História To Back For Z - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Apocalipse, Caminhantes, Sobreviventes, Virus, Zumbi
Visualizações 9
Palavras 2.148
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção Científica, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


No capítulo anterior de To back For Z:
"Do nada ouvimos um barulho de explosão e o alarme de incêndio começou a disparar, todos estavam correndo e saindo desesperados, porém a mulher puxou Kai lhe deu algo e falou em seu ouvido. A moça não saiu do prédio continuou lá e se sentou na cadeira como se estivesse esperando a morte, quando estávamos descendo do elevador outra explosão aconteceu e..."
Fiquem com o segundo capitulo!

Capítulo 2 - Dia 02: Adeus Humanos, Bem Vindos Zumbies.


Fanfic / Fanfiction To Back For Z - Capítulo 2 - Dia 02: Adeus Humanos, Bem Vindos Zumbies.

   Quando estávamos descendo do elevador outra explosão aconteceu e o prédio começou a pegar fogo, não se sabe em que anda começou a explosão, mas foi algo muito feio e assustador que deixou muitos assustados e desesperados. Pegamos o carro e fomos para nossa casa por um atalho que leva 2hrs para chega ate nosso bairro, queríamos fica longe dos engarrafamentos ou de multidões, estava um silencio agoniante dentro do carro Kai não falava nada só olhava a janela e murmurava coisas. Ao chegamos a casa tomei um banho e comi algo, tranquei a casa por que não se sabe se realmente os humanos se contaminaram com o vírus ou se uma catástrofe tinha acontecido.

    Dia 11 de agosto de 2017, primeiro dia depois da contaminação nos humanos. Enquanto dormíamos rolou muita coisa, varias pessoas se transformaram naquilo não sei exatamente o que são, mas Kai afirma dizer que eles são ZUMBIES e continua a dizer que pode ter uma cura e que só depende de nós dois para fazê-la, nos jornais não passa nada de interessante além de comandos de proteção.

- Continuem em casa, não saiam em nem uma hipótese nem para procurar parentes, tranquem a casa, estoquem comida e agua, vocês iram precisar. Boa sorte a todos, essa será a nossa ultima transmissão.

- Era só o que nos faltava. ( suspiro ) Só falta tudo acaba, luz e distribuição de agua. Ai meu senhor o que fizemos para merecer isso? Jogamos pedra na sua cruz só pode né?

- Calma Kai ( risos ) É meio obvio que vão para de distribuir agua e energia, não vai ter ninguém para fazer isso lembra? E a proposito Deus não deve ter nada haver com isso, você se lembra do que aquele cara no elevador disse?

- O que estava quase tendo um ataque de nervosismo dentro do elevador?  Lembro sim, ele falou algo sobre o vírus disse que...

- Foi criado por humanos, então essas aberrações foram criadas por nós amor, por seres humanos como eu e você.

- A Kerry falou algo sobre isso, que o vírus tem...

- Quem é Kerry? Nunca ouvir esse nome antes, de quem você esta falando Kai?

- Da cientista maluca que me puxou, ela deu todas as pastas que tinham informação sobre o vírus, caixas com mais pastas e um pendrive com o vídeo do caçador, a e ela pediu para nós dois sair da cidade depois daquilo tudo, pelo o que ela me disse aqui é uma grande área de contaminação então é melhor sairmos daqui o mais rápido possível e ir para Monte Calparo.

- Vamos fazer o que lá meu amor? É mais de 6hrs de viagem, vamos precisar de muita gasolina e também não sabemos o que tem lá fora.

- Te digo depois, aah e sobre a gasolina pegamos numa posto qualquer e comida também agua temos o bastante, e antes que pergunte lá era onde ela morava então ela me deu a chave da casa dela. Vamos arruma as malas.

    Kai saiu para arruma às coisas, naquela hora eu percebi que a minha esposa estava estranha e estava escondendo algo de mim, subi para nosso quarto e comecei a arruma nossas coisas, usei seis malas para colocar nossas roupas, Kai estava empacotando nossos matérias de pesquisa no porão, depois que terminei de embala toda a comida eu tive que sair de casa, fui ate nosso vizinho Sr. Willans um senhorzinho muito gente boa que sempre emprestava seu micro ônibus pra gente quando íamos viajar.

- Senhor Willans? O senhor está ai?

Ele não estava respondendo, fiquei 5min esperando ele aparece então eu desiste e comecei a anda ate que ouvir um barulho de porta abrindo e virei para trás.

- Aah Luís é você, pensei que era outra pessoa louca, entre!

- Não precisa senhor, só queria saber se poderia empresta seu ônibus para mim e a Kai ir ate Monte Calparo, teria como?

- Aaah porque não disse antes, claro que pode, irei pega a chave só um minutinho.

   Quando ele se virou sem querer eu reparei que tinha uma mordida na sua perna esquerda, fiquei muito preocupado pós nunca vi algo parecido, mas também reparei que a senhora Willans não atendeu a porta, espero que não tenha acontecido nada com ela. Depois de alguns longos minutos ele voltou com a chave.

- Aqui está as chaves, o tanque esta cheio vai da pra vocês chegarem ate Maria Dell depois de lá terão que encher de novo ( tossi ) Uma boa viagem para vocês.

- Obrigador senhor, aa espera um pouco o que houve com sua perna?

- A Marina me mordeu sem querer, mas vai fica tudo bem, bom dia.

     Ele fez uma cara feia e fechou à porta, depois de uns minutos ele abriu a garagem então eu entrei e peguei o ônibus, ao chegar perto de casa buzinei para Kai sabe que eu esta ali, Kai saiu com as malas então eu abri o porta malas e desci para ajuda-la com as coisas. Depois de colocar tudo no ônibus Kai aparece com uma ultima caixa, ela a coloca no chão fecha a porta e coloca a chave dentro da caixa pega a caixa e entra no ônibus. Dei partida e comecei a nossa jornada ate Monte Calparo.

- O que tem dentro dessa caixa misteriosa que você trouxe?

- Nossos álbuns de casamento (risos) Nossos diplomas, alianças de namoro e fotos antigas. (ela começa a chorar)

- Ei meu amor não precisa chorar, eu ainda estou aqui com você, pode acontecer o que for eu sempre vou esta junto com você. Eu te amo muito meu pedacinho do céu.

- Também te amo muito vida.

   Naquela hora eu segurei as suas mãos e vi o quanto ela estava com medo do que estava acontecendo.  Liguei o radio e conectei ao meu celular para podemos ouvir musica, então começou a toca Jealous do Nick Jonas e era de se espera eu da uma de cantor.

- I turn my cheek, music up, and i’m puffing my chest. I’m getting ready to face you, can call me obsessed. It’s not your fault that they hover, i mean no disrespect. It’s my right to be hellish, i still get jealous. Canta comigo meu amor, sei que gosta dessa musica. ( risos )

- Tá bom ( risos ) Cause you’re too sexy, beautiful, and everybody wants a taste. That’s why.

- That’s why.

- I still get jealous.

- Meu Deus ( risos ) Se não fosse esse maldito apocalipse dava pra nós dois fazer uma dupla musical ne amor? (mais risos)

- Claro que sim, Sr. e Sra. Estevam ( mais risos ).

    A musica continuou a tocar e a gente a canta foi o inicio de viagem mais divertida que tivemos depois da nossa lua de mel é claro, ficamos 2hrs na estrada quando vimos uma fila de carro bloqueando a estrada e não era bloqueio policial pós não tinham ninguém além dos carros abandonados. Kai e eu descemos do carro para ver o tinha acontecido, tinha rastro de sangue pela estrada inteira não víamos o começo e nem o fim do rastro, mas deduzimos que era humano.

- Amor, acabei de ter uma ideia.

- O que você está tramando Kai.

- Esses carros estão com gasolina, podíamos pega deles, dai não precisaríamos de para em posto.

- Boa garota, mas onde vamos armazenar a gasolina?

- Coloquei galões em uma das caixas, poderia lá ver?

- Tá bom.

    Fui até o porta malas e realmente tinha uma caixa com os galões, o que mais me intriga é como ela sabia que íamos precisar disso, peguei os oitos galões dividir eles quatro pra mim e quatro para ela e fomos tirar a gasolina dos carros. Passei 15min para encher os meus quatros galões nesse período eu perdi ela de vista, fui ate o ônibus deixei os galões lá e vi que já tinham três e faltava um dela, entrei em pânico pós não a achei de jeito nem um, comecei a procurar ela e a chama bem baixinho para nada me escutar ate que ela me puxou e fez um sinal com a mão de silencio.

- Não fala nada!

   Quando olhei direito estava cheio deles lá, por toda parte, estavam todos transformados, como aconteceu aquilo e por que, tinha crianças transformadas, corpos sendo devorados ate que um deles começou a vim em nossa direção, Kai começou a tremer e fica pálida pós não sabíamos como mata aquilo e se tinha como matar, peguei o galão e segurei a mão dela e comecei a puxar, quando podíamos fica em pé ele nos viu e começou a vim em nossa direção, começamos a acelerar nossos passos e ele também ate que do nada algumas pessoas apareceram e enfiaram algo na cabeça dele.

- Cérebro! É na cabeça que mata essas coisas ambulantes, a é você senhor Estevam se lembra de mim? O policial do bloqueio para a entrada de Santa Louis.

- Aaah lembro sim senhor, o que faz por aqui?

- O mesmo que vocês roubar gasolina, não se preocupe não irei pega a que vocês conseguiram, estou vendo que estão desarmados.

- Não sabíamos como matar essas coisas e com o que mata.

- Huum, você deve ser a esposa dele, senhorita?

- Estevam, Kai Estevam.

- Belo nome, aqui está, peguem essa mochila esta cheia de pistolas e submetralhadoras e alguns facões, e lembre-se na cabeça mata, mas no joelho diminui a velocidade.

- Senhor não precisa você vai precisar mais que nós.

- Levem logo, tenho muitas dessas não irão me fazer falta, vão logo para onde vocês estão indos, está escurecendo é melhor irem andando.

      Pegamos as coisas e entramos no carro, dei partida peguei um atalho. Paramos algumas vezes para reabastecer e comer ou descaçar um pouco, nesse meio caminho encontramos vários deles alguns rápidos e outros lerdos, eram exatamente 20hrs18min quando chegamos em Monte Calparo, a cidade estava totalmente vazia quando chegamos poderia ter outras pessoas, mas não as vimos.

- A casa dela é mais para frente, segunda à esquerda!

        Andamos mais alguns metros e encontramos a casa, Kai abriu a garagem então coloquei o ônibus dentro. Passamos 15min descarregando as coisas que tinham dentro do carro.

- Tem um laboratório no porão ela falou para nós fazemos os experimentos lá.

- Kai, o que ela te falou? Você não me contou nada depois daquilo tudo.

- Ok Luís você venceu, ela falou que o vírus foi sim criado por humanos mais especificadamente por um doutor conhecido como Medico da Morte, esse cara ia atrás de animais e injetava neles uma vacina que os matava e trazia de volta a vida, nesse meio período ele contaminou toda América e seus “seguidores” contaminaram o resto do mundo, esse cara era o caçador morto os vídeos de tudo que ele fez estão no pendrive, ela também falou que era para nos dois acha a cura para o que sobrasse da humanidade, ela ficou no laboratório na hora da explosão por que ele a mordeu, a mordida de um infectado é que passa o vírus para-nos.

- Uau, então que dizer que nos dois somos os salvadores da pátria?

- Basicamente isso ( risos ) Vamos dormi amanha a gente investiga tudo isso ok?

- Tá bom.

      Tomamos banho e comemos, era nosso primeiro descaço definitivo depois de tudo aquilo que rolou. 

     Dia 12 de Agosto de 2017, segundo dia depois da contaminação, dia de checar o que a cientista nos mandou olha, Kai estava com uns arquivos dos vírus e eu estava lendo um arquivo sobre o “doutor”, nos arquivos diziam, “Paciente zero ainda está vivo, chegou nessa madrugada ao centro de pesquisa de Santa Louis, nesse exato momento ele esta liberando um tipo de liquido da boca como se fosse vomito para ser mais especifico, esta com 45 graus de febre e ainda continua a vomitar sangue não se sabe como e o que esse vírus faz quando chega no corpo humano mas pelo que vejo não é nada bom...”, quando eu estava quando terminado a Kai joga em mim uma caneta.

- Olha só isso. O vírus leroplasmoticozonbyes é um parasita de primeiro grau modificado para matar qualquer ser vivo que esteja contaminado com ele, ele se aloja na espinha dorsal, mas popularmente falando medula óssea, ao ser contaminado com esse vírus o paciente deve fica em quarentena, não levara muito tempo para se transforma em um morto-vivo, a transformação leva por volta de 1hr, serão as piores 1hr que um ser humano ira ter, é dores corporais insuportáveis, dor de cabeça continua febre alta, náuseas e delírios. O paciente fica inconsciente por 2min nesse meio período ele ira entra em óbito e se transformará  em um deles, mas...


Notas Finais


O que está escrito no documento da Kai? E o que aconteceu com o Doutor da Morte? Será que existe cura para o vírus zumbie? Muitas duvidas né?
Tire suas duvidas no próximo capitulo de To Back For Z.
Obrigador por ler minha obra ❤.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...