História To Love Re: "Borda do Espelho" - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias To Love-Ru: Trouble
Personagens Personagens Originais
Tags Comedia, Demonios, Drama, Magia, Policial, Revelaçoes, Sobrevivencia, Violencia
Visualizações 4
Palavras 1.799
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ecchi, Fantasia, Ficção Científica, Harem, Luta, Magia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Sobrenatural, Survival, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Incesto, Insinuação de sexo, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ui... Com uma dessas, quem não vai querer ficar de recuperação!

Capítulo 4 - "Recuperação"


Fanfic / Fanfiction To Love Re: "Borda do Espelho" - Capítulo 4 - "Recuperação"

Depois da escola, Hisoka suspirou para si mesmo enquanto subia a escola novamente. Sua preocupação havia vencido sua lógica, então ele se viu voltando para o telhado, suas pernas se movendo apesar de sua mente dizendo-lhe para voltar para casa. Sua esperança fugaz de que Nemesis já havia partido foi desfeito quando ele pisou no telhado, facilmente identificando-a ainda sentada na mesma posição, um pouco sombreada agora, enquanto o sol da tarde atrasava atrás dela. De alguma forma, porém, ela aparentemente não se moveu um centímetro. O bento estava vazio ao lado dela, cuidadosamente fechado e os pauzinhos deixados no topo. Ele notou brevemente que eles tinham sido muito mal quebrados, como se ela tivesse pouca experiência com eles. Ela provavelmente fez, agora que ele pensou sobre isso.

Hiso - Você não estava mentindo, estava?

Ele perguntou enquanto andava até ela, e agora que estava acima dela, a luz era indireta o suficiente para que ele pudesse ver os olhos dela fechados e o rosto relaxado, embora sua expressão se contorcesse quando ele pisou na frente dela, sinalizando que estava de fato acordada.

Neme - Eu posso ser astuta, mas nunca menti em minha vida.

Ela respondeu com o mesmo tom monótono de antes. Seus olhos se abriram uma vez mais e ergueram os olhos para encontrar os dele, sua expressão mais suave do que antes. Então, ao contrário dele, ela podia controlar seu olhar.

Neme - Então, você acabou decidindo me matar afinal de contas? Eu não sou particularmente forte, até mesmo um humano comum como você poderia facilmente me despachar.

Ele balançou a cabeça, inclinando-se para pegar o braço dela, envolvendo-o por cima do ombro antes de gemer quando ele endireitou as pernas para ficar de pé, arrastando-a para descansar sobre ele.

Hiso - Estou acima da média, na verdade. Eu ganho a maioria das lutas que recebo.

Como se esperado do alienígena estranhamente estóico, ela fez pouco som quando foi levantada, simplesmente permitindo que seu peso mudasse sobre seu comando.

Neme - E agora você passa a se gabar dos direitos para... o que exatamente? Onde você está me levando agora? Ou talvez vocês esteja simplesmente encontrando um lugar mais privado...

A expressão em seu rosto deixou claro que ela fez um duplo sentido intencional, mas ele simplesmente deu de ombros.

Hiso - Diga isso de novo e eu jogo você do telhado agora mesmo. Estou levando você para ver a MIkado-sensei.

Ele disse categoricamente, e ela piscou surpresa.

Hiso - Ela vai saber melhor do que eu como lidar com você. Eu não sou um idiota, eu sei quando estou fora do meu alcance.

Ele começou a descer as escadas da escola. Era bom que a escola tendesse a sair rapidamente, o que significava que ele não precisava encontrar ninguém. Seria difícil explicar o fato de ele carregar uma loli nua pelo corredor até uma sala para onde nunca foi. Ele estava ciente da natureza de Mikado, dado que seu pai tinha ido para Sainan High. Ela trabalhava lá naquela época também, então o homem o informou. Geralmente não havia necessidade de se aproximar intencionalmente de outro alienígena, mesmo que ela tivesse experiência suficiente para manter a cabeça baixa. Felizmente para ele, ele nunca teve problemas reais, então ele nunca foi para lá. Agora, no entanto, ele se arrependia de não se incomodar em pelo menos andar por ali, porque ele tinha que arrastar o corpo inerte de Nemesis por vários caminhos enquanto procurava pelo quarto. A enfermaria não era alguém com quem ele se importava, mas seu conhecimento de biologia alienígena era incomparável.

Neme - Então... Quem é Mikado-sensei, e porque você está me levando para ela?

A garota que ele carregava perguntou, deixando a cabeça descansar em seu ombro. Ela não podia fazer muito sobre a situação de qualquer maneira, então poderia muito bem ser um pouco confortável no passeio.

Neme - E você realmente se virou com sua opinião sobre mim, não é? Quero dizer, algumas horas atrás você estava me dizendo o quanto você odeia a minha espécie, mas agora você está me levando-

Sua sobrancelha se contraiu em aborrecimento, e ele se mexeu para bater seu cotovelo em seu estômago, batendo a respiração para cortá-la.

Hiso - Apenas cale a boca ou eu vou deixar você em algum lugar. Você quer que eu ajude, ou não?

Enquanto ela ficava quieta, ele assentiu em satisfação enquanto continuava a andar.

Hiso - Mikado-sensei é a enfermeira da escola. Ela é especialista em saúde, para todas as espécies. Ela saberá o que fazer.

Neme - Você é...

Ela se interrompeu, ficando em silêncio enquanto simplesmente permitia que ele a carregasse, não querendo terminar o que quer que ela tivesse planejando dizer, enquanto seguia a distância restante até o escritório. A porta já estava entreaberta, por isso ele a abriu com o ombro, olhando ao redor para encontrar a enfermeira, que se virou na cadeira em sua presença. A camisa da mulher estava parcialmente desabotoada, significando que ela não estava fazendo nada importante. Hisoka levou a garota para a primeira cama que viu, colocando-a no chão enquanto Mikado saía de sua cadeira, caminhando calmamente para os dois, experiente o suficiente para poder ver que isso não era uma emergência apenas olhando para os dois.

Mika - O que aconteceu?

Ela perguntou, ajudando-o a colocar a garota confortavelmente. Ela sorriu quando Nemesis olhou para ela.

Hiso - Eu realmente não sei, mas ela pode...

Hisoka começou, mas foi interrompido quando a enfermeira levantou a mão.

Mika - Eu entendo agora. Nemesis chegou a mim no passado, eu estou ciente de como ela faz carinho.

O brilho de Nemesis não diminuiu nem um pouco.

Neme - E a última vez que eu vim, você me tratou como uma cobaia.

O sorriso da enfermeira só se ampliou coma acusação, fechando os olhos quando ela foi até a mesa pegar um estetoscópio.

Mika - Não, eu disse que você era uma curiosidade. Você é uma esquisitice, afinal de contras. Não é de admitir que Watanabe-san não saiba como lidar com você. Mesmo eu teria tido problemas se não tivesse experiência anterior com seus parentes.

Hisoka sentou-se em uma cadeira próxima, sem saber o que fazer nessa situação. Ele não tinha parte em sua conversa, afinal de contras, e tentar descobrir o assunto através das brincadeiras e nomes estranhos que elas falavam só se mostrou confuso demais para se preocupar.

Mika - Watanabe-san.

Mikado disse suavemente, chamando sua atenção quando se virou para encará-lo.

Mika - Como você conheceu Nemesis? É um pouco raro para alguém como ela falar com um humano em igualdade de condições.

Seus olhos se voltaram para a garota, que permaneceu em silêncio.

Mika - Nem todos os extraterrestres desejam permanecer escondidos depois de tudo.

A mulher voltou para seu trabalho, deixando Hisoka assistir em silêncio enquanto fazia os testes básicos de costume. Eles não eram nada particularmente diferentes de como ela trataria um humano, e uma vez que ela terminasse, ela recuou, batendo o queixo com uma das pontas dos estetoscópio.

Mika - Hmm... É raro você vir a mim assim, Nemesis. Você quase nunca é levada a este estado enfraquecido, o que você tem feito nos últimos anos?

Neme - Se isso é uma piada não é engraçado.

A baixinha respondeu, sem dar resposta. Mikado riu de seu tom desafiador, voltando-se para o humano e suspirando.

Mika - Bem, ela é capaz de mover seus dedos bem, e sua cabeça está quase em função motora normal, mas todo o resto está quase totalmente congelado. Não é perigoso para sua espécie, mas ela não será capaz de se mover ou comer sozinha. Por mais ou menos duas semanas, infelizmente, todos os laboratórios de stasis que eu controlei foram tomados ou baixados para manutenção, então eu não serei capaz de cuidar dela sozinha. Eu sei que é um pouco demais para perguntar, mas você se importa em lidar com isso? Pelo tempo que ela leva para se recuperar?

Hisoka piscou com a pergunta, e Nemesis riu de onde ela estava.

Neme - Ele nos odeia, por que ele iria cuidar de mim? Eu ainda nem entendo porque ele me trouxe para você. Eu ficarei bem sozinha, eu nunca comerei de qualquer maneira, então-

Hiso - Você está divagando de novo.

Hisoka afirmou, calmo e categoricamente, cortando-a quando ela virou a cabeça para encará-lo, embora de sua posição fosse estranho segurar o olhar corretamente.

Hiso - Você sempre fala em círculos assim?

A garota bronzeada ficou em silêncio por alguns segundos, antes de rir de novo, virando-se para olhar para o teto.

Neme - Quando eu renasço, há sempre algumas pequenas mudanças na minha personalidade. Da última vez, eu estava obcecada em dominar as pessoas abaixo de mim. Antes disso, eu tinha uma ânsia constante de baklava. Antes disso... Minha memória desmorona antes disso. De qualquer forma, talvez desta, eu tenha desenvolvido um pouco de... TDAH...

Mika - Você não me respondeu, Watanabe-san.

A enfermeira disse, ignorando sua reclamação como só um profissional podia.

Mika - Ela está ignorando isso, mas Nemesis é um caso único entre as espécies extraterrestres. Eu não posso simplesmente deixá-la ir sozinha. Ou ela ou outra pessoa estará em perigo. Ela não tem família viva, nem tem um planeta natal, e eu não posso simplesmente dar a ela uma das minhas bases subterrâneas, como eu faço com Yami-san e outras espécies de alta importância.

Hiso - Então, por que eu tenho que cuidar dela? Você sabe que eu sou confiável o suficiente para não sair por ai falando sobre conhecer algum novo alienígena. Eu não quero ter nada a ver com eles.

A mulher suspirou decepcionada com o tom áspero com o qual ele falou, antes de concordar.

Mika - É exatamente por isso que você é a melhor pessoa para confiar nisso. Sua família me conheceu e confiou em conselhos por várias gerações. Agora, é só você ter a sua vez.

Hiso - Bem, pelo menos eu sei que minha família é 100% humana.

Ela assentiu com um sorriso.

Mika - Sim, sua família é muito humana. O ponto é que Nemesis será mais segura com você e sua prima do que com qualquer outra pessoa neste mundo. Se você não gosta da ideia de cuidar de um alienígena, então pense de como ajudar uma menina ferida a se curar!

Depois de pensar em silêncio por alguns segundos, ele balançou a cabeça.

Hiso - Você não precisa me convencer. Eu já me arrastei nisso quando voltei para buscá-la, então eu poderia ficar com isso até o fim.

Neme - Isso é legal e tudo, mas eu tenho uma pergunta.

Ela disse, chamando a atenção deles quando se viraram para encará-la.

Neme - Posso ter algumas roupas? Está frio aqui.

Continua....



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...