História Tomorrow - Capítulo 32


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, Jennie, Jeon Jungkook (Jungkook), Jinyoung, Jisoo, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Lisa, Mark, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Rosé, Youngjae, Yugyeom
Tags Blackpink, Bts, Gangster, Gangue, Got7, Jikook, Kookmin, Namjin, Tomorrow, Vhope
Visualizações 399
Palavras 2.146
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Lemon, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Se eu ainda não respondi algum comentário, é porque estou realmente sem tempo
Mas amanhã vou responder todos
Bjs💜
Boa leitura ❤️

Capítulo 32 - Mentiras!


Fanfic / Fanfiction Tomorrow - Capítulo 32 - Mentiras!

- okay, isso está estranho. - Shin fez questão de me dizer enquanto olhava meu closet junto com Taehyung.

- mais do que estranho. - Taehyung concordou.

- o que é tão estranho para vocês? - perguntei trocando de camisa pela décima vez.

- o fato do Jungkook ter aceitado numa boa toda a mentira que vocês criaram e fizeram ele viver. - Taehyung explicar pensativo.

- por que isso é tão estranho?

- você não é algo fácil de se aceitar, ele viveu um ano em uma mentira Jimin, do nada você aparece na vida dele dizendo que vocês namoravam e tem uma filha junto com ele, fora que ele foi sequestrado a dois dias atrás. - Shin comenta tudo enquanto Taehyung olha uma calça na minha cara.

- eu sei, também estranhei, mas ele disse que quer se lembrar de tudo, eu posso ajudá-lo, ou pelo menos posso tentar. - falei finalmente terminando de me vestir e me olhando no espelho grande que tem em meu quarto.

- eu acho bom você fazer isso logo, porque de acordo com meus cálculos, Sun pode voltar a qualquer momento. - Jin do nada aparece em meu quarto invadindo e se jogando na minha cadeira.

- eu espero que minhas preces tenham sido atendidas e essa vagabunda tenha se perdido e caído em algum esgoto aonde é o seu lugar, se eu tiver sorte ela vai ter pegado uma infecção e nesse momento deve estar agonizando. - Shin fala toda sorridente. Isso foi meio psicopata? talvez!

- você odeia ela mesmo hein. - Taehyung falou impressionado com a mente perversa da minha amiga.

- essa mulher não merece nem meu ódio, ela acha que eu não sei os planinhos dela de se aproveitar do dinheiro que o Jungkook tem. - Shin começa a bater na minha roupa e tive que ir correndo tirar das mãos dela antes que eu ficasse sem minha camisa.

- acha que ela é uma interesseira? Ela tem uma cara de rica. - Taehyung comenta.

- ela é interesseira sim, e pior, tenho suspeitas de que ela faz parte da sociedade Kie...

- eu tive o mesmo pensamento e falei para o Jungkook, eu não sei se ele gosta dele e está cego, ou ele não quer aceitar a verdade. - resmunguei.

- Jungkook não gosta dela, aí dele se gostar. - Jin ameaça.

- em relação a isso você pode ficar tranquilo Jimin, Jungkook pode até ser bissexual, mas não acho que tenha interesse na Sun. - Taehyung tenta me assegurar.

Eu não sou uma pessoa insegura, não costumo ser, mas nas atuais circunstâncias fica difícil não se sentir inseguro. Na cabeça de Jeon, ele é hétero, ou quase isso, ele parece uma pessoa que está se descobrindo aos poucos. Está passando pela fase da adolescência novamente.

- bom, eu estou pronto, acho melhor eu ir. - falei sorrindo.

- você está lindo demais, que orgulho, eu que criei. - Shin finge choro.

- você vai levar a Hanna? - Jin pergunta.

- dessa vez não, Seulgi disse que é melhor eu deixar Hanna dormir, ela está muito cansada ultimamente.

Isso tem me preocupado, Hanna é uma criança muito alegre, mas ultimamente anda muito cansada e nervosa, tenho medo disso, se piorar vou ser obrigado a levá-la no médico. Talvez ela só esteja com um esfriado, ela estava espirrando muito na hora que estávamos comendo ontem com Jungkook.

- boa sorte, fica calmo, faça a sua parte e vai dar tudo certo. - Taehyung aconselha.

- seja o mais compreensível possível com ele, Jeon anda passando por muita coisa. - Shin continua me empurrando para fora do quarto.

- se ele se estressar ou ficar impaciente você tem que deixar ele calmo, já deve saber como fazer isso. - Jin concluiu.

- eu sei sim. - assenti sorrindo. - obrigado, me desejem sorte.

Sai do quarto com eles gritando coisas positivas, já que eu era o nervosismo em pessoa, fui em direção ao quarto de Jungkook, batendo na porta que estava apenas encostada e logo escuto sua voz dizendo para que eu entrasse.

Quando entrei no quarto vejo Jungkook andando de um lado para outro a procura de algo, eu não entendia bem o que ele fazia, mas parecia preocupado com seja lá o que esteja procurando.

- está tudo bem? - perguntei e ele me encara, olhou de cima a baixo com o rosto sério e mordendo a parte de dentro de sua bochecha.

- tudo bem, só estou procurando algo, tenho a impressão que perdi ou guardei em um lugar que não recordo. - ele fala tirando a atenção de mim após balançar a cabeça e voltou a procurar.

- você quer ajuda? O que está procura-

- ACHEI. - ele gritou me dando um puta susto.

- não grita seu louco. - coloquei a mão no peito sentindo meu coração acelerado.

- achei, olha. - ele se aproxima de mim  mostrando a correntinha JJH que eu havia entregado a ele no dia que contei tudo.

- achei que tivesse perdido... - murmurei observando ele guardar ela em uma caixinha que tinha em cima de sua mesa.

Eu não podia exigir que ele usasse a correntinha, é algo que eu mandei fazer para eu, ele e Hanna. Uma família. Ele não deve se sentir confortável em usar algo que ele não se sente parte ainda.
É triste admitir isso, mas eu preciso aceitar essa idéia no momento.

- eu achei que havia perdido, mas estava no meu bolso, deve ter caído quando tirei a calça aqui no quarto. - ele explicou parado na minha frente.

- hum... podemos ir? - perguntei meio tímido.

- tudo bem, aonde vamos primeiro? - ele pergunta.

- acho que seria uma boa começar pelo início de tudo.

- e seria...?

- a loja de conveniências do senhor Kim, vamos? - o chamei sorrindo e ele assentiu me seguindo.

Pegamos o carro do Taehyung que já estava na frente da mansão e fomos em direção aonde tudo começou.
Parei o carro um quarteirão antes, mas já conseguia ver a pequena lojinha que ainda existe.

- ele ainda está vivo? - Jungkook perguntou saindo do carro.

- sim, pelo menos da última vez que eu vim ele estava bem saudável. - respondi.

- quando foi a última vez que veio aqui?

- faz uns dois meses. - começamos a andar lado a lado na calçada até chegar na lojinha que havia um sininho logo na porta. - senhor Kim?

- eu já paguei a conta de telefone, não me enche o saco. - escutamos a voz rabugenta do senhor Kim no fundo da loja atrás de uma prateleira.

- de novo me confundindo com o cobrador seu velho. - perguntei rindo e ele sai detrás das prateleiras já me reconhecendo.

- ChimChim, seu pirralho, a quanto tempo. - ele se aproxima de mim me dando um abraço sorrindo.

- que amizade linda a de vocês. - Jungkook falou ironicamente enquanto observava a lojinha com atenção.

Senhor Kim me soltou e olhou para Jungkook um tanto curioso apesar do olhar de tédio estar estampado em seu rosto.

- espera, eu conheço você. - o idoso falou encarando Jungkook que o olhou curioso.

- é o Jungkook, lembra? O garoto que tentou te roubar uma vez. - expliquei e senhor Kim estalou os dedos sorrindo.

- você é o namorado do ChimChim. - arregalei os olhos na hora.

- senhor Kim. - chamei ele em um tom de repreensão.

- mas não é verdade? Você sempre vinha aqui com ele comprar doces e lámen. - ele fala agora parecendo confuso.

- sim, é verdade. - concordei e Jungkook apenas olhava curioso e meio surpreso com as coisas que o senhor Kim falava.

Tudo batia com a minha história que contei a ele, porque eu disse a verdade, não menti em nenhum detalhe.

- quais doces eu comprava aqui? - Jungkook perguntou por fim.

- você sempre gostou de balas azedas, chocolate e um doce de morango muito bom que tem aqui. - o mais velho explicou.

- era exatamente essas três coisas que eu estava de olho, vou comprar. - ele tirou dinheiro do seu bolso e comprou todos os doces.

- agora precisamos ir senhor Kim, prometo te visitar com mais frequência. - falei sorrindo.

- não tem problema, você parou de fazer aquelas besteiras de assalto e gangues não é? - perguntou.

- você sabe que não, por quê ainda pergunta?

- ainda tenho esperanças de você me responder um sim, mas tudo bem, tchau ChimChim, tchau namorado do ChimChim. - ele se despediu de nós e eu só conseguia ficar corado.

- você não tem limites não é? - perguntei.

- quem tem limite é cartão. - ele sempre tinha uma resposta na ponta da língua.

Continuamos nosso caminho a pé enquanto Jungkook devorava seus doces e chocolate, sem ao menos dividir comigo.

- lembrou de algo? - perguntei por fim.

- nada, mas o doce é ótimo. - ele finalmente me oferece chocolate, mas acabei recusando depois de ouvir sua resposta.

Ele não se lembrar de nada era algo realmente desanimador, mas eu não vou desistir.

- aonde vamos agora?

- vou te levar em um campo que tem aqui perto, era aonde íamos comer nos fins de semana, temos muitas histórias lá. - comentei mostrando animação.

Andamos até lá e tinha crianças correndo pelo gramado com suas mães por perto para não se perderem. Naquele momento me arrependi de não ter levado Hanna para nosso passeio, ela iria se dar bem nesse campo, é bem aberto e ela poderia treinar seus passos que ainda estão meio descoordenados.

Entramos no campo e como não tem muitos bancos lá, e o que tinha estava ocupado, resolvemos sentar no gramado enquanto Jungkook terminava de ter uma overdose de açúcar.

- finalmente acabou. - falei sorrindo ao observar ele terminar o último docinho.

Observar Jungkook era uma das minhas atividades favoritas a anos, nunca cansei e pelo jeito nunca vou cansar, cada detalhe de seu rosto e seu corpo é tão milimetricamente perfeito para mim, não único e escultural. Eu seria um louco se não gostasse de observar.

- eu posso te fazer uma pergunta que vem me assombrando a dias? - ele pergunta sério.

- pode perguntar, sem segredos. - garanti.

- a um tempo atrás, você saiu de uma das nossas reuniões e voltou todo machucado...

- você quer saber o que aconteceu? - perguntei e ele assentiu.

- bom, sabia que você não iria esquecer isso facilmente. - respirei fundo antes de começar a contar. - naquele dia eu recebi uma ligação com uma voz eletrônica, dizendo que se eu não fosse para fora da mansão e entrasse em um carro que estava lá na frente, eu poderia dar adeus a você.

- então você foi? E o Namjoon? Ele também saiu.

- calma Jeon, mandei mensagem ao Namjoon dizendo que ficasse com Hanna, então eu fui em direção ao carro e entrei, na hora tamparam meus olhos com uma venda e começaram a socar meu estômago. - expliquei encarando minhas mãos.

- você nunca descobriu quem foi?

- nunca, lógico que foi obra do Kie, provavelmente eu havia descobrido algo importante ou ele queria disfarçar algo me usando como vítima. - falei simples.

- por que você fez isso? Por que entrou naquele carro? - perguntou incrédulo.

- ele estava ameaçando você, fiquei com medo.

- então você resolveu se entregar assim? Eles podiam ter te matado.

- Kie não queria me matar ainda, ele queria ferrar meu psicológico primeiro, e segundo, ele estava ameaçando você, entenda quando eu digo que morreria por você.

- você não pode ficar fazendo isso, eu sei me defender, você não pode ficar se entregando assim para me defender. - ele fala meio irritado.

- eu sei que não, mas eu sou impulsivo, quando vejo já estou fazendo. - falei mostrando um sorriso para tranquiliza-lo.

- por que eu sinto que você ainda está mentindo sobre algo? - ele pergunta me olhando pensativo.

- eu não estou mentindo, prometi a mim mesmo que não iria mais mentir para você.

- mentir não, mas talvez ocultando algo, você está escondendo alguma coisa de mim? - ele pergunta sério se aproximando mais.

- não...

- mentira! Você está mentindo de novo.

- por que acha isso? - perguntei sem olhar para ele.

- por que você não consegue olhar nos meus olhos e dizer, como quer que eu confie em você? - ele perguntou.

- eu...

- comprovei hoje que você me contou a verdade sobre nosso passado, mas o problema é você continuar mentindo e escondendo coisas de mim. - ele se levanta do gramado.

- Jeon... - o chamei com os olhos marejados e encarando o chão.

- vai me contar? - ele pergunta pela última vez.

- e-eu não consigo... - solucei alto pelo choro preso na garganta.

- e eu não consigo confiar em você, quando estiver disposto a ser sincero, eu vou estar no meu escritório. - e saiu andando para fora do campo me deixando sozinho ali.

Ele tinha razão, toda a razão do mundo, eu sou uma pessoa horrível. Eu deveria me abrir com ele, não piorar tudo.

- Você é um lixo Park Jimin. - falei para mim mesmo. - lixos como você não merece nada.

E afundei meu rosto em minha mãos para secar as lágrimas insistentes.


Notas Finais


Não tirem conclusões precipitadas
Jimin não é uma pessoa ruim
Só isso mesmo
Vou dormir
Durmam
Bye❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...