História Todo Mundo Odeia o Taehyung - Capítulo 7


Escrita por: ~ e ~Angry98

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jungkook, Personagens Originais, V
Tags Hoseok, Jihope, Jimin, Jungkook, Taehyung, Vkook, Vmin
Visualizações 407
Palavras 3.097
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção Adolescente, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello ~
Tem mais att hoje, fiquem ligados ><
Vamos começar a temporada de Atualização ~
Que os jogos comecem!!

Capítulo 7 - Ciúmes de mim ou de você?


 

— A pizza já chegou?  — Perguntei escutando meu estomago roncar.

— Chegou agora a pouco. Preferi não te acordar e deixei você descansar um pouco. — disse ele vindo até mim com dois pratos, um pra ele e um pra mim, cada um com três pedaços de Pizza. — Eu não sabia de qual sabor você gostava, e você já estava dormindo pra perguntar, então eu pedi metade calabresa, que é padrão, e metade quatro queijos. É que eu gosto de quatro queijos.

— Quatro queijo é  o meu segundo sabor preferido. — Comentei pegando uma fatia com a mão dando uma mordida. — Você comprou refrigerante? — Perguntei após mastigar e engolir o que tinha em minha boca.

— Sim, veio junto. Eu vou pegar — resmungou ele se levantando e voltando minutos depois com dois copos e uma garrafa. 

Após encher um dos copos, ele e entregou.

— Ei... Obrigado por... Sabe? Está cuidando de mim — Eu não ia com a cara dele, mas também não era um ingrato.

— Eu tô escutando direito?  Você ta me agradecendo? — perguntou  rindo. 

— Retiro o que eu disse, vai embora. — Mandei mal humorado.

— Não Tae, desculpa, eu só estava brincando. — Falou ainda rindo.

— Ah vai embora Jungkook — fiz birra — não te chamo pra mais nada. Sabia que é muito raro ouvir um agradecimento de mim?! — eu já estava começando a me envergonhar por ter o agradecido.

— Me desculpa, não vou mais comentar sobre isso.  — Prometeu me abraçando e me apertando. O idiota até ousou beijar a minha bochecha!

— Ei, quem te deu permissão pra tanta intimidade assim? — resmunguei bravo, mas por alguma razão ele não estava me levando a sério.

— Eu já disse que você fica fofo todo corado assim? Não bota medo em ninguém. É muito fofinho. — resmungou apertando minhas bochechas.

— Eu tô começando a achar que você gosta de apanhar, seu masoquista!  — Falei dando tapas em suas mãos para que ele parasse de me apertar e lhe dei um beliscão mais forte, fazendo ele gemer em dor.

— Eu não sou masoquista. Só fica difícil me segurar com você tão fofo assim. — retrucou fazendo um bico. Ou pelo menos eu acho que aquilo era um bico, eu não estava enxergando nada direito mesmo.

— Eu só quero comer minha pizza em paz — resmunguei de volta, tornando a comer a minha pizza.

Jungkook apenas riu, mas me deixou em paz começando a comer também.  O silêncio durou apenas por vinte e cinco minutos que foi o tempo da gente terminar de comer e beber.

— Então... Vai querer que eu continue aqui te fazendo companhia ou vai me expulsar? — perguntou Jungkook assim que voltou da cozinha depois de levar os pratos e os copos.

— E eu te mandei embora por acaso? Senta ai e põe no Karaoke da televisão. Eu não consigo ver programas então vamos no Karaokê mesmo.

— Vou poder ouvir mais a sua voz? — perguntou estranhamente animado.

— Correção, vamos  cantar juntos. Na estante tem um microfone. — Avisei.

— Melhor ainda! — ouvi ele comemorar, correndo até o que eu julguei na minha falha visão ser a estante, onde ele logo voltou com o controle da televisão, com a qual ele escolheria a música, e o microfone para cantarmos.

Ele se sentou perto demais de mim e quando a musica começou a tocar escutei a sua voz cantando e eu fui reconhecendo qual era, mesmo que não  me lembrasse o nome. Quando chegou o refrão segurei em sua mão me aproximando de si fazendo nossas vozes saírem juntas por estarmos próximos do microfone.

Até que elas ficavam bem juntas. Minha voz e a dele. Cantávamos bem, eramos afinados e de timbres parecidos. Era uma boa combinação.

Eu não acreditava que iria passar mais uma tarde cantando com  Jungkook.  Estranhamente aquilo era bem divertido e eu acabei não evitando. 

(...)

Já era umas sete da noite, minha visão estava bem melhor, mas eu e Jungkook estávamos roucos de tanto cantar.

Como eu já estava enxergando relativamente bem, decidi fazer o jantar para nós dois, como forma de agradecimento a ele. Eu não ia mais dizer obrigado.

Claro que eu não era um expert na cozinha, e eu acabava mais bagunçando do que cozinhando, mas iria dar para o gasto. Oras eu sempre cozinho algo pra comer por passar muito tempo sozinho, então menos eu tinha que saber fazer algo comestível!

E como era mais rápido, prático e fácil, além de ser minha especialidade, eu fiz Yakisoba. Por sim. Eu gosto. 

— Kook, posso colocar seu prato? — perguntei para si que estava sentado na mesa da cozinha, me observando durante todo o preparo.

Ele assentiu  com a cabeça. Estava com uma expressão tão boba que eu só não zoava para não lhe dar brecha de falar nada idiota para mim

Apenas coloquei meu prato e o dele na mesa, colocando o copo com suco ao lado do prato e me sentando de frente pra si.

Começamos a comer em silencio, mas quando ele abriu a boca eu o olhei com cara feia para que ele ficasse quieto. Não queria ouvir elogios, menos ainda reclamações.

— Mas... — fiz um 'Shhh' pra ele que o manteu quietinho durante toda a refeição. Eu não queria saber se ele gostou ou não, ou se ele aprovou ou não a minha comida. Só queria que ele comesse quietinho, assim como eu. 

Jungkook era a melhor companhia quando calado.

Meu deus, eu pensei isso mesmo?

Meu celular vibrou e eu o peguei vendo que era mensagens de Jimin e Hoseok perguntando como foi o dia. Em resposta ergui o aparelho tirando uma foto de Jungkook comendo enviando para aqueles dois intrometidos.

Em resposta meu celular começou a vibrar numa ligação de Jimin, que eu não atendi e encerrei a chamada, vendo Jungkook sorrir pra mim, mas logo em seguida ele vibrou de novo no número de Hoseok, e eu achei melhor atender a dele.

— Que foi embuste? — perguntei logo de uma vez, sem surpresa nenhuma ao ouvir a voz de Jimin soar na linha ao invés da de Hoseok.

— Explica agora o que ele tá fazendo aí!  — Mandou.

— Está com ciumes de mim Jimin? — brinquei apenas para irritar Jungkook aproveitando que ele não escutava as respostas do jimin.

— Para de graça e fala logo o que ele está fazendo ai! Vocês se pegaram? Rolou beijo já? Ai meu deus vocês estão namorando?? Meu Vkook aconteceu?!

— Que? De onde você tirou essas ideias Jimin? Hoseok sabe dessas coisas que você está me falando? — Sou cobra peçonhenta? Sou cobra peçonhenta.

— Claro que sabe, ele é tanto vkookeiro quanto eu.

— Você não presta viu. Vou te responder nada também não. Dá licença que eu tenho mais o que fazer — resmunguei desligando a chamada e o telefone, deixando o aparelho bem longe de mim.

— O que aquele cara estava te dizendo? — Jungkook perguntou com a cara amarrada. 

Ele estava irritado, eu tinha certeza. Meu deus, como eu amo ver ele  com aquela expressão.

— Nada demais Kook. Nada demais. Jimin e as gracinhas dele. Aposto que era ciúmes — e eu como sou naja, jogo lenha na fogueira mesmo.

— Hm claro. — Revirou os olhos e eu percebi que ele estava quase quebrando o talher que segurava de tanta raiva.

— Ele só perguntou como foi meu dia por mensagem e eu enviei uma foto sua, dizendo que passei o dia com você. Ai ele me ligou. Nada demais — melhor ele não quebrar meu talher, já não tenho muitos.

— Ah então ele ficou incomodado com a minha presença?  — perguntou  parecendo relaxar um pouco. Meu talher agradece.

— Eu diria que ele ficou mais foi enciumado. Vê se pode. — Dei de ombros.

— Com ciumes de mim? — perguntou meio que pra confirmar, agora com um sorrisinho no rosto. Nunca vi se contentar com tão pouco.

— Só pode ser você Jungkook. Passei o dia todo contigo — resmunguei de volta.

— Agora eu tô confuso o Jimin gosta de você ou de mim? — perguntou me olhando com uma expresso hilária de confusão. 

— Quem você acha que é?

— De você. É o que faz mais sentido — disse ele — mas o jeito que você falou faz parecer que ele está com ciumes de mim com você. Espera, é a mesma coisa não é? Esquece o que eu disse.

— Vamos mudar de assunto que é  melhor. — Falei. 

— Também acho.  Então sobre o que vamos falar?  — perguntou. 

— Não faço idéia — Respondi.

— Somos péssimos com isso pelo visto — riu — Mas a comida está deliciosa. — sorriu.

— Eu não queria ouvir nenhum comentário sobre a comida — resmunguei manhoso, com um bico.

— Ta bom, vamos mudar de assunto de novo. O que acha de irmos tomar um sorvete antes de eu ir para casa? Eu pago pra você.

— Eu não estou com muita vontade de sair agora. — comentei e vi ele ficar desanimado. —  Não faz essa cara, ela não tem poder sobre mim. — Avisei vendo ele fazer uma carinha de cãozinho que caiu do caminhão de mudança.

— Poxa Tae... Eu queria tanto ter sua companhia pra um sorvete — fez um biquinho

— Pena pra você.  — Dei os ombros e me surpreendi quando escutei a voz da minha mãe e do meu pai do lado de fora. A porta logo se abriu revelando que era realmente eles ali e não coisa da minha cabeça. Eles me disseram que não voltariam antes da meia noite hoje. 

— Oh você trouxe um amigo pra casa hoje, Tae? Ele vai dormir aqui? Minha mãe perguntou quando se aproximou da gente.

— Prazer senhor e senhora Kim — antes que eu pudesse dizer qualquer coisa Jungkook se pronunciou primeiro. Ele se levantou tão rápido que eu até me assustei. Ainda mais porque só estava vendo borrões. — Eu sou Jeon Jungkook, amigo do seu filho. O acompanhei até o médico hoje e estava o fazendo companhia, mas já estou de saída. 

— Que isso meu filho! Que menino educado! Você é mesmo amigo do nosso filho? — brincou minha mãe e eu teria a retrucado se ele não tivesse me interrompido novamente.

— Claro que sou! Como não gosta do Taetae?

— Muito fácil, veja como ele é  quando está com fome. — Meu pai respondeu e eu fiquei incrédulo.  Aquilo era um motim? 

Todos contra Kim Taehyung! 

Que injustiça é  essa, papai e mamãe? 

— Tem coisa pior, Taehyung carente, com fome, sem dormir por estar com insônia. — Minha mãe comentou.

— É uma bipolaridade linda. Se você não da atenção e carinho ele fica insuportável, e se você dá, ele fica insuportável também. — meu pai negou com a cabeça tirando o paletó e afrouxando a gravata em seguida.

— Ainda não peguei essas fases nesse nível, mas tive uma amostra hoje. Mas vou dar meu jeito de lidar com a situação quando algo do tipo acontecer. — respondeu Jungkook rindo.

— A querido, fique conosco essa noite. Nunca conseguimos conhecer direito os amigos do Tae. Ele praticamente não trás ninguém em casa. — pediu mamãe e eu já sabia que Jungkook ia negar por sua fama de nunca dormir fora de casa, então nem tentei intervir. Ledo engano.

— Ah, já que insistem, eu vou ficar. — filho da mãe.

— Mas eu não concordo com isso... — Tentei protestar, mas meu pai me olhou com uma cara que me fez tremer na base — Não concordo porque Jungkook ainda não avisou aos pais dele, claro — forcei um sorriso. Mais que merda, ou eu concordava, ou ficava de castigo. Melhor aturar Jungkook por uma noite do que ficar três meses sem Internet.

— Ah. Verdade. — resmungou ele pegando o celular e pondo no viva voz. Assim que a voz feminina e suave soou do outro lado da linha, ele respondeu. — Mãe?

— Sim filho?

— Posso dormir na casa do Tae?

— O amigo que você gosta? Pode sim.
 E trás ele aqui em casa também. Quero conhecê-lo.

— 'Tá bom. Te amo. Tchau.

— Tá vendo como se trata a mãe, Taehyung? — Minha mãe perguntou.

— Mas a mãe do Jungkook é presente. Cada mãe tem o filho que merece. — Acabei soltando aquilo sem pensar, e quando percebi vi que os três estavam me olhando meio petrificados. — Tô brincando — forcei uma risada abraçando minha mãe, beijando seu rosto — Te amo. — falei para quebrar o clima e  não deixar aparente que ficar sempre sozinho me afeta. 

— Também te amo. Cuidado com essa língua — Advertiu ficando nas pontas dos pés beijando a minha testa.

— É coisa de jornalístico. Tendem a ter a lingua afiada — respondeu Jungkook por mim, com aqueles dentinhos perfeitos aparecendo num sorriso. — Por isso que não discuto com Taehyung. Não sem estar preparado antes. Ah, mas ele nunca falou mal da senhora não. Pelo menos eu nunca ouvi nada.

— Jornalístico? — Minha mãe perguntou. Ótimo Jungkook tinha que falar merda.

— Sim o Taehyung é  o líder do grupo que faz o jornal da escola e ele quer ser jornalista. — Jungkook falou.

— Por que nunca nos contou isso? — Meu pai questionou. — Você falou que não tinha um cargo importante no grupo. 

— Ser líder não é  tão importante assim. O grupo do jornal não é  popular — Dei de ombros.

— Eu ia falar algo mas acho que o Tae não vai gostar, então vou ficar quietinho porque eu já falei demais. — riu Jungkook, chamando a atenção de meus pais — mas por favor, cheguem a a vontade. Vocês nem puderam se trocar ainda.

Eita que o garoto era bom em mudar de assunto. Mais uma coisa pra sua lista de perfeição que só crescia. Ódio.

— Taehyung, depois conversamos. — Meu pai falou indo em direção às escadas sendo seguido pela minha mãe. 

— Me fodi. Agora eles vão me encher o saco, muito obrigado Jungkook. — Reclamei quando eles já estavam fora de vista.

— E como eu ia saber que você não tinha contado pra eles? Afinal, porque não contou pra eles? Ser jornalista é legal! E sinceramente, acho que depois do que aconteceu, o jornal da escola vai ficar famoso sim. — deu de ombros — mas, se for ajudar em alguma coisa, me desculpa. Eu realmente não sabia.

— Jornalista não ganha dinheiro, eu não pretendia contar, sou filho único,  meus pais tem uma empresa e provavelmente vão ser contra eu seguir o que quero, como você é besta. — exclamei me jogando no sofá sentindo minha cabeça doer.

— Hmn... Eles não parecem ser esse tipo de pais. Mas me desculpa mesmo. Eu realmente não sabia. — resmungou se sentando com um suspiro. — Tae... Não fica zangado comigo. Tem algo que eu possa fazer?

— Não conta mais nada sobre mim ou sobre o que eu faço na escola, eu não falo nada para os meus pais. Eles só sabem o nome do Jimin e do Hoseok, que uma vez na vida e outra na morte vem aqui em casa. — falei sério. Até porque, eu que ia dormir na casa do Jimin e do Hoseok, não o contrário. Meus pais viviam longe, quando não era à empresa, eram as viagens. E quando não eram as viagens, era encontro entre os dois. Se eles não estavam por perto eu não via razão pra contar tudo o que fazia. Era desnecessário, e eles nem deveriam se importar já que eles nem perguntam com real interesse.

— ... Ta. Se é isso que você quer. — assentiu. — Não é como se eu soubesse muito sobre você também pra sair explanando pra eles.

— É mas o pouco que você sabe já pode me prejudicar. Então é melhor não comentar nada. — resmunguei.

— Eles acham que você é  o filho perfeito? — perguntou curioso.

— Não, eles acham que eu sou normal. Eu tento deixar a expectativa bem baixa pra eles não se decepcionarem depois. Por isso a minha média escolar sempre é  de 0 a 10, 7. Tenho que ficar na média. Se eles souberem de algumas coisas vão criar expectativa e vai doer mais quando eu revelar que não vou querer me relacionar com a empresa de ambos. — Nossa era tão estranho falar sobre aquilo pra alguém.  Eu sempre guardei aquilo para mim. Eu não contava nem para Jimin ou Hoseok que eu me prejudicava um pouco nas notas para estar na média em tudo. Eu não entendo o porque que eu falo tão facilmente com aquela praga!

— Então você também é um perfeitinho que se oprime! A única diferença entre mim e você é que eu não me oprimo! Mas você também é um perfeitinho! — acusou sorrindo — Rá! Você não tem motivos pra me odiar agora! Porque se você me odiar, tem que se odiar também.

— Eu não me oprimo e nem sou perfeito. Eu só criei um plano para não magoar meus pais  quando eu negar fazer parte do negócio da família. E só por eu fazer isso eu já sou imperfeito. Porque eu não sou sincero com eles logo de cara e isso me faz ser um filho um tanto quanto ruim. — Rebati.

— E nem eu sou. Eu vivo em pé de guerra com meu pai porque eu quero ser modelo e ele diz que não dá futuro. Com a minha mãe é mais relaxado mas com ele? Não podemos nem mesmo comer no mesmo ambiente que já soltamos faíscas. — deu de ombros — então você não pode me odiar por ser perfeito. E se você quebrar meu argumento eu to lascado porque eu não tenho mais nenhum.

— Então eu vou quebrar só por saber disso, e olha que eu estava com preguiça de ficar retrucando — comentei. — Você é  perfeito porque é  sincero e encara seu problema com o seu pai de frente.  Eu não exponho os problemas e fico confortavelmente bem  com meus pais. E eu prefiro o conforto do que falar algo que vai gerar briga desnecessária. — falei.

— Ta, calei a boca — resmungou com um bico — não tem como argumentar com o pessoal do jornal.

— O pessoal até dá, o que não dá é pra argumentar contra mim — Rebati de novo rindo da careta que ele fez.

— Não cansa? — questionou.

— Não. Te irritar é mágico pra mim. — Sorri abertamente. — Vamos lá pro meu quarto arrumar onde você vai dormir.

— Ah, deixa isso pra lá. Eu vou embora e você diz pros seus pais que me chamaram em casa. Eu sei que você não gostou da ideia, então eu vou indo — resmungou ele se levantando e guardando o celular no bolso.

— Você nem pense garoto. — Falei sério o pegando pelo braço com força, não me importando se estava machucando ainda mais aquele braço além dos beliscões que eu dei o dia todo. O puxei em direção a escada o arrastando. Se ele fosse embora, meus pais iriam me dar A bronca por conta do jornal, por ainda estar fresco na cabeça deles. Amanhã já seria mais seguro deles terem esquecido aquele assunto. Eles não falariam nada com o traste do Jungkook dormindo aqui então ele ia ficar porque ele que fodeu com tudo e agora teria que ser no mínimo útil.


Notas Finais


aushauhsaushuahsu O que acham que vai sair disso? asjiusjasuiajsuiajsuij Falo nada ¬u¬


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...