História Tired out - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Dumbledore, Blásio Zabini, Draco Malfoy, Harry Potter, Lord Voldemort, Lucius Malfoy, Luna Lovegood, Severo Snape, Tom Riddle Jr.
Tags Dark Harry, Tomarry, Voldemort/harry
Visualizações 1.221
Palavras 2.683
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hey filhotes aqui estou com mais um capítulo, queria explicar minha demora.. agora com a volta das aulas estou com menos tempo para postar duas vezes na semana como eu era acostumada a fazer. Então é provável que eu comece a postar nos finais de semana, mas não se preocupem que não pretendo abandonar a fanfic, NEM NOS MEUS SONHOS. Bom é isso, boa leitura filhotes.

Capítulo 17 - Que comecem os jogos.


 

Ele estava gargalhando, Harry gargalhava com tanta vontade que Dumbledore por um momento se permitiu sentir temor do menor. Eles estavam na sala da diretoria, depois de Voldemort ter desaparecido bem diante de suas vistas o caos se instalou. Hogwarts inteira estava em pânico e logo pela manhã o mundo bruxo também estaria.

 

Dumbledore depois de ter sido humilhado da forma que foi saiu em direção a sua sala não sem antes puxar Harry consigo, com a desculpa de que precisava conversar com o garoto já que ele foi um dos vencedores do torneio e também porque "aparentemente" Voldemort ainda estaria atrás dele. E agora ele estava ali, gargalhando debochadamente como se tivesse escutado a melhor piada do mundo. 

 

Você sabia - constatou Dumbledore sentindo fúria. Harry o olhou parando de rir e arqueou uma sobrancelha com um sorriso estranho de lado, o diretor não soube decifrar no momento. E até tinha medo de tentar.

 

- O que você acha? - Desdenhou Harry por finalmente poder mostrar que estava um passo a frente do velho - Você achou mesmo que iria sair por cima?.. olhe para mim - Harry sorriu largamente nessa hora e sua expressão era de uma pessoa insanamente perigosa - Eu sempre estive a um passo nesse jogo Dumbledore, eu sempre estive a sua espreita, mesmo quando você resolveu fazer a burrice de me sequestrar, tsc tsc - Harry balançou a cabeça teatralmente como se estivesse repreendendo uma criança de uma travessura - Você foi tão burro. Você causou isso, a partir do momento em que se meteu no meu caminho, se meteu com ele.

 

Sorriu, ele estava a dois passos de Dumbledore e o velho estava calado desde que ele tinha começado a falar. Harry sabia que no momento ele poderia perder um duelo com o diretor mesmo que fosse bem treinado, mas não podia perder a chance de humilha-lo ainda mais. Dumbledore o encarava com fúria contida, Harry se afastou e chegou perto da porta se preparando para sair, mas antes não pode deixar de liberar seu lado Slytherin quando despejou seu último veneno.

 

Sabe o que é melhor? - perguntou com o rosto agora sereno, parecia até que estavam debatendo apenas sobre o tempo - Ninguém acreditaria em você se dissesse que somos aliados. Aos olhos de todos - Harry sorriu agora sádico - Eu ainda sou o salvador do mundo Bruxo, sua última esperança - e saiu deixando Dumbledore mais que abalado.

 

Abalado por ter deixado tudo isso acontecer, por não ter prestado mais atenção quando as coisas continuaram pacificas, por não ter moldado o garoto direito. E por saber que ele estava certo, ninguém acreditaria nele, o garoto era a esperança cega para todos. Mas isso não ficaria assim, ou ele não se chamava Albus Dumbledore.

 

[...]

 

Harry se encaminhou em direção a câmara na esperança de encontrar Tom. Tudo bem que fazia apenas três horas que o Lord havia desaparecido mas algo no olhar dele em direção a Harry o fez ter a certeza de que hoje eles se encontrariam. No meio do caminho era possível ver alguns poucos alunos nos corredores, mesmo que nenhum deles desse atenção a Harry já que estavam mais ocupados fofocando sobre os últimos acontecimentos daquela noite. 

 

Era melhor assim, pelo menos ninguém lhe notaria e nem suspeitaria de nada, ele já havia deixado bem claro para seus amigos que depois que saísse da sala do diretor iria direto para a câmara.

 

Chegou no banheiro feminino do segundo andar e não pôde deixar de "esbarrar" acidentalmente na murta, o que foi totalmente estranho dada a sensação de ter um fantasma atravessando seu corpo, mas nada que pudesse lhe atrasar. Ele parou em frente a passagem e se deu conta que estava com as mão suadas evidenciando seu nervosismo, e ele nem sabia explicar por que estava assim, afinal ele só iria ver Tom. Talvez fosse a expectativa de como seria dali em diante, mas quem ele queria enganar..? era Tom, sem mais explicações. 

 

Harry respirou fundo e se obrigou a ficar calmo, seu estomago estava embrulhando de um jeito estranho como se tivesse centenas de borboletas voando dentro dele. Mas o que diabos? pensou.

 

Endireitou a postura e ordenou que a passagem se abrisse logo em seguida descendo calmamente, não tinha motivos para descontrole de emoções aquela altura do campeonato. 

 

Todo seu autocontrole foi para merda assim que terminou de descer as escadas e enxergou Tom parado no meio da câmara esperando por ele. Seu coração acelerou demasiadamente e logo o sorriso que abrira mal se cabia em seu rosto. Harry caminhou lentamente em direção a Tom, não tinha pressa, ele queria olhar bem para o Homem que amava. Ele estava tão lindo, com a postura reta e os braços cruzados evidenciando os seus músculos que mesmo não sendo exagerados ainda assim eram muito atrativos. Tom estava de um jeito tão simples que Harry nunca imaginou que algum dia o veria daquele jeito, ele usava calças pretas de moletom que estava meio caída mostrando sua boxe branca e blusa também preta de mangas compridas que marcavam seus bíceps, tão simples e absurdamente sexy.

 

Harry não pode deixar de morder o lábio enquanto o analisava inteiro. Tom vendo aquilo sorriu de lado, seu pequeno estava gostando da visão que estava tendo. 

 

Tão sexy, pensou Harry finalmente parando em frente a Tom e olhando para cima mirando aqueles rubis. 

 

...

 

Tom ficou parado enquanto assistia seu pequeno vindo em sua direção, ele mordia o lábio e não tinha noção do quanto aquele ato mexia com o Lord. Ele só pode estar querendo me enlouquecer, pensou Tom.

 

Quando Harry finalmente se pôs a sua frente Tom mirou aquelas esmeraldas e levantou a mão fazendo um carinho em sua bochecha direita, carinho esse que foi super aceito por Harry que inclinou-se mais em direção a sua mão aproveitando como um gatinho manhoso.

 

Parabéns pequeno - Harry o olhou confuso - Pela vitória - Harry sorriu finalmente entendendo.

 

Tom aproximou sua boca da do menor e o beijou com carinho, Harry correspondeu imediatamente sem perder tempo. Ele estava com tanta saudades de Tom, e vê-lo hoje no meio daquela multidão só o deixou mais inquieto. O beijo que tinha começado calmo e sem língua agora pegava um ritmo mais selvagem e necessitado, onde ambas as línguas brigavam por dominância, vencida por Tom. Tom não perdeu tempo quando desceu as mãos pela bunda de Harry e logo em seguida apertando mais em baixo em suas coxas, dando impulso para que Harry cruzasse as pernas em sua cintura. 

 

Com Harry no colo, Tom se encaminhou para o quarto sem parar o beijo, apesar de que precisavam de ar. Separaram-se em busca de ar e Tom rapidamente encaminhou os beijos para o pescoço de Harry, dando leves mordidas e fortes chupões que logo ficariam roxos. Harry gemeu baixinho em seu ouvido pelo prazer que estava sentindo, isso só serviu para atiçar ainda mais Tom.

 

Deitou Harry na cama já no quarto e levantou o tronco ficando no meio das pernas do menor parcialmente em pé o admirando. Harry era uma mistura de excitação e vergonha, estava com os cabelos mais bagunçados do que o normal, as bochechas encantadoramente coradas e os lábios em um tom forte de vermelho evidenciando o quanto foram maltratados pelo beijo, Harry também prendia o lábio inferior e na opinião de Tom era um ato fodidamente sexy.

 

Tom abaixou o rosto e deu um leve selinho em Harry desviando rapidamente para seu pescoço onde passou a sentir seu aroma, que era uma das coisas que Tom mais gostava de fazer. Harry se arrepiou quando a voz de Tom se fez rouca em seu ouvido.

 

Eu não vou fazer nada do que você não queira - Tom falou sincero mesmo que por dentro estivesse implorando ao contrário, ele precisava tanto possuir o menor e fazê-lo seu, mas acima de tudo respeitaria seu tempo. Harry agradeceu internamente por essa constatação do maior mas sabia também que queria mais que tudo se entregar a Tom. Ele seria para sempre seu primeiro e único.

 

E-Eu quero - respondeu com a voz entrecortada por ainda estar recebendo as carícias no pescoço. Tom levantou o rosto e encarou o menor sorrindo carinhoso.

 

Eu prometo cuidar de você - falou olhando em seus olhos logo em seguida o beijando de novo.

 

O beijo calmo começou a pegar um ritmo mais salvagem, Tom se permitiu deitar na cama por cima de Harry mas sem deixar todo o seu peso cair, Tom desceu os beijos mais uma vez para o pescoço do pequeno e passou a dar leves mordidas com o intuito de castigar Harry de uma maneira bem deliciosa. Tom subiu as mãos pela lateral do corpo de Harry e junto com as carícias aproveitou para livrar o menor da camisa que usava, o deixando apenas de calça e boxe.

 

Harry corou quando se viu com o torso agora nu, ele ainda era um pouco acanhado quando se tratava do seu corpo, mesmo que ele fosse muito gostoso. Palavras de Tom.

 

Tom abandonou seu pescoço para começar uma trilha de beijos pela clavícula e parando em um de seus mamilos onde mordiscou de leve fazendo Harry soltar um pequeno gemido que instigou ainda mais o maior quando esse sentiu a fisgada em seu membro. Enquanto trabalhava nos mamilos de Harry, Tom aproveitou e puxou com uma mão livre a sua varinha das vestes e com um balançar fez suas roupas sumirem o deixando de boxe.

 

Parou com as carícias e levantou o tronco ficando de joelhos na cama em frente a Harry o admirando, enquanto retirava a calça do menor sem pressa.

Oh fuck!

Seu pequeno era tão gostoso com todas as curvas proporcionais nos devidos lugares e aquelas coxas? Tom sentiu seu membro se animar ainda mais quando imaginou o que faria com Harry, mesmo que ele fosse ser cuidadoso por ser a primeira vez do seu pequeno isso não o impedia de pegá-lo de jeito.

 

Harry corou e se sentiu ainda mais ansioso e excitado diante do olhar felino que Tom lhe dava.

 

Tom sorriu malicioso e se abaixou de novo, mas agora com a cabeça indo em direção a uma anatomia específica de Harry. Fazendo o menor arfar em antecipação, Tom tirou sua boxe fazendo com que seu pênis saltasse para fora já com indícios de pré-gozo. Tom não se fez de rogado e rapidamente abocanhou a glande do menor.

 

Ah Tom... - Harry gemeu alto pela surpresa, era uma sensação tão boa.

 

Tom passou a chupá-lo inteiro, enquanto Harry segurava os lençóis fortemente abaixo de si e gemia manhoso por ter seu membro tratado com tanta maestria.

 

Tom estava mais que satisfeito por estar proporcionando prazer jamais sentido ao seu pequeno. Afinal só ele tinha esse direito, dar prazer a Harry. Seria o primeiro e único.

 

Harry estava perto de gozar quando Tom interrompeu os estímulos fazendo ele soltar um gemido de protesto. Harry olhou Tom com olhos suplicantes, esteve tão perto.

 

Calma pequeno - Tom mordeu o lóbulo da sua orelha, fazendo-o suspirar - ainda não acabei com você.

 

Tom retirou sua boxe ficando inteiramente nu em cima de Harry causando atrito entre seus membros, o que fez ambos gemerem.

 

Harry mal teve tempo de pensar coerentemente pois logo foi beijado por Tom, sentindo o seu próprio gosto. O beijo era selvagem e possessivo, exalava dominância da parte de Tom. Harry arfou ao sentir um dos dedos de Tom brincando em sua entrada, no começo ficou tenso mas Tom percebendo logo tratou de tranquiliza-lo.

 

Tudo bem pequeno - falou Tom no pé do seu ouvido - confie em mim, sim.. ?

 

Harry assentiu enquanto sentia o lubrificante em seu interior, feito por um feitiço não verbal de Tom.

 

Assim que Tom inseriu um dedo Harry sentiu um leve desconforto por ser a primeira vez que sentia algo dentro de si. Mas como estava bem lubrificado o desconforto logo passou dando lugar ao prazer, Tom percebendo isso inseriu um segundo dedo fazendo movimentos de tesoura, alargando a entrada de Harry.

 

Harry soltou um pequeno gemido de dor. Tom deu um selinho carinhoso em seus lábios aproveitando para inserir o terceiro dedo.

 

Ah Tom - Harry gemeu alto quando o maior passou a estocá-lo com os três dedos direto em sua próstata.

 

Tom sorriu de canto quando seu menino perdeu a vergonha e passou a rebolar de encontro a seus dedos. Tom sentiu seu membro pulsar dolorosamente com a visão que estava tendo. Seu pequeno completamente fodível rebolando em seus dedos.

 

Tom.. Ah, p-por favor... - Harry implorou o olhando nos olhos em meio a um gemido.

 

Tom mais do que rápido tirou seus dedos de dentro do menor e o puxou pelas pernas se levantando e botando o menor de quatro na cama tendo a perfeita visão daquele buraco rosado e pequeno piscando para ele. Tom soltou um baixo gemido enquanto espalhava seu pré-gozo em seu membro para uma melhor penetração.

 

Posicionou seu membro na entrada do menor e introduziu devagarinho, não sem antes ter feito um feitiço contraceptivo por mais que a ideia de ter filhos com Harry não fosse ruim, ainda não era a hora. Parou um pouco quando já estava todo dentro de Harry, não conseguiu evitar um gemido de contentamento e satisfação. Esperou Harry se acostumar já que Tom era grande e muito grosso, o menor não estava acostumado com penetrações e ainda mais ter um falo como aquele dentro de si.

 

Aos poucos Tom foi se movimentando sem pressa fazendo com que Harry relaxasse, Tom se abaixou encostando o peito nu nas costas de Harry colando ainda mais seus corpos. Harry sentiu gotas de suor descendo por seu rosto conforme o ar ficava mais quente.

 

Tom soltou um urro de prazer quando sentiu Harry contrair o canal quente em volta do seu pênis o esmagando, isso só serviu para deixar Tom mais louco fazendo com que ele quase deixa-se seu autocontrole esvair enquanto aumentava a velocidade das estocadas em Harry.

 

- A-AH Tom.. M-Mais rápido - Gritou Harry com a voz rouca nublada em prazer.

 

Foda-se o autocontrole, pensou Tom enquanto metia mais forte. Mais rápido. E duro.

 

AH TOM - Harry estremeceu quando Tom ainda colado em suas costas, com uma mão segurou seu pescoço não forte o suficiente para machucar, e o puxou para cima. Fazendo com que ficassem ajoelhados na cama em uma nova posição. Tom estava deixando uma trilha de mordidas em Harry que com certeza ficariam roxas.

 

Você... como consegue ser deliciosamente apertado e quente - exclamou Tom com a voz rouca e feroz no ouvido de Harry - Eu quero ouvir você gemendo o meu nome - Essa foi uma ordem que Harry ficou mais que feliz em atender enquanto gozava longamente sujando sua barriga.

 

TOOMM - gemeu manhoso.

 

Tom sabendo que logo gozaria, saiu de dentro de Harry e virou o menor de frente para si em um movimento rápido de mais, o pegando no colo e o prensando na parede. Em um rápido reflexo Tom estava estocando dentro dele em movimentos precisos e fortes, sentindo Harry o apertando. Não demoraria muito e seria sua vez.

 

Harry rodeou a cintura do maior com as pernas enquanto contraia seu canal ao redor de Tom, sentindo logo em seguida jatos de um líquido quente o preenchendo. Soltou um gemido manhoso e desabou com a testa no ombro do maior.

 

Tom cheirou seu pescoço e o desprendeu da parede andando em direção a cama e sentando nela com Harry ainda em seu colo, abrigando seu membro dentro de si. Tom tirou alguns fios que caiam pela testa do menor e olhou nos seus olhos.

 

- Eu te amo - falou o que estava entalado querendo sair a muito tempo.

 

Harry sorriu preguiçosamente já começando a ficar sonolento, mas não menos feliz quando respondeu:

 

 

Eu também te amo.

 

 

Tom sorriu, o mundo poderia estar se acabando lá fora agora que ele não se importava.

 

 


Notas Finais


Hey filhotes leiam as notas inicias blz?
olha.. não sei se ficou bom esse hot, pra falar a verdade é a primeira vez que escrevo uma cena assim, então..
RELEVEM QUALQUER COISAAA

até o próximo..


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...