História Too Lost in You - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Anna, Capitão Killian "Gancho" Jones, Cora (Mills), David Nolan (Príncipe Encantado), Emma Swan, Henry Mills, Lilith "Lily" Page, Peter Pan, Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Sr. Gold (Rumplestiltskin), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Emma, Mills, Ouat, Regina, Swan, Swan Queen, Swanqueen
Visualizações 122
Palavras 2.567
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Vamos pra boate


Regina estava se olhando várias vezes no espelho para ter certeza se aquela roupa seria adequada para ter um encontro, esse será o segundo encontro que teve em toda a sua vida, pois ela havia ficado apenas com um homem durante sua vida inteira: Daniel. A campainha tocou, era sua irmã.

- Eu pensei que você não viria mais, eu te disse para ser pontual. – Disse Regina já virando os olhos.

- Mas Regina, eu só me atrasei dez minutos. – A ruiva respondeu analisando a roupa da sua irmã. – Você vai assim? - Perguntou com a cara de surpresa.

- Assim como? Você sabe que eu não suporto atrasos. – Novamente virou os olhos e perguntou -  Porque essa cara? Qual é o problema com a minha roupa?

- Você está vestida como se fosse dormir. Olha só isso! Um horror! – A mais nova apontou para a calça larga que a outra usava. – Ainda bem que eu te conheço o suficiente para ter trazer uma roupa mais adequada. – Respondeu sorrindo – E querida? – Fez Regina olhar para ela – Deixe para virar os olhos assim mais tarde. – Mandou um beijo no ar para a irmã.

Em seguida Zelena abriu sua bolsa, pegou um vestido e entregou à morena.

- Zelena, eu não vou vestir isso. – A sua expressão era de espanto – Está faltando pano nisso, você não está vendo? – Ignorou totalmente o que a ruiva a sua frente acabara de dizer.

- Regina, por favor... O tempo que você está reclamando, já era pra gente estar a caminho. E pelo o que eu saiba você não suporta atrasos, não é mesmo? – Ela nada respondeu, apenas foi para o banheiro trocar a roupa.

***

- Um encontro? - Emma perguntou surpresa. - Tá falando sério?

- Seríssimo, Em. - Ruby deu um sorriso malicioso pra amiga. - Acho que você vai adorar...

- Ah amiga, sabe o que é? Não estou muito a fim dessas coisas não. – Foi sincera – Acho melhor continuarmos por aqui na boate mesmo, mas se você quiser ir, boa sorte.

Emma semicerrou os olhos e pediu uma bebida a moça do bar. Começou a pensar se contava ou não a melhor amiga o que aconteceu dentro do quarto onde ela fazia seus shows particulares. Emma decidiu não contar a Ruby, por mais que confiasse nela, pois não queria pôr em risco de chegar até o chefe. Terminou sua bebida e voltou ao trabalho.

***

Elas já estavam no local combinado, era um restaurante que tem um clima romântico a luz de velas e com uma linda vista da cidade. Regina estava ansiosa e ao mesmo tempo com receio, pois não sabia se ainda estava pronta emocionalmente para ir a encontros, ainda mais com uma pessoa que ela nem sabia o nome.

Zelena, por outro lado, estava animada com a ideia de sua irmã se esquecer do passado e ter novas experiências, pois era exatamente disso que ela precisava. Ninguém além dela sabia como a morena estava de verdade. Para os seus clientes, vizinhos e alguns amigos estava tudo bem, ela sempre passava a imagem de que era feliz Na cabeça dela, ela era a única responsável pela morte do amor da sua vida e como não queria dar explicações, a morena acabou se afastando de todos. Regina sempre foi uma pessoa muito fechada, e depois do tal acontecimento ficou destruída, se fechando ainda mais.  

- ZELENA – um rapaz gritou seu nome.

- Robin! – respondeu sorrindo – Essa é minha irmã, Regina.

- Regina... Já vi que a beleza vem de família. Eu pegaria as duas juntas. – ele começou a olhá-las de cima a baixo, mas passou um tempo olhando para a roupa da morena. - Prazer, eu sou o Robin. – Aproximou-se do ouvido da Regina e sussurou – Você tá muito gostosa nesse vestido.

- Sai, Robin! – Regina respondeu sem olhá-lo, afastando-se dele e se direcionou a sua irmã e perguntou sussurrando – Onde está o meu encontro? – Zelena deu um sorriso sem graça para a morena -  Não me diga que...

 - Esse é o seu encontro – falou sem graça e a mais velha só faltou matá-la apenas com um olhar. – Qual foi, sis? Você não vai casar com ele, vai ser só uma rapi...

- NEM TERMINA! – Regina praticamente gritou, afinal ela não iria para a cama com um qualquer. Ela voltou seu olhar para o homem e perguntou. - Robin, qual é a sua idade?

- REGINA! – Zelena a repreendeu, sendo ignorada.

- Então senhorita Mills, eu tenho idade suficiente para saber o que eu quero.. – Hood deu um sorriso maldoso para ambas e piscou. Tudo o que ela sentia era nojo e a vontade imensa de pegar as suas coisas e ir embora. Ela ainda não acreditava que o encontro acabou antes mesmo de começar.

- Boa noite moças lindas! – Chegou um homem simpático com aproximadamente cinquenta e cinco anos.

- Boa noite, Gold! – Disse Zelena o abraçando. – Essa é minha irmã, Regina.

- Olá Senhorita Mills, eu sou o Gold. - Pegou na mão da morena e a beijou – É um enorme prazer em conhecê-la.

- O prazer é todo meu! – Sorriu simpática.

- O que faz por aqui, Gold? – Perguntou Robin.

- Eu estava aqui a negócios, mas meu cliente desmarcou em cima da hora. – Explicou-se mesmo sem necessidade disso, ele não tinha entendido o interesse do homem em saber disso. Será que aquela bela mulher estava com ele? Pensou.

- Com licença gente, preciso falar com a minha irmã. Já voltamos! - Regina puxou a irmã para um canto, ela queria saber o que estava acontecendo.

- Como é que você me arruma um encontro com um cara que tem a metade da minha idade que ainda por cima não sabe tratar uma mulher com respeito, posso saber? Você perdeu a cabeça? – A costureira estava com muita raiva daquela situação toda, ela nem queria ir à encontro, pra começar. - Era essa sua ideia de ter a mente aberta? Você agora está saindo com crianças, Zelena? – A ruiva abaixou a cabeça e a morena continuou - Falando nisso, cadê o seu “encontro”? – Ela estava tão irritada com aquela situação que encheu sua irmã de perguntas.

- O que tem demais nisso? Ele é jovem, bonito e deve ser muito bom de cama, ele é tudo o que você está precisando para tirar todo esse seu péssimo humor. – Começou a rir, mas quando viu a cara da outra parou. – Realmente o Robin não te tratou com respeito. E sobre o meu encontro: Eu desmarquei com ele.

- Senhoritas? Desculpa interrompê-las, mas já podemos fazer os pedidos? – Gold não queria atrapalhá-las, mas já estava ficando tarde e ele precisava acordar cedo no dia seguinte.

- Quem foi que te chamou para ficar por aqui? – Robin perguntou ao homem visivelmente irritado com a sua presença. Ele percebeu que as intenções dele era ficar com a Regina e faria de tudo para tentar se desculpar com ela.

***

- A senhora não vai acreditar...- Parou de falar por não saber quais palavras usar - Sua filha trabalha numa boate e ela é muito boa no que faz. - Lily ligou para Mary, que por sua vez, não acreditava no que acabou de ouvir.

- Você tem certeza que era ela? Qual boate? Meu Deus, como Emma pôde ter coragem de fazer isso? A minha filhinha... Por que? - Mary não queria acreditar na verdade que estava a sua frente. Agora tudo começou a fazer sentido.

- Na boate Azul. Sim, eu tenho certeza absoluta. - Lily deixou um sorriso bobo escapar ao lembrar que teve um breve momento com Emma.

- Lily? Ei! – Ela retorna do seu devaneio - O que mais descobriu?

- É.. Você sabia que ela também fica com mulheres? - Falou com um pouco de medo para a mãe da mulher que deu uns beijos durante a madrugada.

- Ah, ela já me contou umas vezes que tinha interesse por mulheres tamb.. - Mary se deu conta do que acabou de ouvir - VOCÊ BEIJOU MINHA FILHA?? ERA SÓ PRA SEGUI-LA E DESCOBRIR O QUE ELA FAZ DURANTE TODA A MADRUDAGA!! - Mary percebeu que a sua espiã já estava ficando assustada e se controlou. - Tudo bem.. Desculpe-me... É que ela mentiu pra mim esse tempo todo e eu fui uma tola em acreditar em suas mentiras..

- Não, não.. Está tudo bem. Tem todo o direito de ficar assim.. – Lily não sabia porque estava contando tudo, se ela realmente havia gostado daquela loirinha no qual ela não parava de pensar um minuto sequer. -  É.. tem mais uma coisa..

- Ai meu Deus.. Fala logo, vai. - Mary não sabia quantas coisas conseguiria aguentar no momento, mas esperava respostas da pessoa que mandou ir atrás da sua filha.

- Como dizer isso sem que a senhora queira me matar?!                                    

- Ela descobriu? Ela sabe que eu te mandei até lá? Você contou pra ela? – Mary perguntou assustada.

- Não! Não é nada disso. É que eu quero voltar lá na boate e ficar mais tempo com Emma. Gostei dela. – Falou baixo, pois tinha vergonha do que acabara de admitir. Ela só falou isso, pois a Mary era a sua melhor amiga e ela não queria guardar isso somente para si.

- O que? Presta atenção, você faz o que quiser, mas não sei se ela irá voltar mais pra lá... – Dava para perceber até mesmo por telefone que a Branca, esse  apelido foi dado por Lily, estava muito decepcionada com tudo isso - Terei uma conversa muito séria com ela. Tenho que desligar, até mais! – Desligou sem dar chance da outra responder.

 Mary era uma mulher muito tranquila, quando Emma disse que também gostava de meninas, ela aceitou tudo numa boa e falou com o pai de Emma, que também só queria ver a filha feliz. Ela não contaria o que descobriu sobre Emma, não saberia se seu marido aceitaria isso, e, se aceitasse, não permitiria que ele a defendesse.

Ela foi ao quarto da filha para verificar se ela ainda estava lá e a garota já havia saído. Já era quase meia noite e meia e Lily só ligou naquele horário, pois tinha certeza de que a Swan não estaria em casa.

***

Apesar das coisas que aconteceram anteriormente, o jantar transcorreu bem. Zelena havia conversado com o Robin, ele pediu desculpas para Regina e começou a agir como deveria, mesmo com segundas intenções. Ele ainda tentaria algo com Regina, mas não agora porque Hood e a ruiva estavam como um casal naquele momento. Eles estavam se dando muito bem, mas ele é o tipo de cara que não se contenta com um “não” ainda mais vindo de uma mulher como a Regina. A morena que era para estar num encontro com o mais novo, estava o tempo inteiro conversando com o senhor Gold e estava tão encantada com o seu cavalheirismo que nem notou que Zelena estava trocando alguns beijos ali mesmo com o Robin.

Todos ali tinham bebido demais e estavam bem “alegres” por conta do vinho. Zelena saiu com o Robin, deixando a irmã com o cara que ela acabara de conhecer. E por incrível que pareça, a costureira não disse nada e nem sabia o porquê disso, mas de uma coisa ela tinha certeza: Queria mais daquela companhia.

Eles continuaram no local por quase duas horas conversando, bebendo e rindo bastante. O tempo passou e ninguém percebeu, todos no restaurante já tinham ido embora, só restando apenas os funcionários. Gold fez questão de pagar a conta sozinho por puro cavalheirismo e ela notou isso. Normalmente ela não deixaria um estranho pagar, mas dessa vez foi diferente. Eles foram para o lado de fora, afinal já estava tarde e na rua não tinha ninguém.

- Acho que... Que já está na minha hora, foi um prazer em conhecê-lo. Até mais. – Ela estava com dificuldades de falar devido as taças de vinho que ela bebeu.

- Regina, eu não irei te deixar sozinha numa hora dessas e no estado que você está, algo ruim pode te acontecer e eu me sentiria muito mal por isso. – Disse se aproximando de Mills a olhando fixamente.

- Que estado que eu... – Ela quase caiu, Gold a segurou firme encostando seu corpo contra o dela. – Nesse momento, ela sentiu um arrepio em seu corpo.

- Gold... – A morena o encarou, ele já estava se aproximando demais.

Ela fechou os olhos, pois sabia que desistiria se eles estivessem abertos. Ele entendeu aquilo como um “sim” e selou os lábios no dela, beijando-a de uma forma terna. O beijo foi se intensificando, ficando cheio de desejo. Coisa que ela nunca mais tinha se permitido sentir, mas ela o parou. Mills tinha se dado conta de que eles ainda estavam no meio da rua.

- Gold – Falou ofegante após interromper o beijo – Vamos sair daqui.

- E pra onde vamos?                       

- Vamos pra boate. – Respondeu Regina.

***

Zelena levou Robin para sua casa, pois sabia que sua filha iria dormir na casa de uma amiga assim como faz praticamente todas as noites, mas ainda assim resolveu ligar só para garantir. Mills não queria que ela visse o seu estado atual, embora ela não estivesse tão bêbada como antes e sua filha não poderia nem pensar que ela estava levando um homem que mal conhecia pra dormir com ela depois de terem transado na rua, mas ela odiava dormir sozinha. Ao contrário da irmã, ela fazia as coisas sem pensar. Como ela poderia colocar um cara que ela nem conhecia dentro da casa dela? Nem ela sabia.

- Alô? 

- Oi filha! Tudo bem por aí? – Perguntou desconfiada.

- Mãe? – Ela tinha atendido sem ver quem era - Eu quem te pergunto. – Ela estava surpresa com a ligação, sua mãe não era de ligar pela madrugada. - Aconteceu alguma coisa? – Perguntou confusa.

- Como assim, meu amor? – Ela fingiu que não entendeu o que sua filha quis dizer com aquilo. – Que barulho é esse? – Tentou mudar o assunto.

- Já são quase quatro horas, a senhora não é de ligar a toa, ainda mais nesse horário. – Desconversou na tentativa de fugir de um possível castigo. Mesmo sendo maior de idade sua mãe ainda a castigava caso fizesse alguma coisa errada. Zelena era extremamente rígida.   

- O que você está fazendo, garota? Por que tem tanto barulho aí? – Zelena alterou o seu tom de voz.

- Eu já estava dormindo, o som deve ser da festa da vizinha. -  Respondeu - Que voz é essa, mãe? Você andou bebendo de novo? Quer que eu vá par.. – Ela rapidamente foi interrompida.

- NÃO! – Acabou gritando, o que causou espanto na garota – Digo.. Não precisa filha, eu só estou com saudades de dormir com você.

- Ei, está tudo bem aqui? – Disse Robin, ele ouviu o grito da mulher e pensou que tivesse acontecido algo.

- Mãe, tem alguém aí com você? – Falou desconfiada, agora ela entendeu o real motivo da ligação da mais velha.

 Zelena fez um gesto para ele se calar.

- Não filha, é só a televisão... E.. Eu tenho que desligar, vou acordar cedo. Beijo! - Desligou com pressa sem deixar a outra responder.

- Está tudo ótimo, agora vem, vamos dormir. – Falou Zelena puxando Robin em direção ao seu quarto.

***

- Emma! – Uma voz conhecida a chamou.

- Pensei que você não voltaria.


Notas Finais


O que vocês estão achando da história?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...