História Todo lo que soy - Capítulo 20


Escrita por:

Postado
Categorias Pokémon
Personagens Ash Ketchum, Brock, Drew, Grace (mãe de Serena), May, Misty, Serena, Tracey Sketchit
Tags Pokeshipping
Visualizações 41
Palavras 3.009
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Estupro, Nudez, Sexo, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura, minna!

Capítulo 20 - 20


— Mas senhor diretor, por que está obedecendo a ordem dele? - Lucca ia abrir a boca pra responder, mas Ash estendeu a mão para que ele não dissesse. Queria ter o prazer de continuar escutar o que Melody iria dizer pra poder responder. - Sabe que meus pais são muito influentes, e se perder a fama que eles dão para essa espelunca vai perder vários alunos!

— Quem são seus pais, mesmo? Um reles lutador de luta livre e uma advogada do ramo penitenciário… Acho que o elite não precisa dessa fama não! Arya, tem alguma coisa melhor do que isso?

— Minha mãe é uma…

— Uma estilista. Bom, está melhorando… E você Valery? Seu papai é um engenheiro da computação! Essa escola não precisa dessa fama de vocês! Muito pelo contrário, ela precisa ser livre de vermes inúteis como vocês três!

— E quem você pensa que é? Você não tem o direito de ficar nos humilhando assim, sua mãe é uma reles atriz de quinta e seu pai é…

— O prefeito da cidade.

— Você é filho do prefeito? Eu não sabia!

— Pois fique sabendo, sou o filho mais novo do prefeito… Mas eu não gosto de ser chamado filho dele porque o odeio! Porém isso não vem ao caso.

— E o senhor não precisa ficar escutando e nem obedecendo ele só porque Ash é filho do prefeito. - Ash riu. - Do que está rindo?

— Lucca tem que me obedecer, porque se isso não acontecer ele dirá adeus a seu cargo de diretor da escola.

— Ah é? E por que ele tem que te obedecer?

— Porque eu sou o dono da escola! Simples assim! - as três se chocaram, então era por isso que os professores deixavam ele fazer o que quisesse… Ash era o dono misterioso da escola, aquele que nunca ninguém nem viu. Melody congelou, Arya começou a soar e Valery se aproximou de Ash e começou a rir. - Por que está rindo?

— Você não sabe mentir.

— Ele não está mentindo, senhorita Valery! Ele me deu uma ordem de expulsar vocês e vou expulsar sem contestar. Estão expulsas, voltem para suas salas, peguem suas coisas e vão embora!

— Mas…?

— Sem contestar! Vão logo! - elas olharam para eles e saíram da sala. Ash continuou a sorrir, estava gostando de mandar em outra pessoa, estava começando a pensar em realmente assumir o cargo que sua mãe lhe deu. - Senhor, Ketchum… Está feito como o senhor viu.

— Tem mais uma coisa que eu gostaria que fizesse, mas dessa vez é um pedido não uma ordem.

— O que é, senhor? - Ash sorriu enquanto se virava para Lucca. Alguns minutos se passaram e Misty estava querendo sair daquela enfermaria de qualquer jeito, não entendia porque estava ali, a única coisa que sabia era que estava com muita dor no lado esquerdo do rosto, na costela, na perna e no braço, sabia que tinha apanhado daquelas loucas e que Ash a ajudou a sair daquele inferno. Agora teria que esperar ele voltar para que dissesse o que foi fazer para resolver a situação, dito e feito ele voltou sabia que era ele pois o perfume era inconfundível.

— Já está tudo resolvido. Como você está, Misty?

— Bem… Onde estava?

— Na diretoria, estava levando um papo amigável com Lucca.

— O diretor?

— Sim. - ele se aproximou mais um pouco da ruiva, deu espaço entre suas pernas e se encaixou ali enquanto segurava o rosto dela com as duas mãos. - Melody, Arya e Valery nunca mais vão incomodar você, meu amor! - ela segura os dois braços dele, ele sentiu algo estranho em relação a ela. O pesadelo retornou a sua mente e o deixou estranho.

— O que fez?

— Cuidei para que elas não te incomodem e não influenciem as outras para fazerem isso.

— O que fez?

— Pedi para… Na verdade, ordenei que Lucca as expulsassem daqui. Nada do que disser pra mim vai fazer eu mudar de idéia.

— Como conseguiu?

— Tenho meus truques na manga. Ninguém dessa escola irá te incomodar a partir de hoje, mesmo sem Drew, May e eu.

— Jura? - ela perguntou com um sorriso largo no rosto. Queria poder andar na escola em paz, mesmo se as pessoas não lhe atacassem fisicamente, elas lhe atacavam verbalmente o que era pior do que mil tapas que eles poderiam lhe dar.

— Eu juro. - Ash a abraçou carinhosamente. - Não quero que se preocupe com mais nada, tá?

— Tá.

— Quero te falar uma coisa…

— Diga!

— A esposa do meu irmão é a Mabel!

— Ele se casou com seu primeiro amor?

— Sim. Mas isso não é o pior…

— O que é pior?

— Mabel deu em cima de mim o tempo inteiro, dava em cima de mim até mesmo na frente dele só que o anta não percebeu.

— Mas que vadia!!!

— Ela me beijou. - o coração de Misty falhou por dois segundos, seu sorriso morreu e suas mãos soltaram os braços do moreno. O coração de Ash se apertou, não queria contar aquilo pra ela, mas não queria mentir também. - Duas vezes… Não foi bem um beijo, foi um selinho na verdade.

— Por que está dizendo que outra garota te beijou depois da promessa que fizemos?

— Eu sei que não deveria ter permitido, mas meu cérebro travou, meu corpo congelou e ela era o amor da minha vida… Quando despertei do transe vi a merda que tinha deixado acontecer e me senti culpado, você não merece isso, não merece alguém como eu, eu traí você e sei que não suporta isso, li no senhor Pickles. - ela soltou um riso baixo. - Esse foi um momento que me deixei guiar pela emoção, mas eu te juro que nunca mais vou ver ela novamente.

— Bom pra você, hein? Beija outra garota e depois me conta como se fosse a coisa mais normal do mundo! Ash você deixou outra garota te beijar mesmo estando comigo!

— Eu sei que errei, mas… Eu sei que não tem explicação o que deixei acontecer, mas eu só resolvi te contar porque confia em mim e se ficar sabendo da boca de outra pessoa seria pior. Eu me sinto um lixo, um imundo por estar te tocando assim e com isso na minha mente, mas como a base do relacionamento é a confiança e o respeito resolvi contar o que aconteceu e o porque estava tão bravo ontem e hoje.

— Ash…

— Me perdoe, Misty. Sei que eu errei feio com você, mas eu quero muito que me perdoe de verdade.

— Ela quem o beijou, certo?

— Sim. Você não merece que eu minta pra você, estou te falando toda a verdade. Juro pela minha vida.

— Eu acredito em você, sei que esses beijos não significaram nada porque senão não estaria me contando o que aconteceu.

— É.

— Está tudo bem, não precisa ficar pedindo perdão. Vamos tomar isso como um acidente, ok?

— Obrigado. - ele a abraçou emocionado, sabia que não poderia perder a ruiva senão sua vida seria incompleta. - Eu te amo, ruiva…

— Também te amo, Ash.

(…)

Mabel estava arrumando suas coisas em Paris, estava amando aquela cidade, o hotel e a vista para a torre Eiffel. Mas o que mais estava amando era o homem que Ash se tornou, bonito e gostoso, aquele sim era um homem que valia a pena lutar. Fora que ele consegue despertar um fogo em qualquer mulher que o visse, com um corpo daquele, o sorriso, os olhos e a voz… Sabia que seria satisfeita por ele. Sabia que tinha Ash na palma da mão, que poderia jogar com os sentimentos dele e faze-lo se apaixonar por si novamente e iria aproveitar que foi contratada pelo pai para poder fazer isso. Ela sorria maliciosamente enquanto pensava em Ash e em seu corpo, pensava no prazer que sentiria quando fosse pra cama com ele como antigamente, e no meio de suas imaginações o telefone toca.

Ligação on:

— O que foi?

— Já começou o plano?

— Sim e devo confessar que vai ser mais fácil do que pensei. Ash ainda tem sentimentos por mim e vou conseguir afasta-lo da garota mais rápido.

— Ótimo. Quando separa-los suma da vida dele que vou depositar na sua conta o valor que quiser.

— Gosto dessa parte… Mas também gostaria de poder aproveitar um pouco dele.

— Por que?

— Porque seu filho é muito gostoso! Quero me satisfazer já que meu querido marido não consegue!

— Faça o que quiser, mas não engravide!

— Com prazer.

Ligação off.

— Como se eu fosse estragar meu lindo corpo com um bastardo! Bom agora eu vou aproveitar essa cidade maravilhosa fazendo o que faço de melhor… Compras!

(…)

O resto da aula foi tranqüila, Ash estava mais falante e ria de algumas piadas contada por Tracey, os quatro conversavam e na saída Ash fazia questão de andar de mãos dadas com a ruiva e dando alguns beijos nela para que as garotas vissem que ambos estavam juntos e não incomodassem ele. A semana passou depressa, Misty e Ash estavam muito unidos, assim como o relacionamento de Red com o irmão se estreitou bastante, ambos estavam se tornando muito amigos, saiam quase todos os dias Misty também ia junto com a desculpa de não querer ficar sozinha, mas na verdade o ciúme a guiava. As noites dos dois nunca mais foram apenas deitar e dormir, faziam amor quase todos os dias até mesmo quando estavam cansados na madrugada Ash pulava em cima de Misty e a seduzia para que realizassem o ato. Na escola o diretor havia dito que se alguém mexesse com Misty iria ser expulso imediatamente por agressão grave deixando vários alunos com medo de perderem a bolsa de estudo e não se aproximavam da ruiva que se sentia mais aliviada. Passou-se mais alguns dias e finalmente havia chegado o tão esperado dia da cirurgia dela, estava tão excitada que nem a noite quente que passou ao lado do namorado a acalmou, levantou-se as quatro da manhã, fez sua higiene junto de Ash porque foi obrigado a levantar junto mesmo reclamando. Tomaram banho juntos, se vestiram e Ash a levou para a clínica que nem estava aberta ainda.

— Sério?? Vamos mesmo ter que ficar aqui dentro? - o sorriso de excitação da ruiva morreu dando lugar a uma cara de decepção.

— Eu te falei que estava cedo, mas a senhorita me escutou? Nãoo… Disse que quanto mais cedo chegarmos, melhor seria!

— É claro, eu prefiro esperar abrir e fazer a cirurgia cedo do que esperar milênios pra voltar a enxergar.

— Sua cirurgia é a primeira, Misty. Não precisava ter me acordado as quatro da manhã!

— Você que disse que quando chegasse o dia eu poderia acorda-lo a hora que eu quisesse!

— Mas quando eu falei isso, eu não imaginei que você me cansaria a noite! - ela corou e cruzou os braços fazendo bico de irritação com a boca.

— Quando você gemia não reclamava!

— Você é fofa, sabia? - ele beijou rapidamente o pequeno bico que ela tinha feito. - Eu não estou reclamando, sua boba. Eu amo as nossas noites e amo você.

— …

— Principalmente quando você grita meu nome com prazer incabível… Adoro ver seu rosto quando…

— Ash!!! - ela lhe deu um tapa no braço fazendo ele rir em seguida. - Seu pervertido!

— Mas sou pervertido com você, amor!

— Acho bom mesmo! Seu idiota!

— Cadê a Misty doce e delicada que eu conheci?

— Está vivendo ao lado de um ser chamado Ash Ketchum e está aprendendo a ser uma chata de galocha!

— Está insinuando que eu sou chato?

— Sim!

— Eu sou uma pessoa muito legal!

— Não é não! Se você fosse legal, não iria ser um rude comigo quando entrei na escola!

— Vai apelar agora? - ela virou o rosto para o lado contrário ao dele. Ash colocou a mão em sua perna, Misty já sentiu a intimidade se encharcar se amaldiçoou por ficar tão entregue apenas com um toque dele. A mão dele entrou por debaixo de sua blusa e sutiã, caminhou até o bico do seio esquerdo o massageando fando Misty fechar os olhos e morder o lábio inferior para não gemer ali. — Você se entrega muito facilmente, sabia?

— Hmmm…

— Eu sempre tive uma fantasia de transar dentro do carro, topa realiza-la comigo pra passar o tempo?

— Sim… - ele passou para o banco de trás do carro sendo seguido por ela que já abre a blusa que era de botão e desabotoa o sutiã que era de frente. Ash rapidamente começa a sugar o seio que a minutos atrás apertava com a mão, e já invadia a intimidade de Misty por cima da calcinha com a mão livre e com a outra massageava o seio direito. Ela tentava não gritar, mas seu corpo estava sensível ao toque, depois da primeira vez que dormiu com Ash sempre quando estava sozinha e tinha de se satisfazer percebia que seu corpo estava mais sensível que o normal. Mas estava adorando aquela sensibilidade, porque era mais prazerosa pra ela e a fazia se entregar mais rápido e por isso não conseguia controlar os gritos que eram involuntários. Ash se excitava com aquilo, nunca pensou que poderia se excitar com uma garota que gritasse seu nome de uma forma tão sensual e desejosa daquele jeito que Misty fazia. Tirou a calcinha dela e a invadiu com dois dedos enquanto lambia seu clitóris, Misty chegou em seu ápice rapidamente, gozou na boca de Ash. Ele havia confessado que amava o gosto dela, porque era diferente e único assim como ela. A beijou selvagemente, sugando os lábios rosados dela, depois sugava e mordia o pescoço dela com força para deixar marcas visíveis ali, tinha oficializado o namoro com ela a poucos dias atrás dizendo apenas para alguns amigos, mas não foi um pedido oficial na frente de todos. Enquanto a beijava ele abria a calça jeans a abaixando, depois a box vermelha e conduziu a mão de Misty para seu membro já ereto, quando sentiu a mão da ruiva o circundando gemeu entre o beijo, era somente com ela que ele agia assim, o prazer apenas com o toque dela. Ele se afastou do beijo vendo os lábios inchados da ruiva, sorriu malicioso e chegou no ouvido dela.

— Me chupa, agora! Mas faz gostoso como só você sabe, ruiva. - Ele mordeu o lóbulo do ouvido dela a deixando arrepiada, ela apertou um pouco o membro dele o fazendo gemer o nome dela baixinho em seu ouvido. Ela sorriu maliciosa.

— Quero que se deite em baixo de mim, agora!

— Claro! - ele se deitou, Misty abriu as pernas no rosto dele, rapidamente ele entendeu o que ela queria. - Ousada…

— Eu escutei falarem que era gostoso… - ela dizia corada. Ash subiu as mãos pelo quadril dela e desceu a intimidade dela até sua boca e começou a chupa-la. - AAAAAAAAA, QUE DELICIA ASH….. UHHHH…. CONTINUA ME CHUPANDO SEU GOSTOSO!!! AHHHH…. - ela se abaixou e começou a chupa-lo com vontade, iria fazer de acordo com a intensidade que ele fazia nela. Ele a invadia com a língua enquanto acariciava rapidamente seu clitóris, Misty rebolava na boca dele que também gemia com o que Misty fazia com seu membro. Ela arranhava lentamente toda a extensão com os dentes e quando chegava na glande lambia só a pontinha o que deixava Ash louco de prazer. Só Misty o fazia sentir excitado daquele jeito em qualquer lugar, ela tocou no saco dele o apertando devagar o fazendo gritar embaixo de si e a apertando mais ainda sobre sua boca e aumentando o ritmo no clitóris. Misty aumentou também no membro dele, ambos gemiam alto, ela colocava todo o membro dele dentro da boca enquanto suas duas mãos cuidavam do saco dele, ela o beijava com tanto amor e carinho que esse ato fez ele chegar no pré-gozo. Misty pegou seus seios e começou a fazer o movimento de vai e vem enquanto chupava a glande dele e esfregava os mamilos uns nos outros, Ash gritou o nome da ruiva e gozou dentro da boca dela enquanto ela liberava o seu gozo dentro da dele, Ash se sentou no banco e Misty se sentou em cima de seu membro, ele a penetrou imediatamente, ela já não sentia mais dor e muito menos incômodo, só que ela não se mexia apenas beijava Ash com amor enquanto sentia seu gosto se misturar ao dele, aquilo pra ela era incrível pois Ash era o amor pra sua vida e queria vê-lo feliz assim como ele a fazia feliz. As mãos dela entraram por debaixo da blusa dele e arraranharam o abdômen e o peito dele e foram subindo a blusa dele, Misty começou a se mexer lentamente enquanto beijava o peito de Ash, mexia lentamente no mamilo direito dele e chupava o outro. Ash jogou a cabeça pra trás e deixou suas mãos massagearem os seios dela que balançavam lentamente naquela dança sensual que ela estava fazendo. Fora o prazer imensurável que estava sentindo em seus mamilos, nunca pensou que sentiria prazer ali, depois perguntaria a ruiva quem lhe disse que deveria focar ali para lhe dar prazer pois foi a melhor dica que ela poderia ter procurado.

— Misty… Por favor… Não pare… - Ela saiu dali e sugou o pescoço dele com força, enquanto aumentava o ritmo das estocadas quando sentiu que o prazer lhe envolvia novamente se ajoelhou, colocou as duas mãos nos ombros do moreno e começou a cavalgar no membro dele mais rápido, ela subia e descia, os vidros do carro ficaram embaçados tamanho calor sexual tinha dentro daquele veículo. Ash colocou Misty de quatro e voltou a penetra-la com mais voracidade e força, se apoiava no vidro da janela traseira do carro e continuava metendo na ruiva.

— Continua Ash…. Ahhh… Hmm… Me fode gostoso… Me come… Ahhh…

— Geme meu nome sua vagabunda gostosa!!

— Ash… Hmmm… Ash… Eu sou sua…

— E eu sou seu… Hmm… - ele continuou indo com força até que ela goza seguida por ele que se derramou dentro dela pela enésima vez desde que fizeram sexo pela primeira vez.


Notas Finais


Continua...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...