1. Spirit Fanfics >
  2. Too litle too late - Swanqueen >
  3. De volta ao trabalho

História Too litle too late - Swanqueen - Capítulo 4


Escrita por: Kas97

Notas do Autor


Heyyy! Boa noite! Postei e sai correndo! vejo vocês nas notas finais! ♥ boa leituraaaa

Capítulo 4 - De volta ao trabalho


Expliquei a ela como se joga, mas infelizmente, como sempre, nas primeiras vezes a morte é certa.

– Blonde! Por que você não me ajudou!? – Ela estava agitada, deu para notar no tom de voz.

– Não me culpe! Você saiu correndo na frente, nem se abaixou, foi no meio do fogo cruzado e quer sair viva?

– Você não sabe liderar. Tem que ter estratégias melhores. – Falou direta. Até parecia uma reunião do trabalho.

– Eu disse: Fique atras de mim e atire quando eu ordenar.  Mas o que foi que tu fizeste? Saiu correndo na frente!

– Eu gosto de liderar e senti que estava pronta.

– Mamãe, ouve a Blonde, ela joga a muito tempo e tem experiência, ela quem me ensinou. – Ouço a voz do Henry um pouco distante do microfone, amo a interação dele, a poucos minutos atras estava vibrando por sua mãe ter roubado um Kill meu.

– Henry, esse jogo é feito para nos estressar, olhei o caminho e estava limpo, de onde foi que aquele tiro saiu?

– É Henry, sua mãe já tinha avaliado todo o terreno, só não percebeu que havia um atirador no telhado.

– E por que você não o matou? – Parecia incrédula.

– Eu tentei, mas você levou um tiro na cabeça, mulher! Nem se eu fosse o Flash, ele estava apenas esperando alguém entrar na mira.

– Esse jogo não agrega valor algum é pura perca de tempo! – Uau, ela realmente está nervosa, será que é muito competitiva? Começo a rir internamente.

– Isso parece discurso de quem não sabe perder, hein? – Vou pirraçar um pouco, não posso perder essa oportunidade.

Disconnect.

 – Henry? Regina? – Não acredito!

Ela desconectou do discord, mas o jogo ainda está aberto. Ela acabou de me deixar no vácuo! Comecei a digitar no chat do jogo.

“Henry, se estiver vivo digite s”

“S. Calma aí Emma, ela ta furiosa, você a conseguiu tirar do sério.’’

“Não é um grande feito, quem não consegue? Ela é muito esquentada.’’

“kkkkkkk boa noite, Emma. Acabou o jogo por hoje. “

“Se cuida, garoto.”

Doida. A mãe desse rapaz é outro nível. Queria poder conhece-la melhor. Custava nada ela me adicionar no WhatsApp só não pedi ainda porque não quero ser entrona.

Me arrumei e preparei para deitar, mas antes preciso ver a Ruby.

– Boa noite. – Estranhei estava tudo escuro. – Coloquei meu pescoço para dentro do quarto dela e nada.

Peguei o telefone e disquei o nome dela.

Secretaria eletrônica. Onde essa guria se meteu? Ela não sai sem avisar.

Liguei novamente.

– Alô!

– Alô o que! Posso saber onde a senhorita está?

– Ah, é você mamãe. Eu estou me divertindo, você ficou muito apegada a essa sua nova amiga virtual que nem ligou quando eu disse que ia dar uma volta.

– Nem vi você saindo.

– Olha ai!

– Onde você está? – Cruzei meus braços. E fechei minha cara, como se ela fosse ver.

–Com Zelena. – Sussurrou. – Ela está chegando, até depois. – Desligou.

Filha da mãe! Não é que ela conseguiu manter uma conversa com a ruiva, achei que ia ficar paralisada para sempre.

Me deitei na cama, mas antes de fechar os olhos vou entrar no Instagram. Olha só, as meninas postaram uma foto com Regina, ela está com um leve sorriso estampado em seu belo rosto, vestida no seu terninho preto, essa mulher é linda não mudou nada desde a escola. Puxei o ar e desliguei o aparelho, não quero me pegar pensando nela.

– Emma... – Ouço uma voz sexy chamando por mim.

– Regina o que faz aqui? – Perguntei curiosa ao vê-la andando pelos corredores do prédio, todos já se foram.

Estou sendo envolvida por uma aura apaixonante, não sei explicar ela começa a andar na minha frente e vira seu olhar para mim com seus olhos brilhantes e para de costas a uma parede colocando suas mãos nela.

Que mulher, admiro seus trejeitos enquanto ela ainda está escorada na parede. Me aproximo do seu corpo, está tão convidativo, como se estivesse esperando por mim.

– Não faça isso, já te falei que não te vejo assim. – Menti, pois naquele momento a vejo totalmente nua.

Ela puxou minha mão e colocou em sua cintura.

Comecei a massagear, pressionando meus dedos em sua pele, tão macia, tão... Me sinto tão mal por não me controlar, mas não consigo, seu corpo é como um imã para mim.

– Ah... que delicia, faz mais. – Ela sussurrou, me deixando ansiosa por mais contato. A encarei sem entender, estou sendo dominada por um sentimento que não pensei que tivesse.

Ela estava tão aberta apenas esperando minha atitude, seu vestido preto, curto e coladinho em suas curvas, seria mentira dizer que não babei.

Segurei sua cintura mais firme e a trouxe até mim. Se segura, Emma se segura. A não da.

Estou com meu blazer preto, ela segura firme minha argola e geme perto da minha boca. Eu já não sei mais o que está acontecendo. Não sou mais dona dos meus atos.  Minha mão que estava em sua cintura desceu e já está subindo pela sua coxa e a levantando até meu quadril.

Despertador. 6h da manhã.

Levanto suando, excitada, nervosa por ver que era apenas um sonho. Bato com força no celular para desligar, mas esqueço que com ele é suave e preciso apenas arrastar o dedo.

– Merda! – Saio da cama pisando firme, irritada demais.

Vou em direção a cozinha para pegar uma água gelada, estou desidratada depois desse sonho. Essa semana foi agitada a morena esteve muito nos meus pensamentos e isso só pode ser um aviso não devo pensar muito nela ou posso cair numa cilada.

Vou novamente ao quarto da minha amiga desaparecida.

Ótimo ela já está aqui. Quer dizer que elas não dormiram juntas. Sorrio com a cena. Tanto tempo e nada de cama, estou curiosa com esse namorico das duas, Ruby nunca foi de perder tempo. Minha garota está amadurecendo. Vou em direção ao banheiro preciso de um banho gelado e me preparar para o dia de trabalho, acabou a folga.

 

– Bem vinda de volta, Emma. – Belle me recebeu com um sorriso assim que sai do elevador.

– Bom dia, Belle. Decidi dá uma descansada.

– Que bom que voltou, sua ausência foi notada. – Piscou para mim. – Ei na próxima sexta vamos ter uma pequena confraternização aqui, quero que você participe, TODOS estarão presentes.

– Que interessante, mas esse convite parece um tanto ameaçador, como se não pudesse dizer não...

– E não pode! Só participe, quero gravar os melhores momentos, tirar ótimas fotos, será uma noite especial.

– Tudo bem... Irei participar. Se me permite perguntar, por que esta tão animada com uma simples confraternização?

– Te conto outro dia, estou cheia de coisas para fazer, você ficou fora, mas o serviço continuou.

Belle sempre vem me receber e gosto dessa atenção a sua simpatia me conquistou desde o primeiro dia. Fora a intimação que recebi logo na entrada o expediente está sendo normal, apesar da correria por ter ficado tantos dias fora, tudo corre bem. Vi Regina poucas vezes, aparenta estar muito ocupada e com um semblante preocupado. Graças aos céus que ela não está de vestido e sim com terno cinza. Algo me diz que minha cara está péssima, mas não me julgo, depois daquele sonho meu corpo ainda está quente.

Regina se levanta da sua mesa, observo pela janela de vidro.

– Emma, por favor venha até aqui. – Disse séria.

Rapidamente salvei meu documento para termina-lo depois e me levantei.

– Sim? – Passei pela porta, e ela fechou logo em seguida.

– Pode se sentar. Você já deve estar sabendo sobre a GAMECON.

– Sim, amanhã ela irá acontecer. – Séria e concentrada, transmite confiança e uma aura de liderança fortíssima.

– Exato. Estudei suas reportagens e você tem grande experiencia nessa área. Estou com tempo limitadíssimo e preciso do artigo até as 21h de amanhã.

– Você está brincando, nem preparei nada ainda, e amanhã mesmo você quer que eu poste?

– Não temos tempo, por isso preciso de alguém com experiencia na área, ou a matéria sai amanhã à noite ou nem postamos mais.

Que pressão. Não poderia ser uma simples conversa?  Mas isso é moleza para mim.

–  Tudo bem, vou dar conta. –  Falei confiante.

–  Isso que eu queria ouvir. –  Sorriu. Sorriso capaz de fazer qualquer um cair a seu dispor. Corta pensamento, corta.

Droga! Amanha também é o evento clã versos clã que ia participar, o primeiro junto com Henry.

–  Se precisar de algo ainda hoje me avise que corro atras para você, só me traga a matéria pronta.

Faltava poucas horas para o final do turno, precisei fazer algumas ligações, e para marcar a entrevista? Ficou muito difícil, em cima da hora é quase impossível, mas consegui alguns contatos que me fizeram ir para o primeiro lugar da fila e não perder tempo esperando. Fui para casa cansada e ainda precisava explicar para Henry que infelizmente não terá evento amanhã.

Cheguei tomei um banho refrescante. Preparei um lanche leve e fui preparar meus equipamentos para amanhã.

– Boa noite, Emma! – Ruby passou desfilando por mim.

A segui com meus olhos inquisitivos.

– De onde está chegando? – A questionei perplexa. Levantei do sofá e a segui até a bancada da cozinha, ela pega um copo de água gelada.

– Deixando as flores ainda mais belas.

– Desde quando você gosta de flores? – Arqueei minha sobrancelha.

– Desde que minha ruiva as ama.

– Me conta, como conseguiu manter a conversa?

– Ah!! – Animada, consigo notar, está escancarado na testa dela. – Comecei a perguntar como as flores ajudam as pessoas, suas propriedades, sei lá, inventei qualquer coisa para continuar o papo. Depois pesquisei mais informações no google para ter mais assunto a respeito disso, sei que a posso segurar falando apenas de flores.

– E ela?

– Me respondeu categoricamente. Você tem que ver ela explicando, uma professora fervorosa! Ela é apaixonada pela vida e tudo ao redor dela ganha cor, você tem que sentir isso, é incrível!

– Ruby. – Falei a cortando.

– OI. – Virou para mim saindo do seu mundo da lua.

– Está babando. – Comecei a rir.

– Boba. – Jogou o pouco de água que havia no copo em mim, apenas alguns pingos me atingiram.

– E ontem a noite? Não é possível que vocês se encontraram apenas para falar de plantas?

– Claro que não! e sim ao mesmo tempo... A chamei para comer um lanche comigo, não achei que ela aceitaria, mas ACEITOU!

– Não me diga que você a levou no Subway.

– Não precisei, ela que me levou! Parece que estou sonhando até o lanche é o mesmo gosto. Tivemos uma noite das garotas, fomos ao cinema, comemos, contamos piadas uma à outra.

– Querida, isso parece muito amistoso para mim.

– Emma, ninguém aqui está com fogo no rabo, eu não tenho pressa.

– Não? – Comecei a gargalhar, não deu para segurar, Ruby vegetando na friend zone?

– Estou esperando o momento certo, estou tirando mais informações com a Ruby malandra do app, e agindo na realidade. Não tem como fugir.

– Querida cuidado, duas identidades, não sei se ela ficara feliz ao descobri que você é as duas mulheres, vai que ela se sinta manipulada.

– Ai, Deus! Eu não pensei nisso, Emma!

– Se acalma, nada está perdido ainda, é só você dizer que não sabe, mas para isso não deve fazer exatamente o que ela diz para você ou vai ficar muito na cara.

– Eu estava tão feliz por me sentir no controle. Já sei, irei contar a verdade para ela no app, direi que a quero conhecer, pois achei uma pessoa muito interessante na vida real e se ela não quiser nada comigo vou investir na...

– Nossa estou impressionada, nada que a sinceridade não resolva, se ela aceitar vai ser ótimo ver seu rosto ou se ela negar estará mais aberta ainda a Ruby da realidade, você ganha nos dois.

– Muito bom conversar com você.

– Eu sei.

– E quanto a Regina?

– Ah, para que entrar nesse nome. Ela me deu um trabalhão em pleno domingo, você acredita? Tenho que entregar uma matéria até amanha as 21h sobre a GAMECON. Falando nisso, preciso avisar Henry que não poderei jogar amanhã...

– Henry? Por acaso é seu filho adotivo virtual?

– Não te apresentei ele ainda, né? Fiz amizade com ele já faz algum tempinho, é o menino mais doce que já joguei junto... e a mãe dele... – Suspirei. – Só a voz dela me deixa louca.

– Credo, amiga! Se apaixonar por uma voz? Tu nem viu o rosto.

– Ah, é uma merda mesmo, mas eu não sei explicar, é atraente o jeito que ela fala e a atenção que da para o garoto, e quando ela jogou comigo... quase senti borboletinhas voando aqui... – Apontei para minha barriga.  – PERAI! Voce se apaixonou por mensagens e eu voz, você ainda quer me julgar?

Ela começou a rir.

– Acho que nós duas estamos ferradas. – Ruby franziu a testa preocupada.

– Provavelmente. Porém você tem mais chances de sair ganhando.

– Não desista, estarei torcendo por você. – Ei, manda uma foto sua para ela e pergunta se ela curte.

– Ta louca. Não quero ser aqueles gados virtuais que a qualquer cheiro de mulher já fica doido atras.

– Queridinha, não perca tempo, você já não é tão mais nova, sabia?

– Como ousa? – Peguei a almofada do sofá e joguei nela.

Começamos uma guerra e bagunçamos a sala inteira, foi bom, agora preciso conversar com Henry...

Entrei no jogo para procura-lo, mas esta offline. Fui no discord e nada. Vou deixar uma mesangem...

“Ei, Campeão! Amanhã não terá nossa guerra, infelizmente. :( Terei que trabalhar, mas no próximo fim de semana não deixo passar, prometo.”

Creio que ele usa o discord no celular também, pois acabou de ficar online.

“ NÃOOO!! Blonde! Você prometeu, vou te ligar!”

– Blonde! Como assim? – Atendo e ela já vai me questionando muito chateado.

– Minha chefe é muito chata! – Fiz voz de birra.

– Henry tira o áudio da caixa de som, consigo ouvir tudo. – É a voz da regina! Ela parece estar menos nervosa, não consigo segurar o riso.

– Mãe, venha aqui, briga com a Blonde, ela não cumpriu com a palavra dela.

– O que? – Fiquei assustada, como ele fala isso.

–  Como assim, Henry? O que ela prometeu?

–  Prometeu que iria jogar comigo amanhã, mas a chefe chata dela a fez trabalhar.

–  Em pleno domingo, meus pêsames, mas eu entendo as vezes é preciso, Henry.

–  Henry, deixa sua mamãe fora disso, não quero vê-la brava comigo novamente.

–  Isso não é justo! –  Bateu firme.

- Henry, tive uma ideia, você gosta de cosplay? – Fiquei ansiosa, seria minha chance!

–  Eu amo, tenho até uma fantasia do homem aranha!

– Ele também é meu herói favorito, quase comprei uma fantasia dele! Então, amanhã vou visitar a GAMECON, você mora aqui perto? Se sim, venha e traga sua mãe. Vou te mandar o endereço do local do evento.

– Que papo estranho é esse de se encontrar? Não aprovo isso. – Regina chegou mais perto do microfone.

– Mãe!!! Vai ter muitos personagens de jogos e animes lá! Vamos, diga que sim, é aqui pertinho!

– Regina, leva ele e se divirtam juntos, um domingo mãe e filho, e eu terei a honra de conhece-los. Mas não prometo ficar a todo tempo perto pois estarei a trabalho.

– Parece ser interessante, mas amanha estarei muito ocupada, também irei trabalhar.

– Mamãe!!  – Henry parecia estar com birra, tão fofo.

– Posso pedir para sua tia te levar. É a única opção.

– Você não vira? – Falei triste.

– Não posso, mas talvez eu consiga da uma passadinha, vamos torcer.

– Mamãe, eu te amo!! Obrigado! – Como irei te reconhecer Blonde?

– Eu te acho, vá de homem aranha, mas caso não te veja, tenha em mãos o seu celular com discord aberto. – Ri.


Notas Finais


Proximo cap promete, barracos, emoçoes e descobertas!
comentem ai o q acharam e para o q estao ansiosos, adoro saber *-*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...