-diretor, como Hogwarts mudou do nada e quem eram aquelas pessoas, aquilo tudo não parecia certo, tinha algo errado.
A senhora os guiava para um corredor aonde no final dele tinha a estátua da gárgula, eles já haviam visto diversas vezes aquela estátua e sabiam que era por ali que dava acesso a sala do diretor mas tinha uma senha para se chegar lá, a senhora falou a senha e assim a gárgula se moveu aparecendo uma escada, eles seguiram a mulher parando em uma sala grande, tinha alguns quadros na enorme parede e uma estante enorme com livros. Os setes se mantevem quietos apenas atento ao que a senhora iria fazer notando ela se aproximar de uma mesa aonde tinha um senhor sentado.


- O que está acontecendo Minerva? Por quê essas crianças estão aqui?


- Essas crianças estavam em uma das salas do porão, Hagrid estava por lá quando as encontrou.


O senhor que parecia ter uma idade bastante avançada olhou para cada um dos que estavam ali.


- Se aproximem por favor.


Os setes novamente se entreolharam entre si aproximando com passos calmos ficando de frente para ele.


- Como vieram parar aqui?


- Acho que não devemos contar algo tão importante para estranhos... Aí! Hadriel reclamou ao sentir o belisco de Diana.


- Me desculpem os meus modos. Me chamo Alvo Dumbledore, sou o diretor da Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts.


- O senhor diretor da escola? Não, não, não, o nosso diretor é o... Desta vez ele recebeu uma pisada no pé por parte do Lucas.


- Cala a boca, Hadriel. Diana o repreendeu.


- Pelo amor de Merlin, vamos ficar calados? Quem são essas pessoas e porquê esse senhor diz ser diretor da escola quando na verdade ele não é! Porquê Hogwarts está diferente? E aonde está a minha prima, ela é professora de Trato das Criaturas Mágicas, eu quero vê-la.


- Qual o nome dela? Dumbledore perguntou calmamente, deixando Hadriel irritado com tanta calmaria.


- Beth Angelle Delacour. Respondeu Hadriel com firmeza e raiva expressa em sua voz. Hadriel quando estava com raiva era como uma bomba relógio em pouco menos de um segundo ele explode e não consegue se controlar, mesmo que seja algo bem raro ver ele com raiva, quando o viam fazia questão de o deixar sozinho.


- Delacour? Ele parou para pensar olhando na direção de McGonagall que balançou a cabeça negando. - Meu jovem... Não à ninguém com este sobrenome em Hogwarts. Temos o professor...


- Não! À sim pessoas com este sobrenome; a minha irmã, Cloé Oceané Delacour, as minhas primas; Amanda e Sophie Delacour. À sim pessoas com este sobrenome, não me fale mentiras.


A voz de Hadriel começou a falhar e Lucas o segurou pelos ombros o afastando da mesa de Dumbledore, Polaris foi em sua direção o deixando o mais afastado possível.


- O quê exatamente aconteceu com vocês?


O Sr. Dumbledore olhava para eles, a expressão dele era de compaixão com eles mas também havia um que de perguntas que ele estava querendo fazer. Polaris se afastou de Hadriel e ficou de frente para Dumbledore.


- Eu digo ao senhor o que aconteceu mas primeiro quero que responda a minha pergunta.


- Sim, minha jovem.


- Em que ano estamos?


Parecia uma pergunta besta para eles mas algo estava a pertubar Polaris desde o momento em que viu o homem gigante e a mulher e principalmente agora que estava olhando aquele senhor bem de frente para ela, os óculos, a barba... ela havia visto em algum lugar.


- " Em que ano estamos? " Sra. McGonagall repetiu confusa. - Estamos em 1991.


Um silêncio ensurdecedor preencheu a sala.


- O quê?!




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...