1. Spirit Fanfics >
  2. Titanic >
  3. Capítulo 1 - Embarque

História Titanic - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Eu definitivamente amei escrever esse capítulo!

Muito obrigado a todos que comentaram no capítulo anterior! Ainda não tive tempo para responder, mas farei isso o mais rápido possível!

Espero que gostem da leitura!

Capítulo 2 - Capítulo 1 - Embarque


O que mais posso dizer?

Essas orações não estão mais funcionando

Cada palavra abatida em chamas

O que mais posso fazer com esses pedaços quebrados no chão?

Ashes - Céline Dion

 

 

 

Estava tão entretido com o movimento urbano de Southampton que sequer percebeu quando o carro onde estava parou. Resumia-se a se acomodar no banco traseiro do carro e voltar os olhos rasgados para o lado de fora, os castanhos logo se atentando à imensidão azul que havia mais à frente, assim como a impressionante embarcação de casco preto, onde os caracteres "RMS Titanic" estavam gravados, imponentes. Aquilo o fez engolir em seco e esfregar suavemente as mãos no tecido da calça preta que usava em uma tentativa de esconder o nervosismo.

Aquela viagem o estava tirando o sono nos últimos dias, e as olheiras abaixo dos olhos rasgados evidenciavam que sequer havia dormido na noite anterior, lembrando-se das palavras que ouvira de sua mãe antes de deixarem definitivamente a residência inglesa.

  "Deve se comportar perfeitamente durante esta viagem, Jungkook. Lembre-se que está na presença de seu futuro cunhado e que precisa agir como o homem que lhe ensinei a ser. Precisamos do apoio da família Jung".

Lembrar daquelas palavras faziam uma nova onda de enjoos subir pelo seu estômago, precisando fechar os olhos e respirar fundo para se controlar. A vontade que tinha naquele momento era a de deixar aquele carro e correr sem rumo pelas ruas e vielas de Southampton, porém, sabia que jamais poderia fugir do destino que fora traçado por terceiros há alguns meses atrás.

Precisava ir para Nova Iorque o quanto antes para que pudesse se casar com Jung Dawon, irmã de Jung Hoseok. A família Jung é uma das famílias mais ricas dos Estados Unidos, com um nome de confiança na indústria do aço americano. Hoseok estava em Southampton para resolver assuntos pertinentes aos negócios da família quando conheceu sua mãe, Jeon Mun Hee, meses antes em um jantar da elite inglesa. Obviamente, sua mãe escondeu completamente o fato da família Jeon, outrora uma das famílias mais poderosas de Southampton, estar à beira da falência após a morte de seu pai e a descoberta das infindáveis dívidas de jogos que o homem fizera antes de morrer. Desta forma, conseguindo convencer Hoseok de que seria uma boa ideia investir em um casamento entre as duas famílias.

O principal problema era que Jeon Jungkook era completamente contra aquele casamento. Sentia-se pressionado demais com as cobranças e responsabilidades que passou a ter após a morte do pai, preocupado em como se portar diante das outras pessoas, preocupado com qualquer palavra que saísse de seus lábios e que podiam vir a ser usadas contra si em algum momento, preocupado com a aparência e com as pessoas com quem convivia para não prejudicar a sua imagem. Todos os dias precisava incorporar um personagem antes de pôr os pés para fora de seu quarto, um personagem educado, passivo e gentil que sempre se preocupava com os outros e com o que os outros diziam.

Aquilo o estava sufocando, tanto ao ponto de sentir uma estranha pressão na faringe sempre que tentava respirar.

- Jungkook? Está tudo bem?

Foi tirado de seus pensamentos pela doce voz do homem ao seu lado, este que falou em um tom baixo. O Jeon voltou os olhos para o homem que o encarava com os castanhos rasgados preocupados, os cabelos castanhos lisos caindo sobre a testa enquanto que uma das mãos os jogavam para trás novamente. O homem estava muito bem vestido, com uma calça preta de alfaiataria, uma camisa branca de botões com um colete em tom grafite por cima e, para finalizar, uma gravata preta impecavelmente amarrada à gola da camisa. Jungkook comprimiu os lábios, esboçando o melhor sorriso que conseguiu naquele momento.

- Está tudo bem, Jin. Apenas a ideia de ficar tanto tempo em auto mar que está me deixando um pouco nervoso. - Respondeu rapidamente ao homem ao seu lado, que ergueu uma das sobrancelhas, não muito convencido daquela resposta.

- Nos conhecemos desde crianças, sei muito bem quando tem alguma coisa de errada com você. - O rapaz insistiu, fazendo Jungkook morder o lábio inferior brevemente.

De fato. Às vezes pensava que aquele homem o conhecia até mais que a si próprio. Kim Seokjin era o seu melhor amigo, filho de uma das empregadas da casa. Os garotos acabaram crescendo juntos e, apesar de pertencerem à classes completamente diferentes, Mun Hee resolveu promover Seokjin à criado particular de Jungkook quando o mesmo completou a maioridade. E precisava admitir que, por mais que a mãe fosse contra deixar que o Kim o acompanhasse até Nova Iorque, sentia-se mais aliviado e menos tenso com o amigo ao seu lado.

- Vamos descer. Em breve o navio partirá e eu não quero fazer a cena de correr até a rampa. - Comentou, desviando o assunto enquanto abria a porta do carro, sendo observado por um Seokjin que estreitou os olhos para si antes de fazer o mesmo.

Jungkook respirou fundo, aspirando o odor da maresia juntamente com a poeira que se levantava por conta da movimentação ativa do porto. Os olhos rasgados percorreram toda a extensão do lugar, os empregados do RMS Titanic trabalhavam arduamente para movimentar de um lado para o outro as infindáveis bagagens das famílias mais abastadas da primeira classe, e fora até mesmo pego desprevenido quando um deles se aproximou do carro de Hoseok, um Fiat Zero 12-15HP azul escuro. Observou sério quando o Jung entregou as chaves do carro para o empregado do navio, em seguida voltando os olhos pequenos para si quando percebeu ser observado.

- Demorou para sair. - Hoseok comentou, aproximando-se em dois passos com um enorme sorriso nos lábios. Assim como Seokjin, o Jung estava vestido de maneira impecável em seu outfit totalmente preto, porém com um blazer de belo corte e que destacava seus ponto fortes. O homem voltou os olhos para o Kim, que estava agora ao lado seu lado, encarando o navio um tanto surpreso. - Seu criado o atrasou ou algo assim? - Riu nasalmente. - Não me espanta ele estar assustado, provavelmente é a coisa mais maravilhosa que já teve a oportunidade de ver.

Jungkook mordeu o interior da boca com o comentário de Hoseok, que nunca perdia a oportunidade de colocar Seokjin em seu devido lugar. Gostaria de se impor e dizer alguma coisa, porém o pesado olhar que recebeu de sua mãe, que estava mais à frente, o fez recuar. O Kim, no entanto, voltou os olhos castanhos gordinhos para Hoseok, em seguida entortando os lábios em um sorriso gentil antes de fazer uma breve reverência.

- De fato, senhor Jung. Nunca tive a oportunidade de ver algo tão belo em toda a minha vida. - Seokjin respondeu cordial, porém, Jungkook sabia que por trás daquele sorriso, escondia-se um homem que estava se segurando para não perder a linha naquele momento.

- Não se esqueça a quem deve agradecer por essa oportunidade. - Continuou, os olhos pequenos analisando Seokjin dos pés a cabeça. - Se não fosse pela insistência do meu querido cunhado, não permitiria que sequer um fio de cabelo da criadagem tocasse em meu carro, imagine que nos acompanhasse até a América!

Jungkook franziu o cenho com aquele comentário, preparando-se para responder Hoseok quando foi interrompido pela risada de sua mãe, que se aproximava do trio.

- Tenho certeza de que ele é imensamente grato a todos nós, senhor Jung. - Mun Hee disse, em seguida voltando os olhos para Jungkook. - Meu filho, o que acha de ir na frente? Sei que deve estar curioso para conhecer o navio.

- Estou sim. Se não se incomodarem, irei adorar ir na frente. - Jungkook respondeu, e como não viu objeções, voltou-se para Seokjin. - Vamos, Jin.

Por mais que detestasse fugir de uma boa discussão, sabia que aquela era a oportunidade perfeita de tirar Seokjin daquela situação. Preocupava-se bastante com o amigo, principalmente com a sua personalidade explosiva demais às vezes e em como isso acabava o colocando em problemas. E a última coisa que queria no momento era ter problemas com o seu futuro cunhado.

Acabou fechando os olhos, apertando-os brevemente. A ideia de ter um cunhado como Jung Hoseok não lhe agradava nem um pouco. Jungkook sempre foi um homem que gostava de tratar as pessoas à sua volta com justiça, independente da classe social ou da quantidade de dinheiro que possuíam. Hoseok era o completo oposto de tudo em que acreditava, e apenas tratava como iguais pessoas da mesma classe, ou de classe superiores. Conviver diariamente com um homem como ele era mais uma de suas preocupações.

Voltou os olhos então para Seokjin. Já estavam distantes de Hoseok e de sua mãe e naquele momento o rapaz começava a mostrar toda a sua indignação. Estava com as mãos fechadas em punho e com as narinas infladas, e o cenho franzido apenas indicava o quão raivoso estava. Jungkook até mesmo iria fazer um comentário, porém, Seokjin foi mais rápido.

- Eu odeio aquele cara! - A voz de Seokjin saiu alta, e em seguida o rapaz bufou alto, arrancando um sorriso de Jungkook.

- Somos dois então. - Disse simplista, levando as duas mãos aos bolsos da calça.

- Que direito ele tem de falar aquelas coisas para mim?! - Seokjin continuou, gesticulando um pouco exagerado para ilustrar o tamanho de sua indignação. - Aquele desgraçado tem sorte de estarmos cercados por policiais, porque se eu pego aquele cretino sozinho eu arranco os dentes da frente!

Jungkook não conseguiu conter a risada alta naquele momento.

- Ah, você ri? Você acha isso engraçado, Jungkook? - O rapaz voltou os olhos para o lado, encarando o Jeon que ergueu ambas as mãos em sua defesa.

- Eu estou rindo de você, Jin! Aliás, você machucaria mesmo as suas mãos por alguém como o Hoseok? - Perguntou, erguendo uma das sobrancelhas.

- Óbvio que não. - O Kim fez um bico, voltando a olhar para frente, a rampa de embarque da terceira classe entrando em seu campo de visão. - Eu poderia usar um pé de cabra, ou então um pedaço de pau para facilitar o meu trabalho.

Jungkook riu mais uma vez, balançando a cabeça mais uma vez. Definitivamente adorava esse traço em específico da personalidade do melhor amigo.

Voltou os olhos para a rampa da terceira classe, onde famílias inteiras embarcavam com os seus poucos pertences e roupas simples, acabando por se perder ali por breves momentos, principalmente ao ver como as crianças sorriam e corriam animadas, algumas saltando, agarradas às saias de suas mães, estas que estavam com um semblante cansado, porém com um sorriso alegre no rosto por conta das novas oportunidades que teriam no Novo Mundo. Aquilo fez Jungkook suspirar pesadamente, todos ali pareciam prontos para batalhar por um novo futuro e enfrentar novos desafios, assim como também enfrentaria quando chegasse à Nova Iorque.

Sentiu mais uma vez o estranho movimentar na altura do estômago, indicando um novo enjôo causado pelos seus nervos que o obrigou a parar de andar. Aquilo acabou chamando a atenção de Seokjin, que também parou e virou-se de frente para o amigo com o olhar preocupado.

Iria perguntar o que Jungkook estava sentindo se não tivesse sido interrompido por duas pessoas que passavam apressadas por ali e que acabaram esbarrando nos dois rapazes. O Jeon até mesmo deu alguns passos para frente por conta do golpe desajeitado, sendo apoiado rapidamente por Seokjin, que ergueu os braços para que não deixasse Jungkook cair. Em seguida o Kim ergueu o olhar mais uma vez, o cenho franzido em raiva aparente enquanto olhava para as duas pessoas que corriam na direção da rampa de embarque da terceira classe. Eram dois rapazes, trajados de roupas simples típicas dos pobres ingleses.

- Ah... Que atrevidos! Ei! - Seokjin chamou irritado. - Olhem por onde estão indo! Não estamos nas vielas imundas que estão acostumados a andar!

Um dos rapazes se virou para trás ao ouvir a indignação de Seokjin, sorrindo ladino enquanto os cabelos pretos estavam bagunçados por conta do vento marítimo do porto, o que não impediu o Kim de contemplar os olhos rasgados do rapaz que quase se fechavam por conta do sorriso, bem como o rosto em formato de coração e a cútis levemente bronzeada.

Seokjin prendeu a respiração por breves momentos, em seguida balançando a cabeça negativamente enquanto repreendia a si mesmo por estar reparando em alguém como aquele rapaz.

Logo o segundo, um pouco mais baixo e também com traços orientais, voltou a se aproximar, puxando o mais alto pelo braço.

- Vamos logo Namjoon! - Ele disse, e então ambos voltaram a correr para a rampa de embarque da terceira classe.

Apenas naquele momento Seokjin se permitiu dar a devida atenção à Jungkook novamente, bufando brevemente.

- Esses cães da terceira classe não tem modos! - Reclamou, levando uma das mãos ao ombro do Jeon. - Está tudo bem? Sente-se mal?

- Um pouco enjoado, nada além disso. - Jungkook respondeu, erguendo os olhos delineados para o amigo. - Você me lembra o Hoseok falando desse jeito.

O Jeon precisou comprimir os lábios para conter o sorriso com a expressão de completa incredulidade de Seokjin para si. Sentia que o amigo poderia lhe bater se estivessem em um local mais reservado.

- Não me compare àquele restinho de chorume! - Disse em um tom alto, e Jungkook não conseguiu conter a risada, gargalhando alto antes de voltar a caminhar, sendo seguido pelo Kim.

- Eu só não consigo entender qual o seu problema com os mais pobres. - Comentou, o acesso que levava à rampa da primeira classe finalmente entrando em seu campo de visão.

- Jungkook, entenda que nada de bom vem se dermos passos para trás. Nós somos seres humanos, e seres humanos precisam evoluir. - Disse, erguendo as sobrancelhas e gesticulando como um grande professor que Jeon conheceu uma vez. - Não é bom nos envolvermos com gentalha, ou gentalha nos tornaremos. Mamãe sempre dizia isso.

- Sábia senhora Kim. - Jungkook meneou a cabeça positivamente. Era melhor concordar do que entrar em uma discussão com Seokjin.

O Kim continuava a tagarelar ao seu lado, e às vezes prestava atenção apenas para responder ao amigo quando era necessário. Não era de seu costume ignorar o amigo, mas estava concentrado demais no próprio nervoso para considerar fazer qualquer outra coisa. Jungkook sentia o peso de cada passo que dava e que o aproximava do RMS Titanic, como se o corpo estivesse pesando uma tonelada a mais na medida em que se via cada vez mais perto. Estava até mesmo com os olhos vidrados, levemente arregalados.

Tirou a passagem do bolso assim que começou a subir as escadas que levavam à rampa da primeira classe, o coração batendo tão forte que pensava poder escapar de seu peito a qualquer momento. Tudo o que queria fazer naquele momento era correr para bem longe, qualquer lugar que não fosse aquele navio, pois sabia que uma vez ali dentro, não haveria mais volta.

Uma vez dentro do RMS Titanic, seria obrigado a esquecer o antigo Jeon Jungkook.

Estava tão absorto em seus pensamentos que sequer percebeu que estavam já parados na porta de embarque, o braço levemente erguido e a mão trêmula segurando o bilhete da primeira classe. Jungkook ergueu o olhar para o funcionário da White Star Line que o fitava curioso, segurando a outra ponta do papel esperando que soltasse.

Fazia frio naquele dia, era o auge do inverno, mas Jeon Jungkook sentia que iria explodir por conta do calor que de repente subiu pelo seu corpo. Os dois se encararam por longos períodos de tempo, e então Seokjin, que observava tudo em silêncio, tocou no ombro de Jungkook.

- Jungkook... Solta o bilhete. - Pediu, e apenas naquele momento sentiu que voltou para a realidade, visto que soltou o bilhete de supetão, ao mesmo tempo em que soltou o ar que nem percebeu que estava prendendo nos pulmões.

- Obrigado, tenham um boa viagem, senhores. - O funcionário disse, dando passagem para que os dois entrassem.

Seokjin foi na frente, sendo seguido por Jungkook, que deu uma última olhada para trás, contemplando a cidade de Southampton uma última vez antes de entrar completamente dentro do navio.

 


Notas Finais


Comentários?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...