1. Spirit Fanfics >
  2. Titans: Brain Charge >
  3. Green and Purple

História Titans: Brain Charge - Capítulo 2


Escrita por: , Gaoc, B-Allen e RalphOxton


Notas do Autor


e

a escrita vai estar diferente pq o último cara q escreveu não é tão incrível quanto eu, ent só lamento

Capítulo 2 - Green and Purple


Fanfic / Fanfiction Titans: Brain Charge - Capítulo 2 - Green and Purple

Bludhaven

 

Era um dia bem ensolarado e comum para todos que ali moravam. Comum até a aparição de um cachorro, digamos... peculiar, andando pelas calçadas. Algumas pessoas se afastavam do mesmo, outras apenas encaravam confusas, e tinham as crianças curiosas que queriam toca-lo. Seus pais obviamente não deixavam, não pelo cachorro poder transmitir doenças, mas porque ele... bem... era verde.

 

– Cachorrinho! – Uma criança disse e se aproximou do tal cachorro. O mesmo apenas sentou e ficou encarando a criança enquanto balançava o rabo. A criança se aproxima e começa a fazer carinho no cachorro, esse que aceita de bom grado, porém a mãe da criança chega e a pega pelo braço

 

– Não toque nele! Ele é sujo, você não sabe por onde ele passou! – A mãe da criança diz e o cachorro parece se irritar

 

– Ei! Eu não sou sujo! Tá que uma hora ou outra eu curto rolar na lama, mas tem gente que passa lama na cara e estão de boa! – O cachorro fala. Todos que estavam ali passando subitamente param e encaram o cachorro – Eu... disse alguma coisa errada?

 

– Esse é o garoto que roubou minha loja outro dia! Bem que suspeitei da cor verde! – Diz um homem chegando com uma vassoura nas mãos

 

– Beleza galera, minha hora chegou. Aliás, olha lá um pato vesgo – Ele aponta com a patinha, mas apenas a criança olha – Eh, eu tentei

 

E assim ele sai correndo na forma de cachorro enquanto o homem com a vassoura o persegue. O mesmo entra por um beco e acaba por se ver sem saída. Quando vira para correr, o homem ja está atrás de sí

 

– Pô, cara. Eu só queria um pão.

 

– Não importa que tipo de aberração você seja, isso acaba agora! – Ele se aproxima com a vassoura, porém o cachorro avança na direção do mesmo. O homem da um golpe que em teoria, vai acertar o cachorro em cheio, mas ele não sente nada – Como?

 

Ao olhar para trás ele vê um rato também de coloração verde. De início não compreende, mas em seguida fica furioso e persegue o rato. Não demora muito para perder o mesmo de vista. Ele pega seu chapéu e joga no chão. O garoto em forma de rato apenas ri enquanto pega distância.

 

 

 

[...]

 

 

 

A garota apenas andava pelas ruas um pouco apressada, escondendo seu rosto com o capuz de seu casaco azul-escuro. Ela olha para os lados, abalada com o acontecimento de minutos atrás. Estava de noite, então poucas pessoas a veriam de qualquer forma.

 

"Não foi minha culpa. Eu apenas fiquei nervosa..."

 

Ela dizia para sí mesma como forma para tentar se acalmar. A mesma respira fundo e decide ir até o local de sempre: um armazém aparentemente abandonado e mal cuidado. A garota anda por alguns minutos até chegar no local. Olhando ao redor e tendo certeza de que não está sendo vigiada e se concentra, citando seu mantra de sempre.

 

– Azarath Metrion Zinthos... – Ela diz e uma espécie de aura negra cobre a mesma, a permitindo começar a flutuar. E assim ela fica bem próxima ao chão, cruzando as pernas e ficando em pose de meditação, relembrando de tudo que rolou mais cedo.

 

Andava tranquilamente pelo shopping de Bludhaven após ter fugido daquele local. Não sabia bem para onde ir e no momento não podia ir ao seu local de sempre. Logo a encontrariam e precisava fazer algo a respeito. Não poderia voltar para lá depois disso, definitivamente não podia. E assim escolheu a rota mais segura, o estacionamento. De lá poderia sair do local sem ser vista e vagar pelas ruas a noite sem ser incomodada. Ou foi o que pensou.

 

Ao chegar no estacionamento do shopping, uma voz pôde ser ouvida das sombras. Rachel virou com o susto, pensando ser algum deles a perseguindo, porém era um homem na qual nunca viu.

 

– O que uma mocinha igual você faz aqui uma hora dessas? – Ele dizia claramente com segundas intenções.

 

– Nada que interesse a você – Ela vira para seguir seu caminho, porém o homem pega seu pulso, a assustando – Me solta!

 

Sem perceber, gritou e o vidro de alguns carros ao redor estouram, afastando o homem e deixando a mesma com uma leve dor de cabeça. O homem encara assustado.

 

– Você é uma daquelas aberrações! – Ele puxa de seu bolso uma faca. Rachel se afasta, não por medo do que pode acontecer com ela, mas do que pode acontecer com o homem. Ela coloca as mãos na cabeça.

 

– Se afasta de mim...

 

– Acha que tenho medo de você, garota? 

 

– Deveria! – Ela levanta e encara o homem com seus olhos totalmente negros. Logo vários cortes aparecem pelo corpo do mesmo, sendo criados basicamente do nada. Mais vidros de carros explodem. O homem cai no chão pelo susto e pela perda de sangue por conta dos cortes. Rachel balança a cabeça e seus olhos voltam ao normal. Ela percebe uma movimentação estranha ao lado e vê um homem aparentemente normal tentando desesperadamente entrar em seu carro.

 

"Alguém me viu, merda!"

 

A garota se amaldiçoa mentalmente.

 

– Azarath Metrion Zinthos... – As lâmpadas do local explodem, deixando tudo escuro e dando a mesma a oportunidade de sair dali antes que mais pessoas chegem.

 

"Como cheguei nesse ponto?"

 

A garota sem perceber, acabou por passar a noite meditando. Sua dor de cabeça havia passado ao menos, porém acaba por sentir a presença de algumas pessoas paradas em sua frente.

 

"Ela morreu?"

 

Pergunta uma voz feminina. Rachel apenas abre os olhos devagar analisando os dois em sua frente.

 

– Vocês tem apenas 10 segundos antes que eu os expulse daqui. Agora falem.

 

 

 

[...]

 

 

 

Garfield ja estava cansado dessa vida de "ladrão". Passava o dia todo vagando por aí assustando umas pessoas, pegando comida de outras na forma de um pombo, e outras vezes apenas parava para impedir assaltos.

 

Mas agora você pergunta: "Um ladrão que para ladrões?"

 

O garoto não era esse tipo de ladrão. Ele gosta de dizer que "furta" as pessoas, já que roubo envolve ameaça. Por isso considerava sua vida bem entediante nesse aspecto. O mesmo estava no alto de um prédio qualquer em sua forma de pombo, observando qualquer um passar com algo comestível em mãos. De preferência, algo sem carne. Isso até sentir um vento atrás de si e virar curioso entortando a cabeça igual um pombo comum.

 

– É verdade, um pombo verde. – Diz Wally após parar de correr ao lado do garoto. Ele estava com seu uniforme de Kid Flash e olhava estranho para o pombo em sua frente.

 

– Errrr... pru? – Ele diz antes de sair voando. Era normal, já que ver alguém de uniforme e super poderes te procurando geralmente significa que você está encrencado. Não demora muito até ser pego e ficar preso entre as mãos do velocista.

 

– Relaxa, bro. Vim só conversar! – Wally diz em seguida soltando o garoto e deixando ele voar para cima de um outdoor.

 

– Primeiro de tudo... quem é você? – Pergunta Garfield após avaliar a outfit do West.

 

– Eu sou o Kid Flash!

 

– Quem?

 

– O Kid Flash, sabe?

 

– Não.

 

– Conhece o Flash?

 

– Claro, quem não conhece a liga?

 

– E não conhece o Kid Flash?

 

– Você é tipo o Robin do Flash?

 

Wally suspira derrotado e com o orgulho levemente ferido. Demora alguns segundos para ele se tocar o real objetivo do porquê ele estar ali.

 

– Olha, você me conhecendo ou não, precisamos de ajuda. Eu, Robin e a Moça Maravilha estamos montando uma equipe e precisamos de... sabe... pessoas.

 

– Por que não chamam os Robins do resto da liga? – O pombo vira a cabeça enquanto coça o corpo com o bico.

 

– Primeiro, para de chamar assim. Segundo, tentamos... só que claramente não deu certo, mas isso não é o foco agora. Está dentro ou não?

 

– Você veio atrás de mim porque foi o primeiro pombo verde que achou?

 

– Cara, eu acho que você é o único pombo verde que existe.

 

– Justo. Tô dentro – O garoto voa até o chão e retorna até sua forma humana. Ele extende a mão para Wally, esse que vira o rosto – Garfield Logan, prazer

 

– Cara... – O velocista aponta para baixo, fazendo Gar perceber que está totalmente nu.

 

– Errr... esqueci desse detalhe...

 

 

 

[...]

 

 

 

– Uma equipe? – Rachel pergunta para Robin e a Moça Maravilha, estes que explicaram a situação toda – Primeiramente, como me encontraram?

 

– Não foi difícil seguir seus rastros desde aquele estacionamento. Também ajudou a prender aquele cara. Ele era procurado pela polícia por tráfico, ao que tudo indica – Dick dizia de braços cruzados e passando um ar de superioridade para Donna, essa que revirava os olhos para o garoto

 

– E o que faz vocês pensarem que eu aceitaria entrar nessa "equipe"? 

 

– Bem, precisamos do máximo de ajuda possível e só com a força que temos, não vamos conseguir. Achamos que se você participar, será de grande ajuda para nós – Donna diz de forma sincera. Rachel pensa um pouco sobre, mas logo seu pensamento muda e a mesma lembra de como foi tratada sua vida toda.

 

– Não. 

 

– Bem, se você mudar de idei-- 

 

– Não irei. Agora sumam daqui. – A garota corta a fala de Dick e fecha os olhos, voltando a meditar. O mesmo olha para Donna e suspira. Os dois se viram e vão embora, deixando Rachel sozinha naquele armazém, pensando no tanto que aconteceu nesse espaço de 24 horas.

 

E pensar que isso tudo aconteceria tão próximo do seu aniversário


 

[...]
 

Nos Laboratórios S.T.A.R. , o cientista Silas Stone trabalharia num tipo de Mini-satélite. Os dados do computador que foram recentemente acessados conectariam neste. 
 

– Silas, passei pra ver se já terminou de analisar aquela partícula pra mim. – Disse a cientista  em treinamento, mas o Dr. Stone não parecia muito receptivo. Então, de maneira ansiosa, esse se levantou ficando na frente dos monitores.

 

– Sim, Sim... Já terminei.

 

– O que é isso que está trabalhando? Projeto ca—

 

– Não é nada! A partícula já está terminada e em sua sala. Pode ir agora, Kafka.

 

Um pouco assustada por notar o estresse e uma versão do cientista que raramente se vê, a mulher impressionada sairia do local se dirigindo à sua sala. Silas se senta e respira profundamente pelo susto. Ele coloca suas mãos na cabeça e desabafa com os olhos fechados.

 

– Me desculpe, Victor...


 

 

 

 


Notas Finais


azArAtH mEtRiUm ZinThOs

singaro dá cãrse

beba muito líquido

fica em casa carAio

tchau


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...