História Together - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Visualizações 16
Palavras 1.032
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Literatura Feminina, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura, desculpe por qualquer erro. Obrigada 💜

Capítulo 9 - Nunca minta pra mim


Fanfic / Fanfiction Together - Capítulo 9 - Nunca minta pra mim

— Parece bem aérea hoje. O que foi? 

— Nada. 

— Nada? Tem certeza? A semana foi tão produtiva e boa em vários aspectos e você com essa carinha desanimada. 

— Não é nada, Lee.— forcei um sorriso. 

— Eu te conheço, Chris. 

— Só uma dorzinha de cabeça chata. Nada demais. Precisamos de novos modelos, estou pensando muito sobre isso, minha cabeça está a mil. 

— Olha, se quiser conversar sabe que pode contar qualquer coisa pra mim. Pode contar comigo. 

— É, eu sei. Obrigada. 

— Vou buscar um café. Quer alguma coisa? 

— Quero. Um chá matte gelado, por favor. 

— Okay.— saiu fechado a porta. 

Suspirei soltando o lápis em cima dos papéis com meus novos croquis. Estava começando algo novo, mas uma coisa me incomodava muito... 

A senhora do supermercado. 

Suspirei. 

Mesmo depois de dias, a cena do mercado passava na minha mente repetidas vezes. O real motivo da dor de cabeça que sentia. 

Desde minha chegada a Seul, fui o centro das atenções. Em todos os lugares, principalmente em locais públicos, o metrô por exemplo. Recebendo olhares curiosos sobre minha pele e cabelo. Na época eu não tinha o costume de escovar os cabelos, então andava por ai com meus cachos naturais, mas a atenção que recebia era tanta que chegava a incomodar. 

Os garotos na faculdade tinham a mania de puxar e tocar meu cabelo sempre que tinham a oportunidade. Foi quando decidi chamar menos atenção e não ser mais uma das "criaturas" exóticas da universidade. Escovar o cabelo desfazendo meus cachos foi o jeito que encontrei. 

Ser negra na Coreia do Sul era algo totalmente novo. 

Já pensou ouvir pessoas dizendo: "você até que é bonita para alguém de pele escura", "Ser escura nunca te incomodou?", "Provavelmente você deve ter passado muito tempo debaixo do sol", "Homens coreanos preferem uma pele branca e palida,de aparência saudável." 

É não foi fácil, muitas vezes mordi a língua pra não mandar a pessoa pastar no inferno. 

Voltando a senhora do supermercado...Aquela foi a pior reação que alguém já teve sobre mim. O olhar de repulsa e medo que ela me lançou. Seus olhos escuros hostis... 

Meu celular vibrou me tirando dos devaneios. 

Sorri ao ler o nome na tela. 


Eu queria te beijar agora. 


Digitei uma resposta: 


Eu adoraria te beijar agora. 


Essa é a pior parte do namoro a distância. Querer te tocar e não poder. 


Faço de suas palavras as minhas. Tô com saudede. 


Eu também Jagiya. 


Como você está? 


Estou bem, na verdade louco pra te abraçar e sentir seu cheiro. 


Jimin—ah, não faz isso... 


Ter você nos meus braços,o lugar onde você pertence. Daria qualquer coisa para te ter aqui nem que fosse por um momento apenas. 


Juro que se pudesse meu amor, eu correria pra você. Até porque seu cheiro, seus beijos e seus braços são o melhor remédio pra mim. 


Aconteceu alguma coisa? 


Não. 


Nunca minta pra mim. 


Não foi nada. 


Quero saber. Não me agrada saber que esconde coisas de mim. Ainda mais algo que lhe afete de algum jeito. 


Hesitei por um momento antes de pressionar o botão para gravar um áudio. Contei todo o acontecido, todos os detalhes. 

Ao invés de responder com mensagem ele ligou. 

— Eu sinto muito.— sua voz suave e rouca, provavelmente por ter acabado de acordar. 

— Não sinta. 

— Gordinha,eu me sinto envergonhado pela ignorância de algumas pessoas. 

— Era uma senhora idosa. 

— Isso não faz ela menos ignorante. 

— Já passou. 

— Mas,ainda está pensando sobre.— afirmou. 

— Sim.— concordei. 

— Não se deixe abalar, meu anjo. Sabe o quanto eu amo sua pele, o quanto amo tudo sobre você. Acha que meu amor pode ser o suficiente para lhe fazer esquecer sobre essa situação e todas as outras? 

— Com certeza. 

— Ótimo. Onde você está agora? 

— Na minha sala. 

— Sozinha? 

— Uhum. O que tem em mente, Park?— ele riu baixinho. 

— Muitas coisas. 

— Tipo? 

— O que posso fazer com você para mostrar que não há nada que se compare a você, pra mim. 

— Hmmm. O que pensou? 

— Beijar seu corpo todo.— sussurrou.— Depois seus lábios até você perder o ar. 

— Sabe mesmo como me fazer esquecer. 

— Jagiya... as coisas que estão passando na minha cabeça agora, não farão você esquecer apenas as coisas ruins, talvez você não se lembre do próprio nome. 

Esfreguei as coxas para conter a excitação crescente. Sua voz sussurrante mesmo através do telefone me fazia excitada. 

— Jimin—ah.

— Não me chame assim, gordinha, não quando estou longe demais para ver seus doces lábios. 

— Eu quero você.— falei manhosa. 

— Sou seu. 

— Quero você aqui. 

— Em alguns dias teremos uma pausa. 

— Yah! Que notícia maravilhosa.— sorri. 

— É, estou a ponto de explodir. 

— De saudade? 

— Também. 

— Park... 

— Tenho minhas necessidades, Jagi e você parece tão necessitada quanto eu. 

— Eu sei. Também tenho as minhas. 

— Não se preocupe, vamos acabar com essa saudade em breve.Se sente melhor agora? 

— Sim. 

— Que bom, anjo. Vou desligar, preciso ir. Temos um dia cheio hoje. Muitas entrevistas. 

— Tudo bem. Tenha um bom dia. 

— Obrigado, te ligo assim que puder. 

— Vou esperar ansiosa.  

Finalizei a chamada. 

Uau, como ele conseguia fazer isso? Só por ouvir sua voz alguns instantes todas minhas preocupações desapareciam. 

— Ah,meu Deus!— Lee irrompe pela porta com dois copos e um envelope branco nas mãos.— Chrissy! 

— O que?— perguntei pegando os copos de sua mão. 

Ela simplesmente colocou o envelope sobre a mesa. Tinha um emblema nele, parecia importante, na verdade eu acho que conhecia o emblema...

— Sabe de onde é isso né?— seus olhos brilhavam como um par de estrelas. 

— Lee...— minha pulsação acelerou.— Isso... i—isso é? É? 

— Senhorita Christine Álvarez, nós da Linha Fina estaremos na semana de moda em Tokio. 

Gritos agudos ecoaram pelas paredes. Praticamente soltei os copos pulando sobre a mesa pra puxar Min Lee para um abraço apertado. 

A sensação de viver um sonho é realmente indescritível. 









Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...