1. Spirit Fanfics >
  2. Towards The Sun. (Imagine BTS) >
  3. Família? É isso mesmo?

História Towards The Sun. (Imagine BTS) - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


╭═• ೋஜ•✧🖤ℒℴνℯ🍷⃟❁🖤๑✧•ஜೋ •══╮

೫๑》bem vindos a mais um capítulo!《๑೫
╰══• ೋஜ•✧🖤ℒℴνℯ🍷⃟:ℒℴνℯ.•ஜೋ •══╯

Capítulo 9 - Família? É isso mesmo?


Fanfic / Fanfiction Towards The Sun. (Imagine BTS) - Capítulo 9 - Família? É isso mesmo?

S/N P O V

Eu acordei eram umas oito horas da manhã, eu me levantei fui ao banheiro e chorei de novo, pois estava apertada e não tinha coragem, enfim eu procurei o Tae e o Nam e não os achei, eu olhei ao redor e a casa estava toda fechada, janelas tudo, eu fui até lá fora e vi o dia bem bonito até, estava um sol quente, eu olhei de novo pra dentro daquela casa e respirei fundo e quer saber? Já que vamos ficar aqui, que eu vou ficar aqui, eu que não vou ficar em um chiqueiro né.

Eu resolvi arremangar as mangas do meu moletom e limpar, eu comecei pelo banheiro, eu passei a manhã toda limpando só o banheiro, e eu notei que era meio dia e os meninos não tinham aparecido ainda, eu mandei um zap pro Tae, e ele não visualizou, eu dei de ombros e voltei a limpar, eu abri toda a casa, de quarto em quarto, e eu entrei em um quarto que tinha vários troféus medalhas, e muita bagunça, eu organizei, separai roupas sujas roupas que não davam pra vestir de tanto tempo que ficou largada no chão, eu organizei tudo, e depois fui organizando o resto da casa, eu troquei lençóis das camas, coloquei muitos fora porque não dava pra se usar né, estavam podres, nossa... Resumindo eu passei um dia todinho limpando e organizando toda aquela casa, e quando eu estava organizando e limpando o quarto da mãe do Namjoon, entrou uma senhora dos cabelos longos e com tranças, ela entrou na casa chamando o Namjoon, mas eu estava tão entretida nas coisas que acabei levando um susto dela ali.

_ oi.

S/N: _ aigo! Há er... Oi. – fica sem jeito.

_ o que faz aqui, e os meninos?

S/N: _ eles não estão. Eu sou amiga do Namjoon, muito prazer S/N Dempsey.

_ há amiga do Namjoon? Há nossa... Você é bonita... Muito prazer Tia Evangélica, os meninos me chamam de tia então você pode me chamar também.

S/N: _ há legal rsrs...

_ O que está fazendo aqui? No quarto da dona Kim?

S/N: _ eu há é que sabe é que... Eu fui muito invasiva né, é que como...

_ sim eu sei, você sabe que eu estranhei. *fala dobrando roupas e colocando em caixas* _ a casa toda aberta, o que é difícil de ver; e minha filha chegou da escola e falou: mãe eu acho que venderam a casa da senhora Kim, ela está toda aberta. E eu vim aqui ver.

S/N: _ é está um dia lindo né então rsrs... Como vou ficar aqui sabe, tenho costume mesmo de abrir a casa, há eu vi também no noticiário que vai chover bastante e depois vai vir uma onda de frio e até pode nevar, então melhor dia pra faxina...

_ sim eu também ia fazer a mesma coisa hoje, só não fiz porque tinha que fazer biscoitos e pães para a igreja, você sabe eu sou missionária da igreja do pastor Raposo.

S/N: _ há tá pastor raposo legal.

_ é se você quiser ir comigo um dia desses, você é bem vinda. Você vai adorar, os cultos dele é muito divertidos. O que é isso em você uma tatuagem? – fala olhando para o braço da S/N.

S/N: _ há isso! Há não é um risco de caneta é isso... – esconde o braço dela.

_ ainda bem, porque se você tivesse tatuagem, não seria bem vinda à igreja, sabe nós fiéis abominamos esse tipo de rabisco, eu tenho uma pena dos meninos, eles são todos rabiscados, uma pena né, meninos tão bonitos, mas mudando de assunto eu vi que você está colocando as coisas da dona Kim em caixas, vai doar?

S/N: _ eu não sei, é que eu conversei com o Nam, sabe, e ele falou que não gosta de entrar aqui nesse quarto que ele se lembra da mãe então eu...

_ Você está certa, se deixar por esses porquinhos, por eles, essas coisas não iram sair daqui nunca, S/N poderia me deixar organizar as coisas dela?

S/N: _ tá tudo bem... Claro, sem problema, a senhora pode organizar tudo, eu até tenho que estender umas roupas e também terminar de organizar a cozinha.

_ Há fica à-vontade querida, finja que não estou aqui, pode fazer as tuas coisas. E como é bom ver essa casa limpa sabe...

S/N: _ tá bom. A é rsrs...

Rum fique àvontade querida. Com coisa que ela é dona dessa casa, até parece. E pior falando das tatuagens, há se ela visse meu corpo... Droga quem mandou S/N quem mandou... O que isso eu preocupada com uma crente faça o favor, há, mas ela é tão querida... Aigo.

Eu paro de pensar e terminei de recolher umas roupas e estendi outras e coloquei pra lavar mais outro monte, porque era muita roupa, eu limpei toda a cozinha desde as vidraças até os mínimos cantinhos, quando eu estava colocando o lixo pra fora, pra levar todos aqueles sacos de lixo lá na lixeira, a senhora sai do quarto empurrando as caixas que estavam umas em cima da outra.

_ filha me ajuda aqui. Eu vou doar essas roupas pras fiéis carentes lá da igreja, me ajuda a levar na minha casa, por favor.

S/N: _ ta. Tá bom, eu ajudo sim, mas será que o Nam vai gostar disso?

_ eles não estão nem aí, pra nada, vão sim. Me ajuda filha.

Eu a ajudei a levar as coisas pra casa, e quando fui levar as coisas eu entrei até a área da casa e ela chamou a filha dela, eu olhei assim a garota veio até a porta, e pense em uma garota bonita, sabe tipo nada de defeito? A pele o cabelo o corpo tudo nela era perfeito, tipo não tinha erro nenhum nela. Eu fiquei impactada, ela tão delicada, sabe.

Enfim eu deixei as caixas com elas e voltei pra casa, eu peguei os sacos de lixo e levei até a lixeira, e o sol estava se pondo já, e aqui é lugar tão bonito, eu então me dei por conta que não tinha olhado ainda, eu olhei ao redor e vi como era, era bonito o lugar, por ser em uma rodovia tinha campo ao longe, tinha poucas casas, mais eram casas do mesmo lado da do Nam, e tinha uma ruazinha que descia para uma vila como diz o Namjoon, era um lugar bacana até *foto de capa* eu sorri e respirei fundo e fiquei olhando as carretas os veículos que passavam na frente, e sei lá me senti bem, acho que por estar perto do Nam, era como se eu estivesse com meu pai, não sei era um sentimento nostálgico.

Eu entrei, fechei toda a casa, pois já estava noite né, peguei uma roupa que eu tinha lavado e fui para o banho, sabe aquele banho gostoso? Sim tomei o banho, pois agora sim dava pra usar o banheiro com vontade né, depois do banho eu fui pra cozinha, estava com fome, e não tinha nada em casa, nem sobrou pizza de ontem, eu fechei a geladeira eu ouvi a porta bater e quando me virei assim, só vi um vulto correndo em direção ao banheiro, eu achei que era o Tae, eu corri atrás dele já brigando por ele né, ter sumido e não me respondido, aí quando entrei no banheiro eu vi um cara dos cabelos bagunçados ele estava ajoelhado em frente à privada vomitando, ele estava passando muito mal mesmo, eu me assustei e voltei pra trás e me escondi na parede do corredor, e só o ouvia passar mal, de repente ouvi um barulho eu espiei ele tinha caído no chão, ele desmaiou, eu corri até ele pra ajudar.

S/N: _ hey moço! O que aconteceu moço reage fala comigo! Hey!

Jungkook: _ ai... Eu... O Namjoon... – fecha os olhos e abre novamente.

S/N: _ aigo me deixa te ajudar...

Pra minha sorte os meninos tinham recém chegado, aí eu gritei chamando por eles, e eles correram no banheiro e o Namjoon conseguiu reanimar o garoto, o Nam deu um banho gelado nele e levou ele pro quarto, enquanto eu e Tae ficamos olhando de longe.

Tae: _ quem é ele S/N?

S/N: _ não sei, ele entrou correndo aqui passando mal, aí jogou o capacete no chão. – fala pegando o capacete do chão.

Tae: _ eu em...

S/N: _ onde vocês dois estavam?

Tae: _ trabalhando. Eu ajudei o Nam a consertar uns carros lá na oficina de um amigo dele, aí ganhei dinheiro olha.

S/N: _ há que bom.

Namjoon: _ *sai do quarto* _ há ele não anda bem... E bebeu... – balança a cabeça e senta na cadeira.

S/N: _ mas ele ta bem agora Nam?

Namjoon: _ eu acho, ele apagou, faz dias que ele não come nada, não saia do quarto só fumava, eu me preocupo com ele, do meu jeito, mas me preocupo.

Tae: _ o que ele é teu Nam?

Namjoon: _ há ele é meu irmão mais novo, Jungkook, tem a idade de vocês, é mais velho eu acho, há não sei. Que idade vocês estão agora?

Tae: _ eu ** e a S/N é um ano mais nova.

Namjoon: _ adolescentes ainda... Tão jovens, mas já tão vividos... Esse mundo de hoje não dá chance pra pessoas como nós ter uma infância e uma adolescência como antigamente, parece que já nascem adultos e enfrentam tanta coisa...

S/N: _ ai chega de filosofar, onde tem um mercado, eu estou com muita fome, Tae vamos comigo?

Tae: _ vamos, eu também estou com fome, mas estou sujo S/N queria tomar banho.

Namjoon: _ eu te levo lá S/N, eu faço supermercado, só me deixa ir ao banheiro.

Tae: _ aí veste um casaco tá frio lá fora.

O Tae foi tomar banho e eu e o Namjoon fomos ao supermercado, enquanto comprávamos as coisas o Namjoon me fazia muitas perguntas, e perguntava bastante do Tae, mas eu óbvio não ia falar o que somos, e como viemos parar aqui na coreia de novo né, então eu sempre arrodeava nas palavras e mais tirava dele do que ele de mim, até que chegamos ao assunto do orfanato e ele e o Kris foram os últimos a saírem, acho que ele é sentido por isso, que ele mudou tão rápido de assunto que chegou a me assustar com o desconforto que ele ficou.

S/N: _ Nam, tá tudo bem? Namjoon espera, hey espera! – corre empurrando o carrinho de compras atrás do Namjoon.

Namjoon: _ biscoito, o Jungkook gosta de biscoito é. Pegou manteiga?

S/N: _ é peguei. Namjoon, por que você não gosta de falar sobre isso?

Namjoon: _ que não gosto o que S/N, coisa boba.

S/N: _ tá bom né, tem que pegar leite.

Namjoon: _ há leite, isso é na outra sessão, vem.

O Namjoon só ia jogando as coisas das prateleiras no carrinho, porque será que aquela pergunta que eu fiz o deixou assim tão desestabilizado?

Jin P O V

Estava na minha sala ainda na empresa, quando a Miss Liu, a minha secretaria, entra pra me avisar que Thompson tinha ligado e mandado avisar que minhas visitas tinham chegado, eu respirei fundo e liguei mais uma vez pro Zach, ele saiu chateado comigo e desde ontem não voltou pra casa, acho que ele está no escritório dele, eu pensei em ir até lá pra me desculpar, pela grosseria que foi ontem, mas como tinha que receber e almoçar com aqueles insuportáveis eu resolvi mandar uma mensagem pedindo que, por favor, que ele voltasse pra casa, pois eu tinha visitas importantes.

Enfim eu fui até o estacionamento, entrei no meu carro e segui pra casa, no caminho enquanto esperava no sinal, eu liguei pra Jimin, mas chamou o celular dele e ele não atendeu: é parece que vou estar sozinho no meio das duas cobrar e a cobrinha mirim.

Chegando em casa, lá da porta da minha mansão eu já sinto o cheiro de perfume forte e escandaloso entranhar nas minhas narinas: aish sempre tiveram mal gosto pra perfumes. Eu entrei e fui até a sala de visitas, e lá estavam elas a cobra mãe e a cobra filha e a mirim.

Jin: _ haaa tia Regina! Kris Wu, haaa como está desenvolto o seu filho, Bárbaro, você está tão rsrs... Ficou maior desde que te vi pela última vez.

Regina: _ há Jin, não seja falso com o garoto, ele parece uma pipa de vinho, e daquelas bem curtidas lá da Itália.

Kris: _ mamãe não seja assim, Bárbaro, está só um pouquinho fora do peso. Não é mesmo filho.

Bárbaro: _ sim mamãe.

Kris: _ já você Seok Jin, ain envelheceu... Nossa Jin jurava que você estava mais cuidado, sabe mais enxuto, mas pelo jeito...

Jin: _ haaa Kris sempre tão cuidadoso com as palavras, não foi isso que você comentou na última publicação da Gucci em que eu fui modelo principal, amore seja duas caras, mas pelo menos seja bonito em uma delas.

Regina: _ queridos sem colocar defeitos no outro em!

Jin: _ mas titia eu não coloco defeito em ninguém, foi santo Suho que colocou, eu só comento.

Kris: _ por acaso está me julgando de algo Jin? Não está gostando da nossa presença?

Jin: _ imagina, eu? Há que isso, o Thompson está de prova que eu estou super contente e sabe não me julguem pelo que eu falo, porque imaginem o que eu penso.

Bárbaro: _ mamãe que horas vão servir o almoço? Estou com fome, estou cansado, ain esse clima do oriente me deixa cansado.

Kris: _ eu não sei filho, não sei que hora iram servir o almoço aqui, há Jin sabe que Bárbaro meu filho, ele é alérgico a lactose, então eu espero que você tenha dito as suas cozinheiras, e eu detesto comida coreana, eu como somente chinesa, espero que você também tenha providenciado isso.

Regina: _ é claro que sim querido, o Jin jamais faria tanta desfeita com a família dele, não é mesmo Jin querido?

Jin: _ família? É isso mesmo? Há família hahaha... Engraçado, sabe que até hoje eu estava comentando na empresa que muitas pessoas, sabe principalmente da família titia, me tratam como se eu fosse google, só me procuram quando precisam de alguma coisa. Diga queridos, o que querem aqui, sabe eu trabalho e para que essa reunião.

Regina: _ está zombando da nossa visita aqui Seok Jin? Por acaso não está feliz conosco na sua casa? Com uma visita minha, da sua tia?

Kris: _ eu acho que é isso mesmo mamãe, o Seokjin, não está feliz com a gente aqui pelo jeito, já está falando em trabalho e dinheiro é impressão minha Seok Jin, ou está com medo de algo.

Jin: _ quem eu há pelas contas do rosário que isso eu com medo hahaha Kris só você mesmo pra me fazer rir... Bom, vamos parar de falar sobre isso e vamos almoçar não é mesmo.

Bárbaro: _ até que enfim.

Eu vou em direção à mesa e Thompson vem logo atrás, e eu estava à flor da pele, porque sério paciência é fundamental, mas tem hora que uma metralhadora faz falta na mão da gente


Notas Finais


╰❥🍷⃟❁⊰᯽⊱┈☆○o。.ℒℴνℯ:🖤🍷⃟:ℒℴνℯ.o☆┈⊰᯽⊱

Então é isso meus Amóris! Me desculpem os erros e até o próximo capítulo!


┊┊┊┊

┊┊┊𖠚ʿ╰❥

┊┊🖤  ೋ๑┋🖤🍷🖤┋๑ೋ

┊┊               .   

┊❁  °

🍷 ࿆҈ཹ ↻      🖤       *    ·


         🍷τнänκ чöü🖤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...