1. Spirit Fanfics >
  2. Todas as Estrelas >
  3. Caras como nós

História Todas as Estrelas - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 2 - Caras como nós


O motorista dirigia igual uma lesma, isso era um fato. As árvores passavam tão devagar, que ele já estava cansado de observar por quase três horas o paisagismo da zona rural que ocupava o outro lado da janela.

Uma janela que nem estava limpa. Tinha manchinhas brancas e marrons por toda parte, por causa do barro que espirrou assim que o ônibus passou com certa velocidade em uma poça de lama, espirrando centenas de gotinhas lamientas.

Nem mesmo a música conseguia entretê-lo mais. As músicas aleatórias de uma de suas várias playlist já o deixava com os ouvidos implorando por arrego.

Ele já estava entediado, e ainda deveria faltar uns quarenta e cinco minutos para que chegassem.

Decidiu interromper Foster The People por um tempo, desconectou o fone do celular, enrolando com cuidado para guardar no bolso da calça preta.

Só então com os ouvidos livres de toda aquela barulheira, ele pôde perceber que seus colegas de turma seguiam no mesmo ritmo, fazendo muito barulho com conversas e gargalhadas altas.

Alguns arriscavam a cantar, e estava péssimo. Com a maior parte da viagem distraído, não notou que Suigetsu já quase babava ao seu lado.

Ele deveria ter passado a noite inteira acordado, sofrendo de empolgação com a viagem. Ele não parou de falar no assunto a semana inteira. O garoto deveria mesmo estar animado, assim como todos os outros alunos presentes.

Ele escutava algumas conversas aleatórias de alguns, sabendo quem já estava levando bebida com álcool e baseados de maconha. Outros diziam com animação todas as coisas que fariam para se divertirem.

Ele até tinha planejado algumas coisas para fazer, mas nada que fosse comparado ao que os outros adolescentes planejavam, como: encher a cara escondidos e fumar no meio do mato até ficarem chapados.

Sentiu quando Suigetsu remexeu-se ao seu lado esbarrando o braço em seu rosto quando espreguiçou ao acordar.

— Ei, cuidado! — reclamou ao ser atingido pelo amigo.

— Foi mal. Esse banco acabou comigo, não vejo a hora de chegarmos e relaxar. — disse bocejando — Aliás, estamos chegando?

— Sei lá. Deve faltar uns quarenta minutos. — disse suspirando fundo, entediado.

— É, por aí. — Sui olhou para fora da janela, tentando descobrir onde exatamente estavam. — Acho que consigo dormir mais um pouco. — Sui disse remexendo-se novamente para se ajustar melhor no banco nada confortável.

— De novo? Cara, você dormiu a viagem toda.

— Tem razão, mas não é como se você fosse conversar a viagem toda, não é mesmo?

— Só faltam alguns minutos, consigo te suportar até chegar. — respondeu irônico.

— Que engraçado, nossa como você é tão hilário. Sasuke é o maior comediante de todo o tempo. Porque não vira comediante de um talk show?

Suigetsu revidou com humor a pequena piada do moreno, revirando os olhos e gesticulando com as mãos enquanto falava de maneira debochada.

Sasuke se perdeu no meio daquele falatório. Seu olhar deslizou para frente, focando sua atenção nas duas novas garotas que gargalhavam de alguma coisa.

Elas estavam sentadas a quatro bancos a sua frente, do lado direito. A ruiva estava na janela e a outra de cabelos cor-de-rosa tentava se controlar em meio a tantos risos.

Elas pareciam ser íntimas e se divertiam mais que todos eles ali.

Ficou intrigado ainda as observando intensamente, sem desviar sua atenção para qualquer outra coisa.

A garota de cabelos cor peculiar segurava em suas mãos uma câmera fotográfica, que ele não soube identificar o modelo já que estavam a uma certa distância.

Pareciam rir de fotos. De repente a ruiva puxou a câmera de sua mão e começou a tirar várias fotos enquanto a companheira remexia-se de maneira engraçada.

Elas formavam uma bela dupla.

— Me conta uma coisa. — Sasuke se direcionou a Sui, voltando a dizer: — Já que você conhece tanta gente do colégio, sabe dizer quem são aquelas duas garotas lá na frente?

Ele perguntou curioso, fazendo um leve movimento com a cabeça em direção às garotas que agora faziam uma pequena dança, sentadas.

Sui percorreu seu olhar na direção que Sasuke apontou discretamente, notando que ele havia mencionado.

Ele sorriu ladino ao ver a quem ele se referia.

— Ah! Aquelas duas. Intrigantes elas, não é mesmo? — disse sorrindo, preparando-se para contar tudo o que ouviu falar sobre elas. — São irmãs. Karin e Sakura Haruno. Karin é a ruiva e a rosinha é a Sakura. Lindas, não é?

Ele não podia negar que ambas eram bonitas, mas jamais pensou que fossem irmãs. Apenas que fossem melhores amigas e tals.

— De fato chamam atenção, e em menos de uma semana todos queriam sentar-se perto delas, no almoço. Se tornaram bastante populares. — ele começou a contar com empolgação. — Mas são perfeitas demais para que nós mortais estejam ao seu alcance.

— Não sabia que elas estudavam no nosso colégio. — Sasuke indagou, não lembrando a nada que ligasse as irmãs e suas últimas semanas antes das férias e viajem.

— Cara, você passa o intervalo toda na biblioteca ou no laboratório de química. Não é uma surpresa que não saiba de nada do nosso meio social. Na verdade, nem sei se dá pra te incluir nesse meio.

Sasuke fez uma careta ao ouvir as palavras do amigo. Ele percebeu que Sui estava ofendendo sua vida social, nada social.

Não podia negar que quando se tratava de socialização ele não entendia bem do assunto.

— Tanto faz, mas aí, o que mais sabe sobre elas? — ainda estava curioso sobre as meninas novas.

— Por que está curioso tão de repente? Ficou afim de alguma? — perguntou erguendo uma das sobrancelhas, tentando não rir. — É melhor nem tentar nada. Os caras do time de futebol vão cair em cima, e nós nerds aqui ficamos de lado.

— Não estou afim. — negou um pouco nervoso. — Sei lá, elas parecem legais. Só isso.

— É, parece sim. Mas garotas como elas ficam longe de caras como nós.

“Caras como nós” eram definitivamente garotos sem graça e nerds. Ou seja, caras como Sasuke.

Garotos que não sabiam chegar em garotas como elas. Bonitas, descoladas e importantes socialmente.

Sasuke retesou por um momento, ainda olhando diretamente para elas se sentindo um pouco tenso. Notavelmente garotas como elas não veriam nada impressionante em caras como eles.

Algo o intrigava sobre as novatas, mas ele sabia que seu nível não chegava ao delas.

Tão opostos que nada teria nada em comum.

— Como se um de nós dois fosse falar com alguma delas. Eu só estava curioso, só isso. — Sasuke disse, endireitando-se no banco, voltando a sua famosa cara de tédio.

— Relaxa aí mano, esse verão vai ser só curtição. Fiquei sabendo que vão fazer uma festinha de Boas-vindas, e já sabe o que rola né? Vai ser nossa chance de nos introduzirmos nesse meio.

— É melhor nem tentarmos.

Poucos minutos depois, finalmente o ônibus estava na porteira da fazenda, onde iria só até ali. O restante do caminho eles fariam a pé.

O tumulto começou quando cada um dos adolescentes pegaram seus pertences que decidiram levar a mão e começaram a sair com pressa para a porta de desembarque. Sasuke preferiu ser um dos últimos a sair.

Lá fora, os adolescentes se misturavam, às duas únicas professoras tentavam controlar a pequena balbúrdia e uma caminhonete branca aproximava-se da porteira ainda fechada com correntes e cadeado.

Sasuke já sabia daquele pequeno protocolo assim que chegavam até a porteira. Já tinha vivido aquilo mais de uma vez.

Quem vinha na caminhonete era seu Minato. O dono da fazenda e que dividia três meses deste ano com uma cambada de adolescentes preguiçosos e festeiros. Ele se perguntava em como a família Uzumaki aguentava tanta gente naquela fazenda.

Ao se aproximar o homem loiro de aparência próxima a quarenta e poucos anos, começou a destrancar a porteira, abrindo e dando espaço para todos passarem. O ônibus partiu a menos de cinco minutos de volta para a cidade.

A vontade de Sasuke era de ter ficado escondido lá dentro, debaixo de algum banco só para voltar para sua casa e passar todos os seus dias de férias deitado na sua cama.

Mas ele não cabia embaixo de nenhum banco.

— Atenção de todos vocês, por favor. — Minato Uzumaki se pronunciou pela primeira vez. — Primeiramente, boa tarde, e sejam bem vindos. Algum de vocês já me conhece há algum tempo. — ele passou seu olhar por todos eles, reconhecendo alguns rostos, incluindo o moreno. Continuou: — Para aqueles que não me conhecem, meu nome é Minato Uzumaki, e assim como o nome da fazenda, sim, sou o dono. Espero que a estadia de todos vocês sejam o mais confortável possível, já que trabalhamos muito para recebê-los com o melhor que podemos oferecer. Peço que por gentileza coloquem suas bolsas e malas dentro da carroceria da caminhonete, vou levar em segurança até a fazenda, já que vocês tenham que ir andando e não queiram carregar peso. Quando chegarem, irão ter monitores para mostrarem os alojamentos e guiar em tour pela propriedade, em seguida um saboroso lanche. Amanhã mesmo iniciaremos nossas atividades. Vejo voces em alguns minutos.

Ele encerrou com um aceno enquanto todos arrumavam suas coisas dentro da carroceria. Minato ao reconhecer Sasuke, aproximou-se do garoto.

— Sasuke Uchiha, é bom receber você aqui novamente. Como vai? — levou as mãos em um comprimento.

— Vou bem, e o senhor?

— O melhor possível. Espero que sua família esteja indo bem também! — O moreno sorriu em confirmação. — Tem uma pessoa que está inquieto para você. Ele nem dormiu preparando tudo. Quer que você fique no quarto de hóspede da casa principal.

Naruto, era a pessoa. Filho único dos Uzumaki e possivelmente um adolescente carente por viver tão afastado da cidade e de pessoas da sua idade.

Ele e Sasuke se conheceram na primeira vez que o moreno embarcou na viagem. Naruto grudou em Sasuke de uma maneira surpreendente e não largou do seu pé nunca mais. Apesar de ser tagarela e inconveniente, Naruto deu todo o apoio necessário que Sasuke precisava assim que o pai faleceu.

Até mesmo ficou uma semana na cidade, hospedado na casa dos Uchihas ajudando a família em tudo que precisavam.

Sasuke devia muitas coisas para Naruto, e sua lealdade era a melhor forma de pagamento.

Ele sorriu amigavelmente ao saber que o loiro hiperativo já o aguardava ansiosamente.

— Quero vê-lo também, e apresentar um novo amigo, penso que eles iram se dar bem. — apontou para Sui, que brigava com uma menina baixinha por causa do espaço para as malas. Suigetsu e Naruto se dariam bem, por terem personalidades tão parecidas. Elétricos e inquietos.

— Certo, vou levar todas essas coisas para a fazenda. Vejo você lá.

O homem mais velho despediu-se seguindo seu caminho para o carro carregado de tralhas dos adolescentes barulhentos.

— Bora lá, né.

Suigetsu disse animado, seguindo às duas professoras que guiavam os alunos pela estrada de terra. Todos estavam conversando empolgados andando o mais depressa que podiam. Sui reclamava da lama no sapato.

— A caralho, porque tanta lama? É verão.

Sentir o ar puro que a fazenda proporciona era libertador. Seus pulmões agradeciam o frescor do ar livre chegando até eles, não aguentando mais o quão era difícil manter a respiração estável com o calor que enfrentou todo o caminho por baixo do sol.

Mais um dos motivos para ele não ter ido.

— Finalmente chegamos. Esse lugar é da hora demais. — alguém ao seu lado disse empolgado.

Sasuke só se empolgaria se visse um chuveiro, com água fresca saindo por ele. Talvez uma cama em um quarto isolado, onde ele poderia ficar lá dentro sozinho.

A fazenda era enorme, com a casa principal onde os donos ficavam e ao lado os alojamentos. Separados, é claro, para meninas e meninos. Cada alojamento era de dois andares, composto por corredores com quartos e banheiros, onde às vezes aconteciam confusões, por motivos de água quente, espaço e tomadas para secadores e carregadores de celulares. As camas eram de solteiros, com exceção dos quartos dos professores que acompanhavam as viagens. Os quartos deles eram maiores e com camas de casal.

O refeitório era o lugar onde todos estavam juntos, mas ainda sim separados por grupos. Grupos como: os mais populares, meninas fofoqueiras, nerds e aqueles rebeldes. As refeições principais eram três vezes ao dia, e dois lanches na parte da tarde. O horário de dormir era às 22h00 da noite, com alguma exceção se ocorresse algum evento em especial.

Quando a divisão foi passada, o tour pela fazenda era feito, mas Sasuke como já conhecia o lugar decidiu que iria à procura do seu quarto e arrumar suas coisas.

Ao achar, ele descobriu que dividiria o quarto com mais dois garotos, obviamente com Suigetsu e um tal de Shikamaru. Esse ele nem conhecia.

Sem muita vontade, ele se organizou no quarto demorando o máximo que podia. Queria aproveitar melhor o tempo que estava sozinho, antes que o bagunceiro do amigo chegasse e o outro cara também.

Seu celular estava sem sinal, então ligar para a mãe estava fora de cogitação. Depois andaria por aí em busca do mínimo sinal que achasse somente para avisar que havia chegado bem.

No momento ele queria aproveitar para dormir um pouco.

#

— Ah mano! Essa festa vai ser muito da hora. — aquela voz estridente e conhecida encheu o quarto com euforia e entusiasmo. Não só uma, mas duas.

Se remexeu despertando do seu cochilo pós viagem, mas por muito pouco tempo.

Teve uns minutos de paz e agora ele teria que lidar com dois corpos agitados cheios de energia para gastar, Naruto e Suigetsu.

— Que droga! Deem o fora. — ele resmungou sonolento.

— Sinto muito, esse também é meu quarto, então tenho meus direitos. — Sui se defendeu, subindo no beliche de cima. — Esse colchão vai me dar problemas.

— E meu pai é dono disso tudo, sou herdeiro dele, então mando nisso tudo. — Naruto entrou na conversa.

Sasuke revirou os olhos, sentando-se de vez na cama, já que continuar dormindo não era uma probabilidade.

— Foda-se… Espera aí. — confuso, ele olhou para os dois garotos. — Como se conheceram?

— Ah sei lá! Foi bem aleatório, de repente eu já tava vindo pra cá com esse carinha. — Naruto respondeu dando de ombros.

— Já sabia que vocês dois se conheciam, achei uma boa fazer amizade também.

— Aff… Tanto faz. — ele foi interrompido quando a porta do quarto se abriu de repente, mostrando um novo garoto. Deveria ser o tal Shikamaru.

O garoto entrou, segurando uma mala na mão, enquanto a outra manteve seu cigarro na boca. Suigetsu ficou admirado, já querendo fazer amizade com aquele colega de quarto descolado.

Ele não disse nenhuma palavra, nem mesmo um comprimento. Os outros três garotos ficaram esperando ele dizer alguma coisa.

— Ae, se importa se eu ficar com a cama de cima? — o platinado perguntou, se esticando na cama de cima para observá-lo melhor.

— Tanto faz, não gosto de altura. — foi o que respondeu. Colocou sua mala na cama de baixo, abrindo o bolso traseiro tirando uma carteira de cigarros junto de um isqueiro.

Com a mesma rapidez que entrou, saiu do quarto sem dizer muita coisa. Não parecia do tipo que conversava muito.

— Caralho mermão. A gente vai ser brothers.

Os três garotos caminhavam em direção ao grande refeitório onde o lanche seria servido. Outros adolescentes já se aglomeravam lá dentro, circulando em busca de mesas enquanto seguravam suas bandejas cheias na mão. Outros já estavam sentados, conversando e fazendo piadas.

— Bora pra lá. — Sui apontou com o dedo para uma mesa afastada, no canto da parede.

Ele, Sasuke e Naruto que seguia ambos para todos os lados, foi acompanhando, tentando não esbarrar em ninguém sem criar confusões.

— Por que tá tão cheio de gente esse ano? — Sasuke reclamou, falando um pouco mais alto fazendo uma careta de decepção por estar em um lugar tão lotado e barulhento.

— Chegou uma turma de quarenta e cinco alunos, de outra escola. De uma cidadezinha aqui perto. — Naruto contou, já que o pai dele que fechava acordo com as escolas, ele sabia de quase tudo que acontecia na parte burocrática do acampamento.

— Quanto mais gente, melhor é. — Sui disse, de boca cheia.

Sasuke respirou fundo, pensando em uma forma de lidar com aquilo por três meses seguidos. Não seria nada fácil.

Enquanto Naruto e Suigetsu tagarelavam sobre qualquer coisa que ele não dava a mínima, ele notou quando às duas novas garotas entraram no refeitório, indo em direção onde os lanches eram servidos.

Ele as observou o tempo todo, com sua curiosidade exalando pelo brilho nos olhos quase imperceptíveis.

A garota de cabelos rosa, tinha uma expressão suave no rosto, sorrindo educadamente para as moças que serviam os lanches. A ruiva, mantinha uma expressão mais séria.

Quando elas se viraram em direção às mesas, Sasuke notou que elas não tinham onde sentar, já que estava tudo muito cheio.

Onde eles estavam, havia lugares disponíveis para às duas. Mas seria estranho chamá-las para se sentar ali, então ele ficou quieto, notando que elas haviam ido comer na escada da entrada, assim como outros que já estavam lá.

Foi esquisito, aquela vontade de conversar com qualquer uma delas. Na verdade, conversar com a garota de cabelos cor-de-rosa.


Notas Finais


bom dia com a ressureição de uma fanfic que está prestes a voltar a ativa, finalmente!
Sim, eu demorei alguns meses, mas vocês sabem né, a vida adulta me bate todo dia kkkkkkkk. Enfim, esse capitulo é bem basiquinho, só pra gente ir conhecendo melhor o Sasuke, Sui, Narutinho e uma breve aparição das meninas que no próximo capítulo tem seus lugares de destaque.
Eu gostei muito desse capítulo e estou preparando mais, pra terminar ela bem rapidinho mesmo. Obrigada por lerem e espero que vocês tenham gostado!

Até a próxima :)

Temos playlist dessa fic, segue link:

Playlist: https://open.spotify.com/playlist/3wUVvwSdCopUUsplLtXRhd?si=KNsmDSbXSWWBmhFaqldemg

Instagram autora: https://www.instagram.com/vayle_/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...