1. Spirit Fanfics >
  2. Torna-me seu (Jikook) >
  3. Entre taças e vinhos

História Torna-me seu (Jikook) - Capítulo 7


Escrita por: crazyYG

Notas do Autor


Oiii turu bem?

Voltei com minhas putaria.
Tem um pouco de romance nas minhas histórias de putarias ok? RUM

até mais Jiminnie's.

Tenha uma boa leitura 💙

𝐄𝐮 𝐪𝐮𝐞𝐫𝐨 𝐞́ 𝐩𝐮𝐭𝐚𝐫𝐢𝐚, 𝐞𝐮 𝐪𝐮𝐞𝐫𝐨 𝐞́ 𝐟𝐨𝐠𝐨 𝐧𝐨 𝐩𝐚𝐫𝐪𝐮𝐢𝐧𝐡𝐨

Capítulo 7 - Entre taças e vinhos


Fanfic / Fanfiction Torna-me seu (Jikook) - Capítulo 7 - Entre taças e vinhos

𖦹🍷


—Não Jiminnie, não pode. Eu não estou com cabeça pra visitas.

Ok. Ok então. Você vai me xingar por isso.

—Pelo que? - não obteve respostas, a linha ficou silenciosa, olhou para a tela do celular e a ligação havia sido encerrada — do que esse garoto tá falando?

Levantou um pouco melhor mas ainda caía pelos cantos caso não se apoiasse em nada, não teve a intenção de beber até cair, apenas se distraiu demais. De dentro da geladeira tirou um pedaço de torta, não gostava muito de doces, mas estava com fome e não conseguia se virar sozinho naquela situação.

Colocou na pequena mesa redonda e se sentou na cadeira com um garfo na mão bibicando a cobertura do bolo molhado. Elevou o garfo até a boca, abriu-a, mas antes de abocanhar, ouviu o som da companhia que ecoou pela sala. Se manteve em silêncio a pensar, não vinha ninguém à sua mente naquele momento, e mesmo que pensasse em alguém, todos estavam ocupados para aparecer assim na sua casa ao cair da noitinha sem antes avisar.

Colocou o garfo de volta no prato e saiu da cozinha passando pela sala indo em direção à porta do apartamento, abriu-a por fim.

—Oi Kook! - o garoto sorria como nunca preso nos olhos do mais velho.

—Jimin? O que faz aqui?

—Vim ver você. O que tá fazendo? - tentou entrar direto mas com o braço Jungkook impede o rapaz de entrar em sua casa.

—Eu falei pra não vir.

—Na verdade você não falou nada. Aí eu vim - sorria, Jungkook não podia negar que aquela boca o hipnotizava — deixa eu entrar, você tá sozinho, não precisa ter medo.

—Como chegou até aqui? - tirou o braço da porta cedendo assim ao pedido do rapaz que entrou admirando aquele pequeno pedaço de lar que Jungkook tinha.

—O Yoongi me forneceu as informações. O que estava fazendo àquela hora que te liguei?

—Dormindo, agora se me der licença eu preciso comer

Park apenas se jogou no sofá e lá ficou, Jungkook ainda se dirigiu à cozinha voltando a se sentar e segurar o garfo. Desde aquele dia que deu corda para Jimin junto com aquele maldito beijo, o baixinho não o deixou mais em paz, se sentia culpado pelo que estava acontecendo.

—O que está comendo? - Jungkook levou um susto, estava viajando nos pensamentos. Apenas ignorou e voltou a comer. Jimin então sentou perto do jogador e ficou observando.

—Isso é constrangedor, sabia? 

—Tô esperando você parar de me ignorar, Kook. Eu não fiz nada pra você.

—Me diga Jiminnie, por que veio aqui?

—Porque seu noivo não está e posso ficar perto de você sem ter que ser discreto.

—Discreto?

—Sim… - Jungkook empurrou o prato para o meio da mesa desistindo completamente de comer — você tá bêbado.

—Só um pouco.

—Sabia que a maioria dos acidentes ocorrem com pessoas alcoolizadas? - Jeon não entendeu nada mas julgou ser um fato já que bêbados são os mais babacas.

—Sensacional. Se eu estivesse lúcido, não seria tão chato conversar comigo - apoiou os cotovelos na mesa. O baixinho pegou mais uma garrafa de vinho que estava sobre o armário perto da que Jungkook tinha esvaziado, procurou mais alguma coisa neles e encontrou lindas taças de cristal, apanhou duas delas e voltou com ela aberta para a mesinha. O mais velho só acompanhava com os olhos, estava indisposto e sem vontade de o impedir. Encheu as em um tanto generoso.

—Toma mais um.

—Não, ainda tô com o efeito da primeira garrafa.

Não aguentando mais se segurar, Jimin abriu espaço entre os braços do mais velho e se sentou em seu colo olhando diretamente para o rosto do jogador. Jungkook apenas o olhou com espanto. Como se aquilo fosse algo inocente Park ainda ajeitou o corpo sobre as pernas grossas do outro..

—Vai me dar atenção agora?

—O que está fazendo? Se o Taehyung aparecer isso vai ficar mal entendido.

—Se ele aparecer. Ele não vai aparecer e você sabe disso… Só vim ter um momento com você e nem atenção estava me dando, então tive que fazer alguma coisa. Eu sei que estou sendo tremendamente egoísta, mas o que sinto por você é muito mais forte que minhas vontades.

—Jimin isso pode acabar saindo do controle.

—Eu quero que saia - bebeu um pouco da taça cheia oferecendo em seguida para Jungkook que depois de muita insistência aceitou, porém bebeu pouco. Bebendo um pouco mais até esvaziá-la completamente, Jimin pega a outra — de novo, só mais um golinho.

—Não, eu já tô muito bêbado não dá nem pra enxergar você direito.

—Não amor? - o desejo que consumia o mais novo já havia falado mais alto.

—Não - Jungkook estava perdido em suas razões — se eu beber mais as coisas podem piorar.

—Só mais um vai… - Jimin entregou a taça em suas mãos e depois pegou a garrafa, iria beber, era gostosa aquela sensação quente que o vinho deixava por dentro. Em goles grandes bebia, vinho já havia começado a escorrer pelo canto de sua boca.

—Ei para - Jungkook colocou sua taça já vazia sobre a mesa e tomou a garrafa do baixinho — o que tá fazendo?

—Me beija Jungkook - já próximo dos lábios finos, Jimin apenas os beijou, só não esperava ser correspondido com tamanha voracidade, Jeon com os braços nas costas do mais novo apenas o puxou ainda mais para si.

Foram longos minutos de beijo, Jimin não perdeu tempo, aproveitou a distração e de pouco em pouco abria os botões da camisa preta de Jungkook deixando-a descer pelos ombros até o próprio Jeon soltá-la de seus braços. Com curiosidade apertou a cintura fina do baixinho. Taehyung tinha uma cintura bonita, mas não tão delicada quanto a do mocinho. Jimin tinha um físico delicado, frágil e perdidamente apaixonante, Jungkook só reparou isso quando tirou do corpo do menino a camisa manga longa.

—Você tem pegada, e ela é gostosa - sussurrou sensualmente aos ouvidos do jogador — se importaria… Se eu… - sem terminar a frase voltou a pegar a garrafa, mas de um jeito novo. Com uma mão apoiada sobre o abdômen e a outra segurando a garrafa de vinho fazia movimentos sobre o colo do mais velho que apenas olhava para o teto soltando suspiros de prazer. Park voltou a beber entre um som e outro.

—Caralho…

Abandonando a boca da garrafa Jimin respondeu:

—Shhhh - passou a língua na extensão do pescoço do mais velho e parou o rebolado — quer mais? - Jungkook o olhando não perdeu tempo em beijá-lo novamente.

—Levanta - ordenou. Sorrindo, Jimin obedeceu. Ganhou mais um beijo depois que já se encontrava de pé. Abraçando Jungkook por trás, o seguiu. Cambaleando pela casa em direção ao quarto, o jogador se apoiou na porta balançando a cabeça como se quisesse ficar lúcido de uma hora pra outra. As camisas continuavam no chão da cozinha.

—Tudo bem amor? - Jimin sempre por perto, rolou os braços em volta do corpo do mais velho e beijou seu ombro colocando a cabeça apoiada depois.

—Preciso tomar um banho.

—Levo você até o banheiro, vem - ajudou-o a ir, e lá Jungkook se trancou. Jimin um pouquinho zonzo olhava o quarto, um ambiente romântico, reparou também as fotos na parede acima da cama, nelas, os dois pareciam felizes. Sorriam. O álbum no canto da cama ganhou sua atenção, entre as páginas, uma tesoura. Passou minutos olhando aquelas fotografias que não reparou Jungkook de toalha procurando o que vestir.

—Taetae, cadê minha camisa azul?

—Ele não está aqui amor, eu estou. 

—Pensei que já tinha ido embora.

—Não. Eu não quero ir - colocou o álbum de fotos na última gaveta de baixo da cômoda perto da cama - vem senta aqui.

Ainda atordoado obedeceu. Sentou de costas.

—Tá ficando tarde, você precisa ir.

—Ainda não terminamos o que começamos - subiu na cama de joelhos, erguendo as mãos suavemente sobre as costas frias do mais velho por causa do banho recém tomado — eu quero mais uma coisa sua Jungkook.

Teve um silêncio no ambiente. Jeon deu um suspiro profundo ao sentir a mão do mais novo tocar sua intimidade por cima da toalha. Por mais que não quisesse se render, estava por um fio, era só mais uma provocação e tudo saía do controle. O pior era que parecia que Jimin sabia disso, e com uma frase sussurrada no ouvido, Jungkook não se conteve.

Voltou a acatar os beijos deixando a boca do baixinho como da primeira vez, maltrata com tanta pressão.

—Adoro seus beijos… são únicos pra mim - a esta altura, já havia tirado a roupa e esperava apenas o jogador se desfazer da toalha que não caía da sua cintura por nada. Abraçando o tronco do corpo alheio com as pernas, Jimin a tirou com o pé e finalmente ela cedeu ao chão escorregando dos lençóis.

Jungkook tinha um físico másculo, bem mais másculo que Jimin, melhor dizendo, Jungkook era grande. E Jimin pequeno. Baixinho e pequeno. 

Beijos pra cá, e beijos pra lá a ponto de já se acostumarem com as línguas invadindo ambas as boca. Jimin agora se encontrava por cima do mais velho tendo todo contato liberal com seu corpo. Com a cabeça afundada entre os travesseiros, Jeon tentava conter seus sons apertando a cintura do baixinho entre as mãos. Estava gostando. Não estavam fodendo, mas a sensação do seu pau se encaixar entre aquela farta bunda, era de delirar.

—Você gosta… não gosta?... - indagou o baixinho, doce entre um gemido e outro.

—P-porra! 

—É você tá gostando - suspirou pesado — e-eu também Kook…

Um celular tocou no meio daquilo tudo.

—É o Taetae. Eu preciso atender - estendeu a mão para pegar o aparelho da cômoda que tocava.

—Não, deixa tocar… - segurou a mão do Jungkook impedindo-o de pegar o celular.

—J-Jiminnie…

—Não acha que tá na hora de me foder? - com as duas mãos apertando o abdômen do rapaz, levantou um pouco as nádegas — vai… me ajuda.

—Jiminnie…

—Vai - passou novamente a língua pelo pescoço do mais velho — vai Kook… me fode gostoso.

Cedeu um tapa na bunda do mais novo. 

—Vai, tá esperando o que?

Com as mãos deslizando curiosamente sobre as pernas dobradas do baixinho parando nas coxas, Jeon o ajudou a colocar pau centralizado para que pudesse descer sobre ele. Jimin sonhou tanto com esse momento, assim que foi descendo devagar e tudo já estava para dentro, olhou fascinado para Jungkook. O jogador suava, xingava e se contorcia.

—Isso Kook… - esqueceram completamente do telefone que já tocava pela terceira vez — qual é a sensação de estar dentro de mim? Hum? Me conta…

Mais uma vez voltou os típicos rebolados do Park. Não aguentando mias essa imensa tortura, Kook pediu para parar e que se deitasse no lugar que antes estava. Rolou as pernas em volta da cintura do mais velho e com as mãozinhas, Jimin cravou as unhas médias pintadas com um rosinha suave, nas costas do jogador afundando em sua pele sentindo arder, a cada estocada que Jungkook dava no interior do baixinho, as unhas entravam mais nas suas costas.

Bateu na parede em busca de apoio e dela, arrancou sem intenção algumas das fotos recém grudadas do casal, mas no momento isso não importou. Estava ocupado demais proporcionando prazer ao garoto que tanto dizia o amar.

—K...kook… m-mais, mais amor mais - suplicava desesperadamente, e dando uma de bonzinho Jungkook apenas realizou-lhe o desejo. Deu-lhe mais.

—Você é gostoso Jiminnie, muito gostoso.

O celular de novo insistia em atrapalhar o clima, Jeon então o pegou e jogou no chão onde parou próximo à porta do quarto. E se calou. A única coisa que queria ouvir e bem ouvido, era os gemidos do mais novo.

Aquele momento só teve fim, após ter se desmanchado no interior do baixinho que transbordava em suor, com uma mordida nos lábios, puxou Jeon pela nuca para mais um beijo.



Notas Finais


Bye bye. NÃO ME XINGUEM.

se não eu não volto mais rum 💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...