1. Spirit Fanfics >
  2. Todas as cores que ele descoloriu >
  3. Sobre piercings

História Todas as cores que ele descoloriu - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


EAIIII CLÃ
nossa demorei pra att ne?? confesso foi so preguiça mesmoKKKKKKK o cap de hj não ta la essas coisas, mas espero que gostem
Aliaas eu to montando uma playlist então logo logo ta ai

FINALMENTE MUDEI O NOMEKKKKKKK espero que tenham gostado e valeeu nat pela capa eu amei muito

Capítulo 5 - Sobre piercings


De volta para casa Chenle percebeu que a madrugada estava mais insuportavelmente quente do que normalmente e se perguntou o porque daquilo, não era um dos maiores fãs do verão, ou qualquer estação que tinha que deixar o seu corpo um pouco mais exposto. A juntar com o clima e a estação, o dia parecia amanhecer ainda mais cedo do que de costume, o céu já era tomado por algumas luzes do sol e a lua ia embora, apenas de ser cerca de cinco da manhã.

 O chinês ia contando na cabeça quando tempo ainda tinha para dormir, acabou por dormir mais tarde do que de costume já que ficou conversando com Irene. A garota que falava euforicamente da de outra garota, que descobriu ser chamada de Seulgi, a maneira de Bae descrevia a mesma tinha a impressão que falava da própria galateia - riu com a própria observação.

 Desistiu de ir dormir e foi tomar banho, deixou uma música qualquer tocando no celular. O som alto se estendia por todo o quarto, porém ele sabia que provavelmente todos em casa já estavam acordados.

 Ia tirando a roupa no meio do caminho enquanto tentava achar uma para usar. A calça preta e a blusa do nirvana. Nada de novo 

 Jogou as coisas na cama e foi para o banheiro, se sentia meio eufórico, mas não sabia o porque disso. Batia a cabeça no ritmo da música enquanto sentia a água, um pouco mais fria pelo calor, cair em seu corpo 

 

   

               “Why can't we be friends when we are lovers?

             'Cause it always ends with us hating each other”

 

 O garoto cantava animado terminando o banho, uma brisa gélida que entrava pela janela bateu em seu corpo e por um minuto se arrependeu de não tomar o banho tão quente.

 Bagunçou os fios coloridos, pensando que já era a hora de trocar a cor. Pensava nisso enquanto trocava de roupa e de repente sua cabeça pareceu dar um start e ele correu para o banheiro, mexendo nas diversas gavetas até achar o que queria. Sorriu vendo o metal brilhar em sua mão 

  - Achei - murmurou e se apoiou mais no balcão - aí.. - resmungou baixo depois de finalmente colocar o piercing. 

  Fazia um tempo que não o usava e o furo parecia quase estar cicatrizando. Passou os lábios pelo metal nos cantos dos lábios e sorriu novamente.

 Terminou de colocar a blusa, pegando a mochila e descendo as escadas. Talvez Park não se importaria de chegar mais cedo, ou de Chenle tocar sua campainha as exatas 6:00 da manhã. 

 Quando uma senhora o atendeu ele se limitou a levantar as pontas dos lábios num sorriso, informou que era amigo de Jisung e a senhora o levou ao quarto do mesmo de bom grado. Avisou que provavelmente estaria dormindo ainda, mas poderia o acordar, até porque tinham aula.

  Zhong se aproximou cuidadosamente da cama do garoto, fazendo assim com o seu rosto e quando consegue sentir a respiração do maior em seu rosto, fez o que qualquer um faria

   - PARK JISUNG! - gritou e o garoto e Jisung levantou de supetão, agarrou os ombros do menor e o jogou na cama, ficando em cima de si. 

 Chenle o encarou confuso, porém surpreso pela reação do outro, já Park pareceu travado por um momento, encarava o outro também e desceu os olhos para a boca do menor, onde viu que tinha um piercing novo. Quase o tocou.

 Mas percebeu o tinha feito, se afastou envergonhado e se sentou na outra ponta da cama a frente do alaranjado

  - A-ah… é você - riu desconcertado

  - Minha nossa Jisung trabalha com gangue para entrar nesse desespero… Espera - virou mexendo embaixo do travesseiro do garoto - não, você não guarda uma arma embaixo do travesseiro 

 - O que você acha que eu sou? Eu só me assustei, você chega do nada gritando meu nome - dessa vez quem riu foi Zhong 

 - Tanto faz, vai se trocar logo pra gente ir pro colégio - a essa altura Park já estava andando pelo quarto, a procura de uma roupa ou de ir ao banheiro mesmo. 

 Chenle se jogou na cama alheia mexendo no celular 

  - Por que acordou tão cedo? - Jisung perguntou tirando a roupa no banheiro

  - Odeio calor, me faz perder o sono 

  - A sim… Bem, você se importa se eu tomar banho com a porta aberta? 

  - Indiferente, o quarto é seu e além do mais nem dá para te ver - Park concordou e entrou no box - vou colocar música - avisou e o outro apenas gritou um “Tá”

  Trapdoors social tocava no celular de Chenle e ele cantarolava andando pelo quarto de Park, se assustou quando a imagem do mesmo - já trocado - e com os cabelos úmidos apareceu a sua frente

 

                    “Baby, hold me down

              No I don't want it to hurt no more

    I need your love and I can't let go (can't let go)

             So save me from the night

     Just give me all that you got, my dear

         And I promise that I'll be here”

 

 Cantavam juntos e dançavam, como se não fosse seis e meia da matina, Park puxou o garoto e agora eles dançavam juntos imitando os instrumentos 

 

  - And then I promise that I'll be here - Jisung cantou a última parte divertido e se separou do aperto. Reparava demais naquele piercing 

 

 Garotos com piercing labial eram problemas

 Zhong Chenle era problema 

 

 Catou a mochila e eles desceram as escadas da casa de Park, animados sem razão nenhuma 

 

 - Não sabia que tinha um piercing labial - o maior comentou no meio do caminho 

 - Na realidade fazia tempo que não o usava, aliás você não tem nenhum piercing? 

 - Eu tenho vários, eu só não uso muitos. Eu tenho um transversal, um daith um helix e um tragus na orelha, e um em outro lugar. Você todos os furos né?

 - Sim - riu fraco - os onze furos na orelha e o labial. Onde mais você tem? - Park corou e olhou para o outro lada da calçada - não me diga de que você tem um piercing no p.. - o garoto não conseguiu completar pois Jisung o empurrou 

  - Cala a boca Chenle, pelo amor não! Eu tenho um piercing no mamilo - Zhong pareceu surpreso 

  - Por essa eu não esperava, eu quero ver - disse como uma criança animada, até sua ficha cair do que havia falado - quero dizer - fingiu tossir - Por que fez ele?

  - Nem eu sei bem, a gente estava de bobeira no estúdio do Mark e pedi pra ele fazer, ele cedeu e assim eu ganhei mais um furo - explicou - mas eu não uso muito, tenho medo de levar uma bolada - segredou e riu logo depois. Chenle negou com a cabeça.

 

 Ao chegarem no colégio Jisung resolveu ficar um pouco com o grupo do outro garoto, até porque os seus não haviam chegado. Jaemin se aproximou com aquele sorriso sugestivo que vivia em seus lábios 

  - Ei Zhong - Jaemin chamou se aproximando dos dois mais novo junto com Renjun, que parecia mais de bom o humor do que de costume - Voltou com o piercing labial é? Parabens ta um grande gostoso - piscou e Chenle apenas revirou os olhos 

  Os garotos ficaram conversando por um tempo, não havia muito o que fazer, era cedo ainda e as aulas demoraram um tempo a começar. Falavam sobre assuntos diversos que surgiam até Donghyuck aparecer acompanhado por Jeno. 

  Como um tipo de aura estranha tivesse caído sobre eles, um pequeno silêncio reinou por cerca de 2 minutos. Ninguém ousou dizer nada.

  Jaemin quebrou isso

  - Então né - limpou a garganta - e se...hm…. a gente tentasse almoçar juntos? Temos pessoas novas agora, certo? - sorriu para Jisung, que por sua vez coçou a nuca e olhou incerto para Jeno - sem briguinha idiota - deu uma cotovelada em Renjun, que foi retribuída com um xingamento e outro soco.

 O soco de Renjun não doía tanto quanto Donghyuck descreveu 

  - Tanto faz - Lee disse se apoiando em Jeno - temos três aulas para decidir ainda

  - Três aulas nada, vai todo mundo comer junto e se começar de briga todo mundo apanha também - Jeno assumiu a voz. Era claro o poder que ele exalava 

  “Tudo fachada” Jisung riu com o próprio pensamento 



 

  No final deu tudo certo, ninguém trocou farpas ou tocaram em assuntos desnecessários. Foi um almoço agradável e todos conseguiram interagir normalmente.

 Naquele momento, as exatas 11:53PM, Jisung e Chenle estavam encostados no muro do colégio fumando. Jisung o primeiro do dia e Zhong no sétimo. Renjun estava sentado na calçada conversando alguma besteira com Jaemin e Donghycuk se escorava numa árvore quase sem folhas mexendo em algo no celular. 

  - Sai de perto de mim Jeno - Park mandou virando o rosto para o outro lado, soprando a fumaça longe 

  - Qual o problema dele fica perto? Já deve ter se acostumado com o cheiro de cigarro do vestiário - Jaemin tirou sarro, se virando pela primeira vez para os outros garotos 

  - Jeno já fumou por um tempo, mas parou. Não quero que ele volte para o vício 

  - Todo mundo sabe como esse vício começou - Donghyuck se aproximou pegando o cigarro dos dedos compridos de Jisung e pondo entre os lábios bonitos 

 - Cala a boca - Jeno respondeu entre dentes e o  Lee mais novo riu - Passa um 

 - Vou passar a mão da sua cara, isso sim - Jisung respondeu tacando o tabaco, já pequeno, no chão e pisando em cima - você nem sonhe em voltar a por isso na boca 

  - Não sei porque faz todo esse drama, sabe que Jeno voltará a fumar quando Mark voltar - recebeu um soco de Park como resposta 



 

    A semana passou rápido, já era sexta quase final da tarde, o tempo voltava a ficar um pouco mais fresco. O lençol da cama de Jisung esvoaçando era uma das provas.

 O garoto afinava as cordas da guitarra azul clara enquanto Chenle estava jogado na sua cama lendo alguma coisa. Parecia interessante pela maneira que o de cabelos laranjas estava concentrado 

  - Quero pintar o cabelo - Jisung disparou de repente e Zhong desviou os olhos preguiçosamente do livro - A última vez que meu cabelo viu cor foi quando eu tinha dezesseis anos. - brincava com os dedos nas cordas do instrumento - Acha que loiro é uma boa opção 

  - Acho - Chenle rolou na cama até chegar do outro lado, saindo dela - queria pintar o meu também, faz tempo que to com o laranja - bagunçou os próprios fios e se jogou no sofá do outro lado do quarto - que tal… meio preto, meio cinza? - puxou os fios e olhou esperto para Park 

  - Boa - deixou o instrumento de lado - que roupa vai no folks? - questionou andando até o closet. 

 Zhong negou 

  - Wow! - Jisung disse surpreso enquanto ria. Chenle correu até ele curioso - Isso é uma relíquia - balançou a blusa preta do ramones na frente do menor - a blusa é do Mark, acho que ele deve ter esquecido lá em casa antes de eu vir pra cá - segurou a barra a blusa que olhava e olhou para Chenle. Um pedido mudo para que o garoto virasse 

  - Fala sério, você tá com vergonha? A gente já trocou saliva 

 

 Park o xingou baixo e tirou a blusa. Chenle travou.

 Não pelo fato de Jisung ter tirado a blusa, mas sim porque o garoto tinha mais tatuagens no resto do corpo.

  Algumas flores subiam da espinha ilíaca bem definida do garoto até o começo da cintura, do outro lado, bem em cima da crista ilíaca tinha uma espécie de chama. Devia ter doido 

 E por fim no músculo oblíquo a imagem de um esqueleto com flores no crânio estava desenhada. 

 Park colocou a blusa.

 

  Chenle o ficou encarando por um tempo, não sabia o que falar e a expressão estranha e indescritível dele estavam incomodando Jisung. O coreano tinha muitas tatuagens, com toda certeza deve ter começado a fazê-las novo. Ficou uma tensão estranha

 

  - Está com vergonha Zhong? - Jisung debochou. Não foi uma boa escolha pois Chenle o deu um soco no ombro. Chenle tinha uma força ferrada - Ai, não precisava me bater, que droga - o alaranjado riu - eu já sei com que roupa eu vou - sorriu travesso.

 

 Com certeza ele sabia, assim como ele também sabe que iria matar Chenle um dia desses

 


Notas Finais


É isso ai galera, espero que tenham gostado
ate a proxima att


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...