História Together - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Visualizações 21
Palavras 3.038
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Literatura Feminina, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


E lá vamos nós outra vez 💜💜💜

Capítulo 18 - Susto


Fanfic / Fanfiction Together - Capítulo 18 - Susto

O outono havia chegado em Seul,as folhas amarelas enfeitando as árvores plantadas pelas calçadas do condomínio. 

O lugar bem longe do centro onde haviam pouquíssimas casas ao redor sendo uma afastada da outra – também por conta do quintal do terreno de cada propriedade.

Jimin havia decidido comprar seu próprio canto depois que completamos um ano juntos. Eu não tive parte em sua decisão mas, a ideia surgiu do próprio e sua família o apoiou muito assim como eu.

Acredito ter sido um bom investimento. A casa bonita com paredes pintadas de branco e um jardim na frente onde flores de inverno começavam desabrochar.

Ainda cedo sai de casa para correr pelo condomínio,sempre tive o costume de correr pela manhã quando morava em meu apartamento. Depois de juntar as escovas com Jiminie fiquei preguiçosa como o mesmo, deixando de me exercitar.  E com o crescimento do ateliê parei de vez por falta de tempo. Agora tentaria retomar a rotina,já que havia percebido o ganho de peso nas últimas semanas.

Minha música no fone de ouvido é interrompida por uma chamada. Aperto o botão do acessório atendendo a ligação.

— Alô? - falei ofegando.

— Não vem hoje?

— Claro Lee,por que ? Aconteceu alguma coisa? - perguntei diminuindo o ritmo da caminhada.

— Temos um jantar do escritório da Sumi, hoje.

— Ela marcou isso agora?

— Uhum,foi de última hora.

— E do que se trata esse almoço?

— Patrocinadores.

— Okay, preciso tomar um banho, logo estarei aí.

— Tudo bem,até logo.

Desligou a chamada.

Suspirei frustrada,havia caminhado por quase uma hora e não tinha concluído minha meta. Zerei o cronômetro voltando pra casa,onde fui direto para uma chuveirada. 

Ao sair digitei uma mensagem para meu bolinho que viajaria hoje, enviei-lhe em seguida me afundei no closet procurando algo decente pra usar no tal almoço. Nos últimos dias só usei meus jeans, então optei por um vestidinho justo de tom rosado claro e um casaco longo – sobretudo – e sandálias de tiras. 

Com muito custo e agilidade consegui escovar minha amada juba deixando os fios caírem em ondas suaves. De maquiagem não exagerei usando o básico e um protetor lábios de Jimin que achei no meio de minhas coisas na penteadeira. 

Peguei o celular para ver se havia me respondido de volta. Sorri inconscientemente ao ver seu nome na tela.


[ Baby J ] :


Estou bem gordinha, não se preocupe comigo. 


Digitei uma resposta :


[ Chris ] :


Impossível, você sabe. Espero que faça uma boa e segura viagem. Estou indo trabalhar agora. 


[ Baby J ] :


Vou e volto inteiro kekeke

Tenha um ótimo dia e se cuide,vista um casaco para não pegar gripe ou algo do gênero. Não se machuque e espere por mim.


— Sempre tão protetor... - murmurei.


[Chris ] :


Acho bom 

Pode deixar chefe. Até mais,te adoro.


[ Baby J ] :


O que acontece com "eu te amo,mochi" ?


[ Chris ] :


Te amo Jimin.


Me perfumei antes de sair. Peguei minha bolsa e chave do carro indo em direção a garagem. 

Dirigindo pela avenida movimentada, tive a sensação que teria um dia bem cheio.


—  Bom dia. - acenei ao passar pela sala de produção, recebendo o comprimento em uníssono.

Entrei na minha sala encontrando Lee ao telefone meio a uma bagunça de desenhos em sua mesa. Coloquei a bolsa sobre minha mesa para ver do que se tratava a pequena confusão.

— Sim, nós somos responsáveis e entendemos sua reclamação. - dizia ele demonstrando impaciência. — Todas nossas criações passam pelo setor de qualidade sim. 

Cruzei os braços crispando os lábios. Reclamação pra começar o dia.

— Senhora, não podemos fazer nada sobre isso,os figurinos foram encomendados nesse tamanho. Não é minha culpa se rasgou por ser apertado demais.

Peguei um modelo em cima da mesa reconhecendo os figurinos que foram entregues há duas semanas atrás.

— Tudo bem,faça como quiser. Obrigada e bom dia. - bateu o telefone no gancho. — Se eles tivesse mandado o tamanho correto nada disso teria acontecido.

— E o que resolveu?

— Eles vão mandar pra cá,vamos concertar mas,ela disse que nunca mais compra nossa marca.

— Odeio perder clientes mas,o que podemos fazer se eles querem que seus ídolos entrem numa roupa de tamanho menor? Vamos concertar. Eles que procurem um outro lugar.

Ela assentiu.

— Achei que chegaria mais cedo.-falou juntando os papéis.

— Escovei os cabelos,por isso cheguei agora.

— Ainda falta uma hora para o almoço.

Assenti voltando para me sentar em minha cadeira.

— Quem vai estar lá?

— Acho que todos os representantes de Seul.

— Uhum. - usei o computador para checar meus e-mails,haviam milhares esperando resposta. 

— To saindo para pegar um café,quer alguma coisa?

— Um latte de baunilha,por favor. 

— Okay,volto num instante.

Enquanto Lee saia para buscar o café comecei a responder os e-mails uma a um. Não terminaria hoje mas,seria bom adiantar.

Lee não demorou a retornar com os cafés e rosquinhas doces.

— Tenho comido muito desses venenos.

— Por que veneno?

— Ganhei peso por comer essas belezuras.

— Eu não engordo com facilidade.

Lhe dei o dedo do meio.

— Que foi? - riu de minha reação.

— Vai se ferrar,você nunca soube como é não entrar num jeans.

Ela deu de ombros.

— Tem razão mas, você sabe que mesmo assim estou longe do padrão. Minhas coxas são muito grossas.

— Você é um mulherão,Lee. Suas pernas são lindas. 

— Falando nisso,queria até pedir um favor. - me olhou sobre os cílios fazendo uma expressão fofa.

— Qual? - indaguei dando uma mordida na rosquinha cheia de chocolate branco.

— Estou trabalhando no meu modelito para Tókio,pode me ajudar?

— Sempre,mais tarde podemos sentar pra conversar sobre. 

— Ótimo, obrigada. - sorriu me jogando um beijo flutuante.

Sorri de volta.



Em um restaurante chique fora reservada uma mesa executiva para todos os representantes do evento — todos de Seul apenas – a mesa repleta de pratos gourmet e taças de espumante. Era até engraçado a sede por álcool dos sul coreanos,eu particularmente adorava. 

Sumi e seu parceiro regiam a reunião nos informando sobre alguns detalhes internos e como os patrocinadores se integrariam conosco.

Anotava as pautas mais importantes enquanto percebia Sumi meio...impaciente . Quando seu parceiro falava seu olhos varriam o espaço e passara a maior parte do tempo fitando a porta de entrada. Sabia exatamente o porque de seu comportamento ansioso. Dean. Ele havia sido convocado para o almoço mas não deu as caras e a mais velha estava longe de satisfeita.

— Temos uma vista a Tókio marcada para o próximo mês e outra reunião antes disso. Mesmo com desfalque de um colaborador quero dizer que tudo está certo para que esse evento seja melhor que os anteriores. - disse Sumi usando um tom firme diferente do clima descontraído do ambiente.

Todos ali assentiram parecendo perceber o tom dela. Min Lee e eu trocamos olhares,ela ergueu as  sobrancelhas como quem pergunta " Qual foi a dela?",dei de ombros sutilmente mas,fui pega no ato.

— Discorda de alguma coisa, Álvares? - indagou me fitando com firmeza. Todos na mesa se voltando para mim.

— Não,tudo esta perfeito. - respondi a encarando de volta.

Problema dela se a pica não veio para satisfazê-la.

— Ótimo. - esticou os lábios vermelhos num sorriso forçado.

Retribui do mesmo jeito.

A conversa continuou depois do climão. Tentei comer alguma coisa mas,todos os pratos servidos ali faziam meu estômago embrulhar. Eu não era acostumada com caviar e lagostas. Olhando aquela mesa desejei esta em uma churrascaria.

— Podemos encerrar esta reunião. Foi um prazer passar tarde com todos. - Sumi sorria. — Até uma próxima.

Esse foi o fim do almoço e minha barriga vazia chorava de fome. Todos foram se despedindo deixando o restaurante. Lee e eu ficamos para trás guardando nossas coisas com calma.

— Ela tava atacada hoje.

— Tem razão,deve ser por causa do-

— Dean? - ouvi Lee dizer enquanto guardava minha pasta na bolsa. Ergui o olhar encontrando Dean ofegante.

— Cheguei muito atrasado? 

Lee eu nos entreolhamos.

— Perdeu a reunião toda.

— Porra. - passou a mão no rosto — Sinto muito meninas, não fiz por mal. Tive um dia cheio e perdi meu celular, nem consegui avisar.

— Tudo bem. - Lee sorriu largo — Podemos te passar tudo que perdeu.

Tá vendo esse sorriso apaixonado na cara dela? Jesus!

— Seria ótimo.

— Okay mas,podemos ir comer num lugar decente? - pedi.

Dean me olhou confuso.

— Foi um almoço e você não comeu?

— Preciso de churrasco não caviar. 

Ele sorriu de lado. 

Reparei em seu casaco longo na cor verde militar,a calça muito larga e touca na cabeça. Sua tatuagem no pescoço mais exposta. 

— Conheço o lugar perfeito. Querem ir?

— Com certeza. - Lee respondeu antes mesmo de eu fazer menção de abrir a boca.

— Vocês podem me seguir de carro. É um pouco longe daqui.

Assenti e partimos para nosso destino.

Era um restaurante e churrascaria num bairro na zona nobre de Seul. Fiquei bem surpresa mas,adorei sua escolha. Lee também pareceu meio espantada pelo gosto simples dele. Pedimos uma mesa para três perto de janela com vista para rua onde poucos carros passavam.

Lee fez as honras passando as informações obtidas no almoço. Tínhamos um papo amistoso e comida deliciosa. Comi feito um lobo faminto. 

— Sumi sentiu sua falta na reunião. - Lee falou. Quase espetei sua mão com o garfo. 

Dean fez uma careta parecendo tentar entender até que a ficha caiu e ele me olhou de rabo de olho. 

Sai como fofoqueira. 

Mastiguei devagar disfarçando a vergonha que senti.

— Por que? - perguntou ainda me olhando.

— Ela ficou toda irritadinha porque você faltou.

Por que Lee tinha de ser tão...

— Não entendi Lee.

— Você tá pegando ela não é? Então,já que não veio a unnie ficou puta.

Eu queria rir e bater nela ao mesmo tempo.

— Desculpe por isso Dean - finalmente abri a boca — ela é minha melhor amiga,por isso contei sobre aquele dia.

Ele me fitou por segundos em seguida deu um sorriso rápido.

— Tudo bem,não me importo.

— Ela me conta tudo. - disse Lee.

— Acho que vou pensar duas vezes antes.

— Nossa...

— Relaxem. - ele tinha um sorriso infantil e brilhante.

— Mas então,qual foi a confusão? Por que não veio. - perguntei bebendo um gole de coca.

— Faz duas semanas que estou trancado no estúdio trabalhando no meu novo álbum. No meio da bagunça perdi meu celular. Sumi me ligou no estúdio já que não conseguiu me encontrar pelo celular,avisou sobre a reunião,mesmo assim esqueci.

— Entendi. - assenti garfando uma tira de carne no prato.

— E como é produzir o próprio disco? - Lee perguntou entrando numa conversa sobre música, mixagem e produção.

— Aqui tem Wi-Fi? 

— A senha tá no cardápio. - respondeu Dean.

Encontrei a senha na primeira página logo conectando o celular. Não era nenhuma viciada em redes sociais mas,sempre que Jimin está longe a internet é o melhor lugar para saber o que 'tá acontecendo.

Meu coração deu um salto no peito o que me fez ofegar em surpresa.

— Jimin. - sussurrei lendo as informações descritas na postagem.

— Que foi Chris? - Dean perguntou.

— Que cara é essa? 

— Eu preciso ligar. - falei me levantando buscando o contado discando para chamar. Levei o telefone ao ouvido sentido as pernas moles.

Chamava e chamava e ninguém atendia,a angustia por não ter resposta aumentando mais.

Vi Lee se aproximando com uma expressão preocupada.

— O que foi?

— Jimin. - falei andando de um lado para o outro. 

— O que tem ele?

— Parece que se machucou na viagem,e-eu não sei direito. Ninguém me atende!

— Lee? O que há de errado?

— Um amigo dela se machucou. 

Não prestei atenção nos dois ainda tentando entrar em contato com qualquer pessoa.

— Alô?

— Chris. - o manager de Jimin atendeu.

— Ah,graças a Deus! Onde ele está? O que aconteceu? 

— Fique calma,foi só um susto. Jimin está be-

O próximo som que ouvi foi meu celular desligando.

— Puta que pariu, desligou! - dei três tapas na tela. — Lee,me empreste o seu!

— Ficou no ateliê. - falou num muxoxo.

— Então vamos pra casa. Agora ! 

Peguei minha bolsa correndo em direção ao carro. 

— Desculpe por isso Dean. - Lee tentou se despedir enquanto a arrastava pra fora do restaurante.

Nunca dirigi tão rápido na vida,passando o semáforo amarelo, a primeira multa do meu carro.

Cheguei em casa atropelando tudo e minha amiga pedindo minha calma logo atrás de mim. Vasculhei tudo atrás do carregador que pareceu ter evaporado. Tudo dando errado no momento onde precisava do contrário!

— Achei! - Lee afirmou levantando do chão.

— Deus te abençoe! - conectei a porcaria na tomada batendo o pé no chão esperando o celular ligar por completo.

— Ele deve estar bem. 

— O maneger disse o mesmo e só vou acreditar quando falar com ele.

Vi Lee pegar o Notebook na mesa de canto da sala o segurando na mão.

— Vamos ver se descubro alguma coisa. 

Sem paciência dei mais um tapa no telefone quase o partindo em dois. Minha pulsação estava no limite. Meu amor havia se machucado e estava longe de mim. Era horrível a sensação de não saber nada além de postes na internet.

Disquei o número dele. Enfim alguém atende no segundo toque.

Não era Jimin.

— A ligação caiu. - foi a primeira coisa que o maneger falou.

— Minha bateria acabou e eu estava fora de casa. Cadê ele?

— Fiquei calma,ele está bem. Já voltamos do hospital.

— Ele está aí? - meu coreano saindo todo enrolado.

— Sim mas-

— Me dê o telefone hyung. - ouvi sua voz no fundo, senti um pequeno alívio.

— Jimin ela está alterada e você não pod-

— Por favor hyung.

Ouvi um suspiro baixo e logo sua voz soou rouca e baixa;

— Jagi.

— Pelo amor de Deus me diga que está inteiro e bem e que nada de ruim te aconteceu e você vai voltar pra mim! - despejei as palavras emboladas.

— Relaxa,foi só um susto. 

— Foi! Um puta susto Park! O que foi que aconteceu? 

— Uma pequena turbulência no meu vôo,foi só uma lesão leve no pescoço e costas. Estou bem agora.

— Eu não estava no ateliê,fui a uma reunião hoje e vi a notícia agora a pouco. Imagine como eu fiquei?

— Sim e está exagerando.

— Ah é, você acha? 

Ele deu uma risadinha.

— Estou bem, não precisa se preoc-

— Não me venha com essa Jimin. Tenho sim que me preocupar com você e posso saber porque não me ligou pra avisar?

— Imaginei sua reação, igual meus pais.

— Falou com eles?

— Sim.

Soltou um suspiro procurando o sofá pra sentar.

— Acho bom que volte inteiro pra casa.

— Sempre volto.

— E o show? Como vai fazer?

— Não vou poder performar - soou desapontado — Vou odiar essa parte. 

— Mas sua saúde vem primeiro.

— Você não entende, são milhares de pessoas e eu... aish! Vou estar impossibilitado.

— Posso entender sua frustração meu pequeno mas, precisa ficar saudável. - falei mais calma — Sei que trabalha muito para dar o melhor a elas e infortúnios assim acontecem. Sinto muito.

— Elas merecem um show completo e eu vou ficar sentado feito um estúpido.

— Não fale assim. - odiava quando era tão duro consigo mesmo. — As armys te amam,elas vão te apoiar,amor. Não seja assim tão injusto,você não merece.

— É a verdade. 

— Não vou discutir agora só porque não pode ficar tenso. 

— Quer brigar comigo?

— Você nunca deixa,sempre abafa a discussão. 

— Não gosto de brigar, não gosto de te deixar preocupada. Por isso não liguei.

— E quando ia me deixar saber?

— Ia ligar sim se é isso que quer saber.

— Faça esse show e venha pra casa são e salvo. É só o que quero.

— Pode deixar,omma.

— Não brinca Jimin.

— Jimin,precisa descansar. - ouvi ao fundo.

— Precisa mesmo.

— Ligo assim que puder.

— Fique bem meu amor,por favor. 

— Já disse para não se preocupar, estou ótimo.

— Vai dormir.

Ele riu brevemente.

— Um beijo.

— Outro.

Joguei o celular do meu lado esfregado as têmporas.

— Como ele está?

— Disse que foi um susto e está bem.

— Li isso aqui. - disse referindo-se ao computador.

— Só quero que meu anjinho se recupere logo. 

— Não fique preocupada,ele vai ficar bem. Todos vão cuidar dele.

— Assim espero. - suspirei. — Queria estar lá pra cuidar e proteger meu bebê.

— Fala como se ele fosse a coisa mais delicada do mundo.

— Ele é,Lee. 

Min me lança um olhar terno. Ninguém entenderia como meu pequeno poderia ser frágil.

— Logo Jimin oppa estará de volta pra você,unnie. - sorriu. Ela raramente me chamava com formalidade.

— Só me resta esperar. 

— Nossa,a gente saiu com tanta pressa que deixou a conta para o Dean pagar.

— Ah,merda. É mesmo e temos de voltar para o ateliê.

— Tem certeza que quer voltar?

— Uhum,estou menos preocupada só precisava falar com ele.

— Então vamos.

O restante do dia foi tranquilo na empresa. O problema era eu.

Inquieta e preocupada,já que o " eu estou bem" de Jimin não me era o suficiente pra relaxar. 

Trabalhei até tarde sentido as pernas cansadas por passar o dia em cima do salto. 

— Quero minha cama. - Lee reclama se arrastando enquanto eu seguro a porta da sala pra bonita.

— Nem acredito que vamos pras casa.

O telefone toca.

— Aahh não! - diz manhosa — essa hora?

Sem vontade alguma volta para anteder.

— Linha Fina,boa noite. - fica muda ouvindo a outra pessoa na linha. — Só um instante. - responde em inglês e estende o telefone pra mim.

— É sua mãe.

Mordendo o lábio pego o telefone.

— Alô.

— Olá,filha. Seu pai e eu estamos aqui.

— Aqui?

— Sim. No aeroporto Internacional de Incheon.

Que surpresa. 

Em meio a vida agitada havia me esquecido que meus pais viriam me visitar.






Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...