1. Spirit Fanfics >
  2. Toda Sua (Imagine Jungkook) >
  3. Por que você me olha desse jeito?

História Toda Sua (Imagine Jungkook) - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


❥ agradecimentos e avisos:
meu pai amado, eu juro por Deus, vocês não imaginam a mistura de sentimentos que tô sentido nesse exato momento! o tanto de comentários lindos que recebi no capítulo anterior que irá ser apagado logo logo me deixaram tão mas tão feliz. gente, eu já chorei, sorri, chorei mais um pouco e sorri várias e várias vezes. eu não sabia o quanto vocês haviam se apegado a essa história e isso me deixa imensamente grata! sabe a sensação de trabalho cumprido? é a sensação que sinto toda vez que paro pra escrever esse imagine e posto aqui pra vocês. sinceramente, nem sei como agradecer, e eu queria muito poder dar um abraço bem forte em vocês, mas como não posso... sintam-se abraçadas por mim através desse capítulo!

— espero que vocês gostem do capítulo e que perdoem quaisquer erros que tiver, tenham uma boa leitura.

❥ música do capítulo: earned it — the weeknd.

Capítulo 5 - Por que você me olha desse jeito?


Fanfic / Fanfiction Toda Sua (Imagine Jungkook) - Capítulo 5 - Por que você me olha desse jeito?

Toda Sua — Por que você me olha desse jeito?

Jeon Jungkook — Ponto de Vista

O remorso me atingiu quando percebi o que eu havia feito, e Jesus, eu me senti um completo idiota. ______ respirou profundamente, colocando o vestido na cadeira e depois se dirigiu até mim. — O que você quer de mim? — as palavras deixaram seus lábios em um eco tenso, terrivelmente sombrio.

Encolhi-me, e saltei do meu assento em um movimento rápido, em seguida, agarrei seu braço, puxando-a em meu peito. — Me desculpa ______... — parei, olhando para baixo para encontrar seu olhar totalmente inocente. — Sobre o vestido... E-eu não tinha ideia.

— Por que você está arrependido? — ela deu uma risada forçada. — Meu Deus, eu aposto que você achou hilário, não foi? Diga-me, Jeon Jungkook, foi divertido comprar um vestido que não deve caber em mim?

— Não fale comigo desse jeito! — apertei os dentes com aborrecimento. Ninguém nunca havia falado comigo assim. Que porra, eu costumava acreditar que ninguém pudesse ter coragem de fazer isso. A raiva fervia no meu estômago, mas o desejo por ela parecia ferver ainda mais em minhas calças.

— Seja como for, faça o que quiser comigo e me deixe ir.

Um gemido de frustração surgiu do fundo de minha garganta. Ela recuou não conseguindo nem sequer olhar para mim. Suas mãos foram até o final de sua saia e quando ela estava prestes a começar a levantá-la, parei-a.

— O que diabos você está fazendo?

Em vez de ela me dar uma resposta, ela afastou as minhas mãos e tentou se despir novamente.

— ______, pare! — respirei através dos meus dentes cerrados. — Pare de tentar tirar a roupa e vá se arrumar, está bem? — rolando meus olhos, caminhei para o meu assento.

— Mas não é isso que você quer?

Quando meus olhos se viraram para ela e pousaram em seu corpo, suguei um suspiro de ar. A saia preta que abraçava suas curvas estava mais bonita do que minutos atrás enquanto ela estava no palco. E o ângulo que ela se encontrava me dava uma visão maravilhosa de seus seios que estavam confortavelmente em sua blusa vermelha.

Minha boca ficou seca.

— Vá se preparar ______. Nós vamos sair.

— Perdão?

— Coloque algo que não seja tão... Apertado, e depois me encontre no andar de baixo — ordenei com minha voz profunda e áspera. O motivo pelo qual exigi que ela usasse algo mais folgado e menos revelador era simplesmente para ajudar o meu amiguinho a ficar quieto e nada mais. Meu corpo já estava rígido e tenso com o forte desejo e se eu passasse mais tempo na mesma sala com ela, eu perderia a cabeça.

Eu queria que ela fosse a única que implorasse. Eu a queria em minhas mãos, eu a queria de joelhos, implorando com vontade, implorando que eu a tocasse de todas as maneiras possíveis. Eu havia ganhado a aposta e eu tinha certeza de que eu iria saber aproveitar.

______— Ponto de Vista

Entrei no escritório de Mrs. Young, bufando, com o rosto cheio de confusão.

O jeito que Jungkook me ordenava a fazer algo, o jeito de como ele me olhava, o jeito de como ele me fazia sentir...

Céus! Eu estava prestes a enlouquecer.

— De volta tão cedo? — Mrs. Young perguntou.

— Sim, eu, hm... — balancei a cabeça enquanto tentava procurar as palavras e olhava as roupas no guarda-roupa. — Ele quer que eu use algo... Folgado.

— Folgado?

— Sim.

— Ah, certo — Mrs. Young me deu uma longa blusa preta, em seguida, curvou-se para pegar um par de meias vermelha. — Tente isso.

Apertei os lábios. — Eu tenho 20 anos, não 16. Acho que não posso usar isso.

— Sim, você pode, e você vai.

— Não, eu não posso e não vou. Ele disse algo para eu usar algo...

— Folgado? — o sorriso de Mrs. Young se abriu.

— Sim, mas...

— Sem desculpas, Mrs. ______. Isso é folgado e, se bem me lembro, o Sr. Jungkook ama a cor vermelha.

Derrotada, examinei a blusa, e minhas sobrancelhas rugiram, sabendo que, mesmo que eu desejasse usá-la, não podia. — Eu vou ficar horrível — balancei a cabeça. — Minhas coxas ficarão enormes, e minha barriga... Ai, Deus... Não, eu não posso usar isso. Desculpa.

— Bem, você que decide. Agora, se você me der licença, eu tenho uma reunião com o Sr. Yoongi.

Quando Mrs. Young saiu do escritório, permaneci parada com os pés presos no chão, comecei a debater sobre o que vestir. O motivo de ele querer que eu usasse algo folgado me desconcertou em primeiro lugar.

Era porque ele não gostava do meu corpo? Ele não me achava atraente? Ou, talvez, ele apenas se sentisse envergonhado.

Inúmeras listas de inseguranças preencheram minha mente, mas engoli em seco e comecei a me arrumar.

Jeon Jungkook — Ponto de Vista

Uma hora depois, ambas de minhas mãos estavam nos meus bolsos. Em seguida, ouvi cliques de saltos altos, fazendo minha cabeça virar e olhar para as escadas. ______ dava cada passo lentamente, talvez com medo que sua camisa revelasse qualquer uma parte de suas coxas. A blusa chegava acima dos joelhos e ela parecia extremamente sexy.

Inferno.

— Você está atrasada — apertei o queixo, tirando os meus óculos escuros apenas para examiná-la. Notei-a endireitar-se imediatamente quando meus olhos a atingiram. Reprimi meu sorriso.

— Eu estava apenas... — ela parou, engolindo em seco.

— Vamos — coloquei o braço em volta de sua cintura para guiá-la em direção ao carro. Senti-la estremecer com o meu toque em sua pele e ri mentalmente.

— Eu pensei que nós estivéssemos indo ao banquete?

— Nós estávamos... Mas prefiro levá-la para outro lugar.

Ela mordeu a língua. — Para outro lugar? Só nós... Dois?

— Sim, só nós dois — escondi o sorriso que pedia para ser dominado em meus lábios. — Nós estamos indo para um restaurante que não fica muito longe daqui.

Ela não disse uma palavra sequer depois disso. Na verdade, mesmo que nós quiséssemos dizer algo, não era possível. A tensão que o carro continha havia roubado todo o ar de nossos pulmões. Não importava quantas respirações profundas nós tivéssemos tomado, não fazia diferença para as batidas rápidas de nossos corações.

Estacionei o carro e cuidadosamente ajudei ______ a sair do carro. Meus olhos deslizaram para seu corpo mais uma vez e respirei fundo. A blusa preta que ela usava era simples, mas com as meias vermelhas a fazia parecer incrivelmente sedutora.

______ — Ponto de Vista

O garçom apertou a mão de Jeongguk antes de nos orientar para uma mesa separada na parte de trás. O restaurante estava quase vazio, o que me deixava ainda mais nervosa.

— O que você vai querer? — ele perguntou, inclinando-se sobre o ombro para olhar o cardápio.

— E-eu não sei — tremi. Seu rosto estava assustadoramente perto do meu, e seu cheiro doce e viril enchia minhas narinas.

— A tortellini de bolonha parece bom — pausando, um sorriso perverso se espalhou por seu rosto. — Mas, eu já sei o que eu quero — enquanto dizia isso, ele olhou diretamente para mim. Nenhum sinal de humor rastreava seu rosto. Deus, o homem era pretensioso! Ele agarrava todas as oportunidades que possuía em sua frente para me deixar trêmula.

— Eu acho que vou... Eu vou querer um risoto de frango.

Ele sorriu quando terminei de falar e depois deu ao garçom nossas ordens.

— Você parece muito incomodada.

— Eu pareço? — consegui dar uma pequena risada. — Bem, eu não estou. Eu estou apenas...

— Nervosa?

— E por que eu estaria nervosa?

— Você que me diz — Jungkook sentou-se em seu assento e cruzou os braços sobre o peito com diversão. Não pude não me sentir com raiva, maldição! Ele amava o jeito de como ele podia entrar embaixo de minha pele; isso deveria excitá-lo, pois, mais cedo ou mais tarde ele estaria entrando embaixo da minha calcinha também.

— Eu não tenho nada pra dizer — me recuperei. — Olha só, o que estamos fazendo aqui? Você ganhou a aposta. Você conseguiu o que queria, então por que não podemos acabar logo com isso?

Jeongguk colocou a mão sobre o coração. — Ai, isso doeu.

— Sinceramente, eu não consigo entender.

— Como eu disse antes, quero conhecer você.

Zombei. — Ah, eu sinto muito, mas você não vai.

— Ah, mas é aí que você se engana — ele sorriu com arrogância.

— Você não sabe nada sobre mim.

— Está se enganando de novo — ele balançou a cabeça e colocou a sua mão na parte de trás do meu pescoço. — Eu sempre posso decifrar quando você está nervosa porque seu pulso vibra bem aqui — e, ironicamente, meu pulso começou a vibrar de forma selvagem. Ele sorriu.

— Você está imaginando coisas — expirei, tentando afastar suas mãos, mas falhei quando ele puxou meu corpo para dentro de seu peito. Suas mãos insensíveis percorreram-me e apertaram meus quadris.

— Não tenha medo.

Livrei-me de seu aperto áspero. — Você é muito egocêntrico, sabia?

Jungkook simplesmente inclinou sua cabeça para o lado e deu um dos seus sorrisos mais juvenis.

Não demorou muito tempo para o garçom chegar com a comida. A minha boca babava com a visão. Eu queria tanto comer sem sequer me incomodar em saborear o gosto. No entanto, com Jeongguk tão perto e me observando, eu sabia que não seria capaz.

Lentamente e com cuidado mastiguei, esperando que ele dissesse ou fizesse alguma coisa. De vez em quando, eu olhava para ele pelo canto do olho.

— Está bom? — ele perguntou, lambendo seus lábios sem o molho.

Engoli em seco. — Sim, está delicioso. Obrigada.

Obrigada?

Bati internamente em minha cabeça.

Encolhi-me, fechando os olhos com vergonha, o que fez Jungkook rir.

— Por que você me olha desse jeito?

— De que jeito?

— Você sabe — fiz uma pausa. — Você me olha como se eu fosse bonita... Como se você me quisesse.

— Você já me perguntou isso ontem. Eu quero você, ______. Eu pensei que estivesse ficado bem claro quando fizemos a aposta.

— Mas por quê?

— Por que o quê?

— Por que você me quer?

Jeon Jungkook  — Ponto de Vista

Estudei-a novamente. Tomando nota de seus olhos, e observei a maneira como seus lábios se inclinavam quase como se estivessem franzindo a testa, e a forma de como seu rosto padeceu.

— Santo Deus, você está realmente falando sério?

Ela abriu os olhos, não entendendo exatamente o que eu queria dizer.

— Você não consegue enxergar, não é? — me aproximo.

— Enxergar o que?

— Você. O seu corpo... Você é linda, ______.

Quase cuspindo sua bebida, ela sufocou o riso. — Se isso faz parte de suas piadas doentias, fique sabendo que não gosto muito do seu humor.

— Deus, você realmente não consegue ver o quão bonita você é.

Ela então começou a rir. Puta merda, ela realmente estava achando tudo isso hilário.

— Você não pode estar falando sério...

— Eu não posso?

— Não, Jungkook! Não pode, porque homens como você não costumam gostar de mulheres como eu.

— E como você sabe disso?

Ela congelou. Embora fosse óbvio, eu sabia que ela se recusaria a responder a minha pergunta. Eu podia dizer pela forma de como seus traços caíram como se eu a tivesse atingido numa parede. Numa parede que ela estava se escondendo, numa parede que eu pretendia quebrar.

Inclinando-me para frente, apertei novamente o seu pescoço e depois, com o polegar, rastreei suavemente o osso da sua bochecha. Eu podia sentir o seu cheiro doce e viciante, eu podia ouvir os seus batimentos cardíacos, eu podia sentir o seu nervosismo. Deus, eu precisava tanto beijá-la.

E, sem pensar duas vezes, pressionei meus lábios contra os dela. Senti-a choramingar em minha boca quando minhas mãos voaram para sua bunda e agarrei suas coxas. Ela parecia tonta com a quantidade de desejo que eu transferia. Eu podia sentir isso, podíamos sentir cada centímetro de paixão que ardia entre nós.

O beijo se aprofundou. Tornou-se mais áspero, mais exigente. Nossas respirações ficaram mais pesadas assim como as minhas calças, especialmente quando eu a puxei para o meu colo e a agrupei na minha cintura. 

— Jeongguk — ela ofegou, mas pareceu confiante em suas palavras. — Você... Não pode me beijar assim.

Ela saltou de meu colo em choque com a mão cobrindo a boca.

— Por que não?

— Porque eu... — ela cortou sua frase, horrorizada.

— Você?

— Eu sou gorda.

Demorou apenas alguns segundos para eu perceber o que ela queria dizer. E quando a verdade me atingiu, quando entendi realmente o que estava acontecendo, enfureci-me.

— Você acha que eu não posso querer você porque você não usa roupas tamanho 0? — rosnei através dos meus dentes cerrados. — Você acha que não posso quer você porque você se acha gorda? Meu Deus, ______, o seu peso é ideal, você é estupidamente perfeita desse jeito!

— Cale a boca! — ela soltou. — Você está cheio de merda.

— Olhe para mim — agarrei sua cintura e puxei-a novamente.

— Não! Apenas cale a boca e transe comigo, tudo bem? Vamos acabar logo com essa aposta.

Um grunhido de irritação entrou em erupção no fundo do meu peito. — Quer saber? Que se foda! Eu vou fazer você acreditar que é perfeita. Vou fazer você ver quantas mulheres gostaria de ter o seu corpo, especialmente o seu peso. De uma maneira ou de outra, eu vou conseguir fazer você enxergar isso. Você verá o quão incrível você é.

E isso havia acabado de se tornar mais do que apenas uma aposta para mim. Eu não iria deixá-la de jeito nenhum escapar das minhas mãos.


Notas Finais


então menines, não aceitem menos do que um homem que a trate da mesma forma que o jeongguk, combinado? caso contrário siga o conselho da maravilhosa grey: é melhor ficar sozinha e se sentir um sucesso do que estar em um relacionamento e se sentir um fracasso o tempo todo.

vocês são incríveis. vocês são merecedoras. vocês são capazes. eu amo vocês. ♡

– sigam meu perfil: @kikada
– sigam meu perfil no wattpad: @mrskikada
– sigam a playlist do imagine no spotify: https://open.spotify.com/playlist/7F8hCjuB5nAauVh5tbBW9z?si=70NHNT5qSbC-kGV0rW3X7w


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...