1. Spirit Fanfics >
  2. Touch-me - Clace >
  3. Epílogo

História Touch-me - Clace - Capítulo 56


Escrita por:


Notas do Autor


to tremendo ai mds
Tô nervosa como se fosse a primeira vez

Capítulo 56 - Epílogo


Londres city, Jace Herondale, segunda-feira, 12 de junho, 2023.

09:13 AM

Quando acordei, Clary já havia saído da cama. Ouvi barulho no quintal, me levantando e indo ver o que era.

Sorri para a cena, Clary brincava de cabo de guerra com o Luke, enquanto os filhotinhos rodeavam seus pés. Uma cadelinha havia sido abandonada perto daqui. O que aconteceu é que Luke engravidou a pobre Shenny, qual Clary escolheu o nome. E a cadelinha teve oito filhotes, todos malhados, todos e saudáveis.

Eu e Clary ficamos um ano noivos, casando logo no início do próximo ano. Então a nossa lua de mel foi em Londres, uma casinha mais reservada, no meio do mato. Uma casa térrea com um quintal enorme e muita tranquilidade. Era para ser assim no início, mas eu e Clary nos apaixonamos por esse lugar e agora moramos definitivamente aqui. Com muitos cachorros e três gatas - Pauline, obviamente - e mais duas que eu dei de presente quando fizemos um ano de casamento. Sophie e Kate, uma era rajadinha, e a outra pretinha, como Pauline.

Mudei a sede principal da empresa para cá, e Clary começou a arquitetar projetos e montar hotéis. Então nos últimos meses estava trabalhando em um resort, algo realmente enorme, passava horas desenhando e pensando.

Abri a porta do quintal, a qual tinha uma gradinha para os cachorros não entrarem. A casa não era grande, e dez cachorros conseguiam fazer estrago. As três gatas tomavam Sol. Uma sentada no banquinho que havia ali. E as duas outras no chão. Clary continuava brincando com Luke, ele rosnava e puxava. A ruiva ria.

-- Ei, cuidado aí. - Abracei-a por trás, pegando a corda de sua mão. - Não queremos que se canse demais certo?

Ela se virou, com um biquinho.

-- Eu estou grávida, não doente. - Ela mostrou a língua.

E nos últimos meses... Clary ficou grávida normalmente. Esperávamos um menininho, ela estava com oito meses, uma barriga enorme e linda, e com muita disposição. Marcus - nome do meu avô, o qual Clary fez questão de colocar - iria nascer em uma semana. Então eu peguei folga.

-- Está carregando o meu tesouro e tem que ter cuidado. - Disse novamente, jogando a corda longe. Luke correu atrás do brinquedo, seus filhotinhos foram atrás.

-- É meu tesouro também! - Disse ela, me abraçando e rindo.

-- Da próxima vez, se for uma menina eu quero Violet. - Disse, contra seu pescoço.

-- Próxima vez? - Ela riu.

-- Acha que eu vou parar no primeiro? - Provoquei e mordi sua orelha.

-- Violet... - Ela arfou. - Quando eu a abracei por trás, beijando seu pescoço. - É um nome... lindo... - Gemeu, encostando na porta fechada, virando o pescoço mais para o lado.

-- Uhum...

-- Eu quero outra... para chamar de Imogen... - Ela se esfregou contra mim, me fazendo rosnar, guiando-a para dentro da casa entrando pelos corredores.

-- A cada dia eu me apaixono mais por você. - Disse, quando chegamos no quarto, tirando sua camisa de pijama. Branca com escritas em rosa "Mãe de quatro patas e muito feliz", seus seios fartos, inchados pela gravidez ficaram expostos. Eu a deitei na cama, beijando os mamilos já duros.

-- Huumm... eu gostei disso. - Ela disse com os olhos semiabertos. - Eu gosto de fazer filhos com você.

-- Eu também.

Rimos. Rolando na cama nos livrando das nossas roupas, começando uma manhã da forma certa

》 《

2030

-- A Senhora Herondale e seu filho estão entrando, senhor. - Fui avisado pela secretária.

-- Ok. - Disse, desligando o telefone.

Em segundos a porta se escancarou e meu filho veio correndo até mim. Me levantei, agarrando o pequeno em um abraço apertado e colocando no meu colo.

-- Papai! - Disse ele.

-- Oi, filho. - Ri.

-- Você não vai acreditar o que o Marcus fez. - Minha esposa fuzilou Marcus, que se encolheu no meu colo. Segurei a vontade de rir. - Eu tive que sair do meu trabalho e ir buscá-lo na escola porque ele jogou sabão e água no banheiro todo! E o diretor escorreu! Que vergonha, Marcus Herondale! Que vergonha!

-- Você fez isso? - Olhei para Marcus, ele estava quieto e sério.

-- Eu não gosto do tio! - Ele cruzou os bracinhos.

-- Eu também não gosto dele. - Me virei para Clary.

-- Dá para me ajudar?! - Clary cruzou os braços, furiosa. Dava para ver que havia saído do trabalho. Estava com uma saia social preta, saltos e uma camisa de botões brabca e preta, estampada, As mangas dobrada na altura dos ombros.

-- Eu vou conversar com a mamãe e ver seu castigo. - Disse a ele.

-- Mas papai... - Ele fez cara feia, ficando emburrado.

-- Sem mas, ok? Você errou. Pode ficar com o tio Jordan na sala ao lado, ele te adora.

-- Ah, não, papai! - Marcus iria começar a fazer birra quando o coloquei no chão.

-- Marcus Herondale Fairchild eu vou contar até três! - Clary bateu o sapato no chão.

O menino saiu chorando da minha sala. Eu fiquei com o coração partido.

-- Ei, calma, okay?

-- Calma?! - Ela gritou. - Ele fez o diretor cair! O diretor, Jace!

-- Ele ficava olhando para sua bunda, bem feito. - Dei de ombros.

Ela revirou os olhos.

Ela suspirou e esfregou o rosto, bufando. Parecia exausta.

-- Ei, tem certeza de quê quer trabalhar, cuidar da casa e do Marcus? Eu posso ficar menos na empresa, te ajudar mais. - Disse pegando-a pelos braços puxando e abraçando, a ruiva deitou a cabeça no meu peito.

-- Isso seria ótimo. - Ela suspirou.

-- Fica feliz em ajudar, Ariel.

-- Principalmente agora, não é? Já que eu vou ter que dar um jeito de enfiar mais um quarto naquela casa. O quê acha de aumentar o corredor? É uma boa não?

Franzi o cenho.

-- Para quê arrumar a casa? Ela está boa do tamanho que está.

-- Marcus não vai querer dividir o quarto. - Disse ela, analisando meu rosto.

-- Dividir o qu...? Espera aí. - Me afastei, pegando-a pelas mãos. - Você está?

-- Grávida? Sim. - Ela sorriu. - Surpresaaa! - Disse desanimada e divertida.

Eu ri, abraçando-a e tirando-a do chão.

-- Isso é maravilhoso, meu amor. - Segurei seu rosto e a beijei. - Jamais desejaria mais. É a melhor vida que alguém poderia querer.

Ela acariciou meu rosto e me beijou.

-- Eu te amo.

-- Eu te amo mais. - Disse contra seus lábios.

》 《


2040 Clary Fray

-- MÃE A VIOLET TAVA NO MEU QUARTO! - Berrou Marcus.

-- MENTIRA! - Gritou Violet de volta.

-- MÃE O MARCUS TA GRITANDO E EU NÃO CONSIGO VER TV! - Gritou Imogen.

-- Que gritaria é esse em pleno domingo?! - Jace atravessou o corredor, chegando a sala, onde eu fazia carinho em Clary. Conversava com Izzy. Ela e Simon tinham se casado há dez anos, e Alec e Mag há oito. Sebs estava noivo de Seelina. Izzy grávida de trigêmeos e Alec e Magnus em processo de adoção.

A vida de cada um tomou um rumo, mas sempre nos víamos nos feriados e nos falávamos sempre.

-- Para você ver. - Bufei.

-- Quem continuar gritando vai ficar sem celular. - Avisou meu marido. Analisei-o. Estava de pijama, a barba por fazer e descabelado. Com certeza havia acabado de acordar.

-- Mas paiiii... - Resmungou Violet.

-- A enxerida da Violet estava mexendo nas minhas coisas de novo!

-- Shhhiuuu! - Imogen aumentou o volume da TV.

-- Ele guarda bala escondido! - Violet levantou um pacote de... camisinha.

Marcus corou e ficou sem saber o que falar. Eu arregalei os olhos e Jace ficou sem reação.

-- Isso é camisinha, Vi. - Disse Imogen.

-- Como raios você sabe o que é isso?! - Praticamente gritei.

-- Você disse para o papai guardar um igualzinho no banheiro de vocês. - Disse a cara de pau.

Meu rosto estava em chamas, Jace ficou desconfortável.

-- Pai! Mãe! - Gritou Marcus. - Meu Deus!

-- Achou que vinha da cegonha? - Jace ironizou.

-- E não foi? - Violet franziu o cenho.

-- Pelo amor de Deus. - Me encolhi na poltrona, querendo sumir.

》 《

2044

As gêmeas haviam voltado da escola. Elas eram completamente diferentes uma da outra. Marcus voltou bufando.

-- Mãe a Violet tava beijando um garoto na saída! - Marcus, a dedurou.

-- A Imogen tava com outro garoto! - Apontei Violet a Imogen.

-- Não. Ele não era um garoto. Ele não se identifica como um. Ele gosta de ser chamado de Angela. Respeita ela! Ok?! - Imogen cruzou os braços. - E não é qualquer uma. Nós namoramos.

-- Oi? - Franzi o cenho.

-- Quem merda ta namorando e quem beijou a minha filha?! - Jace levantou da mesa da cozinha. As gêmeas ficaram brancas.

-- P-P-Paizinho! - Violet gaguejou. - Não é nada do que você está pensando...

-- Até porque o Marcus se atrasou para buscar a gente porque estava com uma garota. - Imogen dedurou de volta.

-- Vocês são um bando de x9. - Disse Marcus.

-- Você não é?! - Violet cruzou os braços.

Jace estava de punhos cerrados.

-- Eu só vou fazer uma pergunta. - Disse, ficando de costas para Jace. Impedindo-o de chegar até as crianças. - Gostam das pessoas que estão?

Eles assentiram, intimidados pelo olhar furioso de Jace que eu sentia nas minhas costas.

-- Pai o menino pegou na bunda da Violet! - Marcus disse rapidamente, apontando para a irmã em si.

-- O QUÊ?! - Jace rugiu, me dando um susto.

-- Você tava transando com a tal de Maria e não tava fazendo trabalho da faculdade! - Disse ela de volta.

-- Eu também ouvi. - Imogen disse. Ela e a irmã fizeram um hi-ve.

-- Eu odeio vocês. - Disse ele.

-- Marcus Herondale...

Jace continuava a ficar cada vez mais furioso.

-- Chega, cada um para o seu quarto e chega disso! - Disse. Os três voaram para os quartos.

Jace estava roxo de ódio, bufante. Eu não aguentei e ri.

-- Tá rindo de quê?!

-- Calma, loirinho, ta tudo bem.

Ele revirou os olhos.

-- Eu estou indo para o quarto, não quero ninguém lá.

-- Está me mandando dormir no sofá?! - Gargalhei, enquanto Jace atravessava o corredor.

-- Pode ser no tapete. - Resmungou, entrando no quarto e fechando a porta.

Eu tive uma crise de riso.

》 《

2045 Jace Herondale

Eu e Clary estávamos deitados na grama do quintal, olhando as estrelas. Eu comecei a tocá-la, meu cotovelo, braço... ombro...

-- O quê foi? - Seu sorriso era a coisa mais linda que eu poderia ver em toda a eternidade.

-- Eu acho que gostamos de nos tocar. Tocar um ao outro. - Disse.

-- O toque é algo mágico. - Disse ela.

-- Toque-me. - Sussurrei.

Ela espalmou as mãos no meu peitoral, fazendo carinho.

-- Sabe qual é parte mais intensa e maravilhosa disso tudo? - Perguntei.

-- Qual?

-- Eu me apaixonei pelo jeito que você me tocou sem usar as mãos. - Murmurei, abraçado a ela.

-- Toque-me. - Sussurrou de volta. - Toque-me.

Touch-me



Notas Finais


TO GUARDANDO MEU TEXTINHO PRO CAP 60
ent nada de notas da autora e agradecimentos emocionantes
AINDA NÃO
Então ñ abandonem a história pq tem mais quatro caps de bônus e cenas excluídas em

Amo vcs demais

Tamo junto ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...