1. Spirit Fanfics >
  2. Titãs do amanhã >
  3. Perseguição

História Titãs do amanhã - Capítulo 9


Escrita por:


Capítulo 9 - Perseguição


Fanfic / Fanfiction Titãs do amanhã - Capítulo 9 - Perseguição

— não adianta Dick! Já procuramos por metade do planeta e nada — cyborg disse para o amigo frustrado a seu lado  — você não sabe de algum lugar especial para ela que ela gostaria de ir caso estivesse triste?

— não... a não ser que... — Dick tirou um disco de seu bolso que estava apitando constantemente — o jardim das chamas, porque não pensei em procurar lá primeiro, fica no quintal da minha mansão.

— você mandou construir um jardim para a Kory? — o amigo metálico pergunta. 

— ela precisava de algo que a fizesse lembrar do planeta, e uma plantação tamaraneana era uma boa pedida, vamos abra um tubo de explosão! — Dick ordenou e ambos heróis saíram da Arábia e foram até Gotham city, mas especificamente na mansão Wayne.

Dick correu rapidamente para o jardim e quando chegou teve uma das visões mais tristes de sua vida, Kory quase não tinha mais lágrimas para derramar e seu rosto estava inchado, suas chamas quase não brilhavam mais e ela estava encolhida em um canto meio as flores amarelas do jardim. 

— Kory... por favor  — ele correu até ela se ajoelhando em sua frente  — não foi culpa sua.

— f-foi sim Dick, eu sou um monstro! — disse entre soluços, sua voz estava falha e rouca.

— não, você não é, você tem protegido essas pessoas por muito tempo e não devia nada para elas, em vez de agir como os orgulhosos e conquistadores guerreiros do seu planeta, você agiu como uma heroína aqui na terra!

— mas eu matei um homem Dick!

— você não matou, foi tudo armação, ele usou suas emoções para executar um plano.

—  e deu certo... por minha culpa todas as pessoas agora nos odeiam — sussurou a última parte deixando que mais lágrimas caíssem, escondendo  seu rosto entre os joelhos. 

— você não é culpada! — ele levantou a voz o que fez ela o encarar  — por favor Kory, não aguento ver você assim, você me machuca mais que mil balas — ele deixou que algumas lágrimas caíssem na terra fértil do jardim.

A princesa não aguentou e o beijou, um beijo desesperado e cheio de mágoa, mas mesmo assim confortante para o casal, Kory sabia que Dick não suportaria vê-la em um estado tão deplorável. 

— prometa que não vai mais chorar? — ele pediu de joelhos segurando as mãos dela e depositando um beijo nas costas de cada uma — por favor?

— e-eu prometo, TE AMO DICK! — ela jogou-se em cima  dele o beijando , dessa vez com mais paixão e ardência, pois suas chamas corporais puderam brilhar de novo. 

— também te amo estrelinha! — ele disse beijando-a novamente .

Cyborg os olhava com satisfação no rosto, era bom ver seus dois melhores amigos felizes um com o outro. 

— espero que Mutano  e Ravena tenham tido mais sorte, falando nisso... — ele apertou em um comunicador em seu braço  — alô mutano, como você...

ROAAHHHH!! — o rugido de um grande gorila pôde ser ouvido do outro lado da linha. 

Mutano e Ravena estavam em um bar tentando sobreviver a outro ataque dos robôs carrascos que os rastrearam até o local que era perto do apartamento de Ravena. 

Garfield se viu obrigado a reagir e se transformou em um grande, musculoso e pesado gorila avançando contra os robôs,  e sua investida foi um sucesso. 

Estava com um robô em cada uma de suas grandes mãos e um terceiro tendo sua cabeça esmagada pelo pé verde do primata. 

— não é uma boa hora Vic  — Garfield bateu cabeça com cabeça dos robôs que estavam em suas mãos e se transformou em um rato correndo para debaixo do balcão assim evitando a chuva de lasers que os cinco robôs restantes estavam disparando em sua direção. 

o quê está acontecendo Garfield? — pergunta Victor do outro lado da linha.

— robôs assassinos tentando servir tanto a minha cabeça quanto a de Ravena no jantar da waller! — respondeu o amigo peludo.

acha que ela está por trás disso?

sim! , agora tenho que sobreviver, estamos na avenida dois com a quatro na frente do antigo cinema no bar cinco estrelas, venham aqui — Garfield desligou o comunicador com uma de suas patinhas e encarou Ravena que estava atrás de um escudo medieval feito de magia. 

— Garfield, nós temos que sair daqui! — Ravena disse baixando o escudo e disparando duas rajadas de energia roxa em dois robôs os derrubando  — eles são implacáveis, caem e se levantam depois!.

— tô ligado!  — mutano se transformou em um urso polar e com uma patada tirou outro carrasco biônico de cena.

Os outros dois dispararam contra ele e o mesmo mudou para a forma de uma cascavel e passou por  debaixo das pernas dos inimigos e logo depois se transformou  em um yeti esmagando a cabeça de ambos com suas grandes mãos. 

— eles vão se regenerar, temos que voltar para o seu apartamento — disse mudando para um guepardo e saindo do bar junto a empata. 

Mas ao saírem os olhos de ambos se arregalaram, uma dúzia de robôs policiais estavam a espera dos titãs.

não resistam e assim evitaremos mortes desnecessárias! — disseram todos os robôs juntos. 

— robôs humanoides... tô cheio deles! — Ravena cerrou os dentes e recitou seu mantra  — AZARATH METRION ZINTOS! — gritou com seus olhos cheios de poder gerando uma explosão eletromagnética que inutilizou todos os robôs.

Então eles aproveitaram para fugir, mas as pessoas que estavam na rua estavam os fotografando e os filmando, os dois titãs logo estariam nos telões da televisão sendo caçados. 

A sirene da polícia foi ouvida por mutano e seus olhos brilharam de raiva, ele tinha que acabar com toda aquela perseguição. 

Ele parou e virou-se encarando os cinco carros de polícia, cada carro trazia consigo quatro robôs policiais que fariam de tudo para prender ou matar os titãs. 

— Ravena... FOGE! — o guepardo verde encarou a empata, que sabia muito bem de quem era aquela voz e assim obedeceu sumindo na escuridão da noite. 

renda-se e venha conosco  — um dos robôs disse apontando dois canhões de energia, um de cada braço, e a mesma ação foi feita pelos demais. 

O metamorfo fechou os olhos e o vermelho levou a imagem de uma besta a sua cabeça , uma besta que ele nunca tinha visto antes ou ouvido falar, mas que podia sentir um tremendo poder.

Seu corpo de guepardo foi se deformando, aumentando a massa e o tamanho, ganhando chifres e pelos mais pontiagudos, suas costas cresceram e com um rugido devastador semelhante a um trovão afastou todas as pessoas do local.

Um mamífero semelhante a um grande lobo estava presente, sua pele estava envolta de eletricidade vermelha, tinha cinco metros de altura, pesava seis toneladas e tinha garras maiores que carros esportivos, contava com dois afiados chifres que saiam de sua cabeça.

Em seus ombros era possível ver três cristais verdes que eram os geradores da energia avermelhada, tinha mais uma fileira de cristais  na extensão de suas costas que sua grande quantidade de  pelos cobriam.

Com um rugido seus chifres foram envoltos pela energia e seu olhos brilharam em um verde mais que ofuscante, ele então preparou-se para um ataque massivo.

Armazenou grande quantidade de energia avermelhada em sua boca criando uma pequena esfera elétrica, então disparou uma onda de energia tão poderosa que literalmente " varreu " os robôs da rua. 

Seu tamanho foi diminuindo e logo a grande besta voltou a ser um humano verde com garras.

— q-que diabos era aquela coisa? — Garfield perguntou ofegante. 

— não era uma criatura do seu planeta, era um Spoldier, um criatura do planeta Saiutalus, um planeta de atmosfera energizada em um nível que nenhum ser vivo de sua galáxia suportaria, essas criaturas absorvem o máximo de energia ao redor através de um campo elétrico, suas células armazenam e direcionam essa energia para dois lugares, pode ser para a fileira de oito cristais orgânicos em suas costas para produzir uma explosão elétrica que destruiria essa cidade, ou para os cristais em seus ombros que direcionam a energia até sua boca assim executando um ataque poderoso o suficiente para matar cinco mil humanos —  a fera explicou. 

— porque... me transformou nessa coisa, ela poderia ter acabado com o bairro... ou pior, matando várias pessoas!

— era necessário uma demonstração de poder para esses humanos entenderem com o que estão lidando, o vermelho não é uma piada.

— e-essa transformação me esgotou muito  — Garfield disse se sentando no asfalto e respirando o máximo que podia. 

— entendo que seu corpo não suporta formas muito poderosas por muito tempo e você gasta muita energia quando as escolhe, mas pretendo mudar isso.

— sabe de uma coisa, só some! — ele disse deitando no asfalto. 

A rua estava deserta e praticamente destruída, postes derrubados e carros queimados e alguns explodidos.

Garfield escutou o som do carro dos titãs e olhou para a origem do barulho, logo viu seus três amigos descendo do veículo personalizado.

— porque não abriu um tubo de explosão? — pergunta Garfield para cyborg. 

— porque sabia que daria conta  — o amigo respondeu olhando a destruição em volta — além disso, não seria bom as pessoas verem a Kory em ação de novo  — encarou  a alienígena que ainda estava machucada mentalmente.

— o que aconteceu? — o líder perguntou.

— monstro novo  — respondeu Garfield fazendo questão de substituir a palavra  " animal" por " monstro".

— você deve tomar cuidado com as suas transformações, não sabemos o que mais você pode virar  — cyborg opinou. 

— eu tomarei, agora vamos até o apartamento da Ravena onde ela deve estar  — Garfield se preparou para se transformar quando foi impedido pelo líder. 

— mas ela não está lá, nós passamos por lá antes de vir até aqui, suponho que você sabe aonde ela esteja  — o líder disse o encarando com seu olhar sério e preocupado.

— era para ela ir para o apartamento — Garfield pensou. 

— será que os robôs a capturaram? — Kory perguntou esperando uma resposta negativa. 

— é um palpite  — cyborg concordou. 

— não! Não pode ser! — Garfield levantou a voz  — ela estava comigo, eu não devia ter deixado ela ir sozinha, VOCÊ NÃO DEVIA TER MANDADO ELA FUGIR! — bateu em seu próprio peito se referindo a fera. 

— vou procurar por assinaturas de energia e rastros, onde você a viu pela última vez?

— ali, ela voou entre aqueles dois prédios  — apontou para os edifícios. 

Cyborg voou até lá e usou seu olho biônico para procurar por qualquer coisa que esteve ali além de Ravena, seus sistemas captaram a assinatura da empata que era a energia mágica, mas também encontram outra coisa.

— Magma! — ele disse com desprezo  — ele esteve aqui quando Ravena estava voando entre os prédios , estou captando o rastro de calor que ele deixou, e considerando que Ravena estava voando, ele deveria estar no topo  daquele prédio  — apontou para o da direita  — esperando que ela passasse para a derrubar com um ataque. 

— mas como eu não senti isso? — Garfield perguntou entrando em desespero. 

— você estava ocupado demais limpando a rua que não prestou atenção, eles sabiam que você cuidaria de tudo e deixaria Ravena exposta para um ataque — cyborg respirou fundo, a raiva não era um sentimento que ele costumava ter, mas agora era diferente. 

— maldição! — Dick bateu na própria testa com força — eles vão usá-la para nos encontrar, fora que podem a torturar e...

— NÃO! — Garfield gritou se transformando em um falcão peregrino, iria vasculhar cada canto do planeta em busca da waller, e quando a encontrasse, iria se arrepender por mexer com sua fêmea. 







Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...