História Todo lo que soy - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Pokémon
Personagens Ash Ketchum, Brock, Drew, Grace (mãe de Serena), May, Misty, Serena, Tracey Sketchit
Tags Pokeshipping
Visualizações 34
Palavras 3.128
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Estupro, Nudez, Sexo, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura, pessoal.

Capítulo 12 - 12


Ash entrou dentro da escola e foi procurar por Misty em todos os lugares como fez da primeira vez, inclusive encontrou May no meio do caminho que nada disse somente continuou a procurar pela amiga. Procuraram por quase meia hora e May a encontrou no segundo andar na marquise do telhado. Ela não iria se jogar, mas estava sentada de cabeça baixa. May se sentou ao lado dela tocando em seu ombro a assustando.

— Quero ficar sozinha.

— Sou eu a May, disse que queria falar comigo lembra?

— Ash me beijou três vezes.

— O quê? Quando foi isso? Como ele ousa tocar em você sem sua permissão?

— Eu deixei ele me beijar, May. Você sabe o que eu sinto por ele, mas… Você acha que eu fiz certo?

— Se você gosta dele…

— É, mas o que ele disse hoje…

— Não liga para o que esse crápula disse, ele não pensou.

— Não… May ele tá certo, eu sou muito fácil! Gosto muito do Ash, na verdade eu o amo! Mas o beijo, ele conseguiu facilmente, não o empurrei ou gritei com ele. Ash me acha fácil por isso! Você acha que eu deveria ter feito algo? E-eu nunca senti isso antes por ninguém, é meio complicado!

— Você disse que o ama, certo? - Misty assentiu e May sorriu. - Então você não precisaria ter feito algo, Ash disse que você era fácil de perdoar não esse tipo de garota que dá mole pra qualquer um!

— Mas eu aceitei sair com o Gary hoje… Droga! Eu não amo o Gary, só estou saindo com ele porque é meu amigo e…

— Por que está me explicando isso?

— É que… Esses sentimentos são tão confusos que tenho que por pra fora, entende? É como se eu devesse desculpas pra ele porque o estou traindo!

— Vocês não estão juntos, foram apenas beijos que não significaram nada!

— Pra mim significou muito.

— É porque você o ama…

— Também, mas significou muito pra mim porque foram meus primeiros beijos na minha vida inteira!

— Jura? - ela assentiu. - Por que?

— Olha pra mim, May! Você consegue enxergar, ninguém quer ficar com uma gorda! Ninguém ama uma pessoa como eu!

— Equivoco seu, amiga. - Misty franziu o cenho tentando entender o que May disse.- Conheço pessoas como você que hoje são casadas e muito felizes.

— Mas comigo é diferente, ninguém nunca me viu como sua felicidade.

— Misty… Você é a minha, conta?

— May…

— Olha, se eu fosse um homem eu com certeza daria em cima de você! - Misty riu baixinho enquanto corava. - É sério, você faz meu tipo… Claro se eu fosse homem solteiro! Se eu fosse bi também daria… Mas estou comprometida! - Misty riu baixinho e May deu um beijo no rosto da amiga.

— Só você pra fazer com que eu risse de uma idiotice dessas.

— Viu já levantei seu astral. Você é uma garota bonita só tem que se valorizar mais! Nós garotas somos fortes, não pobres coitadas.

— Obrigada, May. É uma boa amiga e… - as duas escutaram a porta do telhado se abrir com força assustando-as. May se levantou e viu que era Ash que estava ofegante e suava um pouco por causa da procura incessante.

— Demorou, hein?

— Por que não me disse que havia achado ela?

— Eu estava conversando com a Misty, não é?

— É sim… Obrigada pela conversa, May. Estou bem melhor agora.

— Pra que servem os amigos? Agora vou deixar vocês dois a sós e por favor se resolvam! - ela olhou para Ash que negou com a cabeça. - É melhor se apressar, Ketchum. - May saiu deixando uma Misty confusa e um Ash corado.

— O que ela quis dizer com isso?

— Nada. - ele se virou para a ruiva que estava em pé a sua frente parada virada em direção a ele. Ash se aproximou e pegou nas mãos dela quase que urgentemente deveria se desculpar, mas não sabia como começar. - Mi-Misty e-eu… P-por favor m-me…

— Está gaguejando de novo? Queria poder ver sua cara envergonhada! - ela riu. Pra ele isso era um bom sinal, quer dizer que ela o perdoaria. Suspirou aliviado, mas depois voltou a falar com mais confiança.

— Me desculpe pelo que eu disse, não deveria ter dito aquilo. Eu sou um idiota!

— Tem razão. Você é um idiota, mas pra sua sorte idiota, eu gosto de você e não sinto raiva.

— Não sente raiva? Não ficou nem um pouquinho?

— Não. É impossível de sentir raiva de você!

— Então, por que saiu de perto da gente?

— Queria pensar no que você disse e vi que tinha razão. Sou muito fácil!

— Misty não quero que leve isso pra um lado que…

— Ash você tem toda a razão, eu estou saindo com uma pessoa que não tenho sentimentos por ela. Gary é apenas meu amigo, não sinto nada a mais por ele.

— Por que está me dizendo isso?

— Porque amo outra pessoa.

— Q-Quem? - ela sorriu e o abraçou lentamente, queria que ele pudesse descobrir que era ele essa pessoa, mas através do abraço. Parece que o plano funcionou porque escutou o coração dele e viu que estava disparado. Ash sorriu, estava feliz de ser a pessoa que Misty "amava", não sabia como reagir pois ele sentia a mesma coisa e queria contar, mas não sabia como começar. Ash afastou Misty e a analisou por uns segundos.

— Q-que foi? - ele levou a mão ao peito dela pois queria sentir o coração dela, estava batendo igualmente ao seu. Pegou uma mão dela e colocou por cima mão dele que estava no peito dela, depois pegou a livre dela e pôs sob o seu peito segurando a mão dela ali. Misty estava tão vermelha que chegava a ultrapassar a cor de seu cabelo.

— Sente isso? - ela assentiu envergonhada e de cabeça baixa. - É como me sinto em relação a você, te amo Myst.

— M-me ama?

— Amo. Amo o jeito que ri de qualquer coisa quando está nervosa, amo sua voz, amo seus defeitos, sua história e amo você. - Misty se permitiu pela primeira vez chorar na frente de alguém, mas aquele choro era de felicidade. Ash sentia a mesma coisa por ela, se sentia a garota mais sortuda do mundo, mas quando foi tentar falar ele a interrompeu.- Sei que sente a mesma coisa por mim, seu coração está sincronizado com o meu. Sabe, Myst eu nunca pensei que sentiria isso por alguém foi tão inesperado que quando vi me assustei, o tempo que isso aconteceu foi tão pouco, mas o sentimento é verdadeiro. Mas eu não quero apressar as coisas, ainda quero continuar sendo seu amigo.

— Pensei que queria que…

— E quero ficar com você, meu bem. Mas quero antes de tudo te conhecer melhor e você também vai querer me conhecer melhor ou estou enganado?

— Não.

— Vamos nos dar um mês, o que acha?

— Mas como vão ser as coisas entre nós? Vamos poder sair com outras pessoas?

— Fica a seu critério.

— Tudo bem então. - ele deu um beijo na testa dela e a abraçou. - Obrigada, Ash.

— Pelo quê?

— Por ser a primeira pessoa em quase oito anos a dizer que me ama, fora meu primo.

— Sentimento não se agradece, sabia? Sentimento se recebe de graça. - Misty riu envolvendo seus braços ao redor da cintura de Ash que lhe acariciava as costas e ombros. - Escutei essa frase de uma amiga minha.

— Ela é muito sábia, não é?

— Não, mas ela é uma boa pessoa que se você conhecer irá se encantar!

— Quem sabe eu não a conheça?

— Quem sabe você já a conhece? - ele depositou um outro beijo no topo da cabeça dela. - Temos que ir pra sala.

— O intervalo já acabou?

— Não, mas… Não quero continuar no telhado da escola! - Misty sorriu sapeca. - Que foi?

— Vamos pegar nossas coisas e sair pra almoçar?

— Quer dizer que quer matar aula? - Misty assente ainda com um sorriso. Ash se surpreende, mas sorri de volta. - Quem é você e o que fez com a Misty que conheço?

— É que não estou bem pra continuar na escola até o fim da aula.

— Entendo, também não estou. É como se algo de ruim fosse acontecer. Me espera aqui que eu já volto com nossas coisas!

— Por onde vamos sair?

— Tem uma escada de incêndio aqui em cima, ela leva para o lado de fora da escola. Não saia daqui, ok? - ela assentiu. Mas antes dele ir não conseguiu evitar e selou os lábios de Misty em um beijo rápido, agora que sabia que ambos se amavam, sabia que poderia beija-la quando quisesse. Depois do beijo saiu em disparada para a sala pegar as coisas dela, pois anida tinha de compra uma mochila para si. Ash saiu do telhado e Misty levou a mão aos lábios, sorriu e pela primeira vez se sentiu completa estava apaixonada, estava amando e era amada, não jogaria essa felicidade fora por qualquer coisa, nem por nada. Escutou a porta se abrir, pensou que Ash já tinha voltado sorriu mais ainda, era claro que estava apaixonada.

— Já voltou? Pensei que iria demorar… - Misty estranhou o silêncio do moreno, seu sorriso morreu e um medo percorreu sua espinha. Algo dentro de si dizia que não era Ash e sim alguém ruim. - Ash, é você?

— Tente de novo querida.

— Melody… O que quer?

— Como descobriu que era eu? Não ligo. - ela se aproximou de Misty a pegando pelo cabelo.

— Me solta!

— Está corajosa dessa vez… Não está chorando. Mas eu tenho mais poder que você pensa, sua gorda! Arya pegue o que eu pedi e faça as honras.

— Com prazer. - Ela pegou a faca e começou a cortar as roupas de Misty que tentava se defender, mas quanto mais se debatia, mais se cabelo era puxado e ela era machucada pela faca. Melody pegou uma lata de spray e começou a escrever na barriga de Misty "eu sou um saco de banha não me coma", mas a porta se abriu e o moreno passou por ela com a mochila da ruiva e as suas coisas que precisava de levar pra casa para repor matéria que perdeu.

— Misty você tá pronta? - ele ainda não tinha visto as duas ali, mas quando se virou viu Arya e Melody segurando Misty que estava sem sua blusa pois a mesma estava completamente cortada por uma faca que estava na mão da loira, Olhou para Melody que estava segurando uma lata de spray e viu que tinha algo escrito na barriga de Misty. Misty tentava inutilmente tampar os seios que estavam pra fora porque seu sutiã também foi cortado, as lágrimas que agora saiam dos olhos dela eram de vergonha, dor e raiva. - O que vocês duas pensam que estão fazendo??

— Conhecendo melhor o saco de banha!

— Eu vou acabar com vocês duas, suas… Vadias desgraçadas! - Melody sorriu e caminhou em direção ao moreno que estava parado no mesmo lugar.

— Então venha… - Ash segurou Melody pelo pescoço a erguendo do chão. A ruiva estava ficando sem ar, começou a se debater até que perdeu a consciência, ele então tacou Melody no chão com tanta força que mesmo estando desmaiada ela sentiu a dor do impacto. Então olhou para Arya que empurrou Misty para o chão e colocou a faca empunhada para perfurar as costas dela fazendo com que Ash parasse no mesmo lugar temendo pela vida de Misty.

— Mais um passo e eu acabo com o saco de banhas!

— Arya, você me subestima demais!

— Como? - ele se aproximou, envolveu Arya pelo pescoço e a beijou. A loira prontamente retribuiu, Ash desceu sua mão para a que ela segurava a faca e a tirou de sua mão se afastando dela em seguida e mostrando o objeto com um sorriso vitorioso.

— Se encostar em Misty novamente eu mato você e sua amiga ali, entendeu?

— Não teria coragem! - Ash limpou a boca e cuspiu no chão tamanho nojo que sentiu por ter beijado Arya.

— Quer tentar a sorte? - Arya ficou encarando Ash que tinha o tom sombrio, depois de uns segundos saiu de cima de Misty e foi para perto de Melody a arrastando pra dentro. Ash olhou para a amiga caída no chão, se agachou e a ergueu do chão, sabia que ela estaria acordada. - Você está bem? - Misty não respondeu, Ash então retirou seu blazer e colocou nela. Depois colocou a mão no rosto dela e viu que estava sangrando, se amaldiçoou por não estar ali para ajuda-la. - Me desculpe.

— Me tira daqui, por favor…

— Claro que sim, amor… Vem comigo! - mesmo estando machucada Misty sorriu minimamente. Ele chamou ela de "amor". Estava feliz interiormente. Eles desceram pela escada e foram caminhando pelo estacionamento e caminharam em silêncio e de mãos dadas até um certo lugar. Ele parou e entrou levando Misty consigo.

— Onde estamos?

— Em uma concessionária.

— Por que?

— Vou comprar um carro! - ele andou até um carro preto, que lhe despertou o interesse. Era popular, mas era muito bonito. - Quero esse daqui.

— Qual carro você escolheu?

— Um civic preto de quatro portas… Voc3 espera aqui enquanto vou conversar com o vendedor?

— Espero sim. - Ele a abraçou ternamente.

— Dessa vez vou conseguir ficar de olho você. - a assentiu e ele beijou o rosto dela. - Vai ser rápido, prometo.

— Tá, vai logo.

— Tudo bem. - Ele saiu e Misty escorou no carro, passou a mão nele e sorriu. Ficou esperando Ash por uns cinco minutos pra depois sentir um corpo se chocando ao seu, sentiu o perfume e teve certeza de que dessa vez era seu Ash que lhe abraçava ternamente. - Consegui.

— O carro?

— Ele é meu, e o melhor de tudo é que Giovanni não me viu compra-lo… Posso ir e voltar para a escola tranqüilamente. - ele a tirou de perto da porta e a abriu. - Entre.

— Já vamos sair?

— Claro, ruiva! Pensou que você só iria me acompanhar até aqui e eu te deixaria aqui sozinha?

— É.

— Oh… Assim você me ofende, sabia? - ela ri baixinho dele que também ri. - Entra logo, Myst. - ela entrou e sentiu o cheiro de carro novo. Ficou feliz pela compra de Ash, era um novo investimento que valia a pena. Sentiu o motor ser ligado e o carro arrancando, foi tranqüilo até que ela não sabia se Ash tinha habilitação.

— Você tem a carta?

— Carta? Que carta?

— Habilitação, seu idiota!

— Tenho sim, como acha que consegui comprar esse carro? - ele virou uma rua e foi para o posto de gasolina e pediu para o frentista encher o tanque. - Não acha que sou trapaceiro, acha?

— Não, claro que não… Só que você é meio que desconfiável!

— Sou desconfiável? Por que?

— Porque você… Porque é bonito!

— Me acha bonito? - ele pagou o frentista e saiu com o carro e Misty estava muito vermelha. - Não me respondeu, me acha bonito?

— Eu sonhei com você uma vez, no meu sonho você era bonito!

— Sonhou comigo? Me conta como foi o sonho!

— N-não.

— Por que?

— Tenho vergonha.

— Não precisa ter vergonha de mim, amor. Sabe disso!

— Eu sonhei que você me pedia em namoro… Mas eu podia vê-lo, enxergar seu rosto, seu corpo… - ela abaixou a cabeça e suspirou. - Não ache graça disso, por favor… Nós tínhamos... Bom, nós tínhamos feito… Bom, você sabe.

— Tínhamos feito amor? - ela se virou para a janela, Ash sabia que era por vergonha então segurou a mão dela firmemente enquanto estacionava em um restaurante. - Se estivermos juntos, un dia faremos isso. Se você quiser é claro!

— Não.

— Então é não!

— Você não sente desejo por mim ou qualquer outra coisa do tipo, disse isso pra mim lembra?

— Lembro.

— Não posso me entregar a quem não sente esse tipo de desejo por mim.

— Depende do momento. Eu não vou mentir pra você eu já tive várias companheiras de cama, já namorei outras várias, mas tudo não passou de sexo casual e namoro de momento. Não sentia nada em nenhuma ocasião, o desejo que eu sentia era carnal, apenas para me satisfazer não pensava no prazer da minha companheira... Mas uma coisa eu te garanto, se um dia formos fazer isso será diferente, dessa vez eu estou apaixonado pela minha companheira. Pensarei em dar prazer a você e não somente me satisfazer!

— A-Ash… - ela estava muito vermelha, não sabia onde enfiar a cara. Nunca tinha tido essa conversa com ninguém e Ash ainda era seu amigo porém ambos queriam ficar juntos. Mas não queriam apressar as coisas.

— Eu juro.

— Também juro.

— Jura o quê?

— N-não me faça f-falar…

— Digaaaa. - ele cantarolou a palavra fazendo Misty rir daquilo.

— Juro que vou te dar prazer também… Ai meu Deus que vergonha dizer isso! - ele desatou a rir novamente. Ela estava muito vermelha e aquilo o divertia, nem parecia ser o mesmo Ash de uma semana a trás que estaria humilhando a garota e que agora está apaixonado por ela.

— Ai Myst, você não existe! - ela sorriu. - Tenho sorte de ter alguem como você na minha vida, que me faz rir quando estou tentando dizer algo bonito.

— Isso era pra ser bonito?

— Era.

— Como você é?

— Não entendi!

— Fisicamente falando. - ele pegou a mão dela e beijou a palma aberta.

— Você já me viu com sua mão.

— Seu rosto, mas não sei a cor de seus olhos, a cor de seu cabelo… Seu corpo. - ele sorriu.

— Meus olhos são castanho claro, meu cabelo é preto e meu corpo… Bom, você vai ter que ver.

— C-como?

— Quando me tocar! - ele saiu do carro e foi até a porta dela a tirando do interior do veículo, fechou a porta e prendeu Misty entre ele e o carro. - Me toca.

— A-Ash…

— Vamos lá, me toca. - ele pegou a mão dela e colocou por debaixo de sua blusa. Ela tentou afastar, mas ele segurou a mão dela ali em sua barriga. Misty começou a subir sua mão até o peito dele bem lentamente, sentia sob seus dedos cada gominho que tinha na barriga sarada dele e o peito dele? Era bem forte. Um suspiro saiu de seus lábios e ele sorriu enquanto beijava o pescoço dela. Misty tirou sua mão de dentro da blusa de Ash e ela foi de encontro aos cabelos dele afagando e puxando alguns fios de cabelo do moreno o fazendo gemer baixinho. Ela gostou daquilo, mas estavam em local público e Ash a estava incitando.

— A-Ash… Estamos e-em um l-lugar p-público!

— É eu sei. - Ele se afastou a beijando em seguida. - Vamos entrar, estou faminto.


Notas Finais


Obrigada por lerem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...