História Tnemeli - O Mundo Elementar - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ask's, Elementos, Guerra, Original, Reinos
Visualizações 11
Palavras 2.132
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ecchi, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá
Então, eu não morri :D
Em compensação a tanto tempo, temos um Cap com 2.132 palavras :D
Vou tentar postar um Cap pelo menos todo mês
Então é isso, aproveita a leitura :D

Capítulo 3 - Cap 2: Sunce i Led otkrivaju sebe!


Fanfic / Fanfiction Tnemeli - O Mundo Elementar - Capítulo 3 - Cap 2: Sunce i Led otkrivaju sebe!

Cap 2: Sunce i Led otkrivaju sebe!

O dia amanhece, os raios de sol entram pela janela do pequeno quarto de Brunno, fazendo o mesmo resmungar e se cobrir com o lençol, afinal, calor não o incomodava. Seu sossego logo foi interrompido pelo despertador, que apitava ao anunciar 05:30 da manhã, o garoto acorda e levanta se espreguiçando, seguindo em direção ao banheiro indo tomar um banho gelado para ficar mais disposto, mesmo que essa técnica não funcione mas tão bem quanto antigamente

Depois de estar todo arrumado, Brunno pega uma mochila e desce até a sala-cozinha, pega um pão e o queima um pouco, fazendo uma torrada, garante que desligou tudo e ouve uma batida na porta, obviamente era Levy o esperando para irem a escola, Brunno sabe como o amigo é, ele pode ser tímido e quieto, mas alguma coisa acontece com ele quando algum dia que ele espera muito, parece que ele esquece que é tímido

Brunno atende a porta e da de cara com um Levy super energético e animado o cumprimentando:

- Bom dia, Bru! – Ela dava pequenos pulinhos – Animado pro primeiro dia do Segundo Ano?

- Claro, claro, mal posso esperar pra um cara me explicar coisas que eu não quero saber que ele julga ser importante pro minha vida – Brunno responde com sarcasmo trancando a porta de sua casa

- Ótimo! – O loiro nem percebe o tom do mais velho e segue o caminho – Vamos, vamos! – Os dois seguem o rumo até o Instituto Yuki, fundado pelo Rei Kori

( . . . )

Durante todo trajeto, Brunno se sentiu estranho, como se alguém observasse eles, Levy, no entanto, nem percebeu. Chegando aos grandes portões do instituto os dois resolveram se sentar em um banco perto da entrada, dentro da escola, afinal as aulas começariam às 7:00 e eram apenas 6:15. Os dois ficaram jogando conversa fora até serem cortados por gritinhos desesperados de varias meninas na porta, rodeando alguém

- Já estava demorando – Brunno revira os olhos – O Príncipe da Escola chegou

- Não que a presença dele me incomode, mas as fãs dele gritam muito alto – Levy volta ao jeito tímido e normal de sempre

No meio da multidão um garoto ruivo de óculos escuros sai, pedindo passagem as meninas (E alguns meninos) que estavam a sua volta:

- Garotas, garotas, por favor, não se desesperem, eu sei que estavam com saudades de mim, mas a aula já vai começar – Ele diz seguindo para a sala, seguido por suas fãs

- Vamos, Levy – Brunno levanta seguido do loiro, os dois começam a ir para dentro do instituto, mas enquanto caminhava, Brunno olhou para trás e viu, no meio das sombras, um olho vermelho brilhante, sendo acompanhado por uma silhueta familiar, ele sente um arrepio e vira novamente disfarçando o pequeno susto

( . . . )

Enquanto todos se dirigiam as suas salas, Tsukki que estava os observando nas sombras se senta um pouco e pega o livro em sua bolsa (Sim, o mesmo livro do prólogo), então começa a folhear até encontrar a parte onde fala sobre o elemento da Luz

- Hm... Todos os que tiveram posse desse poder ficaram extremamente fortes e tinham um coração puro... Aquele cara realmente não parece ser digno dessa responsabilidade... Parece só mais um filhinho de papai – Ela guarda o livro – Bem, de qualquer jeito devo observa-lo... mas não posso chegar perto de mais do castelo, algum dos reis pode sentir minha aura - Ela respira fundo – Tenho que pensar  rapidamente em um jeito pra observa-los... Mas naquela sala quase não tem sombras

Tsukki pensa por mais alguns poucos minutos e então finalmente tem uma ideia, ela forma um corvo com as sombras, logo depois deu vida ao mesmo, fez carinho nele e então lhe deu a ordem:

- Va na janela e observe oque esta acontecendo, me deixe ser seus olhos, ta? – Ela diz e o corvo parece concordar, depois ele sai voando – Então vamos ver oque eu descubro sobre eles – Tsukki tira a capa e deixa a mostra seus olhos multicores e seus cabelos negros

( ° Brunno – POV ° )

A aula começou e como sempre eu não dei a mínima pro professor, acho que ninguém dava muita atenção sem ser Levy e aquele metido do Hinata, o resto ou ficava admirando o príncipe ou fazia qualquer outra coisa. Eu senti aquela sensação de ser observado novamente, então olhei para a janela e vi um corvo, achei estranho, corvos são bastante raros des do fim da guerra

- Com certeza tem algo a ver com aquela garota...- Eu falo bem baixinho, só pra mim

Nem percebi que já avia passado 2 tempos de aula e já era hora do intervalo, todos arrumaram suas coisas e foram saindo, não sei como todas aquelas garotas desesperadas conseguiram passar da porta para seguir o Hinata

- Brunno, vamos? – Levy puxava a manga do meu casaco

- Ah, sim, vamos indo – Iamos nos mexer, mas uma garota passou na nossa frente, senti um frio enorme quando ela passou. Era uma garota de cabelos brancos curtos que usava um cachecol vermelho, sei que a sala é meio fria, mas lá fora esta um forno

- Uh... Que frio – Levy disse tremendo um pouco e se abraçando -  Eu pensei já estar acostumado ao ar-condicionado da sala – Disse enquanto saiamos da sala

Fomos em direção ao pátio, mas Levy disse que me encontraria lá, pois precisava comprar seu lanche, então segui caminho sozinho até um banco no quintal que sempre ficamos, até que eu senti aquele frio de novo, olhei pro lado e vi aquela garota, seu olhar frio e mortal me arrepiou, era como se eu pudesse sentir e ver a própria morte em minha frente

- Você se chama Brunno, certo? – Ela começou e respondi afirmando com a cabeça – Percebi que você notou alguma coisa, você tem uma ideia do que aquele corvo estava fazendo na janela em plena luz do dia, não é?

- E oque te interessa? Mesmo que eu tivesse alguma ideia, não seria da sua conta, se acha que eu sei de algo, hãn, errou feio, garota

- Não precisa ser rude, apenas perguntei pois estava curiosa e percebi sua reação. Mas, então, sabe de algo? Ou é apenas um idiota qualquer?

- Do que você me chamou? – Comecei a ficar irritado e minha mão começou a esquentar

- De idiota, mas eu vi sua reação – Voltei ao normal, mas com uma expressão confusa – Você é bem atento, vai me falar sobre o corvo ou vou ter que pegar informações a força?

( ° Brunno - POV Off ° )

O corvo os observava eles em uma árvore ali perto, ele notou o clima tenso e então saiu voando, oque ele não notou foi que um certo ruivo o viu. Quando Brunno estava prestes a gritar com a albina, Levy chegou comendo um misto quente

- Bru, voltei... Ãh... O que tá acontecendo? – Perguntou confuso e olhou para a garota

- Você é o Levy,  não é? – Ela perguntou e ele afirmou com a cabeça – Meu nome é Yukki

- Acho que já sabe sua resposta, Yukki, já pode ir – Brunno diz ficando mais calmo. Yukki não fala nada e segue de volta ao refeitório, deixando o frio na espinha dos dois

- Quem era ela Brunno? – Levy peguntou quase terminando seu lanche

- Uma perturbada provavelmente – Ele revira os olhos e se senta no banco

Não muito longe dali, o ruivo continuava procurando o corvo na direção em que ele voou, mas acabou o perdendo de vista, assim ficou suspirando com raiva em um lugar meio isolado na escola, quando ele menos esperava alguém gritou seu nome

- HINATINHA – Ela o abraçou – Estive te procurando por todo lado, amorzinho – Essa é a filha do Rei da água, Maiume, ela é apaixonada pelo Hinata – Pedi até pra Maki te procurar nos outros cantos, mas ela não aceitou minha ordem – Ela também é bem mimada

- Mai, fala baixo, se aquelas malucas descobrirem onde eu fico será o fim da minha paz nessa escola – Ele diz um pouco sem paciência

- Ah, tudo bem, mas vamos pro refeitório, todos tem que me ver junto com você – Ela sai puxando o ruivo pelo braço

As coisas seguiram normais após isso, mais aulas cansativas e sensação de ser observado. No meio do ultimo tempo da aula, ouviu-se um barulho enorme vindo do centro da cidade, o diretor deu um recado urgente pelos alto-falantes:

- Atenção todos os alunos, por favor, dirijam-se até as salas de contenção junto aos professores – O diretor finalizou seu comunicado

Todos começaram a ficar nervosos e foram o mais rápido possível para a sala que era como um bunker  de baixo da escola, enorme e com varias salas, todos, é claro, com exceção de Brunno, que não estava nem um pouco afim de ficar preso em uma sala subterrânea. Então ele sai da escola, se aproveitando do desespero dos alunos e vai em direção ao centro da pequena cidade

( . . . )

Chegando lá, Brunno se escondeu em um beco próximo da confusão, assim ele consegue ver tudo mais claramente. Observando com mais atenção, ele vê vários policiais de alto esquadrão lutando contra 3 monstros, monstros de trevas, o ruivo se assustou ao ver do que eram feitos os inimigos

- Trevas... Como assim? Será que tem algo a ver com aquela garota? – Ele fala baixo vendo os soldados sendo dizimados um por um pelos monstros – Com certeza tem...

- Brunno? Oque faz aqui – Uma voz conhecida fala atrás dele, então ele se vira

- Levy?! Oque faz aqui? Deveria estar em segurança na escola! – O ruivo fala começando a queimar de preocupação (Literalmente)

- Eu vi você saindo, não ia te deixar sozinho! – O loiro responde começado a se exaltar, mas se acalma logo depois – Oque esta acontecendo ali? – Levy ia em direção a ligação entre o beco e a rua, mas foi impedido por Brunno

- Levy, não... – Ele bloqueava a passagem

- Por que não?! – Levy se debatia e o empurrava até conseguir ver, depois que viu, ele ficou impactado, não aguentava ver os soldados sendo derrotados e mortos tão facilmente, então ficou histérico – BRUNNO, TEMOS QUE FAZER ALGO, RÁPIDO!

- Oque?! Isso não tem nada a ver com a gente, agora eu vou ter que te levar para um lugar seguro, esses monstros são muito perigosos – Brunno diz ignorando a situação e puxando seu melhor amigo, mas ele se solta

- ESSAS PESSOAS TEM FAMÍLIA, MERECEM REVE-LAS NOVAMETE – Ele diz desesperado e surpreso pela decisão de Brunno – Eu vou lá... Com ou sem você... – O Loiro correu para o centro da confusão

- LEVY! – O ruivo tentou segurar o loiro, mas ele escapou da sua mão

Um soldado estava preste a ser atingido por um dos monstros, que parecia uma abelha de 3 metros um espadas afiadas nas mãos, mas Levy chega invocando uma lança de água e um escudo, assim protegendo o homem, assim continuou lutando

Um dos outros monstros notou a insistência do loiro, então estava prestes a ataca-lo, como ele estava ocupado se defendendo da abelha, não tinha como evitar aquele ataque, mas quando as garras do urso estavam prestes a acerta-lo, três cortes de fogo foram feitos, assim decepando a pata do urso, que se esquivou e, aparentemente,  estava esperando sua pata se regenerar

- Ãh...? – O loiro olhou para o lado e viu o ruivo usando duas luvas de rocha de vulcão vermelhas com laminas de lava sólida – Brunno!

- Eu disse que era pra você ir pra um lugar seguro – Brunno reclama – Mas já que estamos aqui... – Ele fica de costas para o loiro, em posição de ataqu

- Sim! - Levy entendeu e o respondeu instantaneamente

Então os dois começaram a lutar contra os monstros, ignorando os gritos de “Saiam daí, moleques!” dados pelos pouquíssimos soldados vivos e, ainda assim, muito feridos. Um bom tempo depois, eles estavam começando a se cansar, assim deixando uma brecha para o terceiro monstro, uma aranha, os prender no chão com uma teia, muito resistente, as armas deles sumiram pelo impacto violento no chão

Os três monstros os cercaram enquanto eles se debatiam para tentar se soltar, a abelha estava prestes a acerta-los com suas espadas-mão, Levy estava lagrimando com os olhos fechados e Brunno estava com muita raiva, com as laminas a menos de 10 centímetros deles, o monstro foi acertado por uma estaca de gelo bem no meio de seu tórax, ele paralisou e recuou junto com os outros monstros. Os dois tentaram olhar para a figura que tinha os salvado, então eles forçaram um pouco a cabeça

- Oque vocês estão fazendo aqui? – A pessoa falou

° Continua... °


Notas Finais


Até mês que vem, eu acho, amiguinho :D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...