1. Spirit Fanfics >
  2. Toque seu Coração >
  3. Jogo e Chantily

História Toque seu Coração - Capítulo 13


Escrita por:


Notas do Autor


Olá Leitor (a).

Agradeço por estar lendo e espero que esteja curtindo a história.

Capítulo 13 - Jogo e Chantily


Fanfic / Fanfiction Toque seu Coração - Capítulo 13 - Jogo e Chantily

Segunda, 01 de Maio de 2017

 Jimin estava vagando pela livraria, tentando localizar sua seção de literatura policial. Ele quer dar um presente para Taemin, pois ele curte esse tipo de leitura. Inicialmente, ele considerou em não ir para o Book Coffee Our Song, mas inconscientemente ele acordou cedo – mesmo estando de folga – e seguiu para o local. Somente percebeu quando sua mão tocou a maçaneta. Jimin sentiu envergonhado pela situação, e ficou grato por ninguém está ali com ele.

Acabou decidindo aproveitar que estava ali e comprar um presente para seu amigo que não via algumas semanas por causa das agendas deles. Após um café gelado, ele perambula pelas estantes repletas de livros para todos os gostos.

Depois de encontrar a prateleira certa, ele facilmente localizou a leitura necessária e a colocou debaixo do braço. Enquanto caminhava para onde estavam os registros, outro livro chamou sua atenção. Jimin pegou e folheou as páginas.

Era um livro de receitas. Mais especificamente, era um livro de receitas de sobremesas. Em todas as páginas havia uma foto do prato que descrevia; suas instruções na página oposta. Jimin olhou para uma foto de cupcakes de veludo vermelho com uma cobertura de creme de queijo. Eu me pergunto se Anabelle pode fazer isso... Ele percorreu mais algumas páginas, parando em uma foto de bolos com migalhas de café. Ele se perguntou se ela sabia como fazer isso também.

Jimin decidiu que pegar o livro não faria mal. Ele poderia dar a Anabelle e talvez ela pudesse experimentar algumas das receitas que encontrou nele. Ele o colocou debaixo do braço com o livro de romance policial, indo para os registros mais uma vez. Mas então, outra coisa chamou sua atenção. Logo, Jimin se viu na seção de culinária da loja. Ele pegou um livro, folheou as páginas, gostou do que viu e o adicionou à pilha. Ele encontrou outro livro, folheou-o, gostou do que viu e depois o adicionou também. Ele fez isso mais três vezes antes de sentir que havia examinado suficientemente todos os livros de receitas relevantes relacionados a sobremesas e doces. Ele finalmente foi até o caixa, nem se importando que o que deveria ter sido uma compra 18000 won acabasse sendo quase sete vezes isso. Na verdade, nem sequer lhe ocorreu o que ele havia feito até estar em segurança em sua casa.

Jimin empalideceu. O que eu acabei de fazer? Ele esvaziou a sacola, espalhando seu conteúdo sobre a mesa. Lá, olhando para ele, havia um livro de romance e seis livros de receitas diferentes. Seis.

- Oh meu Deus, - Jimin enfiou a mão no bolso de trás, tirando a carteira com o recibo da livraria. - Oh meu Deus!

Ele olhou para o relógio. Já estava ficando muito tarde e Jimin não achava que poderia chegar à loja porque ele tinha marcado de almoçar com Seulgi, mesmo que levasse o carro. Jimin sentou-se, enterrando a cabeça nas mãos, puxando os cabelos.

- Está bem. Eu posso devolvê-los amanhã. Vou voltar depois das entrevistas e apenas devolvê-las. Vai ficar tudo bem. - Ele exalou, sentindo-se relaxar. Ele respirou fundo algumas vezes antes decidir esconder, antes que seus amigos vissem. Jungkook e Hoseok iria perturbá-lo para sempre sobre isso se descobrissem. 

Sexta, 05 de Maio de 2017

 Anabelle reverenciou o cliente quando este terminou de pagar a sua comprar e então saiu. Ela gemeu baixinho e seguiu para a caixa registradora, e depositou o dinheiro antes de lançá-la a venda no sistema.

Ela olhou em volta e sentiu peso em seu peito ao não o encontrar. Ela sabia que não iria, afinal, ele tinha ido viajar ontem para a Filipina. Agora ela tinha a culpada pesando seu coração, pois não pode vir trabalhar na segunda, sua última chance de vê-lo.

A verdade era que não precisava ter faltado. Realmente tinha uma apresentação de um trabalho, mas poderia ter escolhido fazer a tarde. Anabelle ainda sentia abalada por saber que Park Jimin – sua estúpida paixão – estava namorando. O que ela pensou que aconteceria? Que uma celebridade iria apaixonar-se por ela? Céus, isso não era um romance açucarado ou dorama fofo e envolvente. Era a vida real.

Anabelle culpada totalmente sua amiga Daniela por fazê-la perceber que nutria sentimentos por seu Mochi. Ela continuaria feliz se tivesse vivendo na ignorância do que sentia. Agora, a ansiedade de vê-lo, abraçá-lo e beijá-lo abalava todos seus pensamentos. Ela chegou a sonho - no meio uma aula de literatura – que estava em show do BTS e Jimin declarava-se para ela do palco. Ridículo, Anabelle tinha plena certeza disso.

Não ajudou que Kim Sejin tivesse procurando-a e frisou em todo encontro sobre o ‘relacionamento’ dela e Jimin. Não havia relação. Eles eram unicamente – estupidamente – amigos. Ela não teve problema em assinar o contrato de confiabilidade. Jamais faria nada para prejudicá-los, porém ainda era mais estranho pensar nisso.

Anabelle teve que ligar para Daniela – depois de sua reunião com o gerente Sejin – e pediu gentilmente que nunca – em hipótese alguma – ela contasse para alguém que ela conhecia, e principalmente que estava apaixonada por, Park Jimin. Não que Daniela contaria. Sabia que poderia confiar em sua amiga brasileira.

- Porque tanto suspira? Apaixonada? – Do Jiwon perguntou.

Anabelle zombou com o olhar. – Apenas me torturando mentalmente por minhas burrices.

- Seu cliente não veio hoje?

- Que cliente? Eu não tenho nenhum cliente preferido. Never! – Anabelle disse apressadamente.

Do Jiwon sorriu. – Sim, e eu não tenho namorado. - brincou. - Todos já sabem que sempre olhar para porta esperando-o entrar ou está conversando com ele por mensagem. Você não é discreta.

Anabelle suspirou vencida. – Ele está trabalhando... O verei somente semana que vem!

A colega riu e se afastou para atender uma cliente que ergueu a mão. Anabelle apoiou o cotovelo no balcão e deitou a cabeça na mão. Sim, ela era idiota por não ter vindo na segunda. Agora sofreria a semana inteira.

Terça, 09 de Maio de 2017

 Anabelle teve um dia cheio. Acordou cedo para passear com suas amigas na cidade de Busan. Tinha sido prazeroso conhecer o lugar, principalmente as casas todas coloridas ou observar a estrutura da grande ponte. Ela se divertiu muito, comeu comidas gostosas, tirou muitas fotos e trocou mensagens com seu pai. Anabelle sentia a muita saudade de casa e não via o momento de as férias chegarem e pode ir visitá-los depois de quase dois anos longe.

Quando finalmente chegaram ao dormitório, ela caiu na cama e suspirou cansada. O relógio marca quase 18 horas da noite. Ela queria tomar um banho e dormir.

Amanhã retornava a rotina de trabalho e aulas entediantes. Alguns assuntos eram interessantes, mas a maioria muito técnico e chato.

- Sinto falta dele! - ela murmurou.

- O que disse? – Sayuri perguntou do banheiro. A japonesa havia ganhado no jogo pedra, papel e tesoura o direito de tomar banho primeiro. Apesar de que Anabelle não se importava de ficar um pouco deitada antes de banhar-se.

- Não disse nada. – Anabelle respondeu. Fazia alguns dias que tinha visto Jimin. Eles haviam conversando por mensagens e ligação, mas não era a mesma coisa. Sentia saudade de seu Mochi.

Seus olhos pesaram e sua consciência distanciava para a terra dos sonhos quando o toque do seu celular lhe despertou. Ela esfregou os olhos repreendendo a neblina do cansaço e sentiu. Percebeu que Sayuri já tinha terminado o banho e estava mexendo no notebook em sua escrivaninha.

Anabelle pegou o celular e visualizou a chamada. Franziu o cenho ao perceber que não conhecia o número. – Quem será? – ela perguntou para si mesmo. Ignorou o olhar curioso da japonesa e desligou o ícone de chamada e levou o aparelho no ouvido. – Alô?

- Oi, estou falando com Anabelle?

Ela estranhou a voz a não a reconhecer. Seu nome soou engraçado. Obviamente a pessoa não conseguiu pronunciar corretamente.

- Ah... Sim, quem fale? Onde conseguiu este número?

 - Ufa! Liguei para a pessoa certa. Eu sou Taehyung, amigo de Jimin. – a voz rouca disse com cautela. Por sorte, ele não poderia vê-la arregalar os olhos de surpresa. Porque ele estava ligando para ela? Anabelle se perguntou mentalmente. Ela olhou para Sayuri, para garantir que não tinha chamado atenção.

- Oh! Olá. Não que esteja reclamando, mas porque está me ligando? Aconteceu algo? – ela pergunta preocupada. Não tinha acessado as redes sociais aquele dia, por isso, não sabia dos acontecimentos. Temeu que algo tivesse acontecido com Jimin.

- Ele está bem, mais ou menos. Não posso explicar muito... Mas Jimin está mal. Ele e Seulgi não deram certo. Não sei mais o que fazer para animá-lo e os outros não estão aqui. Pode ajudar?

Anabelle não percebeu que tinha levantado da cama e pagando sua bolsa. Ela virou para a amiga e acenou. – Estou saindo! – disse apressadamente e calçou o tênis antes de deixar o dormitório.

- Onde ele está?

- Eu vou lhe passar o endereço por mensagem. – disse Taehyung do outro lado da linha.

-oÕo-

Anabelle se viu do lado de fora do prédio que BTS morava. Ela simplesmente não podia acreditar nisso. Quando Taehyung disse que Jimin não estava bem, ela agiu por instinto deixando seu alojamento e chamando táxis. Agora, sentia acanhada.

O que ela estava fazendo?

Ela entrou em desespero que ele não tivesse bem. Em pensamentos, Anabelle matou Seulgi de diversas maneiras. O que quer tivesse acontecido era culpa dela. Jimin era muito fofo e gentil para que o namoro terminasse assim quando eles mal começaram.

 Além disso, ela sentia que, de alguma forma, precisava vê-lo. Ela considerou apenas visitar Jimin para se certificar de que estava bem. De fato, Anabelle não ficaria surpresa se houvesse um grupo inteiro de pessoas lá em cima para apoiar o garoto geralmente jovial. Taehyung disse que os outros estavam fora fazendo atividades de trabalho solos, mas poderia ter voltado já.

Ela suspirou, decidindo que era melhor ir para casa. Ela poderia ligar para Jimin. Era o que deveria ter feito ao invés de sair desesperada de casa. Anabelle estava prestes a se virar quando a porta de entrada se abriu, deixando-o cara a cara com Taehyung.

- Ah, você deve ser senhorita Anabelle! Você está aqui! - Taehyung sorriu instantaneamente.

Por um segundo, Anabelle entrou em pânico. Ele não queria que Jimin soubesse que ela estava aqui, apenas do lado de fora de sua casa como uma perseguidora. Ela nunca deveria ter vindo. Sentia-se uma tola.

Ei, como V sabe que sou eu? Anabelle gritou em sua mente.

- É bom que você veio também, - continuou Taehyung, - Porque eu não gosto de ver Jimin deprimido e não sei mais o que inventa para animá-lo.

Era tão adorável a preocupação dele. Ela podia ver agora por que ele e Jimin eram melhores amigos. E com certeza Kim Taehyung era mais fofo pessoalmente. Anabelle permaneceu encarando-o sem saber o que falar.

- Vamos lá,-  disse ele, agarrando Anabelle pelo braço e puxando-o para dentro. - Eu vou deixar você entrar.

Anabelle franziu a testa. - Na verdade, eu não estava... Não deveria ter vindo... Ele não está me esperando-

- Oh, isso é legal. Não se preocupe. Tenho certeza de que Jimin ficará feliz por vê-la. Ele acha que você é incrível.

Anabelle olhou para o outro garoto. - Ele disse isso?

- Ele totalmente não precisa! - Taehyung apenas riu, deixando Anabelle um pouco confusa. Ela sentiu que precisava de um tradutor sempre que Taehyung falava. Ou isso ou um gravador de voz que lhe deu a opção de diminuir a velocidade do discurso.

Ela virou o rosto quando ele digitou a senha da porta e girou a maçaneta de seu apartamento e praticamente empurrou Anabelle pela porta. Anabelle gritado se ela não estivesse parcialmente congelada pelo fato de estar no apartamento de BTS. Deus, ela estava realizada o sonho de qualquer army, mas no momento estava preocupada em ver Jimin. Seu Mochi poderia não gostar da invasão.

- Jimin! Sua amiga está aqui! Não se esqueça de comer algo! Te amo, amigo! - Taehyung sorriu para Anabelle antes de acenar para ela e fechar a porta atrás dele. Anabelle entrou em pânico. Ela considerou que Taehyung ficaria o menos, mas o cara tinha acabado de abandoná-la sozinho com Jimin.

Ela moveu para sair do apartamento rapidamente, mas a voz de Jimin a fez congelar no lugar.

- O que você está falando…? - Jimin apareceu do outro lado do corredor, vestindo calças de pijama e uma camiseta simples. Seus olhos se arregalaram de surpresa quando ele olhou para cima e viu Anabelle em pé em sua sala de estar.

- Hum, oi, - foi tudo o que Anabelle pode pensar em dizer.

- Ei... Ana...

Anabelle esfregou a parte de trás do pescoço. - Eu estava apenas... de passagem. Então V meio que... me agarrou... - ela se sentiu incrivelmente estranho com a maneira como Jimin estava olhando para ele. Era ridículo. Ela parecia uma perseguidora, considerando que não deveria saber onde ele morava. – Quero dizer... V me ligou e passou endereço... - Anabelle apontou para a porta. - Eu vou... Eu não quis incomodar...

- Oh- não! Não, não! Está tudo bem, - disse Jimin, tirando qualquer devaneio em que estivesse. - Fiquei surpreso em vê-la, é tudo.

- Se você estiver ocupado, eu posso apenas-

- Não, espere. Fique. Por favor, fique. Quero que você fique.

Anabelle assentiu lentamente, ignorando o ligeiro engate em sua respiração com as palavras. - OK.

- Bem, espere, - Jimin balançou a cabeça. - O que você está fazendo aqui? Você não tinha ido viajando para Busan com suas amigas?

- Eu... estava preocupada contigo. - Ela disse automaticamente, surpreendentemente honesta. Demorou alguns segundos para Anabelle perceber o que ele acabara de dizer em voz alta. Ele quebrou o contato visual, lutando contra o rubor nas bochechas. Idiota.

Ele ouviu Jimin rir baixinho. Espreitando, ela viu o caminhar até ela, colocando a mão em seu braço. - Obrigado. Estou feliz que você esteja aqui. - Ele sorriu suavemente, aliviando qualquer dúvida na cabeça de Anabelle.

- Sim, - Anabelle suspirou. - Sem problemas. Você quer falar sobre o que acontece? – perguntou com cuidado e recebeu um aceno negativo. – Ok! Quer fazer algo?

Durante a hora seguinte, os dois caíram no sofá enquanto Jimin treinava Anabelle na arte de jogar videogame. Ao menos, foi o que ele pensou inicialmente, pois agora ele estava recebendo uma surra de especialista.

- Droga, porque não me disse que era profissional?

- Não seja idiota... Não jogo tem quase dois anos. – Anabelle disse sem tirar os olhos da tela. – Jogava muito o meu amigo ou primos. Sempre preferir coisas de menino ou invés de menina quando crescia. Futebol, videogame, skate... São minha área.

Jimin negou com a cabeça. - Oh... Sempre me surpreendendo.

- Mochi... Atire nele! Atire nele! – Anabelle gritou para o cantor.

Jimin retirou atenção para tela grande e gritou. - Eu estou atirando!

- Mash X.  Mash X. BBXY!

- Eu nem sei o que isso significa! – Jimin disse. Ele poderia jogar com seus amigos, mas o especialista era Jungkook e Taehyung.

Felizmente, Anabelle o salvou de se sentir um fracasso total, sugerindo que fizessem outra coisa. Por isso, Jimin decidiu que queria torta de nozes, e fez Anabelle ir com ele no mercado que ficava perto do apartamento deles. Ele igualmente a obrigou ir disfarçada.

Anabelle estava sentado no balcão da cozinha, abrindo uma enorme sacola de nozes.

- Por que vocês não compram apenas os sem casca? – Jimin resmungou, tentando extrair a noz da casca sem quebrá-la.

- Porque eles não têm o mesmo sabor. As pessoas geralmente adicionam como conservante ou o que quer que seja. Nozes frescas são as melhores porque ficam intocadas no momento em que você as usa. Elas têm mais sabor a nozes. – Ela explicou.

- Hu! Você realmente entende de cozinhar.

Ela riu. – Não lhe disse? Meu pai tem uma panificadora. Na verdade, tem três. -  Ela disse, - Ele trabalhou antes em restaurante... Até estudou na França! Aprendi com ele.

- Oh! Agora fiquei curioso. Acho que já me disse. Depois me mostrar fotos dos pratos dele.

Ela olhou para cima. – Claro, depois entramos no instagram dele.

Jimin pigarreou. – Então... Seus pais são legais?

- Sim! Sou mais próxima do meu pai. – Anabelle disse sem tirar os olhos da atividade que fazia. – Meus pais divorciaram quando era mais nova, e preferir continuar morando com meu pai. Minha mãe casou-se de novo e teve mais dois filhos.

- Oh, lamento. – Jimin disse preocupado, mas percebe que a expressão de Anabelle continuou a mesma. – Vocês e seus irmãos...

- Eu tenho contato com eles. Demorou um pouco, mas voltei de ‘boas’ com minha mãe. Sabe, eles separaram por que ela o traiu. Foi bem difícil na época. Meu pai sofreu bastante. – Anabelle disse encarando a noz em sua mão. - Minha irmã Luiza é realmente super fã de vocês. Foi por causa dela que fui na fansing.

- Então agora sei a quem agradecer.

Ela olhou para cima e o viu sorrir, o que contribuiu para que ela corasse. Tão encantador.

- Não posso nem falar isso para ela. Iria divulga de imediato sobre isso.  – Anabelle disse, com uma caixa de açúcar mascavo na mão. – Ela tem fanpage, blog e twitter sobre vocês.

- Oh, eu esqueci de lhe perguntar.

Anabelle franziu a testa em confusão. - O quê?

- Sobre Sejin. Eu não sabia sobre o contrato. Somente perguntei-o depois, - disse Jimin, iluminando-se. – Lamento que lhe causei problemas.

- Não seja bobão Mochi... Eu entendo. Você é famoso, as vezes esqueço isso, - Anabelle disse enquanto movia pela cozinha separando os ingredientes para a massa da torta. – Fiquei confusa quando ele me ligou, mas depois entendi.

Jimin suspirou alegremente. – Que bom, fiquei preocupado.

Anabelle apenas olhou para o garoto, jogando uma concha vazia nele. 

Jimin revirou os olhos antes de continuar sua tarefa. Uma vez que as tortas estavam assando com segurança no forno, Anabelle determinou que era hora de ensinar Jimin a fazer chantilly.

- Não há nada como chantilly caseiro para acompanhar uma fatia de torta recém-assada, - ela sorriu para Jimin, ocupando o assento anterior de Anabelle atrás do balcão para observá-lo no trabalho.

- Hun!

Anabelle fez uma careta. – Vai me conta porque estava triste ou terei que morrer na curiosidade? – perguntou, e então ela percebeu as feições dele alterar.

– Eu... Não foi nada!

- Park Jimin! Não me trate como tola. – Ela disse lhe apontando uma colher.

- Apenas não deu certo. Achei que dessa vez daria certo o nosso namoro dar certo, mas como na primeira vez, ela não quer lidar com as minhas fãs. Não quer arriscar sua carreira. – Ele disse semblante sério. – Vamos esquecer isso!

– Ok! Quando sentir-se melhor pode me contar melhor isso. – Ela disse suavemente. Entretanto, Jimin apenas deu a ela um olhar fulminante, que foi ignorado. - Tudo bem. Agora despeje o creme na tigela e adicione a baunilha, um pouco de mel e agora o açúcar.

Jimin fez como foi instruído. Eles caíram em confortável silêncio. Trabalhado em perfeita harmonia, e quando a torta e o chantilly ficaram prontos, foram comer na frente da televisão enquanto assistia um filme. O relógio marcava 11 horas da noite quando Anabelle despediu para sair. Jimin sugeriu que ficasse para conhecer os demais membros que estava já a caminho do apartamento, mas ela preferiu partir.

Não tinha tomado banho ainda da viagem que fez para Busan e estava cansada. Agora eu sabia que ele estava melhor, o seu cansaço pareceu pensar sobre seu corpo. Anabelle sugeriu que em outro momento Jimin poderia lhe apresentar ao grupo. Ele chamou um táxi e esperou na portaria com ela até o mesmo chegar.

Anabelle acenou em despedida e observou até que a figura sumiu no horizonte. Agora, ela sentia-se culpada por ter desejado que o namoro deles não desse certo. Odiava ver Jimin sofrendo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...