1. Spirit Fanfics >
  2. Titãs do amanhã >
  3. Fuga

História Titãs do amanhã - Capítulo 8


Escrita por:


Capítulo 8 - Fuga


Kory continuava desaparecida desde acidentalmente ter desintegrado um idoso que estava em pé ao lado de um poste, Dick sabia que tudo isso era uma armadilha e mesmo assim foi de boca para ela.

Já estava no meio da noite e tanto quanto Cyborg e Asa Noturna estavam a procura da alien laranjada que provavelmente deveria estar se afogando em suas próprias lágrimas, e Dick não podia fazer nada para ajudar pois nem ao menos sabia onde ela estava. 

— tem certeza que ela não está na torre dos titãs? — Dick perguntou para seu amigo robótico que estava agora dirigindo o velho carro dos titãs. 

— não, já chequei as câmeras e não tem ninguém lá, ela pode estar em qualquer lugar do planeta  — cyborg disse acelerando o carro pela estrada fria e sombria da noite.

— como eu pude cair em uma armadilha tão barata como essa? 

— era óbvio Dick, eles queriam que você acreditasse que era uma armadilha para capturar a gente, mas era apenas para acabar com a nossa imagem pública, e sendo uma titã, todos nós estamos sendo perseguidos agora.

— eu sou um merda!

— não fica de culpando passarinho, nenhum de nós podia prever isso.

— eu devia ter previsto, o Batman teria previsto!

— você ainda não é o Batman, é só um cara casado com a alien mais bonita do universo que deve estar chorando agora esperando que você vá até ela, então pare de se culpar e vamos nos concentrar em achar a Kory  — cyborg acionou as turbinas e disparou pela estrada. 

Do outro lado da cidade em meio a uma floresta fria e escura, Ravena e Mutano caminhavam em busca de um hotel 24 horas que foi construído naquela região, um hotel que fornecia a paisagem natural como turismo e uma experiência diferente para seus hóspedes .

Mas o hotel estava inativo a vários anos, e provavelmente já não estaria mais lá. 

— mas que droga, a gente está andando a horas nessa mata horrenda e até agora não achamos a merda do hotel  — Ravena olhava o mapa que Dick lhe deu e continuava a caminhar  — porque precisamos nos esconder?

— porque estão todos nos caçando agora depois do fiasco de hoje a tarde, e se nos pegarem vamos ir direto para as mãos da waller e servir como cobais para os planos doentios da baleia nojenta  — Garfield disse na forma de um tigre caminhando ao lado da empata que estava impaciente.

Depois de andarem por mais vinte minutos acharam um clareira, e lá estava o velho e quase desmoronando hotel, tinha dois andares e foi construído a base de madeira que a esta altura estava completamente podre. 

— eu não vou dormir aí! — Ravena jogou o mapa fora — mas não vou mesmo!

— até pra mim isso é horrível, não deve ter mais ninguém aí e vamos dormir em meio aos mosquitos, isso realmente é degradante. — Garfield disse voltando a forma humana.

Ravena abriu um sorriso no canto dos lábios e logo depois abriu um portal. 

— venha, eu sei para onde podemos passar esta noite — ela entrou no portal sendo seguida pelo herói verde que não contestou. 

Eles foram parar em um apartamento bagunçado, onde havia caixas de pizza para todos os lados e preservativos usados.

— meu velho apartamento , não sei como ainda não cortaram a energia  — ela ascendeu as luzes e ligou a televisão  — tudo funcionando como era.

— você morava nesse chiqueiro? — ele fez uma pergunta retórica  — já vi porcos mais confortáveis na lama do que aqui  — ele encarou em volta. 

Não era de todo ruim como ele imaginava, a sala era espaçosa e tinha uma cozinha simples com geladeira e fogão, era o necessário para se viver bem, pelo menos para uma pessoa. 

— vamos até meu quarto, eu estou morrendo de sono — a empata desligou a televisão e caminhou pelo corredor até o final, chegando na frente de sua porta a abriu e mostrou seu refúgio ao titã verde.

O quarto não estava uma bagunça como a sala, a cama era de casal e estava coberta por um lençol de seda roxo, tinha um edredom que cobria toda a extensão da cama e dois travesseiros, o ar do quarto era fresco e havia uma central caso fizesse calor. 

Também contava com um banheiro e uma televisão, junto a um xbox one com alguns jogos aleatórios. 

— não é nada ruim, mas eu gostaria de dizer que... — antes de terminar sua frase ele encarou a empata novamente que já estava nua e com as pernas abertas na cama mostrando sua intimidade rosada, seu membro ficou ereto quase que automaticamente.

— e então, vai me deixar esperando? — ela penetrou a si própria com os dedos e depois levou a boca — delícia! Porque não vem provar?

Garfield novamente estava sendo atraído por desejos carnais de sua parceira , mas ele não conseguia resistir por mais que quisesse, estava agora parado no lugar lutando contra a sedução da empata. 

— então quer fazer da forma mais difícil não é  — ela sorriu se levantando e andando até ele — se ajoelhe! — ela ordenou o mesmo obedeceu. 

Então ela cobriu seu rosto com uma de suas coxas deixando sua vagina exposta para que o mesmo degustasse. 

Ele não conseguiu mais resistir e seus olhos ganharam o brilho verde ofuscante novamente, e ele colocou sua língua para trabalhar.

Antes que ela desse o primeiro urro de prazer ele usando força bruta a jogou na cama e continuou seu trabalho, enquanto a mesma se contorcia de prazer enquanto urrava o nome do titã entre gemidos.

— G-Gar... — ela suspirou enquanto ele bulinava o clitóris dela, fazendo coisas que nenhum homem jamais fez, fazendo-a sentir um prazer quase que infinito.

— já é o bastante? — ele dizia com sua voz humana, mas quem estava no controle era seu instinto animalesco.

— j-já... — ela suspirou .

Ele subiu pelo corpo dela e sem aviso prévio abocanhou um de seus seios e começou a maltrata-los. 

Ravena jogou a cabeça para trás e aproveitou cada toque, cada carícia, cada suspiro que ambos davam.

Ela não entendia porque, mas sabia que ele a fazia sentir coisas que em oito anos de programa nunca conseguiu.

— agora vamos brincar pesado! — ele sorriu rasgando suas calças com suas garras o que fez Ravena arregalar os olhos  — hoje é minha vez de desfrutar de você  a voz animalesca da fera chegou aos ouvidos de Ravena a fazendo abrir os olhos, mas fechou novamente quando o titã a penetrou tão forte que arrancou um gemido alto da empata. 

— v-vai... com... C-CALMA! — berrou enquanto a fera martelava sua intimidade, ela gemia descontroladamente e ao invés de prazer  estava  sentindo dor. 

Uma dor viciante que a fazia querer mais, uma dor que a fazia gritar por mais o que incentivava a fera a continuar. 

E depois de um tempo a dor sumiu, ela tinha perdido a noção do tempo e espaço ao seu redor, a fera tinha o controle de seu corpo para si, a única coisa que ela conseguia sentir era um prazer descomunal, uma ferocidade e acima de tudo, uma paixão que cobria o todos seus outros sentimentos. 

Ao contrário do que Ravena pensava, a fera não estava agindo apenas para lhe causar dor, estava agindo por um instinto que superava a paixão e o amor humano, era um amor tão grande que ela se sentia cada vez mais forte. 

O amor dos animais é muito diferente do dos humanos, pois mesmo que a fêmea machuque o macho ou vice-versa, ambos nunca irão se separar e continuaram a lutar e defender um ao outro. 

Já o amor dos humanos nunca é certo, por mais que duas pessoas se amem muito, coisas banais como traição ou desejo por novas experiências podem acabar com um amor que durou por décadas. 

Quando ambos finalmente chegaram no ápice, Garfield conseguiu recuperar o controle de seu corpo, mas antes da fera ter trocado de lugar com o rapaz, a empata ouviu uma simples frase de três palavras que chocaram em seu corpo como granadas, " eu te amo".

— R-Ravena , m-me desculpe, a fera me controlou e... — mas uma vez teve sua fala interrompida por um beijo da empata , um beijo cheio de paixão e gratidão.

— não se preocupe, ela me disse coisas que eu gostei de ouvir — disse com um sorriso simples, mas cheio de significado. 

— o q-que ela disse? — o metamorfo pergunta suando frio. 

— algo que talvez você queira me dizer mas não tem coragem, e eu também não sei como me sentiria com isso — ela acariciou os pelos de seu rosto  — acho que ela me disse para me dar tempo de pensar antes de você mesmo me falar.

— m-mas f-falar o quê? — ele sabia a resposta mas temia que fosse mesmo as três palavras que ele estava pensando. 

— não se apresse, eu vou esperar  — ela disse com um sorriso tão resplendor que ele sim, sabia que era as três palavras. 

Toda aquela história da fera a considerar como fêmea, para ambos titãs não passava de uma metáfora, mas agora eles sabiam o que realmente poderia significar.

A titã de olhos violeta estava completamente seduzida pelo rapaz que insistia em se fazer de desentendido, sentia algo que ia muito além do simples prazer de uma transa.

Encarou o membro do rapaz que ainda continuava ereto, então decidiu liberar o que liberava apenas para os que lhe pagassem oito vezes mas que o preço normal, que era 400 dólares. 

Ela engatinhou até ele e sentou-se em seu colo segurando o rosto verde dele com as duas mãos  e o encarando com um sorriso fofo.

Garfield não sabia como reagir, maldição, ela sabia como seduzir e mesmo inconscientemente estava fazendo isso, pela primeira vez Garfield não sabia o que fazer ou como agir, suas mãos estavam suando frio.

— R-Ravena eu... — ela o calou com mais um beijo. 

— penetre de novo... mas aqui atrás  — ela sussurou levantando sua bunda e colocando o membro dele no buraco que desejava, e logo depois desceu de uma vez arrancando um gemido alto de ambos. 

— R-R-R-Ravena... — tentou dizer, seu membro estava formigando. 

— shhhh! — tampou os lábios dele — apenas faça!

Ela disse e ele obedeceu, ambos estavam suados e com as emoções a flor da pele, estavam desejando mais do que podiam sentir. 

Os movimentos que ele fazia eram cuidadosos para não causar nenhum dano a ela, e a mesma acompanhava seus movimentos. 

E a noite que era para ser apenas mais uma, se tornou uma noite de revelações onde ambos finalmente sabiam o que sentiam, mas Garfield ainda não queria aceitar. 

Ele acostumou-se com a vida solitária na floresta, e não conseguia aceitar que alguém sem emoções fortes como ele iria se apaixonar por uma pessoa estérica e sarcástica como a Ravena, eles eram no mínimo um casal improvável.

Principalmente porque ele se culpava lá no fundo, ele era alguém feliz que vivia fazendo piadas para alegrar seu grupo, ele dependia deles para se manter bem e com seu psicológico intacto, e sem eles tudo se destroçou.

Ele se transformou em alguém sem empatia, alguém que só se importava com os animais , alguém sem comunicação e o mais importante, alguém que se esqueceu de como sorrir. 

Mas Ravena estava ali para lembra-lo, para mostrar a ele que a vida que ele levava o final era triste, onde você ficaria sozinho por tanto tempo que perderia a noção de realidade, entrar em um estado vegetativo que o único lugar que você se sentiria seguro era dentro de você mesmo. 

Ela sabia disso pois isso vem acontecendo com ela desde a data de seu nascimento, e ela se sentia que por obrigação de não deixar alguém se perder dentro de si mesmo como ela esteve perdida durante tantos anos, a sensação de nunca mais ser salvo é angustiante. 

Quando ele se liberou pela segunda vez ambos caíram na cama cansados e pensativos, ele estava com uma sensação que não tinha faz muito tempo desde que sua mãe morreu, a sensação de ter alguém especial. 

E ela sentia o mesmo, pois sabia que por trás da armadura e dos pelos verdes, havia uma alma pura e bondosa, alguém que existia apenas para fazer os outros sorrir e para tornar o dia de qualquer um mais interessante. 

E foi com esses pensamentos que ela adormeceu no peitoral dele, o rapaz ainda com os olhos abertos podia ouvir o rugido de satisfação de cada fera em sua mente, e depois de muito tempo um sorriso de felicidade estava em seu rosto, um sorriso que ele acreditava ter sido extinto.

No dia seguinte, ele acordou mais feliz que o normal, como se sua noite anterior tivesse sido a mais especial possível e que nada poderia estragar seu dia hoje. 

Ele olhou para o lado e viu a pequena maga dormindo suavemente em seu peitoral, com um sorriso sincero ele a beijou e se levantou da cama indo até o banheiro para tomar uma ducha. 

Durante o banho pensou estar lavando todas as desgraças de sua vida, todas estavam escorrendo por sua pele e sumindo de seus pensamentos , ele não queria viver mais no passado, queria aproveitar o presente o máximo possível, e com ELA, a pessoa mais especial que ele conheceu. 

Tinha esquecido de pegar a toalha então se transformou em um cachorro balançando seu corpo espirrando água para todas as direções , então voltou a forma humana e pensou o que ia vestir já que não tinha trazido roupas.

Se transformou em um urso polar e saiu do banheiro, encontrou sua companheira sentada na cama esfregando os olhos. 

— bom dia princesa, dormiu bem? — o animal verde pergunta. 

— como se estivesse abraçada com um urso — ela sorriu e encarou o grande mamífero ficando em pé nas duas patas traseiras e lhe encarando  — você não se transformou em um urso enquanto dormia né?

— Espero que não  — ele sorriu — mas não encontrei o que vestir por aqui, esqueci de pegar algumas roupas na torre. 

— você está vestindo um belo casaco de urso  — ela brincou se levantando e indo fazer sua higiene matinal.

— não é a mesma coisa, não posso sair na rua desse jeito.

— e qual a diferença para com a forma humana?

— é... pensando bem eu seria chamativo de qualquer forma. 

— talvez não  — ela saiu do banheiro enxugando o cabelo e vestiu roupas civis comuns, como short e blusa  — vire um papagaio e vamos tomar café  — ela deu a ideia e Garfield aderiu sem discutir .

Se transformou em um papagaio e pousou nos ombros dela, afinal a maioria dos papagaios são verdes, então não chamaria atenção como seus outros animais chamariam. 

Eles saíram do apartamento e foram até a cafeteria mais próxima, entrando lá ela pediu um café e cinco cookies de chocolate. 

— aqui meu amigo emplumado  — ela colocou um cookie no chão para que Garfield comesse.

Mas quando o papagaio verde pousou no chão , notou que um homem lhe encarava constantemente, e podia jurar que um de seus olhos brilhou vermelho. 

ravena, acho melhor a gente sair daqui  — Garfield sussurou em seu ouvido. 

— por que Gar? aqui é super tranquilo e... — antes de sua fala se concluir um raio vermelho destruiu metade do balcão o qual ela estava comendo. 

ameaça meta-humana localizada, ordens para destruí-la — o homem que lhe encarava se transformou em um robô humanóide de alta tecnologia. 

Seu braço novamente se transformou em um canhão de energia e disparou contra o papagaio que encolheu mudando para a forma de um beija-flor para facilitar suas evasivas .

Pessoas gritavam fugindo do local enquanto algumas filmavam e postavam nas redes sociais, logo a cara de ambos os titãs estariam na televisão. 

— puta que pariu! — Ravena xingou pensando no que fazer. 

Garfield não podia esperar e se transformou em um gigantesco tigre dentes de sabre, um dos maiores predadores do período pleistoceno, era temido pois tinha uma grande musculatura e caninos que chegavam a vinte centímetros, fora que era duas vezes maior que um tigre comum.

Com um rugido exibindo suas presas ele pulou em cima de uma das mesas desviando de um tiro disparado pelo robô e em seguida avançou contra ele mordendo seu pescoço atravessando seus caninos por sua jugular metálica. 

Quando o robô estava no chão ele usou suas garras para fatiar sua armadura, e com um golpe destruiu os olhos do inimigo metálico. 

— temos que sair daqui! — Ravena foi até ele ouvindo as sirenes da polícia. 

— eu sei, nos tire daqui  — Garfield voltou a normal e quando o primeiro policial entrou, não viu mais nada além da destruição causada pelo robô. 

Os titãs sabiam muito bem que a caça havia começado, e se não reagissem iriam acabar em uma panela.




Notas Finais


Faalaaa glr, se tiver erros de concordância ou de escrita , me avisem

COMENTEM!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...