História Time de herois - Capítulo 52


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Iida Tenya, Katsuki Bakugou, Midoriya Izuku (Deku), Personagens Originais, Shouta Aizawa (Eraserhead), Shouto Todoroki, Uraraka Ochako (Uravity), Yagi Toshinori (All Might)
Tags Boku No Hero Academia, Haikyuu, Participação Especial, Shipps
Visualizações 73
Palavras 2.933
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Famí­lia, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 52 - Um calor confortante, um frio agradável


Fanfic / Fanfiction Time de herois - Capítulo 52 - Um calor confortante, um frio agradável

MANSÃO YAOYOROZU- 01:00 

Quando todos chegaram na mansão Yaoyorozu, os pais da garota já dormiam e os empregados também descansavam. Um gentil e silencioso mordomo estava em pé, esperando o táxi na frente da casa, com uma lanterna a óleo pendurada em um bastão de metal. Descendo do carro, os estudantes pagaram o taxista e entraram na propriedade, caminhando lentamente pelo jardim enorme, guiados pelo mordomo. 

Kageyama- Não quer que eu a carregue? 

Hinata- Não. Ela é leve e eu aguento. - olhou para Yachi, que encolhida em seu ombro, dormia, enquanto era carregada pelo ruivo 

Kageyama não deixou que Hinata visse, mas ele deu um meio sorriso por ver o parceiro cuidando da loirinha. Secretamente, ele sabia que Hinata nutria sentimentos pela garota e o inverso era verdadeiro, Yachi gostava do ruivo. 

Assim que eles entraram na mansão, Kageyama e Todoroki foram ajudar a levar as malas para o andar de cima. Os amigos da Jena pensaram em ir embora naquele dia mais cedo, então deixaram tudo pronto. Porém, resolveram ficar por mais um dia.

Todoroki- Gostaria de dormir em um quarto separado? 

Kageyama- Não vai ser preciso. Eu fico na sala. Conversei com a Yoayorozu-san e ela deixou. 

Todoroki- Por que não dorme em um quarto? 

Kageyama- Sofá é bom. 

Todoroki- Entendo. 

Sim, a conversa dos dois se dava de forma natural e apática, mas o que esperar de pessoas similares? Kageyama e Todoroki tinham algumas nuances semelhantes entre si, porém eram bem diferentes em diversos outros aspectos. Um deles.. 

Kageyama- Você e a Yaoyorozu-san precisam de espaço... Os quartos que estão disponíveis são todos no andar do quarto dela. - disse concentrado, arrumando as coisas e descendo em seguida 

Todoroki ficou pensativo, enquanto via o moreno sumir de vista. Ele era uma pessoa realmente muito perspicaz, admitiu para si mesmo. E agradeceu mentalmente a ele por isso.  O rapaz pôs-se a pensar nas coisas que estavam acontecendo nos ultimos tempos e surpreendeu-se com a sucessão de fatos intensos e seguidos que ocorreram. 

Uma garota diferente entrou na vida deles; de repente, eles se viram no meio da vida dela, repleta de segredos e surpresas; de repente, ataques ficam mais frequentes; eles passaram por muitos desesperos; e logo a única imagem que povoa sua mente é o rosto e as diferentes expressões... dela... Yaoyorozu Momo. Todoroki olhou para seu reflexo no espelho e perguntou-se se ele era merecedor de tudo aquilo. Do carinho, da companhia, do sorriso daquela garota. Para onde eles iriam com aquilo tudo? 

Yaoyorozu nunca esteve em seus planos. Uma garota nunca fora um problema para ele, pois o interesse nunca fora despertado. Sua visão, seu coração, sua mente, tudo, girava em torno do ódio pelo pai e do quanto SE odiava, era como se tudo a sua volta estivesse borrado. Ultimamente sua mãe tinha aberto-lhe a mente, enchido seu coração com conforto e amor. E de repente, Yaoyorozu torna-se alguém especial para ele. Aquilo era muito novo e conturbador. 

Ele resolveu caminhar pelo corredor amplo até o quarto da garota e encontrou-o vazio. Ela deveria estar ajudando Kageyama e Hinata a arrumar as camas e pegar as toalhas. O quarto dela era pomposo, como ela. Seus olhos foram parar na escrivaninha repleta de livros, de anotações e fotos. Ele observou bem aquelas fotos antigas, de amigos do fundamental, de parentes, amigos de infância e pela primeira vez, sentiu ciúmes. 

Seu corpo formigava; de repente as curvas do corpo dela, o sorriso, os olhos confiantes, as roupas... vieram a sua mente e ele teve vontade de ter tudo aquilo em seus braços, poder tocar, poder fazê-la dele. Aquele pensamento estremeceu-o. Como assim? Ele nunca quis alguém desse modo tão estranho, tão possessivo, tão... inadequado.

Apesar de tudo, Todoroki ainda era um adolescente completamente normal e se tocava sozinho; mas nunca fizera isso pensando em alguém específico. De repente, o rapaz lembrou-se que ele não fazia isso há muito tempo. Precisamente... Desde que começou a ficar com a garota pró-heroína. Pensando agora, relembrar de todos os detalhes provocantes dela era algo que o deixava excitado. 

Ele gostaria de tocá-la. 

Estar com ela, faz com que esqueça dos seus problemas, das suas complicações, do seu pai.

Mas acima disso, ele queria tê-la de um jeito erótico. Sentiu ficar-se excitado com essa conclusão. Olhou em volta e percebeu-se no quarto dela, então tentando acalmar aquela vontade, e consequente volume já evidente na calça, ele deitou na cama dela, e fechou os olhos, repetindo para si mesmo: Respire Shoto. Respire. Respire. Res....... 

Ele sentiu o perfume da garota e uma movimentação no colchão. Alguém sentou-se ao lado dele. 

Yaoyorozu- Está tudo bem? - tirou alguns fios de cabelo da frente dos olhos ainda fechados do rapaz - Parece exausto. Gostaria de um chá? - perguntou já levantando-se

Todoroki moveu-se rapidamente ao sentir que o peso dela se esvaía do colchão, indicando que ela levantava-se para ir a cozinha. Ele segurou o pulso dela e a puxou para a cama, derrubando-a no processo e ficando por cima de seu corpo. Yaoyorozu corou violentamente. 

Yaoyorozu- Sh-Sho-Shoto... - gaguejou, olhando para aqueles olhos bicolores e sentindo seu coração ir a boca 

A meia luz do seu quarto, Todoroki ficava ainda mais atraente e charmoso. Ela sentiu-se estranha e desviou o olhar. Ele causava receio nela. Sempre muito bonito, muito inteligente, muito esperto, ágil, boas notas, boa educação... Sempre bom em tudo. E ela... Apenas mais uma garota mediana que tinha que se matar para estar onde estava, ele fazia tudo parecer tão fácil para si. Ela baixou os olhos, triste. 

Todoroki- Momo.. - ele pegou no queixo dela e a fez olhar em seus olhos- O que foi? 

Yaoyorozu- Nada.. - tentou esboçar um sorriso 

Todoroki- Voce está com aquela cara... 

Yaoyorozu- Que cara? - sorriu, nervosa 

Todoroki- Aquela do dia da prova contra o Aizawa-sensei... No que está pensando? 

Yaoyorozu- Só estou pensando... Em como eu sou mediana perto de você.. - ela não escaparia das perguntas insistentes de Todoroki, então resolveu falar de uma vez.

Todoroki- Não sei porque pensa isso. 

Yaoyorozu- Pare Shoto, eu não quero ouvir bajula----

Todoroki- Eu confio plenamente em você Momo. 

Silêncio. 

Todoroki sempre foi muito sincero, e falava as coisas sem rodeios desnecessários. Ele tinha algumas limitações emocionais, mas de maneira geral Yaoyorozu entendia as pequenas nuances sutis de suas expressões de afeto. E essa era uma delas. Dizer que ele confiava em alguém, que confiava nela, era um passe livre para o coração dele. 

Todoroki- Eu admiro você. 

Ele olhava no fundo dos olhos dela. Yaoyorozu perdeu-se nos dele e ouviu aquela voz quente e intensa lhe dizer honestamente:

Todoroki- Eu me preocupo com você Yaoyorozu Momo. 

Silêncio novamente. 

 

Yaoyorozu quis chorar ao ouvir aquilo. Ela sorriu e abraçou o pescoço dele, fazendo-o deitar em cima de si, surpreso e sem ter opções. 

Yaoyorozu- Todoroki-san... Shoto... Eu te admiro muito, confio plenamente em ti também e.. eu faria de tudo por você... E com você...

Saber que Yaoyorozu era feliz ao lado dele foi um choque para alguém que se odiava. Ele fazia alguém feliz. E isso era completamente novo. 

Ele levantou o rosto do abraço e tomou os lábios da morena com carinho e intensidade. Ela deixou-se levar por aquela boca habilidosa, que ela tanto gostava. Cada vez mais, os carinhos ficavam mais calorosos; Todoroki escorregava as mãos pela pele desnuda do braço dela, na perna, na nuca. E aos poucos isso foi expandindo, ele lentamente e com cuidado passou as mãos para dentro de sua blusa e a mão quente e gelada dele apreciaram aquela pele macia e repleta de curvas avantajadas.

Ela apenas suspirava com aqueles toques tão precisos dele. Todoroki não era santo e isso a surpreendeu pela rapidez com que ele mostrava o carinho com seu corpo. Beijos em seu pescoço distribuíam-se aos montes. Entretanto, a garota lembrou-se de que não estavam sozinhos em casa.  

Yaoyorozu- Shoto... Não podemos... A casa está cheia de gente.. 

Todoroki- Eles não estão aqui nesse quarto Momo- ele explica, sem dar indícios que pararia de beijar seu pescoço 

Aos poucos as roupas passaram a ficar amarrotadas e desajeitadas. Todoroki tinha sua camisa desabotoada, sua calça com o zíper aberto, enquanto Yaoyorozu tinha sua camisa levantada, deixando seu sutien branco de renda a mostra, e sua saia já no quadril, quase sendo retirada pelas mãos calmas e fortes do rapaz. 

Yaoyorozu- Temos aula amanhã! - ela diz, tentando não mostrar que estava excitada e que suas pernas contorciam-se, pois sua intimidade pulsava e já encharcava a calcinha branca 

Todoroki- Então faltamos. - disse novamente, sereno 

Yaoyorozu ficou vermelha, mas assentiu. Ela também queria aquilo, então para que negar e postergar?

Todoroki olhava-a de cima, com os cabelos bicolores caídos na frente do rosto e sorrindo de lado. Yaoyorozu sentiu sua respiração sumir e seu coração parar. Ele rapidamente retirou as roupas que ainda lhe cobriam o corpo. Yaoyorozu fez o mesmo, meio desajeitada e tentando não olhar para o corpo escultural dele. Quando estavam completamente nus, sentaram-se na cama de joelhos. 

Todoroki nunca teve vergonha de muitas coisas, mas entraria para a lista dele estar tão exposto na frente de uma garota.. Uma garota específica chamada Momo Yaoyorozu.

Ele permitiu-se olhá-la e encontrou a imagem mais extraordinariamente bela.

Yaoyorozu olhava para baixo, com os braços abraçando o corpo, escondendo os seios fartos e com as pernas cruzadas, o que não impedia que sua pelvis e seus pêlos pubianos aparecessem um pouco. Todoroki aproximou-se dela e tocou-lhe o rosto com a mão esquerda. Ele beijou-a calmamente e retirou os braços da frente do corpo devagar, desarmando-a. 

Eles se olharam completamente corados e depois de longos segundos, olharam-se mais a vontade e aproximaram-se. Yaoyorozu deitou Todoroki e ficou por cima, enquanto guiava as mãos dele pelo seu corpo, até chegar em sua intimidade. Corada, ela deixou que ele passasse a mão e os dedos por onde quisesse. Curioso, ele assim o fez e ficava cada vez mais excitado. 

Quando encontrou um ponto específico e começou a tocar naquela área, Yaoyorozu arregalou os olhos e abriu a boca, gemendo ofegante. Ele adorou aquilo e disposto a ver até onde iria, ele acomodou-a entre suas pernas abertas e com uma mão massageava o seio dela e a outra masturbava-a. 

Todoroki- Momo... Abre mais as pernas- ele sussurrou, fazendo-a gemer alto

Yaoyorozu entregue, tremia e esfregava seu quadril no membro já grande e ereto do rapaz, que gemia contidamente com esse movimento. A morena abria cada vez mais as pernas e gemia cada vez mais alto. Todoroki então, abandonou o seio dela e tampou a boca da garota com a mão direita, enquanto a esquerda buscava dar-lhe prazer. 

Todoroki- não acorde a mansão inteira. Só pra mim. Geme só pra mim

A morena gozou uma, duas, três vezes na mão dele. Já não suportava mais. Seus olhos lacrimejavam, suas pernas estavam abertas e trêmulas. Suas mãos apertavam o lençol quase rasgando-o. Yaoyorozu não via, pois estava de costas, mas Todoroki sorria com aquilo. 

Yaoyorozu- Hmmm.. Shoto... Por favor... Só sinto vontade de ter você dentro de mim... - ela sussurrou 

Todoroki prontamente pegou-a com cuidado e deitou o corpo dela, abrindo as pernas da menina e apreciando a vista. Ele curvou-se um pouco e lambeu-lhe toda a intimidade encharcada. O gosto dela era sutil. Seu membro já estava dolorido demais e o pré-gozo escorria cada vez mais. 

Ela estava louca de prazer e tentava se desvencilhar daquela sensação torturante. Mas sem sucesso, pois ele segurava seu quadril com vontade enquanto enfiava a língua em sua intimjdade. 

Ele buscou a calça e encontrou a camisinha dentro da carteira. Rapidamente colocou-a e quando voltou-se para a menina, ela estava enrolada nos lençóis, olhando-o envergonhada de costas. Todoroki sorriu novamente, foi até ela, deitou-se em cima dela e abriu suas pernas um pouco. 

Ele entrou de uma vez na garota, que gemeu de prazer, sem dor nenhuma. Ela estava tão extasiada que levantou um pouco o quadril, estreitando ainda mais o contato dos corpos. Todoroki em cima do corpo dela, começou a se mover lentamente. A morena gemia de maneira sexy e o rapaz sentia que queria ir mais fundo, estocando cada vez mais forte e com rapidez. Yaoyorozu só não gritava porque tapou a própria boca para não fazer uma cena desagradável na casa. 

Concentrado, Todoroki, pingava de suor e gemia ofegante, enquanto mantinha uma expressão lasciva e séria. 

Ele saiu de dentro dela, virou-a para si e entrou novamente na intimidade da garota, mas agora olhando-a nos olhos e atento às expressões dela. Lágrimas saíam dos olhos da morena, e um sorriso era evidente em seu rosto, enquanto abraçava seu pescoço. Todoroki não evitou de sorrir também e agora ir com mais calma. 

Ele sentia algo totalmente diferente de segundos atrás. Era prazer sim, mas... sentia-se feliz... aconchegado nos braços dela.. satisfeito por estar fazendo-a dele. Ele beijou-a com todo aquele sentimento que brotava dentro de seu peito e estocou mais fundo. Seu corpo estremeceu, seu membro inchou e sua mente rodou. Ele apertou Yaoyorozu em seus braços enquanto a estocava desse jeito e aprofundou o beijo. A morena gemeu entre o contato dos lábios e sentiu espasmos no ventre, junto com pulsações em sua intimidade. Ela abria cada vez mais as pernas. Todoroki sentiu o interior dela comprimir de um jeito que seu membro não aguentou. Ele agarrou-a e abraçou o corpo dela, gozando durante longos segundos. Yaoyorozu gemia seu nome ofegante, enquanto arranhava-lhe as costas. 

Depois de alguns minutos abraçados, o rapaz soltou-se dos braços dela, saiu com cuidado e tirou a camisinha, sentando-se na cama de costas para ela. Yaoyorozu virou-se na cama e tocou nas costas dele, passando levemente a unha na pele macia do garoto. Todoroki voltou-se para ela, e olhou-a com carinho. 

Todoroki- Você está bem? 

Yaoyorozu- Sim.. - ela respondeu, sorrindo 

Todoroki- Que bom. - ele deitou novamente, mas dessa vez, ao lado dela, virando-se para ficar de frente para a garota

Ele pegou-lhe a mão que anteriormente acariciava suas costas e colocou-a sobre seu rosto. Yaoyorozu sorriu e acariciou a face dele, atentando-se em cada detalhe. No fim, eles deram as mãos, entrelaçando-as e encostando suas testas nas costas de suas mãos juntas. Sereno, Todoroki adormeceu. Yaoyorozu cobriu os dois com o lençol e aconchegou-se no peito dele, percebendo aquele meio frio, meio quente de seu corpo, resultando na temperatura perfeita,  fechando os olhos calmamente e feliz. Muito feliz. 

Todoroki- Momo... Eu estou feliz... com você.. - ele balbuciou sonâmbulo

Ela sorriu sonolenta. 

Os dois dormiram. 

 

 

 

Kageyama estava na janela da sala, olhando para o céu estrelado daquela madrugada de ventania e mudança de tempo. Ele voltou-se para o seu caderno de anotações. Um campeonato de vôlei aproximava-se e ele precisava pensar em estratégias para os levantamentos. 

Kageyama- Será que eu convido eles? - pegou-se pensando nos novos amigos, e principalmente na Jena

De repente, em sua mente, invés de vôlei, acordes sonoros começaram a montar-se. Ele surpreendeu-se e a ideia começou a martelar em sua cabeça de forma tão intensa que ele resolveu colocar no papel. Impressionantemente- até para ele mesmo- em meia hora, ele rascunhou uma nova música. Veio tão do nada, que ele sentiu um frio percorrer-lhe a espinha. Era assustador. 

Mas a música era.. especial... Pois em todos os momentos, ele pensou na voz da Jena. A música tinha sido inteiramente feita para ser cantada por ela. E apenas por ela. 

Resolveu guardá-la pois sentia que precisaria usar. Só não sabia quando. 

 

 

 

No outro dia... 

Aizawa- Eu posso saber o que houve noite passada?? - olhou para a sala parcialmente vazia 

Toru- Sensei, acho que foi uma noite com muitas emoções... - tentou ajudar 

Lida- Vou falar pessoalmente com todos aqueles que fal----

Sua fala foi interrompida com a porta, que escorregou para o lado, apresentando alguns alunos. 

Aizawa- Se não tiverem alguma boa justificativa, não ousem entr---

Eraserhead perdeu a voz ao distinguir entre os recém-chegados alguém que ele não esperava. 

Aizawa- Jena? 

Jena- Sensei, peço desculpas pelo atraso. A culpa foi inteiramente minha. - ela curvou-se 

Aizawa ficou olhando-a, surpreso, e após pigarrear, mandou todos entrarem. Bakugou, Jena, Todoroki, Yaoyorozu, Kaminari, Kirishima e Asui entraram rapidamente de cabeça baixa. 

 

Minutos antes.... 

Bakugou- EU DISSE QUE NÃO QUERIA VIR PRA CÁ!!! TO MORRENDO DE SONO JENA, QUE CACETE! 

Jena- Para de gritar, eu não sou surda!! - rebateu enquanto corria ao lado do loiro 

Eles estavam chegando nos arredores da escola, quando, para sua surpresa, encontraram outras pessoas igualmente apressadas. Todos pararam na frente da escola, olhando-se curiosos e ao mesmo tempo ansiosos. 

Bakugou- Mas que merda! Por que estão atrasados? 

Kirishima- Eu que te pergunto!! 

Bakugou- NÃO É DA SUA CONTA. 

Jena apenas suspirou, revirando os olhos. Ele não sabia disfarçar. 

Asui- Perdi a hora, gero! 

Todoroki- o mesmo pra nós. 

Kaminari- Nunca que o Aizawa-sensei vai deixar a gente entrar assim.. Esse monte de gente atrasada. 

Jena- Deixem isso comigo. Apenas arranjem boas desculpas caso ele pergunte... - virou-se para o Bakugou, sussurrando-lhe, apenas para ele-  melhores que "não é da sua conta"

Bakugou- Vai se ferrar... - revirou os olhos irritado 

Yaoyorozu- Jena-chan... Você tem certeza? 

Jena- Eu acredito que sim. 

Eles abriram a porta da sala, engolindo a seco com todos os olhares em cima deles. 

 

Voltando...

A aula prosseguiu normal. 

No intervalo, Jena foi chamada na sala do diretor Nezu e ao chegar lá, a garota encontrou All Might, Endeavor e Midoriya aguardando-a. 

Nezu- Senhorita Yoshita, como é bom te ver bem! Ficamos preocupados. Precisamos muito conversar sobre algumas coisas, aceita um chá? 

 

 

 

 

Continua.... 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...