História Toxic - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Life Is Strange
Personagens Chloe Price, Maxine Caulfield
Tags Lis, Pricefield
Visualizações 143
Palavras 845
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), FemmeSlash, Musical (Songfic), Orange, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Suspense, Universo Alternativo, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Songfic de Toxic, na versão de Yaël Naïm. Ouçam a música no momento oportuno para uma melhor experiência. A tradução da letra não está totalmente fiel, eu mudei algumas coisinhas.

Capítulo 1 - Um gole direto do copo do diabo


Meus pés estão batendo na porra do chão por tanto tempo que até eu estou ficando irritada. Irritada da fuga constante de Arcadia Bay cruzando o país inteiro, cansada das perguntas de Max, cansada de toda a porcaria inelegível que sinto sempre que olho para ela.

Droga, Max é só minha amiga de infância.

Sim, é por esse tipo de postura hipócrita que Max me exigiu uma conversa hoje.

Nós somos só amigas, mesmo depois de eu querer socar até a morte qualquer um que te paquera – e efetivamente tentar fazer isso só com o olhar.

Nós somos só amigas, mesmo depois de tudo dentro de mim revirar quando você me olha.

Nós somos só amigas, mesmo depois de minha cabeça quase explodir quando eu te provoquei e você de fato me beijou.

Nós somos só amigas, mesmo depois de ter se tornado difícil dormir na mesma cama com você.

É, Max, nós continuamos sendo amigas mesmo semana passada a gente ter fodido e ter acontecido de novo anteontem.

Eu não preciso pensar no que eu sinto por você, muito menos no que eu desconfio que sempre senti por você.

Não depois de quase todos na cidade onde crescemos terem morrido e saber que Rachel morreu.

Depois de tudo. Eu não posso depender de você agora. Eu não posso pensar em você mais do que já estou pensando por dia e se eu pensar eu vou-

 

– Foi mal demorar.

Parabéns por chegar a tempo de impedir um colapso mental meu.

– E aí, o que é?

Eu pergunto, meu disfarce de desinteresse se desmanchando na ansiedade.

– Chloe, você sabe o que é. Eu não vou ser uma pateta e ficar aqui falando do que claramente existe e nós já sabemos disso.

Eu odeio quando Max decide falar de maneira indireta. Dou de ombros e me jogo na cama do nosso quarto horrível de beira de estrada temporariamente alugado. Estou disposta a começar a encarar o teto e ignorar aquela conversa até Max desistir, mas ela decide continuar. E eu ainda estou nervosa, ainda mexendo minha perna incontrolavelmente.

– Não é do meu feitio, mas eu também cansei de ignorar as coisas. Então pensei que seria menos penoso pra nós duas se eu fosse corajosa e decidisse por você também.

– Max, do que mesmo você está falando?

Max se aproxima, beija minha testa. Apenas minha testa, e todos os meus músculos se relaxam. Eu estou ficando na dela cada vez mais facilmente. Ela sorri, um pouco tímida, e linda, com fios de cabelo se misturando às suas sardas. Ela é….

– Vou por uma música. Espero que não se incomode.

 

.

 

Uma música lenta e totalmente propícia pra o que eu queira – tanto – fazer começa a tocar. Quando a letra aparece, percebo que é uma versão de Toxic, de Britney Spears. Não sei de onde Max vem com essas.

Ela continua no meio do quarto, a três passos da cama onde eu estou, em pé, totalmente parada. A melodia da música parece criar uma fumaça que a envolve e dança ao redor dela. Max é linda. Seu cabelo bagunçado, suas olheiras, seu andar desajeitado, sua nerdice. Tudo nela...

 

Você não vê? Estou chamando

 

Meu corpo, está chamando. Cada músculo desta carcaça, cada pensamento desta cabeça hiperativa está concentrado em saber qual será seu próximo movimento. Por qual parte do meu corpo você vai deslizar seus dedos, por qual zona erógena você vai despejar seu hálito.

 

Uma garota como você deveria vir com um aviso

 

Um aviso no verso da embalagem: Cuidado! Cuidado! Perigo. Perigo de ultrapassar os limites que o bom senso impôs aos sentimentos.

 

É perigoso, eu estou caindo

 

Caindo na sua lábia, no mover dos seus cílios que é a concretização de um feitiço. Caindo diretamente no seu olhar, me espatifando no calor do seu corpo.

 

Não há escapatória

 

Não há como escapar da captura das suas pupilas, não há como escapar do teu cheiro, do teu arquejar.

 

Eu preciso de um toque, meu amor, me dê isso

 

Minha respiração alterada me entrega, meus grunhidos te pedem… de novo. Um toque, mais embaixo e depois, embaixo.

 

Estou chegando muito alto, não consigo descer

 

Não consigo parar, aterrissar, voltar à realidade das paredes brancas e portas ocas enquanto você me faz sentir textura de cores, perfume de imagens, só com seus toques.

 

Perco minha cabeça, dou voltas e voltas. Você me sente agora?

 

Sente pulsar por baixo da minha pele? Sente minha alma que derrete na tua mão feito Gálio e espirra no teu rosto?

 

No sabor dos teus lábios… eu viajo. Você é tóxica, eu me contorço por baixo te ti. No sabor do teu veneno… eu chego ao paraíso

 

Que é na terra, entre seus braços ou pernas.

 

Está ficando tarde para desistir de você

 

E a cada dia você me toma as forças caso eu precise.

 

Tomei um gole direto do copo do diabo

 

Ao ir em frente me apaixonando por você, achando que paixão é só sobre dar as mãos.

 

Lentamente está tomando conta de mim

Me intoxique agora

 

Eu não vou te parar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...