História Time 7 - Capítulo 41


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Tags Time 7
Visualizações 56
Palavras 1.553
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ficção, Luta, Magia, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Survival

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 41 - Capítulo 41


- A noite.

                - A noite. – Confirmou. Seus lábios tatearam-se. Institivamente o sharingan tomou seus orbes nublados, seu pulso se acelerou, para logo ditar o ritmo do farfalhar das folhas verde vívidas.

                Preocupação?

                Com o que?

 

                Fechou os olhos, a brisa abraçava-os de modo aconchegante, ambos debruçados na grama. A luminosidade do Sol não atrapalhava, já que a copa da árvore era imensa o suficiente para cobrir seus corpos com sombra. Contudo, uns fiascos de luz os tocavam, o troco firme e grosso emitia uma sensação de eternidade.

                Sua mente apagava tudo além de poucos metros de raio deles, seus dedos se entrelaçaram nos fios claros, conseguia sentir sua respiração calma na lateral de seu peito. Se pegou relembrando seus anos na academia, seus anos que fez questão de se isolar, e por incrível que pareça, indo contra seus planejamentos, ele encontrava-se acompanhado.

                E não queria voltar a ser o que era. Suas emoções distorceram sua rotina, distorceram de um modo brusco e gritante. Naquele momento ele entendia plenamente o que o amor fazia com as pessoas.

                Perguntou-se se este sentimento tinha limite. E a resposta seria que, só saberia com o decorrer do tempo.

                Sem ao menos perceber eles eram observados. Os dois pares de olhos, um debochado e outro pensativo ficaram apenas ali, parados, sobre um tronco distante entre folhas densas. O homem da direita, alto, cabelos pretos compridos presos em um rabo de cavalo baixo, se permitiu sorrir brevemente, se alegrava em pensar que Sasuke tinha conseguido conquistar felicidade novamente. A felicidade que ele teve que estrangular para impedir a infelicidade de tantos outros.

                Mentalmente, desejou um futuro verdadeiramente próspero para o caçula.

                - Sogro dos corvos. – Kisame disse com graça. – Ahn... Alegre, Itachi-san? – Mostrou um sorriso debochado, seus dentes afiados ficaram à mostra.

                - Hum. – Voltou a pôr a máscara de indiferença. – Foquemos em ir atrás do jinchuriki. – Deu as costas para seu irmão, respirou fundo, precisava ter forças para continuar indo em frente, seguiu para onde o jinchuriki das nove caldas estaria.

 

14:00.

                Hinata acalmou a respiração, secou o suor da testa e deu um impulso para frente. Mahina bloqueou seus ataques, contudo, não tinha muito tempo para se concentrar em recuperar o chakra expelido, Hinata tinha um ótimo benefício agora, a agilidade. E, combinando com sua leveza, delicadeza, se tornaria uma kunoichi sutil em combates, pegando inimigos de surpresa – com o auxílio também do byakugan – e talvez até aprimorando seu lado furtivo, tornando-se uma espiã de primeira qualidade.

                Neji foi contra Hiashi, esse adquiriu uma competição com a prima, já que ela melhorara grandiosamente nas últimas semanas, e, por seu orgulho – tanto de ego quanto de realmente se orgulhar de Hinata – não ficaria para trás.

                Já na rua Mahina parou na livraria, olhou para os cantos para ver se ninguém a veria procurando a continuação do livro ‘Sorte em Metal’. Com uma sacola na mão, voltou para a rua.

                - Mahina-chin! – Sasuke correu. Ela se virou para ele, sem conseguir entender. – Onde está Naruto? – Perguntou aturdido, nervos à flor da pele.

                - A última vez que o vi ele estava no ichiraku com Jiraya.

                Sasuke nada disse, apenas foi em direção ao restaurante de sempre, Mahina o seguiu. Não encontraram Naruto, porém, o dono do restaurante disse que ele tinha ido para leste e que falara sobre ficar em um hotel por um tempo.

                - O que aconteceu, Sasuke-kun? – Mahina ativou o byakugan.

                - Itachi. – Grunhiu raivoso. – Ele está atrás do Naruto. – Saltou para o próximo telhado. Mahina aumentou a velocidade, sentiu o fervor do sangue se chocando contra a parede de seus vasos a cada de batida frenética do coração.

Itachi participava da Akatsuki.

E a Akatsuki queria os demônios de calda.

 

- Ali. – Mahina apontou para o andar de um hotel. Sasuke se direcionou para a janela, ativou o sharingan. Naruto estava desnorteado, quase apagado, o chakra da kiuube se desvaiu. Itachi, de soslaio, encarou Sasuke, lutou mentalmente para segurar sua expressão dura.

- Itachi. – Sasuke rangeu os dentes, avançou sem pensar duas vezes. Cego pela raiva, Mahina percebeu, Sasuke deixara de lado as estratégias e se apegou ao ódio armazenado. Um homem grande, aparentado a um tubarão, segurava uma espada enfaixada comprida e pesada, além de segurar Naruto de jeito descuidado.

Sasuke facilmente foi jogado bruscamente contra a parede, Itachi deu passos ágeis para frente. Mahina sacou uma kunai, ficou entre ambos.

- Saia. – Sasuke se apoiou no joelho para conseguir se levantar. – Essa luta é minha. – Limpou o sangue do queixo com as costas da mão.

- É, e você está se virando muito bem. – Ele a afastou com um toque no ombro. Ele, Sasuke, não respondeu, voltou a avançar sem qualquer estratégia. O chidori não foi problema, nem um pouco, Itachi segurou Sasuke pelo pescoço e o colocou contra a parede.

Mahina lançou a kunai, Itachi fez um movimento de cabeça, desviando. Ela engoliu em seco, Sasuke puxava todo o ar que conseguia, Naruto continuava desacordado. Só ela poderia fazer alguma coisa. Ela avançou, concentrou chakra nas mãos, Itachi lançou Sasuke para o lado, desviou do punho suave.

Ela, Mahina, misturou o sharingan com o byakugan. Itachi segurou seu pulso, com uma facilidade extrema conseguiu ergue-la no ar.

Ele encarou-a o mais frio que conseguia, teria que confessar que a mescla das duas kekken genkais era impressionante, os tomoes se fixavam em um círculo cor de pérola. Seu pulso era fino, se afrouxou entre seus dedos. Fechou os olhos brevemente.

- Que sorte, garoto. – Emitiu um olhar de deboche e seriedade. Mahina foi jogada para longe. Sasuke a segurou no ar, a depositou rapidamente apoiada na parede, queria trucidar Itachi.

Já não bastava destruir o clã Uchiha.

Sasuke não permitiria que Itachi destruísse a vila que ele construiu em Konoha, muito menos a vida que teria com ela, com Mahina, a única que o fez sentir pesar pelo ódio incessante na cabeça.

Só que, mesmo com todo o desejo de protege-la, protege-la de Itachi, fisicamente ele era um fracassado.

- Você é fraco. – Engoliu aquele tom de desprezo, Itachi dizia a verdade. – Lhe falta ódio.

Sua realidade se distorceu, mesmo sendo preso pelo pescoço ele mirou em direção a Mahina no chão, não conseguiu mover mais um músculo sequer, não era apenas cansaço, era desespero que sentia.

O breu era cortado pela plácida luz prateada da Lua, seus passos eram abafados pelo tapete macio. Seus lábios entreabertos, olhos arregalados, estava em choque. Seu maxilar estremeceu, fungou.

‘Onee-san... Quem... Quem fez...’

Mal conseguia falar, as palavras travaram em sua garganta. Itachi tinha um sharingan diferente, causava temores na pobre criança espantada. Este, Itachi, ergueu a katana, a lâmina não refletiu nada além de lamúrias vermelhas, as gotas pendiam para a ponta para logo despencarem no assoalho.

Vultos se formaram em sua frente, conseguiu ver o que realmente tinha acontecido.

O que tinha acontecido...

‘Porque... Onee-san...’

Lágrimas se debruçaram por suas bochechas, sua respiração ficou pesada.

‘Para testas minhas habilidades. ’

Aquilo lhe cortou como mil facadas, conseguiu se mover, correu para o corredor, acabou chutando seu dinossauro para um canto afastado, esbarrou na mesinha, o vaso de flores que sua mãe tanto gostava se estilhaçou.

Aquilo não poderia estar acontecendo...

Não, não, não.

Não.

As imagens se repetiam, se misturavam, a dor de ver dois cadáveres banhados de indiferença se fincava em seu peito. Aos poucos, o desespero foi se silenciando, a tristeza foi estampada por indiferença, ignorava seus sentimentos, abraçada o puro ódio de Itachi.

Queria matar Itachi.

Era o que mais queria.

Mataria.

Mataria.

Mataria.

 

                Tinha sido posta em um genjutsu fraco, que era apena para mantê-la quieta enquanto eles fugiam. Um desejo asqueroso de destroçar um par de pessoas emergiu em sua alma. Mas logo se viu raciocinando.

                Itachi lhe colocara em um genjutsu.

                Ela poderia refletir o genjutsu.

                Ela poderia ler a mente de Itachi Uchiha.

 

                - Algum problema, Itachi-san? – Kisame perguntou, virou-se no tronco. Itachi tinha a palma na testa, olhar baixo, memórias e mais memórias navegaram para seu presente.

                Algo estava errado. Ela jamais teve algo parecido.

                Foi obrigado a pensar rápido, suas memórias se afundaram em um dia com Izumi à beira de um lago, depois saltaram para a cena de um pôr-do-sol – sendo que ele tinha Sasuke nos braços. Depois passaram para a face que ele preferia não ver, a face de Danzou.

                Foi aí que notou. Havia chakra de outra pessoa em seu cérebro, se perguntou como alguém conseguiria colocá-lo em um genjutsu sem ele ao menos notar. Arregalou os olhos.

                A garota. A garota que estava com Sasuke, Mahina Hiuuga.

                Era impossível ela colocá-lo em uma ilusão. Então... relembrou um dos estudos da garota, de chakra, sobre como prever movimentos sem ter o sharingan. Ela, com um intelecto avançado, não se prenderia em apenas um ramo do assunto.

                Seria possível ela ter.…, de algum modo, tê-lo colocado em um genjutsu? E no momento estaria...

                - Mahina Hiuuga. – Endireitou a coluna, virou-se para a direção do portão.

                - Virou fã da Mescla, Itachi-san?

                - Ela está vendo minhas memórias. – Ignorou a graça de Kisame.

                - Noites adoidado que não queira mostrar ao mundo? – Pendeu a cabeça para o lado.

                - Talvez. 

 

'Pense, Mahina'. 

Próximo capítulo: Descobrindo a verdade. 

Itachi era um herói, ele impediu uma guerra. 

Mas porque não disse seus motivos para Sasuke?

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...