História Toda Noite - Capítulo 2


Escrita por:

Visualizações 222
Palavras 2.270
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, manas! 💛

Espero que vocês gostem desse capítulo 💛

Beijos e a gente se vê nos comentários 💛

Capítulo 2 - Praia


Fanfic / Fanfiction Toda Noite - Capítulo 2 - Praia

              Cecília Ribas 

Na segunda feira depois do cursinho fiquei esperando uma mensagem do Lucas, pensei em desligar meu celular e voltar para a  casa, mas eu precisava dar o primeiro passo para me livrar da minha insegurança. Meu celular vibrou e era uma mensagem do Lucas dizendo que estava me esperando no posto nove na praia de Ipanema. Suspirei aliviada e guardei meu celular na mochila. 

O dia estava nublado, não tinha muita gente na praia então não foi difícil encontrar Lucas. Ele estava no calçadão e assim que me viu acenou sorrindo, retribui e atravessei a avenida. 

- Oi Lucas - sorri tímida e ele beijou meu rosto - Desculpe a demora, eu estava no curso. 

- Tudo bem, sai do treino agora. - assenti e o segui até a areia - Mas aí, você faz curso de que? 

- Faço inglês e espanhol - me sentei ao lado dele 

- Acho maneiro saber falar outros idiomas, queria aprender mas não tenho tempo. 

- Sua rotina deve ser corrida mesmo. 

- Muito - suspirou e sorriu - Me fala mais de você. 

Eu não sabia o que dizer, acho que ninguém nunca tinha me perguntado isso antes. 

- Ah, eu não sei o que falar - ele riu - Eu vou prestar vestibular no final do ano e estou fazendo curso, acho que é só isso. 

- Só isso? - fingiu estar impressionado -  Eu só jogo futebol e vídeo game - rimos 

- Mas você joga muito bem, tá até famoso Lucas. 

- Eu sou o cara do momento - falou convencido 

- Acho que não é pra tanto - rimos 

- Quer sorvete? - Lucas perguntou se levantando e assenti - Espera aí 

Lucas correu até o vendedor de picolé, ele voltou os sorvetes e se sentou ao meu lado. 

- Obrigada - agradeci pegando o picolé 

- Cecília, eu sei que é chato tocar nesse assunto mas o que aconteceu entre você e o Mateus? 

- Eu conheci ele através de uma amiga e a gente ficou uns meses, ele sempre foi um estúpido, mas eu cansei de vez. - desabafei - Você conhece ele? 

- Ele é amigo de um amigo meu mas nunca tive papo com ele, não me arrependo de ter dado umas porradas nele. 

- Ontem eu estava tão nervosa que nem te agradeci direito, obrigada por me defender e me ajudar Lucas, se não fosse você poderia ter acontecido coisa pior. 

- Não precisa me agradecer, não quero me intrometer na sua vida mas larga aquele mane, você merece coisa melhor. 

- Eu nunca tive nada com ele e não preocupe que nunca mais quero olhar na cara dele, só sinto nojo dele. Você tá falando igual o Diego 

- E falando nisso, ele já sabe? 

- Não - suspirei - Se ele souber vai dar uma confusão e coisa que eu estou fugindo é confusão. 

- Entendi, eu não comentei nada com ele e nem vou falar. 

- Você é um cara legal. - olhei nos olhos dele e Lucas sorriu 

- Você que ainda mais. - ele piscou e sorriu, putz! - Vamos molhar os pés no mar - Lucas levantou apressado 

Caminhamos até beira do mar e ficamos observando as ondas quebrarem. Lucas me contou sobre sua rotina de treinos e sua ansiedade para o próximo jogo de quarta feira, os olhos dele brilhavam, eu nem gosto tanto de futebol mas estava gostando de ouvir Lucas.  

Ele tinha algo diferente dos outros caras que eu tinha conversado, ele mostrava interesse em saber mais de mim, me fazia perguntas que nunca me fizeram, pela primeira vez em anos eu estava me sentindo bem ao conversar com um cara.

- Ah, e como você conseguiu meu número? - perguntei e Lucas riu 

- O Vinicius conseguiu com a sua irmã e eu pedi pra ele. 

- Tá explicado! Você fala com a minha irmã? 

- As vezes a gente se fala, por quê?  

- Nada, é só curiosidade mesmo. 

- Vocês não tem um bom relacionamento, não é? 

- Isabela é uma pessoa difícil, ela não me considera como irmã. Não estou me fazendo de vítima mas esse relacionamento ruim é culpa dela, eu queria que as coisas entre nós fossem melhores, como duas irmãs. 

-  Nossa, isso deve ser horrível! Eu e meu irmão somos melhores amigos, mesmo de longe a gente sempre se fala, não me imagino sem ele. E você e a Isabela nem parecem que são irmãs. 

- É, eu sei que não. - suspirei 

- Cecília, eu não estou falando fisicamente, estou falando sobre personalidade. Você é muito inteligente,  sabe conversar sobre tudo e é muito bonita também. 

- Obrigada pelos elogios Lucas - sorri fraco - Acho que vou ter que ir embora Lucas, tá ficando tarde e preciso fazer um trabalho de espanhol. 

- Tudo bem, eu também preciso ir pra casa. - ele disse e fui em direção ao calçadão, eu estava envergonhada, minha insegurança me atrapalha tanto. - Eu falei algo de errado? - Lucas perguntou atrás de mim 

- Não Lucas - respondi envergonhada - É que não estou acostumada com tantos elogios, assim..

- Depender de mim agora será comum. - ele disse e senti minhas bochechas queimarem, isso foi uma cantada? 

Sorri pegando minha mochila, eu estava toda atrapalhada, sem saber o que responder. Lucas também parecia estar sem graça com a situação, talvez seja arrependimento. Começou uma ventania e uma chuva de vento, é só alguém me elogiar que isso acontece. Corremos para o outro lado da rua para se proteger da chuva e aí me dei conta que eu estávamos de mãos dadas, aí que vergonha. Me soltei rapidamente e desviei o olhar. 

- Que chuva! - Lucas disse passando as mãos no cabelo - Você tá ensopada - me analisou 

- Espero não ficar gripada. 

- Minha casa é dez minutos daqui, tá afim de ir pra lá esperar a chuva passar. 

- Não tem problema? - perguntei insegura 

- Claro que não, vamos? - ele perguntou e assenti. 

Depois de correremos na chuva finalmente chegamos no apartamento de Lucas, ele me deu passagem e entrei. Eu estava completamente molhada, minha mochila estava ensopada, tirei meus materiais da bolsa e Lucas foi buscar uma toalha para mim. Aproveitei para dar uma olhadinha rápida, era tudo muito bem organizado e confortável, tinha algumas fotos dele com os familiares. Tinha um espelho enorme ao lado do sofá, eu estava encantada com a decoração do apartamento, e aí eu percebi que eu estava com uma camiseta branca, Ipanema inteira viu meu sutiã azul bebê, inclusive o Lucas. Mico! 

- Toma uma toalha - Lucas me entregou uma toalha e dei um pulinho de susto - Desculpa pelo susto 

- Não foi nada - cobri meus seios com a toalha - Você não pegou uma pra você? 

- Vou tomar um banho, quer ir comigo? - ele perguntou e arregalei os olhos - Não, é ir lá pra cima comigo, não no banheiro, só eu vou entrar. - ele se atrapalhou e ri 

- Eu entendi, vamos Lucas. 

Subimos para o quarto e ele me entregou um roupão, agredi e Lucas foi para o banheiro. Aproveitei para tirar minha camiseta e vesti o roupão, sequei meu cabelo e me sentei na cama já pensando na desculpa que eu ia dar para Diego, se ele souber que estou de roupão no quarto do Lucas Paqueta vocês não imaginam o escândalo que ele ia fazer.

A porta do banheiro se abriu e me virei, Lucas saiu do banheiro com uma toalha branca enrolada na cintura e não consegui evitar o suspiro, minha sorte foi que ele estava com a cabeça baixa. Devo confessar que gostei do que vi, ele é gostoso, muito mesmo mas tive que disfarçar e fingir que não estava nem aí. 

- Eu já vou sair - me levantei rapidamente fazendo nossos corpos se encostarem - Desculpa Lucas. 

- Não foi nada. - ele disse fitando meus lábios, meu Deus! 

Nossos rostos estavam bem próximos, mais do que normal. Lucas se aproximou mais ainda e senti meu corpo se arrepiar, suas mãos rodearam minha cintura e tomei a iniciativa do beijo, Lucas entrelaçou os dedos em meu cabelo é iniciamos um beijo quente, ele beijava muito bem, o melhor beijo que já dei. 

- Lucas, eu...- escutei uma voz feminina e o empurrei - Desculpe, eu não sabia que você estava acompanhado filho. - ela fechou a porta e senti vontade de cavar um buraco ali mesmo de tanta vergonha 

- Desculpas pela minha mãe - ele disse se afastando e assenti pegando minha roupa - Aonde você vai? 

- Vou me trocar. - entrei no banheiro 

Eu beijei Lucas Paqueta e a mãe dele viu tudo. Levei algum tempo para raciocíniar o que eu tinha acabado de acontecer, que vergonha. Lavei meu rosto e vesti minha camiseta que ainda estava úmida. Lucas não estava mais no quarto, desci para sala e comecei a recolher minhas coisas do sofá. 

- Qual seu nome? - a mãe do Lucas me perguntou e me virei para trás 

- Cecília. - respondi baixinho - Olha, me desculpe por desrespeitar a casada senhora, não aconteceu nada mais que aquele beijo, me desculpe. 

- Não precisa se desculpar querida, Lucas já me explicou tudo. 

- Bom, eu já vou indo, desculpe o transtorno. - fechei minha mochila indo em direção a porta 

- Você não vai esperar a chuva passar? O Lucas está se vestindo ainda. 

- Eu preciso ir, tchau moça. 

                    ****

Cheguei em casa completamente ensopada e Bruna fez um escândalo, amo minha cunhada mas as vezes ela exagera na preocupação. Fui direto para o meu quarto e tomei um banho quente. Vesti meu pijama e me deitei, meu celular estava vibrando sem parar. 

WhatsApp On 

Lucas Paqueta: Me responde por favor??? 3 Mensagens

Lídia: Amiga, me conta como foi o encontro com o Paqueta?? Estou curiosa 

Diego: Posso saber onde a senhorita está? Que curso demorado 

Eu não sabia o que era pior: Ter que inventar uma desculpa para o Diego, Contar tudo para Lídia e ter que aguentar o drama dela durante a semana inteira ou ter que falar com o Paqueta, que vergonha. 

Tomei coragem e respondi 

Cecília: Oi Lucas, me desculpe por tudo que aconteceu hoje. Fui uma tonta em te beijar, me desculpe por tudo. 

Eu estava tão envergonhada pelo o que eu fiz, agarrei o Lucas e pelo o que Diego me dizia ele namorava. 

Lucas Paqueta: Não precisa se desculpar por nada Cecília. Eu não queria que fosse embora daquele jeito, minha mãe não ficou brava com você. E por falar no beijo, eu gostei muito e não me arrependo de ter te beijado. 

Cecília: Estou morrendo de vergonha da sua mãe. Obrigada Lucas, eu também gostei. 

Lucas Paqueta: Então não tem motivo pra desculpa kkk amanhã eu viajo para o sul, mas se você quiser a gente pode se ver no final de semana. 

Cecília: Por mim tudo bem então. Eu vou jantar, boa noite Lucas. :* 

Lucas Paqueta: Boa noite linda, se cuida. 

Bloqueei a tela do meu celular e desci para jantar, Bruna estava ajeitando os meninos na cadeira e quando eles me viram ficaram eufóricos, eu amava brincar com eles, beijei os dois e me sentei ao lado de Isabela e Diego me encarou sério, iria começar o interrogatório. 

- Aonde você estava? - perguntou cruzando os braços - Te liguei e você não atendia 

- Depois do curso foi almoçar na casa de uma amiga lá do curso e meu celular estava sem bateria, esperei a chuva passar lá. 

- Não faz mais isso, avisa antes Cecília. A gente fica preocupado, se a mãe tivesse aqui seria pior. 

- Eu sei, desculpem por causar preocupação. 

- E a partir de amanhã você vai levar guarda chuva, esse mês é chuvoso e cuidado com gripe. - Bruna disse e assenti 

- Aí, vamos mudar de assunto. - Isabela disse e Diego concordou 

- Falando nisso, amanhã uma das duas vocês vai ter que levar os meninos no treino. - Diego disse e os meninos sorriram animados - Pode ser você Isabela, amanhã você não faz academia. 

- Ah não, eu preciso fazer meu cabelo e almoçar com a Fernanda. 

- Não dá pra você me ajudar! - Diego falou irritado 

- Eu tenho meus compromissos Diego! - ela rebateu irritada - Cadê a babá deles?

- A Helena está de férias. - Bruna disse 

- Então por que você não vai? 

- Gente, eu levo eles no treino! Não tenho curso 

- Obrigada, Cecília! - Bruna pegou na minha mão - Eu não vou porque preciso organizar as coisas da nossa festa junina - disse olhando para Isabela 

- Obrigada irmã. 

- A gente gosta mais da tia Cecília, ela compra sorvete. - Matteo disse sapeca e apertei as bochechas dele 

- Ela só come mesmo - Isabela sussurrou e soltei os talheres 

- Cala sua boca! - me alterei - Já que você não vai colaborar não atrapelhe. Eu vou dormir gente, até amanhã. 

Me despedi dos meninos e subi para o meu quarto. Eu estava cansada da Isabela, das piadas dela.

No outro dia eu teria que levar os meninos no treino do Flamengo e ver o Lucas, depois de tudo que aconteceu no quarto dele. 

Foi a situação mais embaraçosa que já passei em toda minha vida mas gostei. Li por diversas vezes minha conversa com Lucas e saber que ele gostou do nosso beijo me deixou ainda ansiosa. É, eu estava me iludindo. 









Notas Finais


Gostaram? Até o próximo, beijos! 💛


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...