1. Spirit Fanfics >
  2. Titans never dies >
  3. Sem palavras

História Titans never dies - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - Sem palavras


Numa casa recheada de aconchego e amor, morava uma família na parte nobre de Jump City, a família Harper, o Sr. Harper é um homem de negócios e passa o dia inteiro trabalhando enquanto sua esposa fica em casa tomando conta da residência e de seu filho Henry. Henry é um jovem de 17 anos que estuda na escola local de Jump City, Henry sempre teve uma ótima relação com o seu pai, Arthur, mas tudo mudou há cinco anos, quando os poderes do jovem se manifestaram. Seu pai como um homem muito religioso, exilou seu filho de seu coração, pois aquilo certamente era coisa do diabo, morando em uma casa rodeado por olhares de ódio e medo, uma escuridão surgiu e engoliu a sua alma, seu único momento de paz, era quando botava uma mascara e virava o Speechless, um DJ muito talentoso e cobiçado em varias festas, mas ninguém sabia que ele era o Speechless. As brigas matinais com seu pai já eram rotina na vida do jovem e não foi diferente aquela manhã, Henry tinha sempre muita raiva pela opinião que seu pai tinha sobre ele e por sua mãe que permitia os castigos e apelidos horrendos que seu pai lhe dava, tinha raiva de como ela ficava parada como uma cadela enquanto deixava seu filho sofrer.  Sentando a mesa ele já pode ver o olhar de repreensão de seu pai.

- Você vai assim para a escola? – Seu pai falou ao se referir a sua jeans rasgada e sua maquiagem preta nos olhos.

- Eu me sinto bem assim, ok? – Seu pai ia retrucar quando foi interrompido pela mãe.

- Sem brigas hoje, pode ser?

- Se pelo menos ele se vestisse como homem – O pai falou ignorante.

- Eu não entendo por que vocês adotaram uma criança se iam tratar ela assim – Henry falou se levantando da mesa.

- Ei, eu sou seu pai – Arthur falou exigindo respeito.

- Então haja como tal – Henry saiu de casa em direção à escola.

Quando estava chegando à escola percebe que olhares e cochichos, não era exatamente um segredo sobre os seus poderes, mas também não havia nada concreto, apenas rumores, ele até já tinha ido para o jornal como “O adolescente bruxo de Jump High”, Henry tinha o poder de tirar o som das coisas, inclusive pessoas, e redirecionar esse som com as mãos. Ao entrar no colégio, ele vai direto para seu armário.

- Ei, aberração – Ele escuta um grupo de jogadores passando e rindo.

Tomado pela raiva ele da um soco em seu armário e segue em frente. As aulas eram chatas e entediantes, sempre ia para o mesmo canto para escutar as mesmas musicas e trabalhar no seu próximo som, seu dia era simples, entrar e sair sem ser percebido e tudo estava indo muito bem até a hora da saída, quando alguns homens armados entraram na escola e fizeram todo mundo de refém.

- Henry Harper – Um dos homens gritou com sotaque russo – Entreguem ele e ninguém tem que morrer.

Estava bem claro que estavam atrás dele e Harper não era burro o suficiente para achar que aquela escola o protegeria, fugir do local não seria difícil, já fizera antes para escapar de bullying. Dito e feito, ele estava livre e queria ir rapidamente para casa, usaria essa oportunidade para fugir, fugir de sua família, de sua escola, de sua vida... Começou a correr com toda energia que tinha e quando finalmente entrou em casa só pode ver sua mão chorando e gritando na frente do corpo morto e sangrento de seu pai, um homem armado atrás dela se pronunciou.

- Você vem comigo, por bem ou por mal! – O homem também tinha sotaque russo.

O russo aprontou a arma para ele pronto para atirar, mas Henry usou seus poderes e arrancou o som agudo que saia dos berros de sua mãe, quando ela finalmente ficou esgotada e caiu no chão, Harper usou toda a energia contra o terrorista, fazendo sua orelha sangrar e cair no chão, quando pode perceber, os dois estavam mortos, e ali ele presenciou aquilo que seu pai sempre dizia, que ele era o fruto do diabo. Ao sair desesperado pela porta, destinado a fugir e talvez se matar, ele se viu cercado por centenas de terroristas russos, todos de terno e carros pretos. Um dos homens se aproximou de Henry e injetou algo em seu pescoço, o fazendo desmaiar.

Quando Henry conseguiu finalmente abrir os olhos percebeu que estava amarrado em uma cadeira dentro de algum laboratório, estava sozinho na sala e a única coisa que podia ouvir era seus pensamentos. Depois de muito tempo amarrado e passando fome, um homem rodeado por vários médicos entram na sala e vão para cima de Henry o examinando com os olhares e com aparelhos. O homem que se destacava ficava no meio e estava com armas por todo o corpo.

- Saiam de cima do garoto – Ele ordenou e todos obedeceram. Ele se aproximou de Henry e apontou uma arma para a cabeça dele – Me obedeça e você vive, me irrite e você morre.

O homem mata um dos médicos que estava ao seu lado e sai da sala.

- Alguém limpa essa merda.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...