1. Spirit Fanfics >
  2. Toque de ceda >
  3. A procura da resposta

História Toque de ceda - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Oiê, estava com tédio, então o episódio saiu rápido.
Explicação dos episódios:
Os outros 6 membros do BTS era parte da gangue também.
S/n: líder dela

Capítulo 2 - A procura da resposta


Fanfic / Fanfiction Toque de ceda - Capítulo 2 - A procura da resposta

- Lola você pode cobrir meu turno hoje por favor? Tenho que resolver umas coisinhas em casa que eu tinha esquecido. Avisa o chefe que eu passei mau daí. - interrompo o beijo deles.

- claro, mas só hoje, não tô afim de conversar com pessoas - ela vira e deixa de lado o menino.

Pego o primeiro ônibus que encontro para casa. Vejo que estava lotado, então tive que pedir um Uber, o que não gosto muito mas é o único jeito. Chegando em casa, jogo minhas coisas na cama e vou na minha mesa tentar entender aquilo. Me senti em uma espécie de filme de mistério, como a série Sherlock. Pra falar a verdade seria muito difícil conseguir entender aquilo, então a primeira coisa que fiz foi jogar ele direto, claro que não daria em nada. Então tentei fazer uma coisa MUITO mas arriscada, jogar ele na Dep weeb. Não sou de mentir, mas dês de pequeno sei mexer nela, só que sempre dá um receio. Então fui no porão e peguei um computador antigo que eu tinha e coloquei coisas que não eram verdades sobre mim, já que não estou a fim de ser sequestrado ou nada do tipo. Fiquei surpreso, pois nela tinha ido de primeira. Vi que era uma espécie de um código de comunicação de pessoas que faziam parte de um grupo, não estava escrito nada sobre que tipo de grupo. Mas como provavelmente parece que Lola faz parte dele, algo ruim não seria, mas pensei de novo, pois pra estar na DepWeb deve ser algo ruim. Mas quis tirar esse pensamento.

Agora que eu já sei o que está escrito e como funciona, fui jogar o link no Google, agora sim foi. Me levou para um site todo escuro com um timer na frente, agora sim sinto que eu sou Sherlock Homes. Decido ignorar aquilo e tentar encontrar algo que estava por trás daquilo tudo. Mas não acho nada, até que eu lembro do que Lola tinha escrito no diário. Não sei se era certo aquilo, mas quis saber. Abro a gaveta que eu tinha deixado o papel anotado e - um pano com sonífero é envolvido em sua boa, ele adormece e é levado para uma espécie de um lugar.

- Senhora ele está aqui- Namjoon estava acordado, mas como tinha algo em seus olhos, ele não conseguia enchergar o que estava acontecendo- ele tinha visto seu diário e estava preste ler o que estava escrito.

Único diário que eu vi foi da... Aí MEU DEU, ok, é ela, então nada de mau ela vai me causar- relaxo um pouco. - alguém tira a venda dele.

- pode Lola que bom te ver aqui, já estava pensando que eu iria morrer - ele ri até ver que a pessoa com quem falava não era ela, mas sim outra garota. - ok, você não é a Lola. Como assim? O diário que eu li era dela, não seu.

- primeiro, olá Kim namjoon, sim, eu sei que parece estranho, mas Choi Lola-ha é quem fica responsavel por escrever nele tudo que está acontecendo no mundo. O diário nunca foi dela e nunca será. Segundo, a senhora que te entregou aquele cartão era Min yoongi, um homem. E pra finalizar, você está aqui para fazer parte do nosso grupo.

- moça, não sei o que você quer dizer, mas minha resposta é não. Não sei qual é seu nome, nem o que faz e muito menos onde eu estou - namjoon enquanto fazia o seu discurso desamarrava da corda que prendia seu pulso.

- o nó é triplo- uma voz masculina vinha do fundo- você não vai conseguir se soltar dela tão facilmente.

- quem está ai? - se assusta ao ouvir a voz de um homem.

- obrigada por vir taehyung. E pra finalizar Kim namjoon, meu nome é s/n, e desculpa por te pegar desse jeito. Mas era o único jeito. Ou você preferiria levar um tapa na cabeça?

- me siga senhor- taehyung falava enquanto desamarrava Nam - e se você tentar escapar poderá ficar pior pra você.

Aquilo tudo estava me assustando, não consegui entender nada que estava acontecendo, só que tinha sido sequestrado pra fazer parte da gangue e que minha líder era s/n, que era uma mulher. Não que eu seja machista, pelo contrário, super apoio isso, mas não tira o fato de que ela me prendeu. Para tirar minhar dúvidas, decido no caminho ir perguntando para o taehyung.

- sei que não pode falar onde estamos, mas poderia me dizer o que vocês fazem? Acho que assim eu me sentirei mais confortável do que não saber o que eu farei. Vai que eu terei que vender meu corpo ou algo pior.

- não, você não vai vender seu corpo. Sabe a máfia? Então, somos tipo ela, mas não temos lado. Para certas pessoas poderemos ser os bons, já para outras também poderemos ser a ruim.

- ok. Eu terei que matar pessoas? Olha já vou logo avisando que no exército eu não era bom nisso.

- isso s/n irá decidir, única coisa que eu poderei contar pra você é isso. - ele aponta para uma porta- aqui é o seu dormitório, Lola já irá vir aqui falar com você, não precisa se preocupar.

Abro a porta do quarto. Me impressiono, aquele cômodo é dos meus sonhos, será que eles me seguiam ou Lola já tinha falado sobre mim pra eles? Tem roupas pra mim? - abre o guarda roupa- ok, isso é estranho. Tem roupas do meu estilo aquilo e do meu tamanho. - fecha o guarda roupa e vai em direção ao banheiro- acho que me estressei de mais só no começo desse dia, vou tomar um banho já que daqui a pouco é meio dia e não sei o que vão fazer comigo. Se irão me matar, espero pelo menos morrer cheiroso - tira suas roupas e abre o chuveiro, a água escorria em seu corpo enquanto ele escuta alguém batendo na porta- será estranho se eu sair assim, mas deve ser Kim. 

- já vai - desliga a água do chuveiro e pega uma toalha, cobre seu corpo da cintura e vai abrir a porta - Lo-Lola e-eu... Espera aqui- fecha a porta enquanto corre pro guarda roupa pra pegar uma roupa. Se veste rapidamente e volta a abrir a porta, os dois estavam corados- pode entrar.

- desculpa vir aqui de surpresa. Queria esclarecer algumas coisas sobre o que tá acontecendo - senta na cama- sei que você deve estar confuso, mas eu também não poderei te falar nada além do que vou te dizer agora. Nós iramos almoçar daqui a pouco, então já vim te chamar para descermos.

Nós descemos e fomos nos sentar na mesa. Ela era grande, cabia no máximo umas 50 pessoas, e nela avia um banquete gigante, fiquei com receio de comer, vai que estava envenenada, então esperei as pessoas se servirem, mas ninguém estava se servindo, e sim esperando. A porta gigante que ficava atrás da maior cadeira se abre, e dela sai s/n com um vestido totalmente exagerado, o que eu achei que não precisava, mas ao entrar todo mundo começou a se servir, então relaxei ao perseber que a comida não estava envenenada ou algo do tipo.





Notas Finais


Desculpa se ficou muito curta. Estava com vontade de escrever, mas no meio deu um bloqueio de criatividade.
Desculpe- me pelos erros de caligrafia e espero que tenham gostado da fanfic


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...