1. Spirit Fanfics >
  2. Together >
  3. Trevas - I

História Together - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Bom, se encontrarem qualquer erro fiquem à vontade para falar! Espero que gostem do capítulo.

Capítulo 6 - Trevas - I


A tarde estava ensolarada e pouco vento corria pela cidade de Zootopia. Os dois lobos estavam na casa do pardo. Estavam jogando juntos em um vídeo game de última geração. Barry usava o ombro macio e aveludado do lobo pardo como um confortável travesseiro. De quando em quando Larry fazia um leve cafuné em Barry, aproveitando os intervalos entre o carregamento do jogo e a partida em si.

Por estarem no início de seu relacionamento, muitas vezes receavam trocar carícias muito exageradas e que os levassem a outro patamar — por assim dizer.

— Ah! Perdi de novo. — exclamou Barry, deixando o controle escapar de suas patas e cair em seu colo. Havia pedido pela terceira vez e seu espírito competitivo estava a todo o vapor. Larry deu algumas gargalhadas mas parou ao ser cutucado pelo emburrado lobo branco.

— Por que não escolhe aquele outro personagem? Você é muito bom com ele. — sugeriu.

— Não! Eu vou mostrar que sou bom com qualquer um. Vou te vencer rapidinho agora. — disse entusiasmado.

Eles jogaram mais duas partidas rápidas e competitivas. Barry conseguiu ganhar a primeira, mas na segunda ambos foram tão bons que ocasionou em um empate.

— Eu quero jogar outra coisa. — Larry apertou alguns botões, girou o analógico e voltou para a tela inicial do vídeo game.

Enquanto o lobo pardo visualizava a página de jogos, Barry olhou seu celular e navegou por suas redes sociais. Ignorou anúncios fajutos, olhou rápido algumas publicações e decidiu olhar o feed de notícias.

— Tem um jogo bem legal aqui am- — Larry foi interrompido por um murmúrio apavorado de Barry. O lobo pardo moveu sua cabeça um pouco mais para o lado e observou a notícia exposta na tela.

PASSEATA DE MOVIMENTO ANTI- PREDADOR ACABA EM 55 MORTES E 311 FERIDOS.

Segundo testemunhas, os dois carros que acompanhavam os integrantes do movimento explodiram misteriosamente. Muitos dos que estavam próximos aos veículos infelizmente morreram e muitos ficaram feridos.

De acordo com a polícia local, haviam explosivos nos carros. O possível detonador foi encontrado a metros dali e os peritos informaram que as digitais encontradas se tratam de um dos líderes do movimento — Tom Levis. Mais informações serão divulgadas em breve.

— Isso obviamente era uma armadilha! Esse movimento só foi um pretexto para algum louco matar animais inocentes! — disse Barry, os olhos marejados de lágrimas de indignação.

— Esse Tom. — disse Larry olhando para a foto do acusado. — Eu conheço ele.

— O quê? De onde?

— Ele é, ou era, não sei…o pai do meu amigo. — revelou. — É um leão chamado Davis.

— Tá de brincadeira comigo, não é? — replicou com desdém. — Um leão ser um dos criadores de um movimento assim?

— É. Devia ser um louco idiota que só armou isso tudo para matar. Um assassino louco…

O lobo branco balançou a cabeça ferozmente, incrédulo.

— Isso não cheira bem, Larry! Um leão organizar um movimento contra os animais considerados perigosos, sendo que ele era um! Ele teve esse trabalho todo só para matar inocentes?

— Há doidos para tudo.

— Que merda… — vociferou. — Não faz sentido.

Barry não havia engolido tal fato. Podia jurar que a história estava mal contada. Seu pressentimento também apontava para o mesmo o lado.

Mas o que fazer? , pensava o lobo.

— Larry, não pode ser. Há algo errado, Larry! Impossível…se fosse para matar, era mais fácil implantar explosivos em um local ainda mais movimentado. Parece tudo tão…tão simples. Não…faz…sentido. Isso-

— Ei! — O lobo pardo chamou sua atenção. Ele envolveu seus dois braços macios ao redor de Barry. — Se a gente for pensar nisso tudo vamos acabar enlouquecendo.

— Tenho um mau pressentimento… — falou mais controlado. O calor confortante do pelo pardo o acalmou.

— É normal. Acho que qualquer um vai achar isso tão inesperado quanto a gente. Mas Barry… — apertou um pouco mais o abraço. — Não quero que isso tire sua felicidade, ouviu? Porque ela é contagiante.

Larry ergueu um pouco a cabeça do outro com a pata e selou seus lábios nos dele. Envolveu o pescoço do lobo branco com suas patas e puxou todo seu corpo para si.

Os dois se separaram lentamente, olhando um para o outro como quem se olha para um cenário indiscutivelmente bonito.

— Quando você disse que achou um jogo legal e eu te interrompi, qual seria a última palavra que você ia falar? — indagou Barry curioso.

— Amor. — disse, beijando a bochecha de Barry. O lobo branco-pérola corou imediatamente.

— Ah…

— Mas eu posso te chamar de meu lobinho também. — falou, rindo do rubor que constantemente crescia na feição do outro lobo.

○ ○ ○

Karl digitava rapidamente em seu notebook. Estava terminando de enviar a sua mensagem a todos que o apoiavam. Após enviar o texto, o panda se espreguiçou e tomou um gole razoável de café. O que ele queria estava prestes a ser alcançado. Já havia conseguido executar parte do que planejou, mas nada adiantaria se não conseguisse a parte final.

— Bom, só resta esperar a confirmação. — disse a si mesmo, fechando o notebook.

O panda caminhou até seu sofá de três lugares e sentou-se no meio. Apanhou o controle na mesa de centro e ligou a televisão.

● ● ●

As notícias voavam em Zootopia. Já não bastasse o ocorrido da passeata, os jornais começaram a transmitir fatos igualmente alarmantes. Mais de dez casos em toda a cidade forma registrados. Grupos de animais estavam atacando outros covardemente. Nenhuma morte felizmente foi registrada, mas muitos dos que foram atacados foram direcionados ao hospital. O prefeito alegou que se tratavam de casos isolados e que logo tudo isso seria resolvido — discurso que funcionou.

Os animais não pareciam interessados e tampouco com medo dos possíveis ataques. No entanto, abaixo dos olhos de todos, o princípio da desordem estava apenas no início.

A semana passou em um piscar de olhos. A manhã de sábado estava com um céu límpido e ensolarado. O farfalhar das árvores ecoava pelas ruas arborizadas e o chilrear dos pássaros tomava parte das casas.

Naquela inocente manhã de sábado, foi noticiada uma notícia que ficaria arraigada na mente de todos os cidadãos de Zootopia por muito tempo.

"No início da manhã de sábado, os policiais de mais de 85% da cidade Zootopia organizam um golpe no governo. O atual prefeito, Leãonardo, foi retirado do poder pelos militares.

Às 8:30 de hoje foi anunciada a eleição não popular de um novo governante — Karl Evans."

(…)


Notas Finais


Até a próxima, hihi.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...