1. Spirit Fanfics >
  2. Towards The Sun. (Imagine BTS) >
  3. Você não conseguiu, mas eu consegui.

História Towards The Sun. (Imagine BTS) - Capítulo 13


Escrita por:


Notas do Autor


╭═• ೋஜ•✧🖤ℒℴνℯ🍷⃟❁🖤๑✧•ஜೋ •══╮

೫๑》bem vindos a mais um capítulo!《๑೫
╰══• ೋஜ•✧🖤ℒℴνℯ🍷⃟:ℒℴνℯ.•ஜೋ •══╯

Capítulo 13 - Você não conseguiu, mas eu consegui.


Fanfic / Fanfiction Towards The Sun. (Imagine BTS) - Capítulo 13 - Você não conseguiu, mas eu consegui.

Jimin P O V

Depois de ter me enojado naquele jantar falso lá, eu saí, eu entrei no meu carro e não pensei em outra coisa, eu pensei na garota do pole dance, nela; eu fui até a boate onde eu a encontrei, mas estava fechada, eu até falei com um amigo meu sobre ela e tals e sobre o que aconteceu lá, ele então me deu a ideia de que se ela era dançarina da noite mesmo, ela deveria de estar em outra balada, e foi o que eu fiz. Seul é grande eu sei, mas eu vou ir a todas as baladas que tiverem só pra ver se eu a encontro, eu estou mesmo muito interessado nela, ela não sai da minha mente, o que essa garota fez comigo nossa...

Jungkook P O V

Eu estava arrasado, desde o dia que eu resolvi sair, eu sabia que não era pra eu ir, mas eu fui, eu fui humilhado pela minha ex-ficante, a gente não tinha nada serio, era somente sexo, mas sabe não sei o que me deu na cabeça aquele dia, eu passei todo pensando até que me deu uma vontade imensa de sei lá, eu saí fui até uma boate que eu sempre ia com meus amigos, e chegando lá eu encontrei com eles, estavam todos lá, e estava ela a minha ex, ela estava com os amigos dela, e eu acabei bebendo um pouco e resolvi ir atrás dela, pra sei lá conversar e ver se ela ia sair comigo, eu precisava de alguém de apenas conforto carinho uma conversa, saber que eu existo.

Ela me humilhou, na frente de todos e disse que nunca mais ia ficar comigo, que tinha nojo de mim, me humilhou, me colocou no chão, me chamou de pobre coitado de ninguém, que ela não ia sair com um cara sem futuro, jogou palavras tão insuportáveis que acabou comigo, e naquela noite eu saí de lá e fui para o baile funk do Beco do Fumado e lá eu tomei todas, eu até nem lembro o que eu fiz, eu me droguei me entorpeci de tanta bebida, eu acordei no dia seguinte na sarjeta, eu sai meio tonto e fui até o bar do seu Zé, onde eu deixei minha moto.

Eu cheguei lá tão mal que me sentei à mesa e acabei apagando, e fui me acordar era de tarde quase noite já, com o seu Zé me dando empurrão com o pé, eu estava caído no chão dentro do depósito dele, ele me disse que me arrastou pra lá. Eu me levantei peguei meu capacete e minha moto e fui pra casa, chegando em casa estava mal mesmo, e eu corri pro banheiro e só sei que me acordei no meu quarto, eu respirei fundo olhei em volta e percebi que estava na minha cama, e ela estava limpa, mas não dei bola voltei a dormir, e a noite eu passei toda ela em claro só pensando em tudo que a Sarah me falou, aquela cadela me falou, eu chorei tanto, acho que nunca na minha vida chorei tanto como chorei aquela noite.

Eu fui conseguir me acalmar no outro dia, foi onde senti fome e me levantei pra comer e percebi que a casa estava toda arrumada, estava organizada, fui ate a cozinha e tinha café na cafeteira e um pacote de biscoito em cima da mesa, eu peguei o café e os biscoitos e comi, e voltei pro meu quarto me deitei e fiquei fumando e pensando, pois meu cérebro não faz outra coisa a não ser pensar, pensar incessantemente, é como se fosse uma tortura de tanto que pensa e relembra coisas que já fiz, meus amigos se afastaram, tudo que a Sarah me disse, que eu não valia nem uma merda, e ela tem toda a razão.

Eu chorava de ódio de sabe sei lá, pra falar a verdade nem eu mesmo sabia mais o motivo do meu choro da minha tristeza, eu me sentia cansado sem importância, sentia o peso do mundo todo sobre mim, como se minha mãe ainda estivesse viva e ainda me julgando, não estava sendo nada fácil esse sentimento, e ele não ia embora, ele só piorava, eu não conseguia pensar em coisas boas somente em tudo que aconteceu. Eu literalmente estou sendo um peso para o mundo.

J.Hope P O V

Eu fui atrás do Suga e encontrei-o no carro, ele estava escorado bebendo uma garrafa de água, sempre com aquele semblante dele de sempre, sem expressão, ele me olhou e viu que eu estava me aproximando, então entrou no carro.

J.Hope: _ aí está você, o que andava fazendo?

Yoongi: _ vamos pra delegacia de Samcheok.

J.Hope: _ fazer o que lá? Mostrar a minha derrota que eu não consegui nada sobre o velho, ele não me falou nada, que droga eu estava tão empolga... – é interrompido.

Yoongi: _ você não conseguiu, mas eu consegui. Presta atenção no que vou te falar, esse caso é mais sério do que pensávamos.

O Suga me contou tudo que ele conseguiu tirar do velho e depois me disse ainda as suspeitas, é me parece que esse caso de só encontrar a família do Seokjin virou caso de polícia do que caso de detetive. Nós seguimos pra delegacia de Samcheok pra reabrir o inquérito.

Jin P O V

Depois daquela palhaçada que foi o jantar eu não vi mais a tia Regina e nem a cacatua do Kris, Bárbaro, ficou na nossa casa, ele me disse que a mãe dele e avó, estão em um hotel em Seul, e foi só, ele não fala muito comigo, passa o dia todo no celular e na piscina e comendo, enfim eu estava na empresa e esses três dias eu estava à espera de uma ligação do detetive, e já estava com medo e desapontado pensando que ele tinha me enganado, pois eu paguei adiantado uma parte pra ele, e ele ficou de me ligar pra me dar notícias e até agora nada e já faz três dias depois do prazo dele, eu estava vendo uns papéis quando a Miss Liu, entrou com um papel em mãos e me entregou.

_ senhora Kim, um oficial de justiça trouxe isso pra senhora.

Jin: _ um oficial... Que documento é esse. Deixe-me ver... *Lê o papel* _ o que! Mas aquela cacatua dos infernos, está mesmo me enfrentando.

_ senhora Kim, assine essa segunda via, por favor, o oficial está esperando.

Jin: _ aqui Miss Liu. *entrega a folha a ela* _ Há. Miss Liu. Ligue para o meu advogado pessoal e marque um horário, ou melhor, diga pra ele vir urgente aqui.

_ sim senhora.

A Miss Liu, saiu e eu li novamente o documento e estava o nome daquela cacatua do Kris Wu e não a tia Regina, eu sabia, ele acha que vai conseguir tirar o que eu tenho, ele está muito enganado, eu estava já bem estressado com isso né, quando meu celular tocou e era um número desconhecido, quase que eu não atendo, mas né atendi e era o detetive, ele se desculpou por me ligar só agora, ele me falou que estava bem difícil de achá-los, mas me acalmou e disse que seria uma promessa e que ele ia encontrar; disse-me também que quando ele voltasse a Seul, ele queria ter uma conversa séria comigo, eu confirmei né, mas fiquei achando aquilo tudo estranho, e pensei: ele deve de querer mais dinheiro, só pode, se ele me pedir mais dinheiro eu não vou pagar e vou o mandar parar com a procura que eu não quero mais os serviços dele, aigo. Há, mas se for isso deixa só, eu denuncio ele para o conselho de detetives, nem sei se existe isso, mas eu rodo a baiana com ele há se rodo.


Notas Finais


╰❥🍷⃟❁⊰᯽⊱┈☆○o。.ℒℴνℯ:🖤🍷⃟:ℒℴνℯ.o☆┈⊰᯽⊱

Então é isso meus Amóris! Me desculpem os erros e até o próximo capítulo!


┊┊┊┊

┊┊┊𖠚ʿ╰❥

┊┊🖤  ೋ๑┋🖤🍷🖤┋๑ೋ

┊┊               .   

┊❁  °

🍷 ࿆҈ཹ ↻      🖤       *    ·


         🍷τнänκ чöü🖤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...