História Towards Paradise( Imagine Kim Taehyung) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts(bangtan Boys), Fluffy, Imagine, Imagine Bts, Imagine Kim Taehyung, Imagine Taehyung, Imagine V, Jeongguk, Jungkook, Kim Taehyung, Romance, Taehyung
Visualizações 17
Palavras 3.152
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Annyeonghaseyo,pessoal! Fanficzinha nova por que me bateu criatividade rsrs
S/N ; Seu Nome, mais precisamente você ;-)

Capítulo 1 - "Prologue - Longing for calling"


Eu caminho ao lado de alguém,e esse alguém caminha ao meu lado,

Este alguém é a parede e o por que de tantos obstáculos em meu sonho,

Este alguém é o conflito de um conto de fadas que poderia ter se transformado nas primeiras linhas e talvez

até nas últimas.

Esse alguém é interno,não pode ser visto. Porém,quando sentimos que ele caminha ao nosso lado,

não há maneiras de contradizer ou caminhar até uma porta que pode contornar a situação.

Ele é o deslize para um precipício sem fundo e desconhecido,onde lá o que for visto,jamais foi contado.

Alcançar e dar dois passos para que incie uma nova ou um recomeço para uma nova jornada,também nunca foi difícil,

enquanto pisamos no mesmo local onde este alguém pisa,nós traz a necessidade de afastar-se do que houver em relação a 

está pessoa,e culpar tudo apenas para retirar o peso de seus ombros 

você quer culpar alguém na tentativa de se recolher em seu próprio manto protetor onde as dificuldades não lhe atingem 

e o lugar onde possa se manter afasta do desconhecido e inesperado.

UCRONIA: Talvez seja está palavra que me incomoda,a palavra que define as situações onde vivo e quero viver. Me perco nesta palavra a cada tentativa em que quero saber do por que não tive coragem ou tomei iniciativa,queria poder culpar alguém pelos meus atos infantis,para manter-me acolhida em um escudo protetor para que jamais algo interfira meus pensamentos,e que a maturidade que me assombra não chegue de forma inesperada e os problemas que me atingem não venham a acontecer sem tentativa de resposta ou acerto,onde apenas o cérebro pode controlar ou deixar de controlar para que,em desespero tudo se resolva antes de abrir e demostrar,lidar e suportar,dentre três portas eu escolhi e em tentativa mútua de dar as costas,eu esteja que lidar com isto.

Ucronia é a palavra que descreve o imenso terror que assombra meus pensamentos,de maneiras alternativas,ucronia é o sentimento involuntário relevante que sentimos sob este mundo onde vivemos. Das maneiras seguintes,ucronia também é baseados nos "E se...",em nossas histórias,trazendo consigo viagens de um ato(histórico e não) que conseguem tomar rumo e seguir. É o passado e o futuro próximo que deveria ou não ter acontecido. Em minha cabeça,eu navegava longe da realidade onde aparentemente estava e meu remo tomava rumo a tempestade de sentimentos que eu guardava e irei guardar.

Mais uma vez,longe da multidão apressada que em todas as devastas vezes enchiam-se semanalmente todas as sextas-feiras. Hoje seria mais um dia rotineiro e costumeiro,normal sem surpresas ou coisas inesperadas,como estudante de colegial,era óbvio que eu sempre esperava algo interessante e surpreendente ilegal acontecesse,mais era óbvio que também nenhum SuperMan iria aparecer de repente do chão dizendo que eu seria uma super-mulher maravilha. Mais eu também tinha a esperança que talvez eu pudesse bagunçar um pouco minha rotina matinal,e fazer coisas diferentes ao dia,porém quanto mais pensava nisso meu lado pessimista falava mais alto e deixava as coisas como estão e deveriam ser. E puta merda! O que eu faria se eu conseguisse arranjar algum tempo para fazer algo? Eu acho que a opção de ficar incontáveis horas deitada na minha consideravelmente confortável cama não era algo que eu já não faria em todas as minhas seguintes e passadas noites,e não seria plausível e que uma garota quando quer ter boa forma deveria estar se exercitando,mais parece tudo tão difícil.

Meus olhos imploravam por piedade e descanso o que já não era muito transparente e já mostrava o quão devastada e fora de equilíbrio eu esteva naquele momento,minhas olheiras demostravam tudo de uma noite inteira acordada e o pior de tudo isso era que tive que me esforçar para não dormir(ou desmaiar) no balcão de minha melhor amiga. Tudo o que eu queria neste universo era café,mais neste dia tão agitado duvido quaisquer movimentos a minha pessoa,meus olhos que tanto ardiam pareciam petrificados e eu não conseguia sequer piscar,parecia até mesmo que eu havia visto Medusa,porém o ocorrido ainda estava muito pior. Ansiar noites também não foi muito bem planejado, e decidi que deveria me manter ou permanecer afastada de meu celular por séculos,mais duvidava que isto acontecesse.

Minha melhor amiga,Sook estava correndo para lá e para cá,e apesar de querela ajuda-lá,não estava em condições já não muito boas já que minhas pernas permaneceram fixadas no mesmo local,dormentes,e todo movimento para mim parecia um sacrífico a ser feito. Por mim,a qualquer pessoa que aparecesse por ali e me visse consideraria-me uma morta-viva ambulante na qual a existência era um crime ambulante.

E pra piorar a situação,eu já não estava no local menos agradável do mundo,permanecer ali sem fazer nada parecia um alívio porém para mim,parecia uma obrigação a ser feita,também muito piores que os trabalhos de educação física,tinha que me manter em pé e ajudar minha melhor amiga,mais até para isto eu era insignificantemente inútil e desleixada,a cada movimento preciso era como se me colocassem dois pesos,ou milhões de pesos sobre minha perna. Eu não era assim,definitivamente se tivesse em boa forma definitivamente que estaria correndo por aí suando,minha personalidade forte nunca que iria me manter deste jeito desagradável,eu precisa correr,pular e fazer o mínimo de movimentos estúpidos para que eu sinta que realmente estou fazendo algo bom só para gastar o tempo e livrar-se dos problemas.

Logo,minha amiga,se aproxima de mim com um sorriso de enfeite de lábios. Suava ofegante mostrando o esforço e dedicação de um trabalho bem-feito. Minha amiga trabalhava em uma confeitaria de doces,e por mais que eu tentasse entender,ela amava o local,mesmo com os convidados idiotas que iam e vinham para bajula-lá e saiam sem comprar coisa alguma com a desculpa de " opss! Não vi a hora passar gata,você é um sonho" e depois disso,visitava semanalmente aqui e sempre vinha e ia com as mesmas conversinhas enfarrapadas. Há não ser pelo aroma que exalava a um sonho realmente realizado e o jeito das decorações,que por si eram muito belas e magníficas também muitos originais,que vão longe de meus conhecimentos eu geralmente não prestava atenção em mais nada,ou talvez em mais nada,quem sabe.

--Amiga,que cara é essa?-- Minha melhor amiga que seguiu em minha frente comentou enquanto retirava algumas coisas que estavam sobre o balcão-- Tá com uma cara de quem comeu e não gostou,linda. Quer desembuchar?

Eu estava até distraída demais para prestar atenção nas palavras da Sook,que só depois de reouvi-las e ouvi-las em minha própria mente foi que a pronuncia das palavras que saíram de seus lábios tivesse formado alguma coisa para eu processar e interpreta-las da melhor maneira possível sem que eu faça o papel de boba e diga para a mesma repetir.

-Nada--Digo,claramente mentindo,e a mesma que percebe faz uma expressão debochada arqueando as sobrancelhas claramente demonstrando que realmente eu não havia( e nem tinha) ficado convincente para a mesma dar as costas a situação. Sook que tinha a calmaria de uma maré e a paciência de uma mãe,foi devolvendo-me mais uma pergunta.

-Ah,então é assim? Amiga,é claro que tu não tá batendo bem,né --- Diz a mesma afirmando que não era apenas um nada que iria lhe contentar a ficar calada-- Não adianta colocar a carroça na frente dos burros,gata. Remo não se rema sozinho e é por isso que eu quero te ajuda,é claro que tu tá morrendo e eu não sou advinha. Eu sei que tu morre de vontade pra me conta então para de cuzinho doce e me fala o que tá rolando com a minha piranha.

Ela diz alto demais para quem estivesse longe pudesse ouvir virando-se para ver quem pronunciava as palavras,e eu apenas ignoro a situação. O que foi inútil,por que eu já tinha a ideia de quem matar e enterrar sem que me pegassem após sair daqui,e... Puta que pariu,é claro que eu queria ter um revólver agora para poder mirar em cada cabecinha curiosa que decidisse que os ouvidos haviam uma utilidade quando era fofoca.

-- Ei! Eu só tô com sono -- Disse,o que já era óbvio,já que aparentemente eu já estava debruçada e talvez até babando no balcão da mãe da minha melhor amiga. Porém,a mesma só me olhava como se quisesse alguma prova de minhas resposta,e como sempre em todas as situações eu não entendia onde ela queria chegar. Sinceramente? Sinceramente sendo sincera na maior sinceridade do mundo,o que ela esperava? Um discurso interminavelmente interminável cheio de tagarelice de Lluis Colet,que falava absurdamente sem parar durante santas 124 horas,hum? Impossível,e o pior é quando ela me olha com aquele olhar enigmático de uma fração simples de matemática. Absurdo! Que diabos ela queria que eu respondesse?

-Linda ---Novamente,ela abre aquele sorriso rancoroso de alguém de boa memória que quer vingança,do jeitinho dela,do jeito que ela planeja quando quer algo e faz para que consiga-- Quem não te conhece que te compre. Em terra de cego garota,quem tem vista é o rei se tu não quer ser a caça,outro dia será de caçador. Quem não quer ser lobo que não lhe vista a pele.--cantarolou.

E novamente joguei-me contra o balcão. Eu sinceramente não entendo quando ela fala assim! Seria tão fácil se ela começasse a agir e falar como um ser humano iria fazer,e não começar a agir como se lesse um dicionário complicado e difícil de língua portuguesa. Ela parecia mais um daqueles adultos amargurados com espinhas que sempre que entravam ocupavam nosso tempo e atingia também o ranking da tagarelice,e para piorar,falavam coisa com coisa e nunca explicavam nada,coisa que só adultos iram e só sabem fazer. E o pior que Sook só tinha dezoito,a minha idade! Eu ficaria surpreendida se ela fosse que nem eu: ama histórias,lê fanfics,adora o conhecimento,gosta de belas artes( até um quadro na vista de um pintor é espetacular),gosta de comida. Mais Sook tem uma personalidade indescritível e para piorar parecia um beco sem saída,ou pior,um maldito cofre de banco quando você é um assaltante é a polícia chega a aparentemente... Agora!
-- Sook,porra!-- Soltei um palavrão bem palavrão mesmo sem querer mais continuei tagarelando até não poder mais-- Fala comigo direito,sabe que não consigo te entender se parecer uma redação do vestibular escrita em grego!

--Aigoo,se ferradura trouxesse sorte,burro não puxava carroça não,gata!--Disse,batendo os pés,fazendo um barulho no mínimo e estridente,o que de leve soou aos meus ouvidos um tanto irritante e eu quase tive que me segurar para não pegar os malditos saltos que Sook usava e joga-lós para fora. Só não fiz o ato pois lembrei que Sook ganhará do namorado,SeokJin-- Amiga,só tô te dizendo que burra não sou para acreditar nessa sua falsa morte da bezerra,ô anta!

-- Primeiramente,para de me chama de anta se não arranco teu cabelo -- Continuei. Apesar de achar a ideia de arrancar os cabelos castanhos azulados de Sook engraçado,me mantive na posição de não agredir minha melhor amiga e esfregar a cara dela no asfalto sem que alguém veja-- Segundo,pau que nasce torto nunca de endireita,por isso eu dormi mal!

-Aff,anta -- Fuzilei-a,e a mesma não deu importância sabendo que no fim eu teria a merda da caridade de doar meu órgão para que ela acredite que eu possa,sim,perdoa-lá -- É o Jeongguk,né?

Quase soltei um pulo da cadeira onde estava,tive a quase sorte de não haver pessoas ao me lado para que eu possa jogar e fazer de bumerangue para acertar a cara da minha melhor amiga,endireitei-me no meu lugar e a olhei estupefata -- Como cê sabe?! Eu anda verifico se tem alguém me seguindo antes de ir para casa.

-Sabia!-- Gritou ela,dando pulinhos de ansiedade,e novamente,senti necessidade de dizer glória para que humanos,principalmente humanos como Sook,não pudessem sair voando por aí,se não a mesma já não estaria mais nem em contato ao chão,e sim,voando e cantando uma de nossas músicas favoritas -- O que ele te falou desta vez,hein?! -- E.. Puta merda! Eu senti necessidade de surgir uma porta e desaparecer no mesmo instante,e o fato da porta estar a malditos quilômetros de distância faz com que eu esteja invulneravelmente exposta e sem saída. Eu nunca senti a grande necessidade de,de repente,e historicamente e impossivelmente falando,de alguém surgir do nada,e olhar para expressão de Sook faz com que eu me cubra em meu manto esperando por suas perguntas maléficas e esquisitas,novamente me senti indefesa e sem tentativa de fuga,e saber de que,Sook já sabia sobre minhas ligações íntimas com Jeongguk faz com que eu me feche novamente,e ainda mais. 

-- Puta que pariu,Sook! O que você quer que eu fale?-- Disse,mais ainda controlando o tom da minha voz,o que foi falivelmente falho -- Que ele surgiu do chão e começou a me pedir em casamento? Sook,foi só uma ligação.

--Tá,legal amiga--- Falou ela transparecendo a curiosidade que ela ainda mantinha-- Mais tem que rolar algo. Qual é,quando foi que vocês se falaram? Semana passada,né? Todo mundo sabe que tu já se grudou com ele e emfim.. Mais ele tem que fala alguma coisa,né! Ou se só ficou calada,tipo,na chamada inteira?

Soltei o ar que prendi sobre meus pulmões,não esperava que havia segurado minha respiração,porém me mantinha calma,calma o suficiente para não sair correndo dali e me abraçar no meu cobertor macio. Meu rosto vermelho já demostrava que carne de burro não era transparente. E saber que minha melhor amiga,de fato,não era tapada o suficiente para saber que,sim,eu já me apaixonei por ele fazia com que,sim,tudo ficasse mais difícil. E puta merda! Por que eu ainda pareço acreditar em processar as seguintes palavras dela?!

-- Ele só falou que tava com saudades e todo aquele bagulho que melhores amigos fazem quando conversam pelo telefone-- Falei por fim,e eu pude perceber o brilho dos olhos dela desaparecerem,provavelmente comprovando e reprovando minha fala-- E ele também disse que iria voltar para Seul. Nada demais,né? 

Ela suspirou. A verdade é que,sim,eu já fui apaixonada por Jeongguk,o garotinho sorridente que amava tomar toddy,e parecia um coelhinho de tão fofinho. Só que como nas infinitas vezes,eu nunca fui boa de confessar meus sentimentos ou demonstra-lós,e isso consequentemente arrumou rumo no futuro. E então,um dia lá se foi uma de minhas paixonites passageiras do colegial,e agora eu só o via como um amigo,apesar de Sook acreditar que havia algo entre nós dois e tinha até uma teoria que ela mesma criou que nós saímos juntos,ou pior,de nós namorarmos as escondidas,mesmo dele ter ido para Busan.

-Gata,fica assim não,você tem que rebolar até o chão-- Falou ela,me reconfortando,o que já foi muito pra mim,já que como minha amiga ela permanecia nos horários bons e ruins não importa o rumo de minhas escolhas. E ela também sabia de minhas dificuldades e de meus medos e inseguros que vinham a tomar ação quando o preciso precisava ser feito-- Desanima não,que um dia você vai encontrar um garoto legal pra ti,tá? -- Sorri,não era bem isso o rumo da conversa que escolhi mais ainda assim, assenti. Apesar de estar com saudades da minha cama,não queria passar o resto do dia namorando com minha cama,a ligação de Jeongguk não havia nada haver com minha falta de sono. Ou talvez sim,talvez eu só queira não culpar Jeon por minha falta de sono e arranjar e que a desculpa perfeita seria que eu havia gastado meu tempo esperando mensagens insignificantes de uma insignificante pessoa. Porém,eu ainda ansiava e pensava sobre como eu iria encarar Jeongguk,não o via a muito tempo,e sendo um de meus mais íntimos amigos óbvio que a ideia de lhe ver era bastante contagiante,mais eu ainda,pelo menos,não estava preparada para para culpar a minha falta de sono,nesta minha noite não dormida.

Logo então,sai da confeitaria após conversamos bastante sobre bolos,comidas e tudo que envolva comida com cheiro e gosto doce que consequentemente façam minha barriga ficar maior e a balança pesar mais. A partir de algumas horas bastantes cheias eu decidi que minhas pernas poderiam ter alguma utilidade e decidi caminhar e senti falta da minha bicicleta amada e adorada bicicleta,que por culpa de uma pessoa muito azarada veio a se instantaneamente dizer "adeuzinho".

P.O.V.S KIM TAEHYUNG

 

Eu nunca--jamais,acordei me sentindo tão entediado como hoje. Francamente,eu achei ter me acostumado com a presença de minha Omma sempre que acordava,e para minha linda(ou talvez não) auto-estima ela não voltaria para casa hoje por conta de algumas coisinhas bagunçadas que só mães entendem e só explicam para seus filhos coisas que os mesmos não querem saber. Para meu desanimo,sequer despertador tinha,e acordei atrasado para nada. Hoje era sexta-feira,porém por um motivo inútil eu não estava com vontade de esticar minhas pernas e dar bom dia ao mundo. E ficar olhando a parede que charmosamente veio a se transformar na coisa mais interessante do mundo apesar de charmosamente estúpida e desinteressante,e então decidi por uma virgula nesta vida desordenada.

Sorri ao ver minhas roupas preparadas e não pude deixar de sorrir ao perceber vitorioso que minha Omma levou em consideração que meu armário multi-cores desconhecido não pegava mole comigo. Eu tinha até vezes que sentia-me envergonhado com o que ela fazia por mim,mais de repente,tudo isso veio a se tornar gratidão,e novamente,senti vontade de ouvi-lá gritar apesar de ainda perto. Fiz o que devia fazer,já se passava noite e levei a conta de que ela realmente não voltaria para casa hoje e que não adianta contar as horas para revela passar por aquela porta. Desistindo,chego perto da geladeira,pronto para abrir meu segundo local sagrado onde nem assombração pode chegar,pela primeira vez,mais vejo um bilhete amarelinho grudado.

Oi,meu amor. É difícil passar um dia inteiro sozinho,não é? Eu sei muito bem,embora sinto saudades e deixa-ló por aí sozinho me traz uma certa insegurança,principalmente pelo fato você sozinho,as vezes eu acho que essa frase junta chega a ser impossível,querido. Porém,vim lhe avisar que como a omma não pode passar o dia aí com você,eu resolvi deixar um recadinho só pra lembrar que existo e que um dia sozinho não é fácil,imagine uma semana inteirinha sem mim,bebê. O dia provavelmente foi um porre,não é? Eu deixei alguns doces preparados especialmente para você,meu filho querido. E para você não esquecer,meu bem,você deverá sozinho entregar os doces para sua vizinha ao lado,sabe? Aquela vizinha que tem uma filha de sua idade que a omma visita todos os dias. Tomara que meu recadinho não tenha cansado você,

BJS DA SUA OMMA

Sorri,lembrando que seria impossível se minha Omma não tivesse enviado um recado,e é claro que ela nunca pensaria em tal possibilidade,e isto só deixou ele feliz. Afinal,seu dia então não iria ser um tédio,por fim,ele teria algo para fazer além de falar com alguém que,inclusive,nunca viu e só ouviu falar. Mais e agora,ele terá que falar com a vizinha brava que mora ali ao lado.

Que mal pode acontecer,hein? Ela até pode dividir os doces e eu posso conversar com ela,pensava Kim Taehyung,ansioso. Pacientemente animado com um encontro fantástico com sua vizinha,deixa eu ver,o nome da filha dela era... Ah,sim,era S/N.. A estudante do seu colégio e que por algum motivo desconhecido era sua vizinha.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...