História Todos amam o Victor - Capítulo 49


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Drama, Mpreg, Todos Amam, Treta, Victor, Yaoi
Visualizações 22
Palavras 1.336
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Ficção, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


>.< desculpa por não ter postado ontem fui comprar um novo note e passei a noite passando as coisas pra ele então aqui vai os 2 cap novos no novo note<3

Capítulo 49 - Capítulo 49


Tirei o celular do bolso e vi que tinha uma mensagem de Lucas, tentei rapidamente abrir pra ver porém não deu tempo de ver porque meu pai praticamente arrancou da minha mão e rapidamente colocou no bolso dele.

- Eu vou levar ele comigo, vem aqui outra coisa que você deve fazer é entrar no meu note que está na sala e apagar todas as suas contas das redes sociais.

Falou isso e fazendo menção com a cabeça para eu seguir ele, fomos para a sala juntos e ele sentou no sofá, também sentei do lado dele, colocou o notebook nas pernas ligou e colocou a senha para destravar, colocou no navegador e em seguida me deu.

- Eu só tenho duas contas, só instagram e no facebook.

- Certeza?

- Sim.

- Então apague -coloquei no navegador e fui vendo como apagava até consegui exclui meu perfil das duas contas e ele o momento todo me monitorando- bom uma parte já foi, você tem passaporte?

- Não.

- É eu temia isso, bom vamos ter que tirar um para você e vai acabar que vamos estender um pouco o tempo que vamos passar aqui, eu vou ter que ir pra empresa e você fica aqui, se tiver fome só ligar para o porteiro, o telefone fixo tá no meu quarto e não saia desse apartamento até eu chegar, pode ficar assistindo TV e mexendo no note mas nada de tentar se comunicar com alguém, eu vou saber se fizer. –Falou bem sério olhando pra mim como se eu fosse chamar alguém e sair correndo.

- Ok, não se preocupe eu não vou fazer nada desse tipo.

- Eu sei –falou dando um beijo na minha testa e me dando um abraço- quando eu voltar conversamos mais, quero te conhecer filho.

- Tá bom.

- Tchau, até daqui a pouco. –Falou pegando novamente a chave do carro e saindo.

Meu pai é muito gentil e rigoroso ao mesmo tempo, eu estou gostando de conhecer ele mesmo tendo conhecido ele de uma forma meio ruim, parece ser uma pessoa muito boa e fala firme quando manda eu fazer alguma coisa além dele ser muito mão aberta e ter comprado uma cama pra mim, eu não estava esperando por isso e vai deixar eu pedir qualquer coisa pra comer.

Desliguei o notebook dele porque não queria problema e sei que se eu ficar mexendo muito vou acabar tentando falar com Lucas ou minha mãe, não deu tempo de eu ver as mensagens porém eu não queria ver mesmo já que eu vou ir embora e não tenho mais nada que tratar com ele então só vou esquecer, fiquei sentado no sofá e liguei a TV que era a cabo e tinha muitos canais com programas, fiquei assistindo um programa de entretenimento por um bom tempo, até que começou um programa de competição culinária ai mesmo que eu fiquei ali sentado assistindo até bater uma fome, lembrei que ele disse que eu poderia ligar para o porteiro pedindo comida porém eu sei cozinhar talvez tenha algo na cozinha.

Fui para a cozinha procurei na geladeira e nos armários, consegui achar um pacote de macarrão, alguns temperos, pedaço de frango congelado e algumas verduras, peguei tudo e consegui fazer uma macarronada com um molho que achei que nossa ficou uma delícia, consegui comer de boa já que parece que os meus enjoos estão passando mais ou eu não sei se está acontecendo tanta coisa que meu corpo bugou e não estou mais sentindo nada, isso não é ruim porém enquanto comia fiquei triste do nada e comecei a chorar, me sentir mal e sozinho.

Decidir ir pra varanda e ver aquela visão de vários prédios mas um pôr do sol lindo que estava se formando entre eles, o centro era bem movimentado, da varada conseguia ver várias pessoas passando, fiquei observando por um bom tempo até que consegui me acalmar um pouco até que meu pai chegou e foi até a varanda também, colocou a mão no meu ombro e eu me assustei, olhei pra ele com algumas lágrimas nos olhos ainda.

- O que foi Victor? Ainda bem que consegui sair da empresa mais cedo.

- Nada não eu só.... –Falei tentando enxugar as lágrimas e me levantar quando ele me abraçou e eu não aguentei, voltei a chorar.

- Calma, eu sei que vai ser difícil no começo mas daqui a pouco nossas vidas vão entrar no eixo e você vai começar a gostar de ficar comigo, eu não sei o que passou com você pra ter mudado de ideia e ter decido tão rápido vir comigo, se quiser me contar eu estou aqui pra te escutar.

- É tanta coisa acontecendo e também os hormônios da gravidez que meu corpo todo está agindo fora do meu controle.

- Quantos meses você está? –Falou tocando na minha barriga que só tinha crescido um pouco por enquanto.

- Um mês já, nem deu tempo de fazer o pré-natal e todas as coisas como consultas entre outras coisas então não sei como está pra ser sincero.

- Quando chegarmos na América vemos isso sem problemas e lá vou te colocar você no melhor hospital para ter um acompanhamento adequado, o que quiser pode pedir pra mim ok e não fique triste, te ver assim me parte o coração, quando eu decidi que ia tentar tomar sua guarda pensei muito se isso ia ser o certo mas você me mostrou que era quando decidiu vir comigo então deixa que eu vou te mostrar como vai ser melhor ficar comigo.

- Tá bom.

- Você comeu?

- Sim, eu fiz um macarrão ao molho branco com uns pedaços de frango, não comi tudo –falei enxugando minhas lagrimas e levantando- você vai querer um pouco?

- Quero!

- Vamos para cozinha e eu esquento o que ainda tem, se quiser posso fazer mais. -Falei indo em direção a cozinha e ele me seguiu, chegando ele sentou no banco alto que tinha perto de um balcão.

- Conseguiu descobrir como meche nesse fogão tão fácil?

- É eu apanhei bastante até consegui fazer ele esquentar fui testando os botões.

- Hahahahaha eu não consigo mexer muito bem nesse fogão então como mais fora do que em casa, compro algumas coisas mas passo dias pra fazer e acaba estragando.

- Nossa será se esse frango e as coisas estavam estragadas?

- Acho que não, eu troquei recentemente e já sabia que gostava de cozinhar então comprei coisas caso você quisesse fazer algo porém achava que não ia fazer já que parecia bem triste então nem falei sobre, mas fico feliz de que tenha cozinhado.

- Ah ainda bem, você vai gostar –falei apanhando de novo pra ligar o fogão até consegui, esquentei o macarrão e servi, coloquei um pouco de queijo encima que logo derreteu e deu mais consistência ao molho, coloquei encima do balcão de frente pra ele em seguida os talheres- pronto.

- Hum está muito cheiroso e bonito, você tem futuro mesmo na gastronomia já consigo até ver nós abrindo um restaurante para você assim que se formar na universidade e ser bem famoso.

- Hahahaha até parece. –Quando ele me viu sorrir ficou tão feliz, o rostinho dele mudava quando eu ficava mais animado, não tem como eu não me animar falando de comida é meu ponto fraco.

- Sério –falou colocando uma garfada generosa na boca- nossa além de bonito e cheiroso está um delícia mesmo, nossa como está bom –falava enquanto ia comendo mais- que saudades de comer uma comida feita em casa, muito obrigado mesmo está um delicia.

- Ainda bem que gostou, eu posso sempre fazer comida pra você se quiser.

- Nossa eu vou ter que aceitar.

- Quer que eu faça algo agora?

- Não, você tem que ir descansar, hoje foi bem pesado e só quero ficar na sala com você depois de um bom banho conversando e te conhecendo.

- Tá bom.

                                                           Continua........


Notas Finais


>.< primeiro dia com o pai e ele parece bem diferente de antes


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...