História Tortura Quase Mortal- continuação - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Novos Titãs (Teen Titans)
Personagens Dick Grayson (Asa Noturna), Garfield Logan (Mutano), Koriand'r (Estelar), Rachel Roth (Ravena), Victor Stone (Ciborgue)
Tags Robstar
Visualizações 9
Palavras 1.234
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Luta, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa Leitura

Capítulo 4 - Desespero


Fanfic / Fanfiction Tortura Quase Mortal- continuação - Capítulo 4 - Desespero

Pov Kory On

Ao voltar para o ponto de encontro, fico ali esperando os outros voltarem, olho para todos os lado mas não vejo nada mais além do imenso e escuro oceano, a escuridão parece ter tomado conta, os corais parecem mortos, completamente sem cor, até os peixes parecem nadar de forma melancólica, oque esta acontecendo? Por que tá tudo diferente? Por que tá tudo tão...triste?

???: Estelar!

Me assusto e olho para frente onde vejo a cápsula de Robin parada a minha frente.

Robin: Ta tudo bem?

Eu: Não...vamos embora...eu to com medo.

Robin: Medo? De que? Você viu alguma coisa?

Eu: Acho que vi um gordanianos.

Robin: Aqui?

Eu: Sim, me leva pra casa, por favor.

Robin: Calma Star, mesmo que tenha um gordanianos aqui eu não vou deixar ele te machucar e além do mais temos que esperar os outros.

Eu suspiro pesadamente e abaixo a cabeça.

Robin: Por que não falamos de alguma outra coisa enquanto eles não chegam?

Eu: Pode ser.

Robin: Eu estava pensando em te levar em Gotham para conhecer meu pai, meu avô e minha mãe, oque acha?

Eu: Parece ótimo, mas... seus pais não morreram?

Robin: Meus pais adotivos Star

Eu: Ah sim, deve ser legal ter um outro alguém para chamar de pai e mãe.

Robin: Você tem o Galfore né?

Eu: Bom...sim ele meio que foi meu pai, mas só até meus oito anos depois disso...você já sabe da história.

Robin: Sei...Ei, vou te apresentar uma outra pessoa.

Eu: Quem?

Robin: A Donna?

Sinto um ciúmes dominar meu corpo.

Eu: Quem é essa?

Robin: Donna é minha amiga de infância, praticamente minha irmã, ela é parceira da Mulher Maravilha, você vai gostar de conhecê-la.

Eu: Hum...e você e essa Donna já namoraram?

Robin: Oque? Não, claro que não, Donna é praticamente minha irmã.

Sinto toda aquela raiva se esvair, mas de onde veio? E por quê? Eu não costumo ser assim ou sentir ciúmes dessa maneira, a menos que alguém esteja explicitamente dando em cima dele.

Robin: Star?

Eu: Oi? Desculpa.

Cyborg: Oque que tá pegando casal Titan.

Robin: Nada.

Mutano: Quem nada é peixe

Aqualad: E eu!

Mutano: Agora fala, oque tá rolando.

Robin: Nada! Caramba eu não posso nem conversar com a minha namorada sem vocês darem uma de intrometidos!

Ravena: Vírgula no “vocês”

Robin: Você é a única que salva Rea.

Eu: Podemos ir pra casa agora?

Sinto novamente uma ponta de ciúmes me invadir ao ver Robin usar um apelido com Ravena, um apelido que ele costumava usar todo dia.

Cyborg: Vamos lá!

Nós voltamos para casa pôs nos despedirmos de Aqualad, eu ainda estava com raiva, por isso nem esperei Robin para conversar e já fui indo para meu quarto, alguns minutos depois o ouço bater na minha porta.

Robin: Tá tudo bem com você minha borboleta?

Eu: Tudo ótimo!

respondo de forma ríspida.

Robin: Então eu posso entrar?

Me levanto da cama e abro a porta, volto para meu local de aconchego em seguida.

Robin: Star, oque houve?

Eu me sento na cama o encarando com raiva.

Eu: Por que chamou a Ravena daquele jeito?

Robin: De que jeito?

Eu: De Rea.

Robin: Mas eu sempre a chamei assim.

Eu: Aham, tá bom!

Digo num tom de ironia.

Robin: Estelar oque tá acontecendo com você? Por que todo esse ciúmes? É só um apelido que eu uso, você usa, o Cyborg e o Mutano também usam!

Eu suspiro buscando me acalmar, eu não consigo mentir para ele.

Eu: Eu não sei, desde que tive aquele sonho, qualquer coisa que envolva você e outra garota já me tira do sério!

Ele vem até mim e se senta ao meu lado, sinto seus braços passarem por cima de meus ombros e me puxarem para um abraço seguido de um beijo na cabeça.

Robin: Não precisa disso Star, eu não vou te deixar nunca, sabe por quê?

Eu nego com a cabeça.

Robin: Porque eu te amo Koryand’r.

Sinto meu coração bater mais forte, ao encarar meus lençóis de cama, os mesmo parecem ter assumido um tom de lilás vivo, até o sol brilhou mais forte após ouvir isso. Eu levanto minha cabeça com um sorriso no rosto e encaro o mascarado a minha frente, ergo uma de minhas mãos até seu rosto e retiro sua máscara, não era a primeira vez que eu encarava aqueles olhos azuis, porém sempre que os via sentia meu estômago revirar.

Eu: Eu também te amo Richard!

Ele sorri e me puxa para um beijo terno e carinhoso, nos deitamos em seguida e a intensidade dos beijos se elevam, em pouco tempo já estávamos apenas com as roupas de baixo, minhas mãos subiam e desciam por seu abdômen enquanto as dele apertavam minha coxa e depois...acho que sabem oque aconteceu.

Quebra de Tempo

Acordo completamente nua na cama, mas não vejo meu parceiro ali comigo, ele deve ter ido investigar sobre o Slade. Me sento na cama segurando o lençol para que não caia e revele meus seios, olho pela janela e posso ver que a lua já brilha no céu, dou um longo suspiro ao me lembra dos momentos que a pouco aconteceram, permito que um sorriso invada meu rosto ao lembrar das carícias de meu namorado para comigo.

???: Sorrindo sozinha princesa?

Eu me viro rapidamente e vejo a mesma silhueta que havia visto mais cedo no oceano.

Eu: O-oque você quer?

Gordaniano: Oque eu quero, bom...é óbvio que eu quero você!

Eu tentei me levantar para correr mas minhas pernas estavam pesadas, eu não conseguia me mover, tentei lançar meus starbolts contra aquele monstro mas...nada, nada saia, mesmo com toda a fúria que sentia, tentei pensar nos meus momentos com Robin para tentar voar para longe dali, mas nada me veio à mente, apenas um branco imenso.

Gordaniano: Patético, como sempre foi, como sempre será! Vamos voltar para o seu lugar, princesa!

Eu: Não, não, NÃO!

Sonho off

Eu:NÃÃÃO!

Sento me na cama ofegante, sem me importar o lençol cobria meu busto ou não, eu só queria chorar, eu estava aterrorizada, eu me sentia inútil e vulnerável, e mais uma vez tudo perderá a cor.

Robin: Star, oque foi?

Eu olhei para o lado e vi meu parceiro, me olhando assustado, provavelmente acordará com meu grito, posso ver que ele assim como eu usa apenas o lençol para se cobrir e está sem máscara, ou seja ele não havia saído daqui.

Eu: Robin: Foi horrível, ele estava aqui e queria me pegar, ele ia me pegar! 

Ele me abraçou.

Eu: Eu tive tanto medo!

Eu desabei a chorar ali mesmo, sem me importará com oque pensariam de mim, se me achassem fraca que se dane, eu só sabia que precisava daquilo.

Robin: Pronto, Star, já passou, minguem vai te pegar ou te machucar Star, eu vou te proteger de qualquer um que tentar.

Sinto suas mãos subirem e descer pelo meu cabelo, logo em seguida ouço batidas na porta, me agarro ao tórax de Richard que apenas se vira pra porta e diz.

Robin: Tá tudo bem, ela só teve um pesadelo.

Ouço passos se distanciarem e em seguida sinto meu corpo deitar na cama, Richard me colocará sobre seu peito e não me soltou do abraço, o mesmo continuou a afagar meu cabelo até que eu adormecesse de novo.

Continua...

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...